website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de fetiche » como virei a putinha do meu caseiro

como virei a putinha do meu caseiro

Publicado em outubro 30, 2022 por Roger

Esse conto é real, só que mudarei os nomes para preservar os protagonistas.

Me chamo Roger, e já era cdzinha há um tempo, hoje tenho 42 anos, nessa época tinha 30, isso tudo aconteceu há uns anos atrás.

 

Eu tinha recém me separado da minha ex mulher, e morava numa casa bem grande, que além de morar, era meu trabalho tb.

Durante a semana, na casa, por ser meu trabalho e como outras pessoas trabalhavam comigo, não podia me montar, somente a noite ou aos finais de semana.

Pois bem, cdzinha que se preza, adora ficar montada em casa, e eu fazia sempre que me dava vontade, que não era todos os dias, mas ocasionalmente me dava vontade.

O problema é que eu tinha um caseiro, que cuidava dos meus cachorros, minha piscina e dos quintais, e ele morava numa edícula nos fundos da minha casa.

Ficava meio distante da casa principal, então, eu me montava tranquilamente, mas não podia sair no quintal, e nem cair na piscina de biquíni pra fazer marquinha, o que eu estava com vontade, já que havia separado da minha mulher, e poderia fazer uma marquinha e ficar sem pegar mulher por uns tempos, até a marquinha sumir.

O problema, é que na época eu não tinha nenhum homem pra me comer, então, pra que fazer marquinha??? talvez pra eu ficar me olhando no espelho.

Pois bem, fiquei me montando somente dentro da casa por um bom tempo, mas aí chegou o carnaval.

Na cidade onde morava, que é interior o carnaval é bem animado, e em 2 dias do carnaval acontece aquele bloco em que os homens se vestem de mulher.

No dia desse bloco, eu chamei o Luiz (o Caseiro), e pedi pra ele comprar umas cervejas, pois eu iria beber umas pra desinibir, pois eu iria no bloco a noite, isso eram por volta das 16:00 horas da tarde.

Ele foi, ressaltando que ele também gosta de uma cerveja, e fiquei ali no quintal do fundo da casa, em frente a piscina bebendo e chamei ele pra beber e conversar, eu estava vestido normal como homem, e ele nem desconfiava da minha condição de CDzinha, ninguém que eu não contasse não desconfiaria, pois sou um cara totalmente normal na rua, sem ser afeminado, pelo contrário meio machão.

Pois bem, ficamos ali bebendo e perguntei se ele não ia no bloco, ele disse que iria, e ele tinha feito uma fantasia, não era roupa de mulher, mas uns balangandãs cheio de plumas, mas iria vestido como homem, com aqueles arranjos, e ele me mostrou.

Eu disse que estava com vontade de colocar uma fantasia que era da minha ex mulher, fantasia da Minie, saia curta rodada acima do joelho, não era tão curta, mas era bem feminina, trouxe e mostrei pra ele, ele disse que iria ficar legal.

Ai tive uma ideia, sendo que até aquele momento não estava pensando em nada, nem mesmo me confessar CDzinha pra ele, mas a cerveja começou a subir, e as ideias loucas também começaram a aflorar.

Ai falei que ia me aprontar pro bloco e queria a opinião dele quanto a minha fantasia, subi para meu quarto, depilei, me maquiei de forma bem feminina, botei a fantasia que se completava com uma sapatilha vermelha e fui para o quintal para a sua avaliação, já ia me esquecendo, coloquei uma peruca pink, dessas de carnaval, mas ela era Chanel, e eu me penteei, ficou bem feminino.

Eu não iria assim no bloco, pois estava muito feminina a maquiagem, para o bloco eu faria uma coisa mais esculachada para as pessoas não desconfiarem, fiz aquilo já com segundas intenções, pra ver o que ia rolar.

Sai no quintal para ele avaliar, ele arregalou os olhos e disse, nossa tá muito legal. Quero antes ressaltar que ele tinha um pouco de problema de retardamento, mas bem leve, não tinha condições de avaliar minhas intenções nem mesmo achar que estava muito feminino, ele só via a beleza.

Ai perguntei, “to parecendo uma mulher Luiz?” Ele disse: “nossa está linda”, ai eu disse: “faltou completar com um sapato de salto né?” Ele respondeu: “ai vai ficar completa”, e eu com segundas e já terceiras intenções, pois fazia um tempo que não via um pau, só tinha um garoto que muito de vez em quando eu encontrava, pois ele morria de medo da namorada descobrir que ele gostava de cdzinha, e além disso o pau dele era minúsculo, quase não sentia ele quando metia em mim.

