Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos de corno » Diana e o estagiário negro IV

Diana e o estagiário negro IV

Publicado em julho 18, 2021 por Helga Shagger

Já se tinha passado oito dias desde do acontecido entre a dra. Diana, diretora da área jurídica de uma grande companhia de seguros e seu estagiário Bernardo, um belo negro de de 25 anos, que todos o tratavem por Bene. Diana com quarenta anos era belíssima, lembrando imensamente a apresentadora Eliana. Dois sábados atrás ela foi surpreendida e possuída por Bene, enquanto ela própria espiava sua filha Cátia fazer sexo de todas as formas com o pai de seu marido, o sogro Bruno!

Agora Diana matutava devido ao que tinha feito e a decisão que tomara de evitar Bene de todas as formas. Porém o desejo a consumia tanto que sua calcinha se empapava de seus orgasmos que ela conseguia ter simplesmente roçando uma coxa na outra, mesmo quando estava sentada em público. No último sábado, Diana e seu marido Luiz foram a uma recepção. Durante os discursos, Diana começou a fantasiar com Bene. No incontrolável frisson de sua luxuria, começou a apertar as coxas uma na outra, por baixo da mesa onde estava sentada. Sem querer, Diana teve um orgasmo que à muito custo conseguiu disfarçar. Daí, ela passou a olhar os homens desejáveis que lhe davam tesão. Diana mantinha uma mão segurando uma taça de vinho à altura do rosto e a outra mão e antebraço apoiados na mesa. Dessa forma, com o olhar perdido ou disfarçadamente observando seu objeto de desejo, Diana teve três orgasmos.

Continua depois da publicidade

– Querida, como voce está corada! – Luiz, seu marido, põe a mão dele sobre a sua. Diana lhe presenteia com um languido sorriso.
Agora, alí em seu escritório, ela tentava mais uma vez acalmar-se, controlando-se para não chamar Bene. Ele por diversas vezes tentara se aproximar de Diana, mas a secretária dela sempre lhe dizia que a dra. Diana estava ocupadíssima para atendê-lo. Bene tentou de segunda à quarta-feira. Por fim desistiu. O final de semana ela passou revendo alguns casos para o dr. Luiz e agora, nesta segunda-feira estava ele já resignado a não ver mais a bela patroa, dra. Diana.

Às dezoito horas, todos os funcionários se preparavam para voltarem as suas casas. Bene soube que Diana iria ficar um pouco mais. Ele esperou que a secretária de Diana fosse embora e com alguns papéis na mão se dirigiu calmamente para a sala de Diana.
– Que é isso!! Voce está invadindo minha sala! Saia já daqui! – enquanto falava, Diana procura pelo ramal dos seguranças.
Bene agilmente consegue lhe segurar a mão que digitava a chamada e a esbofeteia levemente o rosto! O bastante para assustá-la!

– Cala boca, safada!! Voce sabe o que já fui, portanto não me obrigue a agir como o marginal de cinco anos atrás!- lhe diz Bene, agora já apertando a parter inferior do belo e crispado rosto de Diana fazendo com que os lábios dela se projetassem como que oferecendo para serem beijados.
Diana sente primeiro o hálito e depois os grossos lábios de Bene pressionando os seus. Em seguida a língua de Bene suavemente se insinua pra dentro de sua boca. Bene a abraça comprimindo o volume de sua genitalia um pouco acima do monte de venus dela. Diana sente o calor do corpo dele e seu cheiro. Ela sabe que nada pode fazer agora. Bene afasta-se do beijo e ao vê-la inerte, pensa que ela está sendo frígida com ele. Sem pensar duas vezes, a faz sentar de volta na cadeira e ele próprio senta-se a frente dela, na mesa.

