website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]

CASO COM A LILA

Publicado em janeiro 8, 2023 por Ademir

CASO COM A LILA

Olá, vou contar uma história muito boa que me aconteceu recentemente; Lá no meu trabalho existem algumas mulheres que fazem a limpeza do lugar, são de uma empresa contratada para realizar essa limpeza diária. São pessoas bem pobres que normalmente moram em favelas nos arredores da cidade, necessitam fazer uma viagem longa de diversas horas para trabalhar, enfim são pessoas sofridas e merecem toda nossa consideração.

Mas a algum tempo apareceu por lá uma nova funcionária, uma baiana muito bonita e arretada, chamada Eliana ou simplesmente Lila como todas as demais a chamavam, parecia diferente das demais, era alegre e despreocupada, nem parecia uma delas, chamava a atenção dos homens pela beleza meio selvagem e o corpo bem proporcionado, uma mulher de 28 anos, morena, pele lisa com seios grandes e uma bunda enorme, nossa delicia de mulher mas muito tímida, casada não dava bola para os homens que viviam dando em cima dela, eu sou supervisor em meu trabalho e procuro evitar qualquer tipo de relacionamento com os funcionários, particularmente com as meninas da limpeza, exatamente para manter a disciplina e evitar fuxicos dos funcionários , mas aquela mulher me chamou a atenção e comecei a olhá-la de maneira diferente, sua supervisora, dona Cleide fiquei sabendo que era tia do marido da Lila e como era a única pessoa da limpeza com quem eu costumava falar para discutir sobre a limpeza pois eu tinha de preencher um documento diário para avaliar a limpeza, comecei a especular de maneira sutil sobre a Lila, ela a princípio achou meio estranho meu interesse mas acabou se abrindo para mim e me disse que o marido da Lila realmente era seu sobrinho e que não merecia a Lila, era um bebum e vivia maltratando a garota, chegando até a bater nela as vezes, ou seja era mulher mal amada e mal comida rsrsr, vi ali uma possibilidade de me aproximar da garota, comecei a falar com ela , elogiar sua beleza e coisas assim, e ela passou a confiar em mim rsrsrs.

Até que um dia toda envergonhada disse que necessitava muito falar comigo, e me contou que estava com problemas em casa, eu achei que ela fosse falar sobre o marido mas não, era outro assunto, me disse que estava com o aluguel atrasado em vias de ser despejada da casa onde morava com o marido e a filha pequena, ai perguntei se seu marido não trabalhava e ela me disse que ele bebia muito e por isso tenha perdido o emprego de vigilante e agora só tinha o salário dela que não era suficiente para pagar todas as contas; Vi ali uma oportunidade de conhecer melhor aquela bela mulher, ofereci a ela um empréstimo, e ela toda sem graça me disse que iria aceitar e que me procurou por desespero devido a urgência, me disse que não poderia me pagar logo, só quando o marido voltasse a trabalhar, informei a ela que não tinha pressa e entreguei a ela os $ 500,00 para pagar o aluguel e assim seguimos a vida agora com ela já conversando comigo normalmente; no mês seguinte, perguntei a ela se o marido já havia arrumado emprego, ele todo chorosa disse que não, ai perguntei sobre o aluguel, ela toda preocupada me disse que não sabia o que fazer, ofereci a ela novamente mais $ 500,00 para pagar o aluguel e ela não queria aceitar pois já me devia e não sabia quando poderia me devolver, eu disse a ela que não tinha pressa e ela toda agradecida aceitou.

Dali pra frente passei a agradá-la com chocolates e pequenos presentes mas sempre longe da vista das demais e ela foi confiando em mim tanto que passou a me fazer confidências a respeito dela e do marido, dizia que o marido não era mau, mas depois que passou a beber, começou a maltratá-la e nunca tinha dinheiro para pagar as contas ou comprar alimentos, vivia de favores da família dela e dele; ai eu com muito tato entrei no assunto afetivo, perguntando como ele a tratava na cama, ela corou e ficou toda sem graça mas com os olhos baixos me disse que ele não era mais carinhoso como a princípio, e quando a procurava, normalmente estava bêbado e cheirando mau e ela se sentia um lixo sendo usada por ele, eu incentivei ela a me contar como era, ela toda envergonhada me disse que ele nem se preocupava com ela, só mandava ela tirar a roupa, subia sobre ela e terminava rapidamente; perguntei se ela sentia prazer, ela me disse que não, ele era muito rápido e não dava tempo.

