Meu sobrinho é diferente e transei com ele

É ferias escolares, época de descanso para maioria. Claro! Faz muito tempo que terminei meus estudos e hoje me dedico a minha família. Minha filha Violeta de 18 anos e meu marido Eduardo que infelizmente continua trabalhando… Porém não é hora de lamentar.

Fiz os preparativos receber meu sobrinho Italo de 18 anos. A minha irmã me pediu para cuidar dele durante uma semana para ele se desgrudar mais de jogos, – Está viciado – ela disse. Aceitei de bom grado, faria compania a minha filha também… Porém isso fugiu do meu controle logo na segunda semana.

Meu marido foi fazer sua viagem semanal para a fabrica. Basicamente só o vejo em semanas alternadas, e sempre cansado. Bem, essa era uma dessas semanas. Então teria que cuidar dos jovens sozinha.
Eles são jovens mas em geral são bem diferentes. Minha filha gosta de festas e de conhecer pessoas, uma pessoa muito sociável. Porém, Italo é bastante fechado e sinceramente não sei o qie passa na cabeça do rapaz.

Bem…no segundo dia à noite preparei um jantar para eles,e reparei que Italo estava me encarando. Não me incomodei muito. Violeta terminou primeiro e foi direto para o quarto conversar com as amigas pelo telefone. Então Italo falou – Estava deliciosa a comida tia -. Agradeci e disse que haveria mais durante a semana, e lamentei o fato de Violeta e meu marido não serem tão amantes. Então ele disse – Ora, eles não sabem o que é ruim de verdade, não deveria falar mau de uma comida feita por uma mulher tão bonita como a titia.

-Você acha mesmo, obrigada Italo, faz tempo que não ouço um elogio, e então como vai com as garotas?- perguntei.

– Sabe tia, esse não é bem meu forte- e deu uma risada forçada. Não me preocupo muito com isso também.

-Bem, ja esta bom. Vá tomar um banho e vamos durmi. Ja esta tarde.

Ele foi como ordenei. Após lavar as louças percebi que não o vi passando no corredor para seu quarto. – Esta no banheiro ainda me perguntei-. Entao fui próximo ao banheiro e escuntei um barulhinho estranho que ja foi familiar a muito tempo. Senti um cheiro forte de amônia vindo de lá. A porta por estar com defeito não fecha direito. Então de relance vi Italo segurando o celular com uma mão e a outra…sim…estava e sacudindo seu pênis.

Avistei melhor o seu celular e vi que a foto era…era minha!? Ele estava se masturbando me vendo!? Nossa!? Fiquei sem reação. Então de relance vi seu penis. Era grande que me peguntei se era normal e estava punormal…por mim? Então vi um forte jato de esperma saindo dele. Foi ai que voltei a mim e sai da porta. Felizmente ele não reparou que eu estava lá.

Fui dormir pensativa. Apesar do choque que tomei ao ver a cena. Uma coisa não saiu da minha cabeça: “Quer dizer que ainda sou atraente?”. Fazia anos que não transava com meu marido ou sequer recebi um elogio. Achei que minha beleza era passado. Mais ai um garoto de 18 me elogiou e desejou meu corpo.

Sei que era errado pensar nisso, mas isso estava me consumindo. Então me lembrei do pênis de meu sobrinho, de suas palavras e de seu rosto me olhando no celular. Me senti quente, estava començando a ficar um pouco molhada…comecei a me tocar. E quando percebi estava me masturbando também. Ora eu estava parecendo ele. No fim não resisti, gozeu pensando no meu proprio sobrinho.

No dia seguinte isso não saiu da minha cabeça. Precisava daquilo, eu desejava ele. Apos lavar a louça do jantar novamente fui ao banheiro. A mesma cena se repetiu. Então meu desejo foi maior. Dei um passo a diante enquanto ele se masturbava no banheiro. Entrei.

Ele me olhou surpreso. Ficou atordoado. Não sabia o que fque. Então eu o perguntei: Eu sou bonita pra você?. Ele ficou em choque mas me respodeu com a voz tremula. – Você é perfeita tia.

-O que você acha bonito em mim?- perguntei.

– De tudo tia, seu rosto é tão lindo e sexy, sua a boca, seu pescoço, seus petos grandes devem ser tão macios, seus quadris. Seu corpo e lindo tia.- me respondeu.

-Você quer ajunda? Com isso?- perguntei- e ele acenou com a cabeça timidamente.

Então tirei meu vestido, e fiquei com apenas minha calcinha e sutiã pretos, ele me agarrou com força, me empurrou contra a parede fria do banhero e começou a me beijar…isso era tão errado. Ele é meu sobrinho. Mas eu queria isso. Meu corpo queria. Me senti molhada em em baixo quando ele começou a apalpar meu peito. Afastou o sutiã e começou a chupar ele.

Foi ao proximo passo, enfiou as mão entre minhas pernas dentro da calcinha e massagou freneticamente meu clitoris. Ele disse que eu estva fervendo na hora. Então se encontando em mim eu senti sua tesão. Seu pênis estava para explodir. Então falei gemendo, vamos começar Italo.

Então o empurrei e o fiz sentar no vaso. E lá estava, grande e pulsando. Ele me queria. Eu o queria. Ele me puxou. Afastou minha calcinha pro lado e me fez sentar no seu pênis. Senti ele. Estava quente, e me penetro com tanta força que soltei um pequeno gemido. Mas foi baixo. Sabia que não deveria fazer barulho.

Então comecei a sentar nele. Freneticamente. Meu seios delizavam na pele dele. Ele beijava e chupava meu pescoço. E agarrava minha cintura bem forte. Senti-me cada vez mais quente. Então, senti vindo. Meu nectar quente. Ele me pediu. Pediu o gozo da titia. Eu tinha que dar a ele. Então almentamos a velocidade…. E ai… Ai saiu! Saiu! Fazias anos que não me sentia assim.

Na realidade nunca me senti assim. Então sai do seu colo e me ajoelhei. Ele pegou minha cabeça e enfiou seu pênis pusando na minha boca. Então saiu. Ele jogou tudo na minha cara e na minha boca. Senti o gosto, o cheiro tudo escorrendo no meu rosto e no meu corpo. Me senti em extase. Ele me chamou de linda, deusa. E na aquele momenta sabia que queria mais daquilo. Muito mais…

Continua…