website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos de corno » DEMOROU UM POUCO MAS FODEU MINHA ESPOSA

DEMOROU UM POUCO MAS FODEU MINHA ESPOSA

Publicado em janeiro 12, 2021 por Roberto Filho

DEMOROU UM POUCO MAS FODEU MINHA ESPOSA

Dam, iniciais do nome de uma pessoa muito conhecida nossa, gente da melhor espécie, simples, amigo e extremante correto. O registro é gratuito, as palavras são verdadeiras e a pessoa existe, apesar desse tipo de gente estar em extinção. Ex-Padre, residindo atualmente na Itália, veio ao Brasil a passeio   e nos fez uma inesquecível visita. Dan nos seus 56 anos muito bem vividos, está completando 10 que   devolveu a batina e de mais acessórios e retornou após muitos anos a vida digamos, civil. Uma passagem rápida, mas interessante marcou a afirmação da nossa amizade. Em uma cidade do interior onde ele era o sacerdote, eu e outro familiar tínhamos uma empresa de médio porte.

Não raras as vezes Dam nos visitava. Pouco tempo depois, frequentava nossa casa e a amizade aflorou. Tempos em que Mary e eu já falávamos em putarias. Imaginariamente ela dando para outro macho e eu cuidando dos chifres. Alimentávamos a hipótese de fazermos uma viagem e em outra cidade maior, Mary faria sua estreia como esposa/puta e eu como corno/manso. Acabou não sendo desta vez. Mas, falávamos muito nisso   e nos punhetavamos bastante além claro de dar umas boas metidas. Mary estava em uma ótima faze na sua vida. Na faixa dos 30 a caminho dos 40, encantava olhos de machos por onde passava. Muito discreto apesar de brincalhão Dam não dava sinais de interesse sexual ou meramente safado em minha esposa.

Mas, um dia, vi a olho nu, um demorado olhar do Padre, aquele, de cima para baixo provavelmente pelo fato da Mary estar vestida com um short curto, cintura baixa, camiseta curta com sua barriga  aparecendo e seios praticamente de fora, ela não estava usando soutiens. Fiquei muito, mas muito interessado nesse olhar do reverendo. Mary captou meus pensamentos e passou a praticamente desfilar na frente do Dam. Claro que me dediquei em observar se o pau dele estaria ficando duro. Vi! Aumentava o volume lá no lugar reservado aos pintões e pintinhos. Logo o amigo vai ao banheiro, Mary me dá uma piscada e alguns segundos depois vai lá e como a porta estava aberta, pergunta se havia toalha. Falou olhando para o cacete do macho que nos visitava. Ele notou isso, deu várias balançadas no bruto, sim, bruto, me disse a Mary mais tarde que o danado tem um pau parecido com um jegue.

O lance foi rápido, mas proveitoso tanto para minha esposa quanto para o Padreco. Mary retorna, mas o Dan demora mais um pouco. Fiz sinal para minha esposa que ele poderia estar dando uma punhetadinha no caralho. Mary sorriu e insinuou voltar no banheiro, não deu tempo, o amigo veio, literalmente de pau   duro, foi até a geladeira se serviu com um suco e veio sentar-se. Isso marcou por algum tempo. Mary tocou muitas siriricas por causa do pau de jegue. Eu gozei muito também na punheta falando para ela que o jegue estava lhe fodendo por traz. E  dele punheta! Esse clima virou o ano, e nós mudamos para a cidade que estamos até hoje.

Em duas oportunidades recebemos o Dam, mas não houve tempo e clima para a Mary levar umas pirocadas, o que poderia ter marcado o início da era, ESPOSA/PUTA marido CORNO/MANSO. Mas, depois de tanto tempo estamos os 3 aqui na sala da minha casa a conversar e prestes a entrar no assunto, PUTARIA. O Dam não sabia ainda que Mary assumiu a postura de puta e eu de corno. Eu tinha que dar uma colaborada, tipo, dar uma saída e deixar os dois se entenderem. Fiz isso, e logo após um silêncio altamente sugestivo e suspeito, ouvi a Mary dizer: Sempre me lembro desse pau!  –  Hummm   não é perigoso querida, aqui? Fique calmo, aqui é o lugar mais seguro e tranquilo para fazer o que você quer e eu também. Dei mais um tempo na cozinha e fui ao quarto dando uma olhada na passagem pela porta da sala, estava a Mary acavalada no colo do Dam com a boca colada na dele. Entre ir e vir, me deparei com a Mary chupando a cabeça, bota cabeça nisso!

