website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de fetiche » A primeira vez do Cadeirante Gay – Parte 2

A primeira vez do Cadeirante Gay – Parte 2

Publicado em setembro 13, 2022 por Fabricio

Aqui estou novamente para dar continuidade aquela aventura que aconteceu dentro do ônibus de viagem. Se você perdeu o início desta história vale a pena ler o primeiro conto baseado em fatos reais.
Após mamar gostoso aquele homem que então era desconhecido, me deixar louco de teso ao ponto de beber, primeira vez, o leite fato e grosso que jorrou daquela rola de 25cm, enfim, depois de 10 horas de viagem chegamos ao nosso destino final.
Eu ainda estava tímido e sem graça, pois tudo era novidade para mim, ainda,
contava com a confusão em minha mente o que na verdade ocorreu comigo, conforme relatei no primeiro conto só tinha tido experiência sexuais com mulheres, com as mais recatadas até as mais taradas e atiradas. Confiava que tudo era apenas uma admiração por corpos masculinos, até Paulo me seduzir e me fazer provar que era muito diferente do que eu imaginava ser.
Mas isso não era certo ainda, até tudo acontecer. Irei contar tudo.

Ao chegar ao desembarque pedi ao Paulo para solicitar ao motorista do ônibus para me ajudar a descer do ônibus, recordando que sou cadeirante, então ele abriu um sorriso largo e veio até ao meu ouvido e fez uma brincadeira, dizendo: “você acha que irei deixar outro macho pegar você no colo, deixe isso comigo porque a partir de hoje você não vai mais querer viajar sozinho sem mim.
Eu sem graça retribui o sorriso e deixei aquele homem forte, de 189m de altura me carregar no colo até ao solo onde minha cadeira de rodas já estava me esperando.
Então agradeci a gentileza dele e me despedi, ele me perguntou, você irá pregar uber ou tem alguém para te buscar? Eu disse: estou sozinho e irei de uber para meu apartamento. Ele insistiu, perguntando: “mas você não tem ninguém para te ajudar?”
Eu resumi a resposta e contei que tinha me mudado há pouco tempo para São Paulo e morava sozinho. Ele esperto então disse; “não, vou te acompanhar até sua residência de lá pego uber para minha casa”

Eu então aceitei a companhia dele e fomos para meu destino, por coincidência era o mesmo bairro que ele morava. Chegando ao meu condomínio o porteiro veio ajudar pegar as malas e ele mais uma vez veio ao meu ouvido e sussurrou: “esqueceu que sou teu macho?! Deixe que eu mesmo levo suas malas”
Eu logo fui entrando para ninguém desconfiar que naquele dia surgia uma relação dúbia entre nós, não sabia o que era mas tinha certeza que ele me atraía muito.
Então subimos e lhe ofereci um café expresso e lá ficamos conversando quando ele tocou no fatídico caso do lance acontecido dentro do ônibus. Ele perguntou, você curte homem desde quando?
Eu respondi para espanto dele, disse que foi a minha primeira vez que tinha mamado um homem. Ele surpreso voltou a pergunta, “então você é virgem?!”

Eu respondi: com homem jamais tinha tido sequer contato físico sexual. Ele sorriu e me beijou com muito mais desejo quando me deu o primeiro beijo a bordo do ônibus. Era um beijo envolvente, quente e cheio de maldade, ele sugava minha língua e enfia a dele em minha boca fazendo movimento que tinha acabado de fazer com pau dele fudendo a minha boca, dentro do ônibus, recém deflorada… kkkkk
Então ele começou a me abraçar e me alisar todo, senti o tesao dele em estar me explorando como um animal selvagem em busca de uma fêmea no cio.
Eu comei a gemer com as carícias e beijos intensos e fortes, quando ele me tirou da cadeira, nunca tinha me separado dela para
me locomover, ele faminto me jogou no sofá da sala, tirando a roupa de maneira sensual e sempre me encarando sério. Quando olhei aquele homem nu em minha frente senti um enorme tesao. Ele era sensacional, alto, forte, pelos no peito, pernas grossas bem cabeludas e como já contei tinha um pau gigante.

