website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de fetiche » Jogos doentios

Jogos doentios

Publicado em fevereiro 2, 2021 por CooledCutie

Mais uma noite em que ela acordou na madrugada sobressaltada , com seus pesadelos seus medos e desejos, três meses já se passaram, e mesmo fazendo muitas analises passando por tratamentos psiquiátricos , ainda assim ela não conseguia espantar de suas lembranças todos os fantasmas que assolavam sua mente , pois dentro dela havia todo o pavor que fora aquele hediondo estupro porem algo doentio acontecera que iria modificar ela por toda a vida, Marli sabia que somente ela poderia lutar contra todos os demônios que assolavam sua mente.
Marli fora seviciada por mais de três horas ,nas mãos de três famigerados marginais que a violaram de todas as formas num crime hediondo e cruel que sempre será abominável, mas também fora revelada uma faceta desconhecida dentro dela.
Casada a dez anos mãe de três filhos uma zelosa dona de casa ela sempre tivera uma vida sexual normal, nada fora do padrão, mas o que aconteceu dentro dela era algo único com certeza .

Marli acordada no meio da madrugada fitava o esposo Valdir que dormia ao seu lado indiferente com a sua dor, pois ele ficara distante dela após o ocorrido nunca mais a procurou parecendo sentir nojo dela , altiva ela o ignorou olhando-o com desdém .
Tendo nos seus pensamentos, a certeza que sua vida nunca mais seria a mesma, se levantou foi até o quarto ver as crianças, foi a cozinha onde tomou um copo de água , sentou-se numa cadeira após apagar as luzes e acender um cigarro, então levou as mãos ao seu sexo introduzindo dois dedos na sua buceta que estava pingando sua seiva chegando a escorrer pelas pernas.
Deu um gemido abafado iniciando uma masturbação feroz ,se imaginando a mercê daqueles machos que a violaram fazendo ela sentir um prazer insano nunca antes imaginado.

Coisas que ficaram em suas lembranças mas que jamais ela revelaria para seus psicólogos pois sabia que aquilo era algo doentio, ela manteria aquele segredo somente pra si própria, pois ficava envergonhada de ter sentido tudo o que sentira. E por mais insano e cruel , em sua mente aqueles momentos ficaram marcados como os mais sublimes e eternos momentos de prazer que ela sentira em toda sua vida pois despertara um lado desconhecido dentro dela algo nunca imaginado e também inexplicável .

Aquele local era um depósito de carcaças de carros roubados e ficava num atalho do caminho que ela percorria todos os dias para levar as crianças na escola. Naquela manhã ela voltava após os deixar os filhos quando foi abordada e praticamente arrastada para aquele local .
Lutou ferozmente com seus algozes ingloriamente até praticamente extenuada sem forças implorar para não fazerem nada com ela.

Mas eles já a tinham despido e mãos e bocas percorriam seu corpo com volúpia arrancando dela protestos pelas caricias forçadas que a submetiam, deu um grito de dor ao sentir a invasão daquele membro dentro dela abruptamente sem nenhuma preparação tentou lutar esperneou com as forças que lhe restava mas foi subjugada sobre um enferrujado capô de um carro. por mãos vigorosas que a imobilizaram recebeu dois ou três tapas no rosto arfando chorosa sentiu as estocadas dentro dela como um ferro em brasa a invadindo .

Aos poucos foi perdendo os sentidos ate desfalecer por alguns momentos.ao perceber que ela não mais oferecia resistência eles não mais a agrediam e sim procuravam acariciar seu corpo espalmando seus seios lambendo e chupando seus mamilos torcendo-os ,quando o segundo foi por cima dela a penetração não foi tão dolorida pois sua vulva estava lubrificada pelo esperma que ficara depositado dentro dela.

Marli tinha os olhos fechados inerte aceitou a invasão sem protestos querendo acabar logo com aquela indesejada invasão e desaparecer dali , nem bem ele ejaculou, outro se posicionou sobre ela ,este era o maior de todos mesmo usada pelos dois anteriormente ela sentiu a verga firme invadir sua buceta escorregando pelas paredes do seu canal vaginal abrindo-a como nunca antes fora aberta.

