website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos verídicos » C H R Y S – 12º CAPÍTULO – A SAGA DE UMA LINDA MULHER

C H R Y S – 12º CAPÍTULO – A SAGA DE UMA LINDA MULHER

Publicado em novembro 22, 2022 por CARLOS A. LYRA

• 12º Capítulo. – – –
• – – – Primeiro Ato – 12º –
• Chris – Uma Menina / Mulher e Linda Esposa. – – –
• Neste Capítulo – Um mês de grandes surpresas. — Um passeio na Praia – Mãe e Filha. – Duas Lindas Mulheres. –
• Um Delicioso Passeio na Praia – Duas Lindas Mulheres. – – –
• – . . . – UM SÁBADO DE PRAIA E DUAS MULHERES LINDAS. – – –
• – . . . – Sábado – Dia muito e quente e sugeri irmos à praia e Cris concordou E ela convidou a mãe e ela disse que ia pedir autorização ao pai e voltou dizendo para gente se preparar para irmos . . . A Chris colocou um biquíni, lindo e sensual demais e a mãe dela também . . . coloquei meu short de banho e fomos até a Barra da Tijuca… Colocamos nosso material em um recipiente com bastante cuidado e observando a área para nossa segurança . . .
• – . . . – A Cris estava com um biquíni pequeno e lindamente sensual . . . E a mãe estava tirando a bermuda dela e eu fui ajudá-la e estava com um biquíni mais sensual que o da filha . . .
• – . . . – O biquíni entrava na bundinha dela bem sensual… Curtíssimo e sexy demais… Chris observou atentamente e comentou comigo o biquíni dela . . .
• – . . . – Ela foi para o mar algumas vezes e percebi uma mulher muito sensual e linda… A Cris foi sempre para água comigo e a mãe dela ficava na areia tomando cuidado dos nossos objetos, já que tinha identidade militar nossa. . . .
• – . . . – Às 11 :30 fomos embora e a mãe não colocou a bermuda e nós pedimos para que ela a colocasse, para evitar problemas no ônibus… Ela o colocou, ela estava bem bronzeada… A Cris também estava bem bronzeada e linda… chegamos em casa e o pai tinha tomado algumas cervejas e esperava por nós. – . . . – A mãe foi tomar banho e depois fomos nós… Retirei toda areia do biquíni dela e lavei completamente… E tirei o biquíni dela e lavei na pia… Lavei o meu short de banho…
• – . . . – Fomos almoçar… A mãe dela terminou de almoçar e foi descansar com o marido dela… A Cris terminou de almoçar e eu e fomos descansar também… Como era sábado, planejamos outra atividade para a noite…
• – . . . – Acordamos as 17 horas e perguntamos aos pais dela qual seria a programação da noite… Eles não tinham nada programado… Eu sugeri irmos ao teatro… Eles concordaram… E fomos ver no jornal uma peça decente…
• – . . . – Segundo Ato / 12º –
• Uma Noite Cultural. – – –
• – . . . – Um Agradável Passeio e Uma Peça de Teatro. – – –
• – . . . Planejamos uma noite bem agradável . . . Passear em Copacabana e ver uma peça de teatro . . . Os pais dela toparam esse passeio e fomos aproveitar Copacabana, apesar de eu estar lá constantemente . . . E seguimos para Copa, já que a peça iria começar as 21:00 horas e terminaria as 22:30…
• – . . . Adoramos a peça… E pegamos um taxi até a Central para pegarmos um trem de volta . . . Ele, o pai, sugeriu voltarmos de taxi já que era tarde demais e o trajeto do trem até em casa era perigoso… Concordei . . .
• – . . . – Passamos no banco, uma agência com caixa eletrônico e peguei dinheiro e disse a eles: Vamos . . . pegamos um taxi na Central e perguntei o preço até Bangu e ele disse, eu dei o ok e embarcamos de volta. O pai dela na frente e eu fui atrás com a Cris e a mãe…
• – . . . – A Cris, percebia, sentia um certo ciúme da mãe . . . Ela era uma mulher atraente e vivida . . . Mas, a respeitava…