De fato, ele tinha 25cm, que ele mesmo afirmou me perguntando: “será que aqui mais à vontade você consegue engolir o meu pau de cavalo mangalarga de 25cm sem engasgar? “
Eu não acreditava naquilo que via na
na minha frente.
Ela era muito atraente e sedutor, gostoso além de muito cheiroso.
Então ele em ato bruto segurou minha cabeça pelos meus cabelos e foi fazendo com que minha boca engolisse cada centímetro daquele mastro que pulsava de tesao.
Ficamos alguns minutos nos adaptando a situação, ele socava forte e eu não conseguia e lágrimas saiam dos olhos porque impai ia bem na goela. Ele não parava e continuava fudendo minha boca sem dó e piedade, perguntando: “gosta de rola? Então vou fazer você apaixonar pela minha quando ela entrar em você se não for pela boca será pelo cuzinho. Você tem o tempo todo para resolver onde eu irei meter fundo o meu pau de cavalão.” Eu estava louco por ele, mas não consegui de forma alguma, então foi quando ele falou: “é de fato só com muito treino você conseguirá engolir os 25cm, o jeito fazer ela entrar em você pela banda, quero você! Vou comer seu cuzinho e você vai me dar gostoso hoje.”

De fato queria muito tudo isso com ele, mas engolir aquele mastro não consegui. Então ele me deitou no sofá e veio de frente me beijando e lambendo meu corpo todo, isso aguçou os meus pontos G e eu tremia e gemia de tesao querendo ser desvirginado ali mesmo no meio da sala, quando ele me perguntou onde ficava o banheiro, eu disse que poderia usar a suíte do meu quarto, ele me pegou no colo e foi comigo até o chuveiro, abriu a ducha comigo abraçado no pescoço dele e lá começou me beijar loucamente debaixo d’água. Ele pegou o shampoo e derramou em nossos corpos, fazia com que nossos corpos deslizassem e escorregassem um no outro, aquilo me deixou ainda mais excitado sentir os pelos dele pregados em meu corpo lisinho. Enquanto ele me segurava no colo dele, eu de pernas abertas na cintura dele, ele passava a cabeça do pau no cuzinho para eu ir me acostumando com aquela cabeça que parecia uma cebola que já estava cravada na portinha, pronta para me desvirginar, então ele disse; “segura em mim forte, irei meter neste “coelhinho virgem”. Apertei ele pelo pescoço e deixei ele fazer o que queria muito sem
medo ou pudores.

Então ele me apoiou na bancada da pia do banheiro de pernas abertas e debruçou sobre mim na posição de frango assado e foi metendo, eu comecei a gritar, doía muito, afinal era virgem e estava dando a bunda para um Cavalo. Sentia aquela rola enorme entrando e pulsando forte cada vez mais fundo. Ele tirou para encaixar melhor.
Eu consegui ver pelo espelho.

O pau dele chegava a brilhar, de tão duro, era branco com a cabeça gigante bem vermelha, assim ele colocou na mira e foi empurrado e cada vez eu gritava a cada centímetro que entrava, ele pegou a toalha e me amordaçou e segurou meu braços, passou uma hidrante que tinha sobre a pia na minha bunda e começou novamente a penetrar devagarzinho, mesmo assim doía muito, sentia aquela pica rasgando tudo, mas nada eu poderia fazer porque eu estava sem reação e ele era forte demais,
lutador de Judô e me continha,
assim ele foi enviando até eu sentir as bolas encontrando a minha bunda. Entrou tudo até o talo, sentia apenas o pau pulsando e rasgando as pregas do meu cu recém deflorado.
Ele satisfeito, ao me ver contorcendo de dor e prazer, com aquele olhar sedutor e tarado me perguntou se poderia continuar ou queria que me acostumasse com o pau gigante dentro de mim que eu sentia preencher tudo.
Eu apenas o abracei e fiquei quietinho.