Esse tipo de conversa tornou-se comum entre nos e devagar fui envolvendo ela, que ficava toda alegre quando ganhava alguma coisa minha e eu passei a lhe dar algum dinheiro para ajudar nas despesas, um dia comprei na internet um kit de 6 calcinhas bem sensual e dei a ela de presente, ela ficou sem graça e vermelha de vergonha, mas aceitou e depois de alguns dias perguntei se as calcinhas tinham servido ela envergonhada sem me encarar respondeu que sim, tinha ficado muito bem, eu comentei que gostaria muito de ver como tinha ficado e ri dizendo ser brincadeira, ela sorriu e voltou para seus afazeres, mais algum tempo, agradando ela e perguntei se ela gostaria de sair comigo para um barzinho pra gente conversar e tomar algo, ela disse que não poderia pois só tinha uma folga por semana e no dia da sua folga, aproveitava para lavar roupas e limpar sua casa, propus a ela faltar ao trabalho que eu pagava o seu dia, ela hesitou e disse que ia pensar e no dia seguinte perguntei o que tinha decidido, ela respondeu que sim iria aceitar mas só para o passeio e disse que queria voltar logo para casa para adiantar suas tarefas caseiras, eu concordei e marcamos um encontro longe dali para ninguém ver, no dia, peguei ela por volta da 14:00 horas que era o seu horário de entrar no trabalho, ela estava deliciosa, com um vestido até os joelhos, meio apertado que realçava suas curvas generosas, nossa quase tive uma ereção só de olhar para ela, ela entrou no carro e pude ver seu joelhos e início das coxas morenas e lustrosas, nossa que delicia, levei ela até um barzinho discreto e ficamos ali na mesa conversando, eu não bebo nada de álcool então fiquei só no suco de laranja mas ela aceitou tomar vinho doce, ficamos ali conversando por mais de uma hora, ela já havia tomado meia garrafa de vinho e estava alegre e falante rsrsrs.

O vinho já estava fazendo efeito, fiz ela tomar mais um pouco de vinho até ela se soltar, ai ela me disse como eu era simpático, bonitão e bom pra ela, segurei sua mão e disse a ela que eu gostava dela e queria ter um caso com ela, ela mesmo meio ébria, ficou assustada e largou minha mão, dizendo nossa seu Carvalho, eu sou uma mulher casada e jamais trairia meu marido apesar que ele bem que merece, aproveitei a deixa e insisti com ela sobre ter um caso com ela, mas ela continuou arredia rsrsrs, depois de mais algum tempo e mais um pouco de vinho, paguei a conta e a convidei para sair, entramos no carro e eu comecei a procurar um motel nas redondezas da marginal tiete, ali é fácil achar motel, vi um legal e entrei, ela nem sabia para onde estávamos indo, pedi a ela seu rg ela perguntou por que eu disse que naquele lugar era necessário, me entregou o documento e pedi a recepcionista um quarto completo, ela ainda meio bêbada nem percebeu que estava para ser comida rsrsrsr.

Entrei no motel e estacionei o carro na garagem da suíte, ajudei ela a sair do carro pois ainda estava meia grogue devido ao álcool ingerido, ela sempre perguntando que lugar era aquele, apoiei ela até entrarmos na suíte, estava as escuras e levei ela até a cama para sentar, acendi a luz e ela percebeu que era um quarto, ficou toda assustada e levantou-se dizendo que ia embora, eu a abracei por trás e comecei a acalmá-la, dizendo coisas suaves em seu ouvido, meu pau endureceu rapidamente em contado com sua deliciosa bunda, ela ainda querendo escapar mas eu a segurei firmemente e comecei a morder seu pescoço de leve sempre pressionando suas nádegas com meu pau super duro, a garota ainda assustada foi se entregando devagar e eu novamente a sentei na cama, sempre beijando seu pescoço, procurei seus lábios e a beijei devagar, a mulher entreabriu os lábios e eu enfiei minha língua em sua boca saborosa, senti sua língua procurando a minha e suguei gostosamente sua deliciosa boca, fui deitando ela na cama sempre beijando, e sentindo o calor do seu corpo, tirei minha língua da sua boca, ela estava ofegante e me pediu para parar, por favor pare, eu sou casada, mas eu continuei a beijar seu pescoço escutando ela gemer baixinho, mordisquei sua pele macia e novamente suguei sua boca, levei a mão ao seu seio e apertei, nossa enorme e bem duro, ela gemeu segurou minha mão e pediu novamente para eu parar mas sem muita convicção, a mulher era uma delicia, eu sentia sua pele quente e macia, soltei seu seio, e levei a mão para sua coxa, puxei o vestido para cima e senti a pele macia da sua coxa grossa, alisei suas coxas devagar, ela meio desesperada tentando escapar do meu abraço, por favor me deixa ir embora, mas eu a segurava firmemente e subi minha mão até sua calcinha, apalpei sua boceta através da calcinha e ela gemeu alto, por favor seu Carvalho, me solta, não quero fazer isso, sou casada.