Continua depois da publicidade

-Agora dra Diana, voce vai fazer seu primeiro boquete na rola de um crioulo e sugar toda a porra que eu tenho aqui no meu saco!!- Lhe diz sarcásticamente enquanto abre a barguilha e deixa escapar aquele colosso muscular!
Diana arregala os olhos à visão da negra rolona de Bene e se assuta mais ainda com a ordem que ele está lhe dando!! Ela já beijara levemente o penis do marido, mas não se entusiasmara em fazer-lhe um boquete porque ele lhe fazia muita pressão querendo enfiar-lhe o penis na boca e acabava os dentes dela arranhando-o e por fim eles desistiram do sexo oral. Agora alí estava uma rolona duas vezes maior em grossura e envergadura, a poucos centimetros de seu rosto e com o dono ordenando que a engolisse!!

Bene sabia que teria que forçar a barra. Assim, ele pega os dois braços da cadeira e puxa-a para si, ficando a cabeça de Diana entre suas coxas. Diana vira o rosto reflexivamente ao ver a tora de Bene aproximar-se de seu rosto. Um segundo após quando vira a cabeça, vê que a imensa coluna de ébano apoiou-se em sua testa! Bene passa a mão pela nuca de Diana e com a outra mão baixa sua pirocona, ajustando a altura dos lábios dela e calmamente puxa a cabeça dela em direção a cabeçorra negra arroxeada de seu pênis!
– Assim…assim gostosona!! Chupa devagar…primeiro…a cabeça…Assim, assim!! Mais…mais um…pouco…Mais! Mais!!

Diana sente aquele volume aveludado e rígido a penetrar-lhe a boca conforme as instruções que Bene lhe dá. O medo deu lugar a resignação e surpreendentemente ela começa a sentir certa inquietação maravilhosa por estar sendo tratado daquele jeito e , principalmente, pelo que está fazendo!
– Agora doutora, põe… põe toda…a cabeça…dentro da…boquinha!! Assim…assiiiimmmm!! Chupa mais…mais força…Chupa com mais força!! Gostosa!!! Isso…assim, vai…vai chupando…com força…e devagar…não pára, gostosona!! Assim…assimmmm….vai…vai, vai chupando gostoso…como se…quisesse arracar…a cabeça fora…do lugar, boqueteira maravilhosa!! Agora…segura…meu pau…com as…mãos!! Não, não! Belezinha…sem parar de chupar!! Isso…issso. Assim que …se fazzz!! Issso…continua…chupaaaando…enquanto faz…esse…esse movimento de vai-e-vem…bem devagar…Assim…boquinha louca…faminta…

Com toda essa aula de como chupar a rola de um crioulão e ao mesmo tempo a inquietude dela em querer tomar a iniciativa faz Diana excitar-se de tal maneira que reflexivamente ela começa a apertar as coxas uma na outra!!
-Isso…doutora! Faz… mais…mais…não pára…mais, mais…chupa…chupa…chupa mais…e mais…e mais…
Já pela metade, a rola de Bene preenche toda a boca de Diana! Ela se excita de sobremaneira do modo como Bene lhe chama de “doutora”! Diana ofega sensualmente enquanto saliva escorre para fora de seus lábios!! Sua vagina está tão apertada entre sua coxas que o clitóris se vê afagado por toda volta pelos grandes lábios! Basta agora um simples impulso de comando, um simples “doutora” na voz de Bene…para que ela goze!!!
– Issso…mais…mais, gostosona…vai chupando…mais forte…mais forte, minha bezerrinha!!

Diana quer o “doutora”…
– Assim…assiim putinha! Faz …faz gostosinho…com essa boquinha…faz. Issso…faz…faz eu….faz eu…gozaaar!!
De repente, Bene urra enquanto começa a gozar. Diana saboreia pela primeira vez esperma!! Sua luxuria vai ao limite!! Ela não sabe como, mas vai engolindo toda ejaculação da rola de Bene! Mas ela quer ouvir a palavra mágica!!
– AAAhhh!!! Tô gozando…gozando!! Não…não…pára! Minha doutora!!!