• – . . . – Chegamos em casa, Chris já dormia… A mãe saiu pela outra porta e abriu a porta de casa… Eu paguei o taxi e levei a Cris no colo, ela dormia bem cansada . . .
• – . . . – A levei para o nosso quarto e a coloquei na cama… Ela adormeceu de vez e os pais me abraçaram e desejaram boa-noite . . .
• – . . . – Fui para o quarto e fui tirando a sua roupa… Sapatos, meia calça, o vestido, os brincos e o vestido . . . Só a deixei de calcinha . . .
• – . . . – Estava linda, como sempre . . . Os pais dela foram dormir, já que no dia seguinte era domingo…
• – . . . – Chris dormia profundamente e entrei e tranquei a porta… Troquei de roupa e fiquei só de cueca…
• – . . . – Ela sentiu o calor do meu corpo e se virou para mim… Eu a beijei e a abracei… E fui dormir… Ela me abraçou… E ficamos grudados…
• – . . . – Terceiro Ato / 12º –
• Uma Noite Cultural. – – –
• Um Domingo bem atribulado de muito trabalho. …
• Estudo e Planejamento de Trabalho da Semana. – – –
• – . . . – UM DOMINGO DE MUITO TRABALHO E PLANEJAMENTO DA SEMANA – – –
• – . . . – Era domingo . . . Dormimos até às 09 horas e Chris acordou sorridente e feliz . . .
• – . . . – Ela para mim… ‘Carlos’ Amor, vem aqui…
• – . . . – Eu perguntei: ‘Oi Amor… Estava em cima dela. . . .
• – . . . – Ela: “Amor”, que tesão é esse. . . .
• – . . . – Está muito duro aqui… Estou sem calcinha e você sem cueca . . .
• – . . . – E ele muito duro querendo me invadir… então, Amor, me invada… Eu sorri com as palavras dela… Fiz a invasão que ela pediu… Invadi todo aquele corpinho bem bronzeado . . .
• – . . . – Ela: Amor, você está com muito leite, já despejou duas vezes em mim, senti você derramar todo em mim… Agora, é a minha vez… Se prepara Amor… Ela descarregou tudo e eu nela, também . . .
• – . . . – Ela… Amor, você está muito produtivo, já despejou seis vezes em mim . . .
• – . . . – Senti todos os jatos… Parece que ia furar meu útero… Foi extremamente gostoso… Nos beijamos muito e o delírio dela era muito gostoso… A mãe nos chama para tomar café… Ela abre a porta e fala abertamente, mãe gozamos seis vezes, tamanha felicidade dela… Ela nem se ligou nesta paixão… a mãe disse: Filha se comporte… Ela pediu desculpas… Planejamos o domingo ao trabalho…
• – . . . Teremos uma semana muito atribulada… Fomos arrumar os nossos uniformes. Já estavam lavados, só faltava passar… Peguei os dois e vi que um já estava passado e o outro não… Fui para o quarto e a Cris pegou o ferro e a tábua de passar roupa… Ela disse: Amor, eu passo, deixa… Eu disse: Ok, Amor, obrigado… Ela, foi para o quarto e começou a passar o uniforme. …
• – . . . – O tempo estava bem quente e ela tirou o short e o sutiã, ficando só de calcinha… Ela me chamou e pediu para trancar o quarto e começou a fazer os gestos e movimentos de passar o uniforme… A Cris dá uma sugestão: Amor, vamos inovar… Eu disse: Como…?? Ela: Vem… Me invada… Tira a minha calcinha e me invada… Eu fui e tirei a cueca e ela estava com a mão quente e acariciou e direcionou na sua ‘bucetinha’… Invadi aquela obra-prima da natureza… E fui invadindo e ela rebolando freneticamente, e dizendo Amor vamos gozar e ela gozava fortemente no meu membro… Ela o deixou todo melado… Nesse meio tempo jorrei tudo nela e ela vibrou de prazer…
• – . . . Ela estava terminando… E me pediu, Amor goza mais… Ela era muito dinâmica e produtiva demais…Ela aprendia muito rápido…
