website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos de travesti » Amanda e Thiago: Amor Proibido

Amanda e Thiago: Amor Proibido

Publicado em setembro 13, 2021 por J. R. King

– Eles já saíram?

– Já.

– Que bom. E aí, o que você quer fazer?

Disse Amanda para Thiago, enquanto tirava os fones de ouvido. Senta na cadeira do computador, ela já abria as pernas, instigando ainda mais Thiago, que já não se controlava. Thiago se ajoelhou em frente a Amanda, puxando a cadeira para ele até os dois ficarem o mais próximo possível. Segurando o rosto de Amanda com a mão direita e a coxa com a esquerda, Thiago lhe beijou. As mãos de ambos começaram a fazer os seus trabalhos. Amanda tirou a camisa de Thiago, e ele tirou o seu moletom, deixando somente o seu sutiã sobre a sua pele alva. Thiago beijou o seu pescoço e desceu o corpo de Amanda lhe beijando por completo. Suas mãos acariciavam as coxas de Amanda. Ainda era possível sentir as cicatrizes dos cortes, mas ele não se importava. Por debaixo da saia que Amanda usava, Thiago tirou sua calcinha. Ele olhou para Amanda, que com seus olhos dizia que estava pronta para ser possuída por ele. Ele pôs a mão por debaixo da saia, sentindo o que ali havia. Logo em seguida, ele levantou a saia, revelando o pênis de Amanda em sua mão, e sem alarde o colocou em sua boca.

Essa loucura dos dois não havia muito tempo. Veio de um desejo intenso, de tesão, de curiosidade e do despertar da sexualidade. Thiago era filho de Raquel, uma professora de português do estado de 40 anos. Há 3 era casada com Rogério, um bancário de 38. Thiago tinha apenas 16 anos, estudava na escola em que sua mãe dava aula. Era um garoto introvertido, um pouco recluso, mas que tinha uma grande criatividade e talento. Era um exímio desenhista, andava para todo canto com o seu caderno de desenhos. Gostava de desenharas próprias pessoas, estudar a anatomia humana. Desenhava principalmente as garotas por quem era apaixonado, pois eram essas que ele não tirava os olhos durante as aulas.

Um dia, à noite. Deparou-se com dua mãe e seu padrasto sentados na sala, com um olhar meio pesaroso. Perguntou o que houvera, sua mãe lhe pediu para que se juntasse.

– Você sabe que o Rogério tem uma filha né?

Disse Raquel a seu filho.

– Sim. A Amanda né?

– Isso. Bom, mas a parte que a gente não lhe contou é que Amanda é uma garota trans.

Thiago ficou surpreso. Naquele momento um estalo de curiosidade acendeu dentro de si, mas que ele só foi perceber um tempo depois.

– Sério?

– Sim. E bom, você sabe que ela mora com a mãe dela lá em São Paulo. Mas acontece que eles não estavam se dando muito bem. Rogério já tava me dizendo que a situação tava bem tensa entre as duas. Muitas brigas. A gente tinha pensado que seria melhor ela vir morar com a gente, mas como Amanda já tem 23 anos e estava trabalhando lá em São Paulo, a gente achou melhor ela continuar lá.

– Sim, aconteceu alguma coisa com ela?

Os dois adultos se entreolharam, e depois Raquel continuou:

– Acontece que… Ontem a Amanda tentou se matar. Mas a mãe dela chegou a tempo. Ela já está no hospital se recuperando.

Thiago quase pulou da cadeira, arregalou os olhos, mas se manteve em silêncio.

– Bem. O que a gente queria falar contigo é que a gente achou melhor a Amanda vir morar com a gente. Pelo menos por um tempo, até ela se recuperar de tudo e voltar a tocar sua vida. Mas a gente vai precisar da sua ajuda. Ela vai dividir o quarto com você, nós vamos comprar uma beliche. E também eu quero que você receba ela bem. Afinal, ela vai estar bastante sensível.

Thiago comovido, não fez nada a não ser aceitar o que sua mãe e seu padrasto lhe pediam. Mas a curiosidade de Thiago já estava atiçada por Amanda. De fato, Thiago jamais havia conhecido outra pessoa trans antes, e isso lhe deixava bastante apreensivo. Agora, ele teria que dividir o quarto com ela.

No dia seguinte, Raquel e Rogério viajaram até São Paulo para buscar Amanda, que havia recebido alta do hospital. Thiago foi para a escola, e sabia que quando voltasse a tarde, Amanda já estaria em casa. Estava ansioso, na volta para casa, andou até mais rápido. Chegando em casa, sua mãe já lhe esperava. Thiago perguntou sobre Amanda, e ela disse que já estava no seu quarto. Thiago foi até ele, abriu a porta e viu Amanda pela primeira vez.