Diana, mesmo com boca cheia de músculo e esperma, consegue emitir seu grito de triunfo e extâse!! Ela se contorce de modo febril até seu gozo atingir o máximo e mais o máximo de novo!! Ela não consegue mais manter aquela torona dentro boca sugando-a enquanto tenta respirar! Assim ela é obrigada a deixar escapar a rolona pelos lábios, que mais parece uma cobra querendo se soltar, expelindo semem pra todo lado!!
Tanto Diana quanto Bene estão ofegantes e satisfatoriamente saciados com suas performances. Diana se vê surpreendida com a descoberta de sua capacidade de gozar praticando o boquete! Bene se vê surpreendido pelo fantástico gozo que raríssimas vezes teve ao ser chupado!!
Um pouco envergonhada com a exposição de seu gozo, Diana se levanta pra ir ao banheiro recompor-se. Bene pensa que ela vai tentar escapar e a retem.

-Calminha doutora! Eu ainda não acabei. Sei que acabei com meu futuro na empresa, mas pelo menos deixa eu fazer o serviço completo!! E completo significa que só falta o cuzinho!!
– Não! Espera!! Eu não posso fazer isso!! Voce é muito…grande!! Além do mais…
– Cala a boca!! Quer apanhar de novo, quer?
– …eu não quero que voce saia da empresa nem que paremos com nosso caso…
– Oh! o quê?!

Diana tá pouco se lixando com os costumes, sua boa educação, sua reputação ou se vai aguentar ou não a rolona de Bene em seu virgem cuzinho! Ela reconhece que desde que Bene apareceu em sua vida, ela tem tido prazeres inesperados! As descobertas que ela fez nestes últimos dias, ela deve tudo a Bene. Então ela caminha até ao sofá de couro para as visitas e antes de ajoelhar-se em cima da almofada do assento, ela suspende o vestido exibindo as belas nádegas cobertas por uma finissima lingerie. Bene deixa cair o queixo com a súbita declaração e a mudança de atitude de Diana. Sem se virar e ainda com vestido ao redor da cintura, ela arreia e tira a lingerie e se posiciona com o busto apoiado no estofado encosto do sofa. Mais uma vez, Diana junta as coxas e involuntariamente começa a pressionar uma contra a outra. A antecipação de ser sodomizada lhe traz apreenção e luxuria. Ela quer tudo agora! Tudo que Bene puder lhe dar e que ela puder tirar dele!

Recuperado, Bene se vê deslumbrado com a visão da bem torneada e rechunchuda bunda. Aqui e ali, ele vê pequenos indicios de celulite, o que a faz mais excitante pra ele! Mas a visão mais bela e desejável é o pequeno e rosado solzinho com sua preguinhas como raios! Gentilmente Bene se debruça atrás das esplendidas nádegas de Diana. Suas imensas mãos acariciam primeiro os polpudos glúteos passando depois para os lados externos das coxas e voltando para a firmeza das ancas, ao mesmo tempo em que ele presta a primeira homenagem à beleza do trazeiro de Diana. Ele cola seus cheios lábios no orifício anal dela. Como se estivesse beijando uma boca amada, Bene se baba todo ao sentir o gosto da pele do cuzinho de Diana, enquanto sua língua procura penetrar mais adentro! Bene sente Diana estremecer e mais saliva, como reação, ele deixa escorrer de sua boca colada ao cuzinho quando a ouve sussurrar palavras ininteligíveis!!

Diana leva ambas as mãos para trás abrindo e separando as bandas de sua bunda para que Bene tenha mais acesso com sua língua de largato!! Ele exulta com esse oferecimento. Já não consegue se conter aos apelos de sua piroca. Mas a tesão de saborear o gosto do cuzinho de Diana é resistente demais. Diana está maravilhada com esta nova experiencia, como tem sido até agora, que aquele soberbo macho lhe dá!!

– Enfia…enfia mais…chupa…enfia…chupa!! Ohhh! Eu não sei…mais o que pedir…faz mais…simplesmente…faz mais e mais!! Faça…o que…voce quiser…comigo!! Faz tudo!! Tudo, tudo!! Ouviu??…Tudo! Eu quero…quero tudo!!!
A quase histeria de Diana deixa Bene bem perto de perder o controle. Dando um longo chupão ao redor do cuzinho dela, Bene se levanta e encosta a aveludada e negra vergona no rego entre as nádegas, por alguns segundos faz um forte vai-e-vem. Diana prontamente com as duas mãos tenta prender a grossa rolona entre as nádegas e começa a sentir a aproximação do orgasmo!!