• – . . . Terminou a sua missão e guardou em um canto a mesa e o ferro de passar e ficou de joelhos na cama… E falou: ‘AMOR, VEM INVADE’ . . . Eu quero essa estaca toda fincada em mim . . . Vem . . . Fui até ela e comecei a atender seu pedido . . . A penetrei inteira e ela absorveu todo dentro dela . . . Foi instantâneo . . . Ela delirou e gozou em abundância . . . Senti todo o seu orgasmo . . . – Em uma segunda etapa, gozamos abundantemente e ela absorveu todo leite dentro dela com prazer . . . Ela sorriu e sentia muito de prazer . . . Ela: Amor vamos programar nosso filho… Eu disse: Você quer… Ela: ‘Quero’… Ok, eu disse…
• – . . . Ela foi conversar com os pais e foi taxativa… Mãe, nós estamos pensando em um filho, que é que a Sra. acha… Ela, mãe disse: Filha deixa para o ano vem aí vocês terão mais idade e mais experiência… Foi assim com seu pai… Planejamos para cinco anos depois… E veio você…Ok… Pensem nisso… ela falou comigo e eu disse: Vamos deixar a coisa fluir normal… Se pintar gravidez ótimo… Será bem-vinda, ok Amor… Ela concordou, mas vamos praticar sempre e muito e ela concordou…
• – . . . Já eram 13 horas e os pais nos chamaram para o almoço . . . Ela fez uma deliciosa rabada… Estava divina… tomamos uma taça de vinho tinto . . . E ficamos vendo tv depois . . . A Cris estava com sono . . . E fomos descansar . . .
• – . . . A Cris só de calcinha rendada . . . E eu de cueca . . . A Chris: Amor vem deitar que amanhã teremos a nossa maratona, Ok . . . Eu concordei . . . Ela me envolveu em seus braços e o colocou entre as suas coxas como de costume… Cris acabou dormindo de cansada dos afazeres da manhã . . . dormimos agarrados um ao outro… As 16:30 Cris acordou, me acariciou e o colocou na boca, arregaçou até a virilha, deixando-o bem vermelho e tenro… Ela passou uma pouco de vaselina e o direcionou na sua bundinha e ânus . . . Ela: Carlos, penetra na minha bundinha, quero esse desejo… Fui colocando a cabeça primeiro e ela forçou e o penetrou inteiro, ela sentiu o impacto dentro dela… Ela, Carlos, arde muito, tira Amor . . . Tirei e ela disse que nunca mais, doe muito . . . Eu concordei com ela… Ela limpou todo com uma toalha úmida que ela tinha trazido…
• – . . . Passou perfume e ficou acariciando levemente e fomos dormir… Mais um pouco… Acordamos as 19 horas… Cris e eu fomos tomar banho… Os pais dela estavam no quarto deles… Entramos embaixo do chuveiro e a Cris alisando o nosso/seu membro e se posiciona de quatro para mim… Pediu… Penetra Amor… Fui fazendo o desejo dela e penetrando e ela adorando a penetração… Ela: Amor, vamos começar a planejar nosso ou nosso filho ou filha hoje… Você concorda… Sim, Amor, vamos planejar a partir de hoje, eu concordo…
• – . . . Ela é muito responsável e pontual… Saímos do banho, nos vestimos e fomos tomar café… Fomos para o quarto e ficamos lá vendo televisão… Ela deixou o quarto encostado… Já se passaram das 21 horas e os pais nada de acordarem e ficamos preocupados, sabíamos que estavam cansados… Ela, Amor, vamos bater lá… Ok. Vamos…
• – . . . – Quarto Ato –
• Uma Linda e Estonteante Mulher. – – –
• – . . . – Batemos na porta e a mãe dela vem nos atender, linda, sensual, sonolenta e muito receptiva. … Eu estava diante de duas mulheres lindas, carismáticas e muito sensuais. … Sabiam sensualizar o ambiente. … Tinham esse dom da sensualidade e do carisma . . . Apesar de ela estar muito cansada da sua rotina diária, ela, a mãe, ao acordar veio nos atender se apresentando ao nosso chamado só de calcinha, bem linda e atraente, presenciei uma mulher linda, seios durinhos e charmosos, uma barriga bem malhada, apesar de não frequentar qualquer tipo de academia e uma bundinha arredondada e muito gostosa . . .