Amanda nascera André, mas se descobrira Amanda aos 17. Aos 20 anos, iniciou o seu tratamento hormonal. Rogério, um homem mais tolerante, sempre apoiou sua filha. Mas Rute, sua ex-esposa, nunca aceitou por completo a transformação daquela que ela há 20 anos criava como André. Por ironia e tristeza do destino, Rogério teve que se mudar da capital para o interior, deixando Amanda aos cuidados de Rute, o qeu causou bastante dor de cabeça para duas durante 3 anos, e uma enorme dificuldade em Amanda de se aceitar. Mas ela aguentou a desaprovação da mãe, e terminou o seu tratamento com a ajuda de seu pai. Porém, na última quinta-feira, Amanda tentou encurtar sua vida, cortando os seus pulsos. Porém Rute chegou em casa logo em seguida. Mesmo tendo um rancor guardado dentro de si, não foi capaz de deixar seu pequeno André ir embora deste mundo e chamou por socorro.

Agora, Amanda estava no quarto, abrindo sua mala. Ainda estava com os curativos em seus pulsos, quando viu Thiago entrando pela porta. Ela se levantou e foi de encontro a ele.

– Oi. Você deve ser o Thiago né? Prazer, Amanda, sua nova irmã mais velha.

Amanda estendeu a mão para Thiago. Thiago olhou Amanda por um instante. Olhou para os seus cabelos pretos, seus olhos amendoados, sua boca rubicunda, seu corpo pálido e magro, suas longas pernas e para os seus braços, envoltos em bandagens no pulso. Ele ficou imóvel por um instante, mas então apertou a mão de Amanda.

– Prazer. Precisa de alguma ajuda?

– Na verdade, preciso sim. Tenho que ajeitar minhas roupas no guarda roupa. Pode me ajudar?

Thiago a ajudou a tirar as roupas, enquanto trocava as primeiras palavras com Amanda. Sua curiosidade lhe deixava entretido. Amanda não havia nenhuma característica física que lembrasse o corpo de um garoto. Aos olhos de Thiago, ela sempre foi Amanda. O que atiçava ainda mais a curiosidade dele sobre ela. Em nenhum momento tocou no assunto sobre a tentativa de suicido. Apenas achava que não era bom falar sobre isso. Amanda estava sendo bastante gentil, mas havia um certo ar de melancolia em sua boz enquanto conversava com Thiago.

Mais tarde, Seu Rogério trouxe a beliche direto da loja, e a montou no quarto onde agora os dois dividiriam. Durante a janta, os dois celebraram a chegada de Amanda, foram bastante acolhedores.

Thiago pegou a cama de cima, e Amanda a de baixo. No final de semana, Amanda já parecia mais revigorada, um pouco mais alegre. Thiago não lhe tirava o olhar. Ela prendeu sua atenção durante todo o sábado e domingo. Se impressionara com o seu jeito gracioso e delicado, com sua feminilidade, e também com sua beleza. Amanda era uma garota bastante bela, e Thiago era incapaz de ignorar isso.

Na noite do domingo, Thiago estava sentado no computador, quando Amanda chegou no quarto para se trocar. De uma forma bastante íntima, porém muito natural, Amanda tirou os shorts que usava, ficando apenas de calcinha, o que puxou a atenção de Thiago na hora. Ela estava de costas para ele, Thiago olhou a sua bunda, redonda e empinada, vestindo uma delicada calcinha rosa. Ela estava virada de frente para o guarda-roupas, onde havia um espelho na porta do meio. Thiago olhou para o espelho e viu a frente de Amanda. Apenas de sutiã e calcinha, ele pode ver o seu corpo magro e gracioso. Mas o que lhe chamara mesmo a atenção era a parte da frente de sua calcinha, onde Thiago pode ver claramente o pênis de Amanda por debaixo da roupa.

Amanda pegou Thiago olhando para ela, enquanto vestia a bermuda do seu pijama e a camisola. Seus olhares se encontraram pelo espelho e Amanda debochou de Thiago:

– O que foi? Nunca viu uma garota trans antes?

Thiago ficou desconcertado, desviou o olhar, voltou a focar a atenção no computador. Amanda deu uma risada para si mesma, e respondeu ao seu próprio comentário:

– É claro que não. Por isso que tu não tirou os olhos de mim né?

Ela passou por detrás de Thiago, empurrou sia cabeça levemente, apenas como uma jocosidade, e se deitou na cama sem sequer esperar uma resposta dele.