O cacete do Dam é simplesmente enorme da cabeça aos pés, lá nos pentelhos. Me sentei e fiquei a admirar o colossal pinto. Um pintaço! Meio se jeito, Dam demonstrou desconforto, mas eu o tranquilizei, “fique calmo amigo, continue a curtir essa vadia, ela vai foder muito e você também” Era preciso, não tinha como foder aquele pau sem tira-lo de dentro das calças. Levantaram os dois e foi rapidinho, estavam os dois peladões. O Dam é de estatura média, não é gordo, sem barriga, coxas mais para grossas, bastante pentelhos e o pau? E o pau gente!!!! Desbancou um outro que elegemos o   maior até hoje.  Impressionante que não é torto, brilhoso na cabeça, bolas proporcionais ao tamanho do bitélo, e só faltava a Mary sentar e vê se caberia tudo aquilo na sua buceta. Dam arregaçou, a cabeça ficou exposta e pronta para adentrar o recinto vaginal. Mary inicia o processo: “Sentar no Cacetão” Veio em marcha bem lenta, foi descendo, descendo e o pau não desaparecia… PQP….  e se senta, mais um pouco e se senta…. então entra…tudo…tudo?  sim foi tudo!

Onde Mary acomodou aquilo?  Dam sem perda de tempo, tira um tanto, a metade mais provável, e estoca…. leve, mas estoca…  aquele tira e bota recheado de tesão, muito tesão represado naquele pau, uns 4 ou 5 anos. Os dois agora estão metendo!  Mary saboreando com extremo prazer o grandalhão, o Dam gostosamente   mantem o ritmo e fode a minha esposa/puta. Os dois seguraram o máximo possível, estavam metendo, metendo muito.” Lindo de se ver” um belo, grosso, cabeçudo e lonnngo cacete a entrar na buceta da esposa.” Sabe, deveria cada vez que a esposa levasse um pau grande gostoso, aumentar o chifre do   corno conforme o tamanho do pau! Delícia!!!  “Madona Mia! Hummmm   goza comigo querida…vem……   e Mary novamente senta total e o cacete do Dam desparece…  foi a porra que faltava….  o   cara solta e goza…. os dois!  A meteção não para, e a buceta da Mary continua a engolir o majestoso…  Dam mete, mete muito, que delícia de foda essa!

Mary literalmente entregue aos caprichos do mais pauzudo dos machos até agora! Tão grande o meu entusiasmo e tesão, que falei:  Mete Dam!   Fode essa putona tarada!  Fode!……  Aiiiiiiii corno!  Estou gozandono pauzão dele….. uiiiiiiiiiiiiii uiiiiiiiiii humm ai ai uiiiiiiiiiiiii E  nosso amigo foi nessa  e  também gozou, escorreu  muita porra! Certamente porra de 5 anos, reservada para essa buceta. Gente!  Minutos inesquecíveis!  Só corno tem esse privilégio, ver um pau grandalhão foder a buceta da esposa. Maravilha!!!!!!  É normal, faço sempre que a minha esposa vai levar pau, trago gel, pano limpador de porra, “FAXINEIRO” e fica próximo para a ocasião. Mary demorou um pouco mais que o normal, era muita porra.  Dam limpou a cabeça, um pouco do canudo e se acomodou no sofá. Agora vou me aproximar mais, e ver bem de perto o cu da Mary consumir essa viga nervuda avantajada. Deu uma arriada! Um pouco, nada que a Mary não consiga restabelecer a dureza necessária para penetrar seu orifício também conhecido por CU. Para mim tanto faz, Mary sentar-se ou levar de 4, o que vale é o pau comer! E foi de 4!