Já o do Luiz, até então eu não tinha visto, mas, estava louca por um pau, e servia qualquer um.

Diante da resposta dele, eu disse: “Perai, acho que fulana (minha ex esposa) esqueceu uns aqui em casa, e ainda não veio pegar, vou ver se cabe em mim”, ele respondeu: “sério??? Quero ver!”

Voltei para meu quarto e peguei um dos meus sapatos, extremamente lindo, scarpin meia pata, salto 16, finíssimo, coloquei e fui para o quintal.

Detalhe é que ando muito bem de salto, já me disseram que ando igual a uma mulher, sem exageros, rebolado gostoso sem exageros, segundo os que me viram.

Eu poderia disfarçar que não sabia andar de salto, mas àquela altura (cervejas a mais), já estava com intenção de dar pra ele. Pois pensei, caso ele tope e goste, teria um homem dentro da minha casa, sem levantar qualquer suspeita para ninguém.

Saí andando normalmente como uma mulher, com um certo rebolado, e fiquei andando e falando com ele:

“O que achou Luiz?” ele, com os olhos arregalados me respondeu “Nossa tá perfeita, uma mulher perfeita!”, eu perguntei então: “Mulher bonita?” Ele disse: “lindaaa! Ressaltando o “a” da palavra. Aí perguntei “Linda e gostosa?” ele afirmou com a cabeça e sem perceber ele já arrumava o pau, que subiu rapidamente e percebi.

Ai, com a cerveja na cabeça, ainda titubeei, fui na cozinha pegar mais uma cerveja, pra rebolar mais pra ele, e voltei com uma pra mim e uma pra ele, cheguei perto e lhe estendi a mão com a cerveja, e ele pegou, mas com a outra mão já no pau, ajeitando, pois, estava duro.

Ele estava se short, dava pra ver que o pau endureceu com o que ele estava vendo.

Aí dei o tiro de misericórdia perguntando: “Luiz, você achou que eu estou uma mulher linda e gostosa né?”, ele respondeu já com uma cara de puro tesão “Sim, tá muito”, aí perguntei: “Você comeria essa mulher?”, ele, acho que pela cerveja e o tesão respondeu, meio gaguejando, “a-a-a acho que sim”.

Naquele momento eu estava em pé na frente dele e ele sentado num sofá que tinha na varando do quintal, ai eu falei, “então perai”, sob o olhar de espanto dele, mas sem reação qualquer, ajoelhei na frente dele, e puxei para baixo o short dele, ele levantou seu quadril a fim de permitir que eu retirasse o short, só teve essa reação.

Short abaixado, o pau dele, que estava duro igual uma pedra ficou na minha frente, e ele sem qualquer reação com uma cara de espanto, somente olhava o que eu ia fazendo.

Eu perguntei, olhando para a cara dele e apontando para o pau dele: “Posso”, ele mordendo os lábios, com cara de espanto e tesão, só confirmou com a cabeça, eu então, peguei e me abaixei colocando na boca e chupei.

Ele sem qualquer reação, só ficava olhando e eu mamando aquele pau, que era bem maior que o do garoto que disse a pouco, não era enorme, mas de tamanho e forma considerável.

Estava meio fedidinho, pois ele não era muito asseado, mas já estava na boca mesmo, pensei, “se não matar engorda”.

Fiquei ali chupando por uns minutos e percebi que ele estava prestes a gozar, e eu tirei o pau da boca e disse: “Quer gozar na minha boca?” Ele só balançou a cabeça afirmativamente, aí eu disse: “então goza”, e caprichei mais no boquete, passando a língua na base da cabeça do pau e punhetando mais pra baixo.

Não demorou ele espirrou na minha boca, uma quantidade considerável de leite de macho, eu sorvi tudo, e engoli, limpei os lábios e onde tinha espirrado em mim e me levantei.

Ele ficou me olhando espantado, sem entender direito o que estava acontecendo, eu peguei a cerveja e me sentei de frente pra ele e comecei a falar:

“Bom, agora que já rolou Luiz, percebi que você gostou, né?”, ele somente balançou a cabeça novamente, afirmando que sim, então continuei, “Olha, eu não sou viado, mas tenho umas fantasias diferentes, gosto de mulher, mas também gosto as vezes de me sentir mulher, não é sempre, é algumas vezes, e a pessoa que é assim, é chamada de CDzinha, você já ouviu falar?”

Ele respondeu negativamente, e eu disse, “perai que vou te mostrar”, peguei o notebook, enquanto bebíamos e abri meu facebook de CDzinha e fui mostrando várias colegas e mostrando os perfis, de algumas que se diziam casadas, que gostavam de mulher, mas tinham a fantasia de se montar.