Os dias foram se passando, a companhia de Amanda foi ficando cada vez mais agradável a Thiago. Aos pouco se tornaram amigos, ganharam intimidade. Porém Thiago começou a ter outros pensamentos por Amanda. Em uma mistura de descoberta sexual e curiosidade, Thiago foi desejando cada vez mais Amanda, sem sequer se tocar disso. Ver todo dia aquela beldade, andando pela casa com suas roupas despropositadamente provocantes fazia a cabeça do jovem e virgem garoto. Sua curiosidade foi levada também para os seus momentos mais íntimos. Ele mesmo se pegou vendo um dia um filme pornô com travestis e se excitando com o que via. Mas apesar de tudo, achava que isso era somente uma paranoia da sua cabeça, e tentava esconder esse sentimento.

Mas o que ele não sabia era que Amanda também tinha os seus pensamentos por Thiago. Ela sempre gostou de garotos com cara de inocentes, e Thiago cumpria perfeitamente este papel. Tímido e fofo, Amanda também se pegou pensando em Thiago em alguns momentos. Porém, o que a idade lhe dava de experiência permitiu ela perceber aquilo que Thiago era capaz de enxergar. Ela via que Thiago lhe comia com os olhos, em qualquer situação que ele estivesse, Thiago sempre perdia o foco para olhar pra ela. No fundo, ela sabia dos sentimentos de Thiago. Essa sensação de ser desejada como Amanda ajudou a melhorar sua auto-estima, a superar o seu episódio quase trágico. Fazia ela se sentir melhor.

Um dia, Thiago entrou em seu quarto, e viu Amanda sentada na cadeira do computador. Ela estava a folhear o seu caderno de desenhos. O seu coração disparou ao ver aquilo, e ele só conseguiu dizer:

– O que você tá fazendo? Isso é meu, por que você está mexendo?

Amanda lhe apontou o olhar, mas fez pouco caso de sua indagação.

– Você desenha muito bem, viu? Por que você está tão preocupado assim? Um artista não gosta que os outros vejam o seu trabalho?

– P… Porque…

Thiago gaguejou, e antes que pudesse terminar, Amanda lhe cortou.

– Talvez porque tem muita coisa aqui que você não quer que os outros vejam. Como isso aqui.

Amanda virou o caderno para Thiago, e ele já sabia do que se tratava. Era um desejo que Thiago havia feito de Amanda, baseado na imagem que ele viu dela naquele dia em que ela se trocou na sua frente. Porém, diferente do que havia acontecido, o desenho era mais explícito. Nele, Amanda estava completamente nua, com os seus seios à mostra e também o seu pênis. Thiago ficou imóvel, sem saber o que falar.

– Você tem bastante imaginação garoto – Disse Amanda – Mas precisa melhorar um pouco, o meu pau não é assim não.

Ele ficou vermelho de vergonha. Ele se aproximou dela, com a mão esticando, querendo o caderno de volta. Mas Amanda tirou a mão, não deixando que ele pegasse.

– Você fica tão fofo quando está envergonhado.

– Amanda, por favor, devolva o meu caderno.

Amanda deu um sorriso, levantou da cadeira e lhe devolveu o caderno. Thiago pegou e já abriu a porta do armário e jogou o caderno lá dentro. Porém, quando ele fechou, olhou para Amanda pelo espelho novamente, e ela já estava sem camisa atrás dele.

– Você quer saber como eu sou né? Aposto que está morrendo de curiosidade. Seu caderno prova isso. Vem pra cá.

Thiago estava relutante, nervoso com a situação, mas ele não podia negar que ele queria exatamente aquilo que estava acontecendo. Ele se virou e caminhou até Amanda. Ela era um pouco mais alta que ele. Ela pegou a mão de Thiago e colocou em seu shorts.

– Pode tocar, não tenha medo.

Thiago tocou o seu pênis. Seu coração disparou. Nunca imaginara fazer algo assim antes, mas lá estava ele. Amanda se aproximara mais, seus corpos estavam um colado no outro. Amanda também passava a mão no pênis de Thiago.

– Você quer ver?

Amanda lhe perguntou. Thiago, acuado, só fez que sim com a cabeça. Amanda desabotou o short jeans e o desceu por completo até os tornozelos, junto com a sua calcinha. Thiago olhou um instante para o pênis dela, estava ainda mole, porém, deveria ter uns 12 centímetros, sem circuncisão. Ele olhou para aquilo e suspirou, tentando pegar um pouco de ar. Amanda peecebeu o estado em que se encontrava Thiago, um mix de excitação, curiosidade e nervosismo.

– Sua vez, deixa eu ver o que você tem aí.

Disse ela. Thiago usava uma bermuda de elástico, Amanda puxou a cintura dela, já enfiando a mão por dentro. Ela colocou a mão por dentro da cueca e já puxou para fora o pênis de Thiago. Seu pênis já estava levemente ríjido, tinha cerca de 16 centímetros e circuncidado. Amanda segurou ele em sua mão, mexendo devagarinho para frente e para trás. Ela olhou de novo para Thiago, em seus olhos ela viu o desejo de ele lhe possuir, e assim ela o fez. Lhe beijou a boca, consumindo o ato. Os pênis de ambos se tocavam por baixo, Amanda segurava os dois com a sua mão e masturbava.