Impensadamente sem perceber puramente por instinto, ela sentiu uma sensação de prazer ao ser penetrada, Marli gemeu em êxtase, envolvendo com as pernas prendendo-o contra seu corpo e participou ativamente rebolando a cada estocada, sacudia a cabeça para os lados chorava, e gemia, mas era um gemido luxurioso de alguém que sentia prazer na copula ,e gozos intensos profundos

seu corpo , sentiu um orgasmo profundo longo luxurioso que fez ela rebolar com estertores igual uma epiléptica implorando para o macho acelerar os movimentos dentro dela gritando para ele ir mais fundo mais rápido.
Incrédulos perceberam que ela estava receptiva aquela curra , a luxuria tomou conta de todos provocando um grau de excitação incomum neles que nem pareciam humanos e sim animais no cio querendo somente acasalar se mordendo se arranhando dando grunhidos idênticos ao de cães no cio, improvisaram um nicho com um banco traseiro onde ela foi deitada ao mesmo tempo os três homens caíram como lobos famintos devorando sua presa o cheiro de sexo impregnava as marinas dos machos como se fosse o cheiro de uma fêmea no cio os excitando, a buceta dela se contraía abrindo e fechando e seus fluidos escorriam formando borbulhas sobre seu intumescido grelo.

Alucinada ela correspondia gritando impropérios palavras de baixo calão que nunca ousara dizer eram proferidas pela sua boca e logo seus lábios sugavam com deleito um caralho, tendo outro dentro de sua buceta . deitada sobre o macho Marli empinou a bunda gemeu num misto de dor e prazer ao ser penetrada pela primeira vez na vida no anús e comandou os movimentos rebolando nas duas picas que ocupavam seus buracos. Por três horas ela teve seus mais intensos orgasmos sendo penetrada de todas as maneiras possíveis e imagináveis, até mesmo palpitou escolhendo as posições para ser penetrada delirou de prazer quando sentou no cassete engolindo ele todo pelo agora arrombado rabo enquanto ajoelhado a sua frente outro penetrava sua buceta enquanto o terceiro estocava sua boca metendo fundo indo na sua garganta.

engasgada ela tinha ânsias e chorava copiosamente num misto de loucura e prazer completamente insana deixando uma baba pegajosa gosmenta escorrer pelo seu queixo pingando nos seus peitos parecendo até que fora possuída por uma entidade e que ela vivia tudo aquilo, em transe os bicos dos seios estavam pontudos entumecidos sensíveis arrancando dela gemidos luxuriosos quando tocados .

Até que extenuada foi abandonada com marcas por todo o corpo, em estado deplorável foi deixada as margens da estrada onde foi encontrada totalmente desfalecida.
. Vários dias internada para se refazer das barbáries que seu corpo sofreu e três meses depois Marli refeita, sem sequelas? tinha em sua mente uma só vontade repetir tudo aquilo novamente pois a dor a desonra, inexplicavelmente fazia ela desejar ser subjugada e currada , coisas que a mente humana não é capaz de explicar realmente .

[NOTA ABOMINAMOS O ESTUPRO MAS ESTE É UM CONTO DE UM FATO ISOLADO , UMA VARIANTE DOS PRAZERES MORBIDOS E DOENTIOS QUE SÓ A MENTE HUMANA PODE PROPORCIONAR]

Leia outros Contos de fetiche bem excitantes abaixo:

Casal Cumplice

A primeira vez do Cadeirante Gay - Parte 2

16139 views

Contos Eróticos relacionados

Novinha e casada,um tesão!

Me chamo Naldo, tenho um pequeno sitio a 30 KM de minha cidade aquino interior do RN e numa destas idas meu carro deu problemas na bateria e fiquei sem sinal de celular e parado na estrada. Pra minha...

LER CONTO

Minha filha é uma putinha | Parte 1

De madrugada, acordei devido ao barulho de chaves, levantei-me e olhei pela janela, vi a minha filha saindo de casa, achei estranho, mas, por causa do sono, decidi deixar pra lá. No dia seguinte,...

LER CONTO

Esposa submissa

Eu já disse em outras ocasiões que nasci numa época errada. Gostaria de ter nascido no tempo que homem mandava em mulher, marido mandava na esposa, ela abaixava a cabeça, obedecia e viviam...

LER CONTO

Dando a Bucetinha Em Troca de Maconha

Eu acabara de me mudar para o meu primeiro apartamento morando sozinho. Tinha cerca de 21 anos. Fazia faculdade e estágio, portanto, quase não parava em casa. Saída cedo e voltava tarde da noite....

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 5 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2023 - Contos adultos