• – . . . – Ela tinha que ter a privacidade dela dentro da casa dela e era de se entender essa vontade dela. …
• – . . . – Chris, percebeu meus olhares a ela e ficou revoltada com a mãe … Nunca a vi tão revoltada e fala … Mãe a Sra. nos atende nestes trajes e sabendo que o meu marido sempre me acompanha, haja paciência … Ela se vira e fala comigo … Amor, vamos para o nosso quarto e a acompanhei … Ela, Chris, bem revoltada e chateada com a mãe. …
• – . . . – Ela, Chris, Amor me perdoa, me desculpe, tá … Você não merece a minha grosseria, eu te amo muito e me beijou ardentemente e eu falei … Amor, não se preocupe, você é a mulher da minha vida e a esposa que amo muito . . . E trancamos o nosso quarto e fizemos um ‘amor’ muito gostoso e vibrante . . . Ela gemia, gritava e urrava de prazer como nunca tinha visto e transpirava desejo e volúpia intensas …
• – . . . – A penetrei e soquei na buceta dela muito . . . Eu falei: Amor, prepara a buceta que vou gozar muito e ela mete essa ‘pica’ na minha ‘buceta’, goza muito na minha e sua amada ‘buceta’ vai . . . Essa ‘bucetinha’ é toda sua. … Goza e espirra muito a sua ‘porra’ toda dentro mim, vai, ‘Amor’. … Nunca tinha visto ela pronunciar-se assim. Eu falei, Cris, está tudo bem . . .
• – . . . – Ela, está Amor, mas goze muito dentro de mim… Amor, vai, enterra nela, essa buceta e toda sua, esfola ela toda . . . Eu disse: Chris está preparada . . . Ela, sim Amor . . . Vamos, Amor, vou gozar em você… Ela: Vamos, estou gozando, eu também e ela sentiu um jato forte na sua buceta . . . Ela: Maravilha, está muito quente e deixa esse leite entrar no meu útero logo . . .
• – . . . – Ela permaneceu com o membro dentro dela por vários minutos e disse não quero que escorra não… Deixa o líquido na minha buceta . . . Ela virou e disse; deixa a pica dentro de mim não tira Amor… Estava muito duro dentro dela ainda . . . Ela ficou de quatro e ajoelhou e pediu, amor, soca muito na minha buceta, quero toda a sua porra na minha buceta, maltrate ela, quero que ela fique muito esfolada . . . Me fode, me fode toda, vai, AMOR… Vai, Amor, quero uma foda deliciosa com essa piroca toda dentro de mim . . . Vai, Amor, goza muito em mim . . .
• – . . . – Ela enterrava em um vai e vem delicioso e gozava muito . . . E travava a piroca dentro dela . . . ela percebia quando eu gozava nela e ela dizia… Amor, gostoso… A minha buceta lateja de amor por essa linda piroca . . .
• – . . . – Terminamos, essa sessão e perguntei a ela onde ela tinha aprendido esse linguajar… Já que ela só tinha um homem na vida…
• – . . . – Ela disse é verdade, você é único e será único, nunca irei traí-lo… Você é meu marido… Te amo muito… Amei a sua declaração… Ela disse: Foi a minha mãe e disse que era para apimentar a relação…
• – . . . – Eu disse que ela não precisa usar essas expressões, já que você não é ‘nenhuma putinha de zona’ tá. Amor… Ela concordou comigo e modificou as suas expressões…
• – . . . – Ela se sentou e disse: Amor não escorreu… Será que está sendo direcionado ao útero… Eu disse já foi parar lá… Você está no período fértil… É tudo que fizermos em termos de sexo, todo nosso esperma será direcionado no útero, tá…
• – . . . – Eram 22 horas e a mãe bate em nossa porta e a Cris vai abrir… e a mãe lhe dá um abraço muito afetuoso e lhe diz: Filha me perdoe, não é minha intenção criar ciúme… Eu não me levantei por estar nua… ela perguntou: qual o horário vocês vão sair…
