Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos porno » Uma transa fantástica com minha esposa

Uma transa fantástica com minha esposa

Publicado em julho 18, 2019 por CooledCutie

Certo dia estava eu e minha esposa em casa curtindo um dia de folga. Eu estava com tanto tesão que toda hora que ela passava perto de mim ficava de pau duro imaginando comê-la e chupa-la de todas as maneiras possíveis. Em um dado momento, ela falou que iria tomar banho e entrou para o banheiro. Não resisti e, após alguns minutos, tirei a minha roupa e fui atrás dela. Já fui chegando e beijando-a na boca e segurando os seus lindos seios. A minha esposa é uma baixinha de mais de quarenta anos com os seios de menina e uma bunda grande. Apesar da idade, ela continua muito atraente e desejável.

Desde o dia em que nos conhecemos sempre fui fascinado pelos seus seios e pelo seu cuzinho. Todas as vezes que nos amamos não canso de chupar aqueles dois seios maravilhosos e as pregas daquele cuzinho lindo. E, nesse dia, não foi diferente. Cai de boca nos seus seios, passei a mão na sua bunda, abrindo-a e brincando com aquele orifício pequeno, quentinho e muito gostoso. Depois de chupar a sua língua, brincar e mordiscar os seus seios por um longo tempo e apertar a sua bunda abaixei e abri as suas pernas vislumbrando aqueles lábios vaginais carnudos e cobertos por uma espessa selva de pelos pubianos. Aproximei a língua daquela gruta magnifica e suguei os líquidos que entornavam como jatos de dentro dela. Segurei as suas ancas enquanto a chupava e abri suas nádegas e coloquei um dedo na entrada de seu cuzinho. Nesse instante, ela empurrou a sua bunda para trás e o meu dedo foi escorrendo para dentro daquele orifício magnifico. Fiquei chupando a sua vagina e tirando e colocando o dedo de dentro daquele buraquinho apertadinho. De repente, virei ela de costas e abri a sua bunda com sofreguidão, deixando o seu cuzinho bem aberto. Sem vacilar, introduzir a minha língua naquele buraquinho e fiquei ali em momentos que pareciam eternos de tão bons. Em um dado momento, desliguei o chuveiro, peguei a toalha e sequei todos as curvas de seu corpo, enquanto ela fazia o mesmo comigo. Saímos do banheiro e fomos direto para a nossa sala de televisão que tem uma cama onde passamos o tempo assistindo a nossa programação preferida.

Continua depois da publicidade

Sem soltar uma palavra sequer, ela sentou na cama, segurou o meu pau e começou a dar mordidinhas e chupa-lo devagarinho até que o enfiou todo dentro da sua linda boquinha, lambendo-o, sugando-o e chupando feito um sorvete. Fiquei todo extasiado de tesão e comecei a dar estocadas cada vez mais rápidas e ela, feito uma cadela no cio, se entregava totalmente as minhas perversões. Quando já estava quase gozando segurei-a pelos braços e a empurrei-a e deixando-a deitada na cama. Subi em cima dela com a pica próxima de sua boca minha boca encostada em sua xoxota toda ensopadinha.

Começamos a fazer um 69 maravilhoso. Ela chupava o meu pau com sofreguidão e eu lambia sua grutinha com devassidão. Ficamos ali por longos minutos, ora ela embaixo, ora ela encima. Sem falar nada, bati em suas coxas devagarinho e a segurei-a firmemente e comecei a girá-la até encaixar o meu pau em sua vagina e introduzi-lo todo de uma estocada só. Fiquei estocando com força e ela socando a sua bunda em minhas coxas. Não me contendo, abracei as suas nádegas e comecei a abri-la até encontrar o buraquinho que tanto desejo. Coloquei um dedo na portinha e enfiei devagarinho para dentro daquele orifício.