Dam pede o gel, alcanço e insinuo lubrificar a manga, Dan entende e consente. Passeio com as duas mãos pelo longo cacete prestes a sumir dentro do cu da minha esposa/puta. Toda aberta, Mary sente  que Dam se achega e força a entrada. Cabeça macia se encaixa conforme a moldura, e entra. “Hummm   bommmm      deixa Dam querido, deixa que eu vou meter meu cu nesse cacetão” Mary inovou nessa! Não deu aquelas metidinhas curtas, vai e vem, vai e vem…  foi numa só vez até o talo. Os pentelhos se misturaram, a partir daí, minha esposa rebolava sensualmente, degustava maravilhosamente o pauzão. O Dam entrou no embalo e quando a Mary vinha, ele ia… maravilha!  Uma foda de cu ritmada…. Estou ali, muito próximo.  Vejo tudo!  Numa dessas o pau da uma escapada. Bem rápido pego e coloco no lugar certo para a devida penetração. Dam sorri. Como quem diz: Gostei! La se foram mais de 12 ou 14 minutos de come cu. Mary leva e se realiza, Dam mete e se realiza, eu vejo e me realizo!

Estamos todos realizados, maravilha! Mary pisa fundo e acelera, Dam se solta tipo na banguela e os dois estão   chegando para uma gozada de bunda muito boa, das boas mesmo! Mary é   graciosa, gemendo e fodendo…Dam estoca…continua…  geme…. Mary rebola…  isso tudo para quem gosta é o que tem na cartilha! Meter, meter e meter….  Mary goza, Dam Goza. O cu da Mary está tão bem fodido como foi a buceta, e o pau do amigo devorou um cu como havia devorado uma buceta que por muitos anos, foi seu prazer nas punhetas. Mary vai ao banheiro, Dam começa limpar o exagerado, chego mais, e tiro o pano das mãos dele e continuo a limpeza. Indescritível o prazer de ter nãos mãos o grande pinto que acabou de foder minha esposa. Cá com meus botões: “Ainda vou mamar esse pau” – Amiga! Amigo!  O pau é grande, é grosso, é reto, e veiúdo, é belo é chamativo é tesudo. Entenderam? O pau dele simplesmente É.  –  Ficou acertado que no outro dia, mesmo horário, nos veríamos para as mesmas finalidade: meter em buceta, meter em cu, ser muito mamado.  Sim!  MAMADO!  Eu estava propenso em ajeitar tudo para fazer isso!  MAMAR.

Leia outros Contos eróticos de corno bem excitantes abaixo:

Adoro ser corno

Duplamente Corno - Parte 1

18029 views

Contos Eróticos relacionados

Eu minha esposa novinha

Casaleu27ela21 Um dia eu  minha esposa tava querendo bebe, fomos para um bar, chegando lá bar tava lotado, só que tinha só homem, a maioria todos velhos, eu minha esposa tava  bebendo senti...

LER CONTO

Os encantos da sodomia para Tiana – I

- Deixa de ser babaquinha, Tomas! O que eu faço com teu pai é para o bem dele! Voce já está bem grandinho pra entender o que a sensualidade significa pras pessoas! - Não acredito no que estou...

LER CONTO

Minha esposa na praia ficou me provocando

Saudações meu povo, meu nome é Guilherme, tenho 25 anos, moro no Rio de Janeiro e vou contar para vocês como foi o dia em que minha esposa na praia ficou me provocando, me deixando excitado e...

LER CONTO

MEU MARIDO PEDIU PARA SER CORNO. E AGORA?

Oi, minha gente querida. Meu nome é Raíssa, tenho somente 24 aninhos e meu marido tem 28. Somos realmente casados e moramos no interior de Pernambuco, numa cidade chamada Petrolândia. Aqui no...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • Wm 09/11/2022 01:25

    Muito bom esse conto gozei gostoso

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 1 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2023 - Contos adultos