• – . . . – O motorista vai vir nos buscar as 06:20. Já está confirmado… temos que estar no quartel antes das 07 horas… Ok. Acordo vocês, Ok. E me perdoe… – Dei um beijo nela e um abraço nela muito carinhoso.
• – . . . – Quinto Ato –
• Um Dia de Plena Tranquilidade. – – –
• – . . . – Quarta-Feira, dia de meio de expediente – Chegamos no quartel, como orientação do Comandante às 09:30, fomos para sala do Comandante e o Subcomandante, já se encontrava e nos cumprimentou… Batemos continência e fomos ao trabalho . . .
• – . . . – A Tenente pegou os Livros de estudo e ficou lendo os tópicos determinados pelo Comandante… O Subcomandante perguntou se o nosso expediente seria integral e eu disse que estávamos esperando a determinação do Comandante . . .
• A Guarda interfonou e disse que o Comandante chegará em 10 minutos e que o Corpo da Guarda, hoje faria a recepção… E pediu orientação à Tenente… Ela veio me perguntar… Amor, bem baixinho, como eu faço… Eu disse, peça ao Sgtº da Guarda que seja o guardião da Guarda e lhe expliquei o que um Guardião da Guarda e determinou isso ao Corpo da Guarda… Eles se posicionaram na entrada da Escola e o Sgtº passou o Comando à ela . . .
• – . . . – O Comandante estava estacionando o seu carro e a Tenente foi recepcioná-la… Ela deu comando de apresentação de armas e disse que a Escola estava sob seu Comando… Ele recebeu as determinações da Tenente e agradeceu… Batendo continência e deu por encerrada esta cerimônia…
• – . . . – O Comandante disse que a maratona hoje seria intensa pois o expediente seria muito curto… Já que teríamos expediente até meio dia… Ela debruçou em seus livros e foi assimilando cada vez mais a matéria…
• – Tenente e Cap, me acompanhe até a C C S que o Cap. Comandante está esperando por nós . . .
• – . . . – Ele determinou algumas missões ao Sub Tenente e fomos para CCS e determinou que uma equipe desse todas as orientações de formatura e o Cap. Comandante disse que a equipe já estava formada… Ela estava formada de frente para saída da Escola… Passou toda Guarnição para Tenente e disse que essa equipe seria a sua equipe de Cerimonial e ela seria a Comandante desta equipe, Ok. Ela bateu continência e o Cap. determinou: ‘direita, volver” …
• – . . . – E passou o Comando à Tenente, ela com firmeza e determinação deu comando de descansar… O Cap. Comandante, agradeceu e parabenizou a Tenente… O Gen e eu estávamos a caminho da CCS e ao chegarmos a Tenente deu voz de comando “de sentido” e apresentou a equipe de Cerimonial e passou o Comando ao Comandante, este imediatamente agradeceu e retornou o Comando a Tenente… Ele deu ordem de descansar e liberou a equipe e disse que amanhã a equipe em formação às 08 horas, depois da formatura da CCS . . .
• – . . . – O Comandante fez uma reunião com o Comandante da CCS, com a Tenente e eu… Passou todas as coordenadas ao Comandante da CCS e me deu todas as orientações do Cerimônia de Formatura…
• – . . . – Já eram 12:25 e o Comandante convidou o Cap. Comandante da CCS para fazer companhia no almoço… E o cap. ficou surpreso com o convite e aceitou… O Subcomandante já se encontrava no refeitório aguardando o Comandante…
• – . . . – O Sub Tenente responsável, colocou mais um prato para o Comandante da CCS… E Almoçamos, todos felizes… O Comandante determinou a Tenente que fizesse todo Cerimonial ao Subcomandante de praxe… Ele disse que ele se retiraria em 15 minutos e determinou ao Corpo da Guarda a formatura de encerramento de expediente do Subcomandante da Escola . . .