Eu mordisquei seu ouvido e disse que também era casado, e que já que seu marido não estava fazendo sua obrigação, eu ia fazer por ele, enfiei a língua em sua orelha, ela gemeu e estremeceu, eu sentia aquela mulher divina em uma situação de conflito, cheia de desejos por mim mas se segurando devido ser casada, esta situação tornava o momento mais saboroso ainda e continuei bolinando seu delicioso corpo, enfiei a mão por dentro da sua calcinha e senti a enorme boceta toda meladinha de tesão, e mulher arfou e empinou o corpo gemendo com minha mão manipulando sua maravilhosa boceta, ela foi se entregando devagar, não mais pedia para eu parar, arfava e gemia baixinho sem tentar segurar minhas mãos, beijei sua boca novamente e pedi a ela que se virasse para eu poder abrir o zíper do seu vestido, ela se virou e eu abri totalmente o zíper, abri o vestido expondo a pele macia das suas costas, beijei de leve suas costa, lambendo do pescoço até o final da espinha, a mulher gemia de prazer, puxei as alças do seu vestido e fui tirando para baixo, levei seu vestido até os pés e voltei para abrir seu sutiã, soltei os colchetes do sutiã e continuei a lamber, agora cheguei ate sua enorme bunda que a calcinha mal conseguia cobrir, nossa que delicia, mordisquei as popas da bunda sentido o perfume de sabonete na pele macia, deliciosa, e enquanto isso tirei minha camisa, a calça e a cueca, ficando totalmente nu, meu pau de 18 ctms babando muito doía de tão duro que estava, puxei devagar sua calcinha e a tirei totalmente finalmente deixando-a peladinha, a mulher era um monumento, seu corpo moreno era perfeito, coxas grossas, bunda grande e empinada, cintura fina, delicia demais, cai de boca novamente naquela bunda maravilhosa, enfiei a língua entre suas nádegas e a mulher gritou de prazer quando lambi seu cuzinho que piscava loucamente, fique ali um pouco enfiando minha língua naquele buraquinho apertado e em seguida a virei de frente para mim, ela estava de olhos fechados, ofegante e eu comecei a mamar seus deliciosos mamilos, seu peitos eram enormes e duros, lindos demais, mamei um depois o outro, enquanto brincava com os dedos em seu grelo, ela gemeu e teve o primeiro orgasmo, me agarrando desesperada.

Fiquei ali mamando e brincando no grelo até passar os espasmos do gozo dela, beijei-a novamente e desci minha boca sobre sua barriga até chegar em suas coxas, que lambi e mordi, abri suas coxas e visualizei a enorme boceta, nossa como era linda, carnuda, com o grelo aparecendo, totalmente sem pelos, lisinha, maravilha de boceta, cai de boca ali e abocanhei toda sua boceta que mal cabia em minha boca, chupei e suguei, enfiando a língua dentro, escutando seus gritos de prazer, até ela gozar novamente, fiquei sugando até passar os espasmos e soluços dela durante o gozo intenso, tirei minha língua daquela maravilha e fui pra cima dela, enfiei minha língua em sua boca e procurando penetrá-la o que aconteceu muito fácil já que sua boceta estava totalmente lubrificada e meu pau todo liso de lubrificante natural, a cabeça entrou dentro da sua gruta quente e macia, ela gemeu e se abriu mais para mim, que escorreguei todo para dentro daquela maravilhosa boceta, ela gemeu e me abraçou rebolando feito louca sob meu corpo, não demorou nada, tive um orgasmo enorme, enchi sua boceta de esperma quente, a mulher agarrada a mim, teve um novo orgasmo, gritando e pedindo para eu enterrar mais rsrsrsrrs.

Após o gozo enorme, ficamos quietos , abraçados até passar os espasmos, meu pau foi amolecendo e escapou da sua boceta, eu me deitei do seu lado, ela ofegante e transpirando muito, ficou quieta ali deitada de olhos fechados, descansamos um pouco e logo eu estava novamente beijando seus lábios carnudos, ela estava totalmente entregue a mim, ela queria mais e subiu por cima de mim me beijando, foi descendo pelo meu corpo e segurou meu pau já bem duro de novo, admirou o tamanho e falou com é bonito e grosso e lambeu a cabeça, eu gemi e o pinto se agitou em sua língua, ela sorriu olhando para mim e continuou a lamber a cabeça, de repente encheu a boca com meu pau e sugou de uma maneira maravilhosa, eu sentia sua língua atrevida lambendo enquanto mamava meu cacete, engoliu tudo até se engasgar e continuou mamando, eu avisei a ela que não estava aguentado mais que se ela continuasse eu iria gozar na sua boca mas ela continuou mamando até meu esperma espirrar forte em sua boca, ela mamou toda minha porra, engoliu tudinho me olhando com aqueles olhos lindos, ficou com a boca no meu pinto até sair todo o esperma, tirou a boca e veio para cima de mim sentando-se em meu pinto ainda duro abaixando o corpo e gemendo de tesão, começou a subir e descer no meu cacete, delicia aquilo, não demorou nem 10 minutos ela gozou de novo gritando e me mordendo, beijando, ofegante, até se aquietar ainda com o meu pinto todo dentro dela, acalmou-se e saiu de cima de mim deitando ao meu lado, cochilamos um pouco devido ao esgotamento e acordamos umas 2 horas depois, tomamos um banho na banheira de hidromassagem um dos seus sonhos e ficamos ali nos acariciando.