Ele entendeu, viu que tinha muitas outras, e eu perguntei pra ele: “Você pode guardar esse meu segredo né?”, ele respondeu, “sim, claro, também não quero que ninguém saiba o que aconteceu aqui”

Eu disse: “ótimo, então deixa eu fazer uma pergunta?”, ele respondeu, “pode perguntar”, eu disse: “então, já que você gostou do meu boquete, de gozar na minha boca, presumo que gostaria de me comer também, certo?”, ele meio inseguro, já que eu era seu patrão, afirmou com a cabeça meio timidamente.

Eu disse: “como eu disse, os homens que são assim como eu, que gostam de mulher, mas também de se sentir mulher, também gostam de serem comidos, e se você concordar, podemos fazer, o que acha?”

Ele novamente respondeu com gestos da sua cabeça, e eu disse: “Olha, agora não vai dar, porque já está na hora do bloco, seu nem eu e nem você formos ao bloco, as pessoas poderão desconfiar de algo de errado, não exatamente isso que aconteceu, mas, pra não levantar qualquer suspeita, iremos ao bloco, eu com meus amigos e você com os seus, como se nada tivesse acontecido, e eu logicamente não irei assim, pois estou muito feminina, fiquei assim, porque fui bebendo e foi me dando vontade de me revelar pra você e aconteceu”

“Vou tirar essa maquiagem que tá muito feminina, passar só batom, e não vou de salto, e na hora que voltarmos, depois de desfilar no bloco, a gente completa nossa festinha, ok?”

Ele, já rindo de alegria, novamente respondeu afirmativamente, eu então disse: “Vou lá, até mais tarde então”

Fui pro bloco e retornei pra casa lá pelas 23:00 horas, fui até o fundo da casa pra ver se as luzes da casinha dele (edícula) estavam acessas, e vi que estavam, ou seja, ele estava lá no seu quarto, e como era lá no fundo ele não fechava a porta do seu quarto.

Fui para o meu quarto, tirei a fantasia da minie e coloquei um espartilho, com meia e prendi no espartilho, calcinha fio dental, vestido tubinho bem curto, tudo preto, me maquiei e coloquei uma peruca loira que tenho, chanelzinha, que fico, modéstia a parte, linda com uma franjinha, coloquei outro calçado, uma sandália preta, salto 16 também bem sensual e parti para a casinha dele.

Detalhe: como fazia um bom tempo que minha cuzetinha não via um pau, eu coloquei um plug que eu tenho pra dar uma alargadinha, já que o pau dele não era monstro, mas não era pequeno.

Quando cheguei na porta do quarto, novamente ele fez aquela cara de espanto, e já disse mais naturalmente, “nossa você tá lindaaaa”, eu respondi: ”obrigada, gostou?” ele disse “sim, muito”, eu estiquei meu braço e disse: “vem comigo”, ele levantou, dei as mãos pra ele, e formos para meu quarto, já que ele só tinha uma caminha de solteiro, a minha era de casal, box, enorme.

Fomos andando de mãos dadas igual um casal de namorados, no meio do caminho, como ele que já estava meio a vontade, olhou pra meu bumbum, já que o vestido era curtíssimo e meteu a mão apertando minha bunda, e dizendo: “nossa, como você tá gostosa”, “posso te dar um nome de mulher?”, já que ele não sabia meu nome de cdzinha”, eu disse “pode”, ai ele disse “Bruna”, pra ele eu era “Bruna”, nome duma antiga namorada dele, eu concordei.

Chegamos no quarto, e já deitei ele na cama, tirei seu short e cai de boca no pau, dei aquela mamada de uns 5 minutos, o pau já estava duro, e pra ele não gozar, peguei uma camisinha e dei pra ele, que colocou, e me posicionei de quatro e tirei o plug, e me abri toda pra ele meter, e ele não perdeu tempo, acho que fazia um tempo que não via mulher, já posicionou a cabeça na entrada e foi empurrando, e como fazia tempo que eu não era comida, doeu um pouco, mas eu já tinha lubrificado com o plug e gel, ele acabou entrando, ai foi só alegria dele e minha, ele começou a bombar mais rápido e ficou metendo por uns 5 minutos, pediu pra eu deitar de lado, e meteu de ladinho, ai já beijando minha nuca, meteu por mais uns 5 minutos e perguntou: “onde quer que eu goze”, eu respondi: “você é que manda, você é o homem, ou sou sua putinha, você é que manda”, ele disse: “quero na boca de novo, quero te dar leitinho” eu, como uma boa putinha e vadia, respondi: “tá bom, eu vou adorar tomar seu leitinho dinovo”, ai ele parou de bombar, levantou, tirou a caminha rapidamente, apontou o pau pra minha boca se punhetando e jorrou de novo na minha boca, uns bons jatos, e eu como boa putinha, engoli, e recolhi com os dedos o que não caiu dentro da boca e também engoli, adoro porra.