Ele fez carinhos e me beijava muito. Até que ele começou a bombar em ritmo lento, mas foi aumentando até ficar selvagem e foi rasgando o resto das minhas pregas que sobraram depois que penetrou tudo.
Ele gozou fartamente, o gozo escorria pelas nossas pernas, porém ele não parou, acreditem, ele ainda bombou em busca de outro gozo, então pedi a ele que me deitasse em minha cama porque eu estava morto. Dolorido, cansado e ardido. Ele carinhosamente me enxugou e fomos para cama, ficamos minutos nos olhando sem acreditar naquilo que aconteceu. Eu sou bem menor que ele, 179cm, magro, apesar de fortinho nos braços e peitoral em razão do exército de empurrar a cadeira.
Ele mamou muito meus peitos e dizia que pareciam de uma menina adolescente, eu tinha apenas 18 anos de idade. Era um menino não tinha formato de homem como hoje.

Na cama de casal, eu desmaiei de cansaço em cima do peito largo dele é peludo e dormimos abraçados. Já era tarde. Acho que dormimos umas 5 horas seguidas, quando eu fui acordado com ele chupando meu cuzinho, nunca tinha sentido aquela sensação, então deixei ele cuidar daquilo que ele tinha destruído, estava bem arrombado e ele metia a língua dentro em movimento circular até ele me deixar louco de tesao novamente. Ele então me colocou de 4 e meteu bastante com força, eu louco de tesao nao distinguia a dor do prazer. Era bom demais sentir aquele touro me comendo com muita fome.

Ele deitou de costa e me puxou para cima dele e disse: “o melhor vem agora já que vc está com informado do meu pau no seu cu para sempre.”
Pediu-me para sentar em cima do pau dele e disse: “agora vou ensinar você a cavalgar no seu macho cavalão. E batia na minha bunda,
me segurava pelo pescoço hora quadril, eu já enlouquecido, ele gritava e ordenava para eu quicar em cima dele, me xingando de égua, puta etc… kkk
assim eu fazia, obedecia, então depois de tanto fuder, eu e ele gozamos muito juntos nesta última posição. A minha porra espirrou na parede de tanto tesao e mais uma vez ele preencheu o meu cu com o farto leite de touro quente que sentia descer igual cachoeira.
De fato era a cereja do bolo, sentia aquela pica gingante massageando minha próstata e me fez uivar de prazer. Eu gritava pedindo para ele meter mais. Pasmem! Era virgem há poucas horas atrás e parecia uma puta no cio.
Assim perdi a minha virgindade, minha primeira vez foi tudo de uma forma inesperada, louca, aventureira e gostosa.

Naquela viagem embarquei hétero, desci do ônibus me considerando bissexual e em casa ele me mostrou que nasci para ser a fêmea dele, meus conflitos acabaram e hoje estamos nos dando bem, ele me ensinou muitas sacanagens e práticas sexuais que jamais ouvi dizer, mas depois contarei à vocês noutro conto, em que irei contar, quando ele me fez uma supresa que jamais esquecerei. Essa foi o êxtase de todas as nossas centenas de trepadas em lugares que vocês irão duvidar.
Espero vocês até la, até a próxima. Obrigado por lerem até o final e eu espero que estejam gostando das minhas aventuras com o tarado do Paulão. Que de fato tem um …. Kkkkk

2273 views

Contos relacionados

Sogra Gostosa!

Hoje vou contar sobre uma outra transa com a minha sogrinha gostosa! Essa vez aconteceu em um final de ano que fomos passar na praia, o pessoal foi antes pois eu trabalho até tarde e então meu...

LER CONTO

Transei com um casal de lésbicas

Era uma noite de sexta feira, o clima estava agradável e eu fui em um barzinho não muito longe de casa tomar uma cerveja. Chegando lá em uma das mesas tinha duas gostosas (Paula e Amanda). A...

LER CONTO

É DIA DE ROCK, BEBÊ – CONTOS DA LUA

Apesar de o conto a seguir parecer inacreditável, eu garanto que tudo que você vai ler aqui é 100% real. Antes de começar a ler, deixe de lado seus preconceitos e permita-se conhecer o meu mundo. ...

LER CONTO

A BUNDA E O CU DE SELMA DO RECIFE. ELA TOPA TUDO.

Hoje vou falar de ânus. Melhor, falar de bundas de mulheres gostosas e casadas. Melhor ainda, falar dessa bunda que abro nessas fotos e filmes, mostrando seu maravilhoso e desejado ânus. Pois é,...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 1 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2022 - Contos adultos