Meu pau ficou duro de novo e ela mamou mais um pouco, voltamos para a cama e eu propus comer o seu cuzinho, ela disse que nunca havia dado o cuzinho nem para o marido pois tinha medo mas queria experimentar comigo, pedi a ela que ficasse de 4 na beirada da cama, fiquei em pé olhando aquele bundão a minha disposição, me abaixei um pouco e mordisquei toda sua bunda enorme, enfiei minha língua entre suas nádegas carnudas e lambi seu cuzinho, ela gemia de prazer e eu enfiei a língua no buraquinho apertado, lubrificando bem com minha saliva, enfiei o dedo diversas vezes para lubrificar com saliva por dentro e encostando a cabeça do cacete na portinha do seu cuzinho, pressionei sentindo a cabeça escorregar para dentro daquele buraquinho justinho, a cabeça entrou e ela gritou de dor pedindo para parar, eu fiquei quieto com a cabeça do pau dentro até ela se acostumar com o volume, ela gemendo pediu para eu colocar devagar, ai reiniciei a penetração o mais devagar possível, eu sentia o calor e aperto daquele delicioso cu ouvindo seu gemidos de dor, fui enterrando até colocar tudo dentro dela, ela chorava e pedia para eu tirar que não estava aguentado a dor, eu fiquei quieto só sentido o calor enorme daquele buraquinho apertado, ela gemia baixinho e começou a rebolar a enorme bunda, nossa que delicia, comecei a meter devagar e perdi o controle e tive um orgasmo divino, enchi o seu cuzinho de porra, me deitei sobre seu corpo suado e descansei um pouco, até meu pau amolecer e escapar do seu cu, agora não mais virgem e alado de esperma, percebi filetes de sangue misturado com minha porra, tinha quebrado algumas preguinhas do seu cuzinho, me deitei ao seu lado ofegante ainda pelo orgasmo intenso, devagar ela levantou e se dirigiu ao banheiro, eu vi meu esperma escorrendo pelas suas coxas, escutei o chuveiro e fui tomar banho com ela me esfregando naquele corpo divino, ela toda preocupada, me disse que tinha de ir embora, já faziam 4 horas que a gente estava nas cama, nos vestimos e a levei até próximo a sua casa para evitar que algum vizinho ou o marido visse ela chegando de carro, dai pra frente, sempre que possível a gente ia para o mesmo motel e eu metia nela gostoso, até que um dia ele me informou que estava grávida e não sabia se o filho era meu ou do marido e achou melhor a gente parar de se encontrar, ela pediu transferência para outra empresa e acabei perdendo seu roteiro, infelizmente nunca mais a vi e nem sei se o filho que ela esperava era meu ou do marido…..

Leia outros Contos eróticos de corno bem excitantes abaixo:

Minha esposa assediada e ela gostou...

Diana e o estagiário negro IV

10459 views

Contos Eróticos relacionados

No motel com meu primo e ela

No motel com meu primo. Primeira vez.   Ela tinha 19 aninhos, morena claro, cabelos lisos e bem pretos, 1,60 de altura, magrinha mas com uma bunda bem redondinha e gostosa. Nós...

LER CONTO

Minha mulher, seus amantes e marido corno – parte 1

Minha mulher, seus amantes e um marido corno   Este é o capítulo 1 e outros se seguirão   Casei-me com uma mulher atraente, sensual e desejável. Ela tinha seios grandes,...

LER CONTO

Traí meu gatinho, chupei meu professor e ganhei nota 10

No colégio onde estudei, as aulas de Educação Física eram às terças e quintas, e cada trimestre tinha uma modalidade diferente: basquete no primeiro, seguido por handebol, vôlei e futsal. Já...

LER CONTO

Trai meu marido com seu amigo

Olá, me chamo Carol (nome fictício), tenho 25 anos, sou bem branquinha, 1,55 metros, magrinha peitos pequenos e uma bunda média bem arrebitada. Estou casada a três anos amo meu marido, mas tenho...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • João e Lurdes 10/01/2023 14:39

    Belo e lindo conto gostamos muito pena o que nós publicamos não apareçam

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 4 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2023 - Contos adultos