Ai nos recompusemos, fomos para a cozinha beber mais uma cerveja e conversar, reafirmamos nosso compromisso de segredo, e eu disse pra ele: “Luiz, não é todo dia que tenho essas vontades, mas sempre tenho, você vai querer repetir?” ele respondeu “claro, você é deliciosa Bruna, quero sempre que puder”, ai falei, “então combinaremos uma coisa, quando eu tiver com vontade, nem vou te avisar, só vou me vestir, e você me vendo vestido de mulher, você já saberá que quero transar, ai você pode fazer o que quiser, pois, quando estiver vestida, sou sua putinha, ok?” ele concordou.

Ai por fim, eu perguntei, “você quer dormir hoje com a Bruna?, ele respondeu “sim, quero sim”, ai, como ele estava meio fedidinho, eu pedi pra ele tomar um banho, perguntei se ele tinha perfume, ele disse que não tinha, somente desodorante, então fui no meu quarto, peguei um perfume meu, e disse, “passa esse”, ele foi tomar banho, enquanto ele foi tomar banho, eu também fui, tomando o cuidado de não tirar a maquiagem que eu tinha refeito quando voltei do bloco, coloquei outra calcinha fio dental e um baby-doll e peguei um tamanco desses de acrílico, salto 15, e fui para a cozinha pegar outra cerveja, ele já estava lá me esperando, e olhou, e disse: “nossa, tá muito gostosa”, e já veio me abraçando com as mãos na minha bunda apertando, eu disse: “calma Luiz, temos a noite toda” vamos beber mais umas, mas deixei ele ficar me apalpando na bunda e nas pernas que estavam lisinhas.

Ficamos ali conversando, contei alguns casos da Michelly pra ele, e fomos para o quarto, ai o resto vocês já devem imaginar, me comeu de novo, e logo pela manhã quando acordamos, me comeu de novo, como era sábado de carnaval, eu só tinha compromisso a noite, me montei de mini sai jeans, blusinha, e sandália Anabela, quando ele viu, veio me comeu de novo, só que na cozinha, em pé mesmo

Não me lembro exatamente, mas aquele dia foram além dessa de manhã ainda na cama e a da cozinha, lembro ele me comendo na varanda acho que mais uma ou duas vezes. Ai, a noite, voltei a realidade, fui normal (como homem) para o carnaval, só que não volta, teve mais.

Naqueles dias, foram todos os dias de carnaval, eu chegava, não importava a hora, e já me montava e chamava ele, ai já sabem né.

Dai pra frente foi nosso segredo, sempre que eu tinha vontade eu me montava e saia na varanda, me sentava e esperava ele sair do quarto dele ou chamava ele, como ele já sabia, já vinha me agarrando e toma-lhe pau nessa minha bundinha”

Infelizmente, eu tive que me mudar daquela casa, e não pude mais ficar com ele de caseiro, e ficaram raros nossos encontros, mas foi por uns 2 anos nisso, bons momentos que não voltam mais.

Espero que tenham gostado do conto, se gostarem tenho outras histórias meio loucas pra contar das minhas peripécias, beijos a todos. Só deixar um comentário pra eu sentir se estou agradando

14682 views

Contos Eróticos relacionados

Foda na praia com minha namorada gostosa

Eai gente, tudo bem?! Meu nome é João, moro em Natal e hoje vou contar para vocês como foi o dia em que eu dei uma foda na praia com minha namorada. Era sábado, minha namorada estava de...

LER CONTO

carol minha filha num baile funk 1

Eu me separei a dois anos atrás ,vim morar numa chácara aqui mesmo na cidade onde sempre vivi, já me habituara a minha solidão ,  apesar de sentir muito a ausência do convívio com minha filha...

LER CONTO

Lendo a fantasia dela

Como tinha dito, depois de minha esposa ler minha fantasia, seria a vez de realizar e somente depois é que iríamos ler a fantasia dela, mas entre ter e realizar uma fantasia há uma distância muito...

LER CONTO

Piercing de Titânio

Me chamo Fernanda, tenho 22 anos, cerca de 1,65m e 62 kgs, cabelos castanhos escuros cacheados que caem até os ombros e olhos verdes. Tenho seios não muito avantajados, porém bonitos, e uma bunda...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 3 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2022 - Contos adultos