• – . . . – Algo que nunca aconteceu ao Subcomandante…
• – . . . – Sexto Ato –
• Uma Linda Declaração de Amor. – – –
• – . . . – Foi feito os procedimentos legais de encerramento… E o Sub se despediu . . .
• – . . . – E o Comandante disse para mim, você será hoje responsável pelo encerramento do expediente, Ok . . .
• – . . . – Ela, Cris, bateu continência para o Comandante e pediu uma autorização… Ele curioso, perguntou o que era?? Ela: Dar um beijo no meu marido, por ser ele a pessoa mais amorosa e importante que ela tem na vida e sem cerimônia, abraçou o Comandante e deu beijo no rosto dele, com muito carinho . . .
• – . . . – E o Comandante, ‘Filha’ está autorizado e ele saiu da sala… E ela me beijou fervorosamente de carinho . . .
• – . . . – E chamou o Comandante e o abraçou com lágrimas de felicidade… E ele a abraçou com muito carinho e deu um beijo no rosto… Dei ordens no Corpo da Guarda para apresentação de término de expediente… Em cinco minutos já estava tudo pronto…
• – . . . – Fui até a entrada da escola e a guarda me foi apresentada e o carro do Comandante já estava posicionado no local determinado…
• – . . . – Fui até o gabinete e comuniquei que a equipe estava pronta e a Tenente estava em sua companhia… Dei voz de comando, apresentação das armas e determinei o encerramento de expediente e bati continência ao Comandante e liberei a Guarda… E chamei o motorista para estacionar. E o Comandante se despediu, deu um abraço na Tenente e bateu continência… E disse Tenente amanhã às 08 horas Ok… Cap. parabéns…
• – . . . – Entramos no nosso carro e fomos embora para casa… Chegamos em casa às 14 horas… O nosso uniforme estava limpo e não precisava ser lavado e fomos descansar… A casa estava impecável . . .
• – . . . – A Cris estava linda e brilhante… Ela, meu Cap. e marido delicioso, não sabia que as quartas era meio expediente… Eu disse que sim . . .
• – . . . – Ela sorriu e fomos tirar as nossas roupas… Ela foi rápida e já estava completamente nua… E tirei minhas roupas também e me pediu para ficar nu também… E ficou me apreciando, e disse: ‘Amor, te apreciando agora, vejo a tua silhueta maravilhosa . . .
• – . . . – E disse: Amor, ele e bem grande, essa cabeça então é linda e é por isso que amo você me possuir . . .
• – . . . – Amor, te amo demais… E Sorriu… Você é o marido que me deixa feliz demais.
• – . . . – Sétimo Ato –
• Carinho – Carícias e Desejos. – – –
• – . . . – Ela, Chris, estava se tornando cada vez mais linda, atraente e muito meiga com o passar, com o nosso casamento e agora com uma missão importante dentro do quartel . . .
• – . . . – Estava amando o seu trabalho . . . Com organização, disciplina e entrega total . . . Os Comandantes adorando estar ensinando uma menina / mulher inteligente, linda e dedicada. . . .
• – . . . – Fomos nos deitar e ela acariciando aquela obra-prima que ela não cansava de elogiar e reverenciar . . .
• – . . . – Foi uma noite de sono bem reparadora e tranquila . . . Como sempre ela faz, direciona a sua obra entre as coxas e fica acariciando-a direto . . .
• – . . . – Ela ama fazer isso com muito carinho . . .
• – . . . – Deitamos e ela ficou acariciando a sua obra-prima, como ela disse que vai chamá-lo assim… Dormimos e ela colocou, como de costume, entre as suas pernas… Estava calor e dormimos, e ela sempre o colocava entre as pernas . . .
• – . . . – Esquecemos de fechar e trancar a porta… Ela estava encostada e não percebemos os pais dela chegarem e a televisão estava ligada . . .