Bene não sabe se já goza desse jeito ou se toma posse de fato do anus de Diana!! Ela é quem, afinal, decide!!
– Põe em mim!! Põe em miiiimm!! Seja o que deus quizer…mas enfia toda essa “coisa” em mim!! Por favor…enfia. Enfia!!
Bene sente a contração do anus de Diana em volta da ponta da glande! Ele sabe que ao primeiro impulso, um cuzinho tende rejeitar qualquer intrusão! É nessa hora que o querer de quem quer dar se torne irresistível. Assim Bene simplesmente espera impassível sem se mexer a rendição do anus de Diana. Em poucos segundos, o esfinter dela vai se abrindo como uma boquinha e parecia que lábios circulares começavam a sugar a cabeçorra para dentro!!!

“-Doutora Diana! Doutora Diana”- o interfone cai como um raio aos ouvidos de Bene e Diana – “Sua filha Cátia está subindo.!!”
A decepção desaba sobre ambos! Mas foi com relutância que o cuzinho de Diana soltou a metade da cabeçorra que já tinha engolido!!
– Vamos deixar isso pra mais tarde!! Volta pra tua sala e espera eu te ligar! – Diana diz isso enquanto corre pro banheiro e Bene arruma as calças saindo da sala antes que Cátia aparecesse.

Diana sai do banheiro que existe em seu bem decorado escritório, já com a maquiagem refeita. Encontra sua filha Cátia conversando com o estagiário Bene. Uns dois minutos atrás o interfone informara que Cátia estava subindo, enquanto nesse mesmo instante, sua mãe Diana estava com quase metade da cabeçorra da rola de Bene dentro de seu cusinho!! Bene só teve que fechar as calças, arrumar a camisa e descobrir que Diana deixara a calcinha encima da poltrona quando fora ao banheiro. Ele ainda caminhou alguns passos para entregar a calcinha da sua patroa quando viu a porta ser aberta e a belíssima filha adentrar à sala.

– Olá! Já o conheço de algum lugar… mas não lembro seu nome! – Cátia lhe estende a mão, ofertando-lhe um glorioso sorriso e cintilantes olhos azuis.
– Encantando srta. Cátia… Sou Bernardo, o estagiário. Estive na casa dos seus pais, sábado retrasado – responde Bene admirando aquela sósia da Ana Paulo Arósio, que ele vira ser possuída de todas as formas pelo próprio sogro, tendo Bene, na ocasião, sua rolona deslisando por entre as bochechas da bunda de Diana enquanto os espreitava!
– Ah, sim! Agora me lembro… Oi mãe!!
– Que surpresa filhinha… O que lhe traz aqui?! – Mãe e filha se abraçam enquanto Bene sai de fininho com a calcinha de Diana no bolso…

Convido meus leitores a visitar meu blog https://eternahelgashagger.blogspot.com.br/ ou http://eternahelga.blogs.sapo.pt/ onde encontrarão esses contos devidamente ilustrados. Obrigada

3522 views

Contos relacionados

MINHA ESPOSA CHORANDO COM PAU ENORME NA BUNDA.

Meus amigos, olhem o desespero de minha esposa, com esse caralho na bunda. Mas foi ela quem pediu. Moramos no sertão e somos liberais. Valéria sempre gostou de dar a bunda. Morava num sítio bem...

LER CONTO

Quarto errado mulher errada

Ola pessoal novamente aqui para contar o que ocorreu comigo neste final de 2020 Festa de final de ano reunimos entre casais de amigos, sem nada de mais só amizade dia 29 de dezembro, o lugar...

LER CONTO

Minha esposa virou puta para ganhar dinheiro

Oi gente do bem, tudo em ordem? Meu nome é Carlos, tenho 33 anos e neste conto erótico vou relatar como foi o dia em que minha esposa virou puta dando para homens fora do casamento. A crise...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 1 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2021 - Contos adultos