Enquanto enfiava o pênis em sua vagina, o meu dedo explorava o seu cuzinho apertadinho. Depois de algum tempo, não aguentando de tesão, falei que queria colocar o meu pênis dentro daquele buraquinho. Ela se levantou e se ajoelhou na cama para, em seguida, ficar de quatro e, com uma voz tremulante me mandou enfiar o cacete no seu cuzinho. Confesso que fiquei louco! Não pensei duas vezes! Levantei, abri a sua bunda e chupei ardentemente aquele botãozinho de lótus até deixá-lo todo ensopado. Então, posicionei a cabeça do meu pênis na portinha do seu cuzinho e fui introduzindo
devagarinho até encostar as minhas bolas em suas nádegas suadas. Fiquei enfiando e tirando o pau devagarinho até ela relaxar totalmente. Quando vi que ela estava com o rosto sereno comecei a fazer movimentos mais rápidos e estocadas cada vez mais vigorosas. Quando dei por mim estava possuindo-a com força feito um animal e ela gritava e gemia de dor, mas pedia para não tirar que já estava quase gozando.

Continua depois da publicidade

Ela começou a gritar que estava gozando, fiquei louco e estoquei mais fundo ainda e, num repente, gozei junto com ela, inundando aquele buraquinho de porra. Aos poucos, fui tirando o meu pau de dentro do seu cuzinho e o vi aberto com minha porra escorrendo pelas suas pregas. Ela estava exausta, com um lindo sorriso no rosto e eu estava vivendo um dos melhores momentos da vida, vendo ela sorrindo e seu cuzinho todo cheio de porra. Foi nesse momento de prazer que, de repente a campainha tocou. Ela se assustou e perguntou quem poderia ser naquela hora. Eu falei que poderia ser o meu melhor amigo, pois ele tinha o costume de nos visitar em horários diferenciados. Ela falou que eu tinha razão, porém lamentou que não daria tempo de entrar no banheiro para tomar outro banho e saiu
correndo para o nosso quarto. Vesti a minha roupa o mais rápido que pude e fui abrir a porta para ver quem era.

8610 views

Contos relacionados

A bela e o velho

Enviado por: Ananda Pelo espelho me vejo sentada na cama daquele senhor. Eu só de calcinha (minúscula), tênis e meia ¾, cabelos soltos, pele branquinha e lisinha, toda gostosa com bumbum...

LER CONTO

Traindo em intercâmbio – Parte 2

Enviado por: Letícia RJ Está é a continuação de Traindo em intercâmbio - Letícia RJ ...dois dias depois Souza me chama para uma conversa noturna novamente, claro, ele queria me comer de...

LER CONTO

Meu primeiro boquete foi no meu namorado

Oi gente bonita, meu nome é Rafaela, tenho 23 anos, moro em Recife e vou contar como foi meu primeiro boquete , que aconteceu quando eu tinha 19 anos. Comecei a foder com 18 anos, perdi a...

LER CONTO

Teste do sofá porno com um produtor safado

Olá, sou assistente de palco, tenho 1,70 de altura, 65 kg, 67 de cintura, 100 de quadril, 90 de busto e mais de mil horas de pica por ai... Vou contar para vocês como foi um teste do sofá porno ...

LER CONTO

Noite da putaria

  “Mas o que eu poderia esperar de uma noitada ao lado de minha prima maluquinha que amo de paixão?! “ Foi num sábado de manhã quando acordei com Bia mexendo na minha buceta debaixo...

LER CONTO

Sendo puta no carro

Oi pessoal, me chamo Stefa...o que vou contar aconteceu á uns 4 anos atrás, na época eu fazia um ano que estava separada, dai conheci um cara, como moro no interior em uma vila pouca casa, dai...

LER CONTO

Comi a sogra do meu amigo

Tudo começou quando fui jantar na casa de um amigo, o dia que comi a sogra dele. Era o jantar de aniversário dele, jantamos e depois todos os convidados começaram a dançar. Eu estava de olho...

LER CONTO

As Aventuras de Clarisse: Parte 1 – As Primeiras Descobertas

14 de julho de 2001. Este é o dia em que eu fui apresentada ao prazer sexual. Faz tanto tempo, mas a imagem ainda permanece vívida em minhas memórias daquele banho, onde meus dedos deslizaram...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 5 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2022 - Contos adultos