• – . . . – Eles nos viram dormindo e se sentaram ao nosso lado, com a roupa de trabalho . . .
• – . . . – Passando a mão em nosso rosto e acabamos acordando e eles disseram, fiquem como estão e sei que estão nus . . .
• – . . . – A Cris, como vocês sabem, vocês nos viram assim, agora, eles disseram: Não, mas sei que vocês dormem assim e nós aprendemos com vocês e agora também dormimos assim, Meus Filhos, e sorriram… E saíram e disseram, agora fechem e tranquem o quarto e vão fazer aquilo que vocês adoram, disse: Filha não extrapole nos gritos, Ok… A Cris sorriu…
• – . . . – Ela foi até a porta e a trancou… Amor, até o meu pai, também… Eu sorri.
• – . . . – Tínhamos dormido bastante e a Cris muito brilhante de felicidade… Demonstrava isso nos olhos… Ela: Amor, vamos tomar banho agora ou mais tarde . . .
• – . . . – Eu disse: Mais tarde… Amor… Nos vestimos e fomos até a cozinha e a mãe dela estava fazendo a janta . . .
• – . . . – Eu dei um abraço nela e ela empinou levemente a bundinha dela e ela sentiu o calor do membro . . .
• – . . . – A Cris chegou e me abraçou… e a mãe dela disse que o jantar já iria estar pronto… E pediu os nossos uniformes para serem lavados e eu disse que eles estavam limpos, já que hoje foi meio expediente . . .
• – . . . – Ela: E mesmo!!! Eu disse: Sim… E perguntou a filha como tinha sido o dia de trabalho e o pai dela entra na cozinha… e ela faz um relatório das atividades dela no quartel… Sentia o brilho no olhar… Ela ficou conversando com eles durante uma hora e meia… A empolgação dela era tão grande que novamente me esqueceu . . .
• – . . . – E a mãe novamente a alertou… Ela: ‘mãe’, desculpe e foi lá quarto, eu estava vendo televisão e ela me abraçou e disse: ‘Amor’ desculpe não estar aqui contigo e me chamou para sala e fiquei conversando com eles… Pedi licença por alguns minutos e fui à caixa de correios e peguei as contas de luz e água e vi os valores…Falei para Cris, já chegaram as contas e o pai dela perguntou os valores e eu disse… Eles caramba, aumentou bastante . . .
• – . . . – Eu disse que tinha mais uma pessoa dentro de casa e outros equipamentos . . .
• – . . . – Ele me pediu as contas e eu disse que iria pagar quando saísse o pagamento… Eles não falaram nada a respeito… Vi as datas de vencimento e estava dentro do meu planejamento… afinal, estamos gastando mais… Eles concordaram…
• – . . . – Eram 22 horas e fomos dormir e a Cris, estava linda e pergunta pelas contas e eu as apresento… Ela olha e pergunta se pode somá-las… Eu disse sim, Amor . . .
• – . . . – E em dez minutos me diz os valores e eu digo a ela que irei pagar quando sair o pagamento… E me perguntou: Posso falar com meus pais . . .
• – . . . – Eu disse; sim, Amor… Ela saiu, só de calcinha e foi ao quarto dos pais: Bateu e a mãe veio atendê-la e estava nua . . .
• – . . . – Ela entrou no quarto, com os seios para fora e o pai observando-a e disse: ‘Filha’… Vai lá no quarto e põe uma camiseta, ela atendeu o pai e mandou a esposa colocar uma camisola . . .
• – . . . – E não ficar nua . . . nua . . . Tá, Ok, Filha . . .
• – . . . – A Cris, mãe o Carlos disse para vocês não se preocuparem com essas contas, Ok . . .
• O Pai: … Filha, e ela vai sendo mais incisiva, nós também gastamos e muito . . .
• – . . . – Agora temos que ajudar também, certo… Ele: Ok. Filha, seja feita a sua vontade… Obrigado, Pai… E foi para o seu quarto… A mãe a chama, e pergunta que horas eles iriam levantar e ela disse: Às 06 horas da manhã, já que tem que estar no quartel às 07:30… Ok.
• – . . . – Como já conheço a rotina de vocês e vou acordá-los, ok. Ela agradeceu…
• – . . . . – Ela entra em seu quarto e dá um beijo em mim calorosamente…
• – . . . – E Tirou a blusa que vestia e se deitou em cima de mim . . . Estava muito quente, do calor e de desejo… E sorriu de felicidade . . .
• – . . . – E falou: ’Amor’, eu vou botar em mim, está… E foi penetrando, estava de quatro… Penetrou todo nela… E foi fazendo vários movimentos rebolativos de vai e vem e de repente vibra intensamente e fala para mim, ‘Amor’ Você sentiu… Eu disse que sim… E ela disse que sentiu também o meu jato nele… E sorriu… Nós amamos muito a noite toda…
• Ela estava exausta e a ‘bucetinha’ muito vermelha e aflorada…
• – . . . – Acordamos e fomos tomar banho… No banho ela disse que ardia bastante… E eu fui analisar e fazer um diagnóstico e disse que estava muito vermelha e irritada pelas constantes penetrações e ela disse que se sentia muito feliz . . .
• – . . . – Na cama fiz várias massagens na vulva para aliviar a vermelhidão . . .
• – . . . – Ela amou as massagens e vibrava de tesão…
• – . . . – Era uma Quinta – Feira de muitas missões – Às 06:50 a viatura veio nos buscar, nos despedimos dos pais dela e seguimos para o quartel . . .
• – . . . – Chegamos lá às 07:20 e fomos para o gabinete do Comandante . . .
• – . . . – A Chris estava impecável no uniforme dela . . . Fomos comunicados que o Comandante iria chegar mais cedo e que reunisse a cerimônia para as 07:35 e perguntou se a Tenente já tinha chegado . . .
• – . . . – O Sub Tenente disse que sim… No horário previsto toda equipe já estava em formação . . .
• – . . . – No horário previsto o Comandante adentra à Escola e começamos todos os preparativos do cerimonial… E é feito tudo de acordo com as regras…
• – . . . – Entramos no Gabinete do Gen. e ele passa todas as coordenadas . . .
• – . . . – O Comandante parabenizou a Tenente pelos avanços do aprendizado . . .
• – . . . – E disse que a documentação dela tinha sido aprovada pelo DPE e DGP para admissão temporária de oficial . . .
• – . . . – E que depois do cerimonial de formatura, seria o dela, OK. Ela entra em formatura junto aos oficiais e tem um aprendizado maravilhoso . . .
• – . . . – Ele determina que ela desça até à CCS para formatura da equipe de cerimonial…
• Continua no Próximo Capítulo – – –
• C. F. Carlyle Lyra

66 views

Contos Eróticos relacionados

Empregada Noiva, Religiosa descobriu vocação para Puta!

Trabalho em um escritório e sempre recebo pedidos de pessoas para estágio, Dessa vez quem tinha chamado era Alessandra, 20 anos, Loira, 1,50cm de altura, bundinha empinada e uns peitos bem...

LER CONTO

Primeira vez com um vibrador

Olá pessoal! Me chamo Gabrielle e para quem não me conhece, recomendo ler meu primeiro conto, onde me apresento e conto a minha primeira aventura! Dotada da habilidade de me masturbar, agora meus...

LER CONTO

De férias, dei até meu rabo para o novinho da fazenda

De férias, dei até meu rabo para o novinho da fazenda  " AEROMOÇA EM FÉRIAS"  Olá, sou Cláudia, sou morena de cabelos negros e cacheados, tenho 1,75 e na época deste fato eu deveria...

LER CONTO

Surpreendido e seduzido pela amiga da filha!!!

Ao Longo dos anos vejo que o comportamento das mulheres e as mais novas andam cada vez mais safadas e provocantes, hoje elas sabem como provocar um homem e quando. Confesso  que sempre lia essas...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 4 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2022 - Contos adultos