Assim que Amanda sentiu o pênis de Thiago pulsando em sua mão, ela se virou. Apoiou os seus braços na escada da beliche. Ela colocou os dedos médios e anelar direitos em sua boca e depois os levou até a sua bunda, umedecendo o seu ânus, enquanto olhava para Thiago, provocando-o a lhe possuir.

– Pode ir. Eu sei que você quer.

Disse ela enquanto abria uma da aba de suas bundas, pedindo para Thiago que lhe comesse. Thiago estava nervoso, mas cheio de tesão. Jamais havia transado, essa seria sua primeira vez. Mas deixou a sua timidez de lado e enfiou dentro de Amanda. Ela sentiu aquele pau pulsando dentro de si, chegou a ficar na ponta do pé quando ele entrou por completo. Sentia dor, mas também sentia prazer. Thiago, ainda sem jeito, começou a meter com força em Amanda, tomado pelo desejo e o prazer que agora descobria pela primeira vez. Mas logo assim que começou, não conseguiu durar muito. Em pouco tempo, se contorcia o seu corpo, abraçado a Amanda, que se segurava na escada da beliche, seu esperma encheu Amanda, e depois que ele se retirou, escorreu pelas suas pernas. Ofegante, Thiago ainda processava o que acontecia. Amanda, que nem havia começado a saciar o seu desejo, queria mais.

Tratou de excitar novamente Thiago, ajoelhando-se em frente a ele e lhe chupando, até seu membro se enrijecer novamente. Transaram uma segunda vez, e no outro dia uma terceira vez, e dois dias depois uma quarta. As fugas sexuais dos dois haviam ficado recorrentes. Thiago com Amanda dava os seus primeiros passos em sua vida sexual. De um jeito que certamente nenhum de seus amigos havia experenciado. Amanda com Thiago se recuperava, crescia sua auto-estima, se aceitava mais. Ser desejada, possuída, amada, lhe fazia se sentir melhor consigo mesma.

Já durava seis meses essa aventura sexual entre os dois. Sempre que tinham a oportunidade de ficarem sozinhos, quando dona Raquel e Seu Rogério não estavam. Aproveitavam ao maximo para saciar o seu desejo. Naquela tarde, os dois adultos saíram para irem ao mercado. Thiago sabia que demorariam pelo menos uma hora para voltarem, tempo o suficiente. Ele entrou no quarto, onde Amanda estava sentada no computador, jogando.

– Eles já saíram?

– Já.

– Que bom. E aí, o que você quer fazer?

Disse Amanda para Thiago, enquanto tirava os fones de ouvido. Senta na cadeira do computador, ela já abria as pernas, instigando ainda mais Thiago, que já não se controlava. Thiago se ajoelhou em frente a Amanda, puxando a cadeira para ele até os dois ficarem o mais próximo possível. Segurando o rosto de Amanda com a mão direita e a coxa com a esquerda, Thiago lhe beijou. As mãos de ambos começaram a fazer os seus trabalhos. Amanda tirou a camisa de Thiago, e ele tirou o seu moletom, deixando somente o seu sutiã sobre a sua pele alva. Thiago beijou o seu pescoço e desceu o corpo de Amanda lhe beijando por completo. Suas mãos acariciavam as coxas de Amanda. Ainda era possível sentir as cicatrizes dos cortes, mas ele não se importava. Por debaixo da saia que Amanda usava, Thiago tirou sua calcinha. Ele olhou para Amanda, que com seus olhos dizia que estava pronta para ser possuída por ele. Ele pôs a mão por debaixo da saia, sentindo o que ali havia. Logo em seguida, ele levantou a saia, revelando o pênis de Amanda em sua mão, e sem alarde o colocou em sua boca.

Há pouco mais de dois meses, habia perdido de vez toda a vergonha que tinha pelo corpo de Amanda. Agora, chupava com vontade o seu pênis enquanto se masturbava. Adorava sentir Amanda se enrijecer dentro de sua boca enquanto olhava para ela e via ela se revirar de prazer.

Amanda se levantou da cadeira, onde Thiago se sentou. Agora, era vez de Amanda lhe chupar, sentir Thiago se enrijecer em sua boca. Thiago agora era outra pessoa, bem mais incisiva em seus atos, principalmente em seus momentos de intimidade, batia com o seu pênis no rosto de Amanda, que adorava ser tratada assim por ele.

Amanda se levantou, virou de costas. Thiago enfiou seu pau dentro de Amanda, que sentou bem devagar até entrar por completo. Thiago lhe abraçou, segurou em seus seios, depois em sua cintura, e conduziu o seu rebolado. Depois conduziu Amanda, subindo e descendo, sentando com tesão nele. Amanda, enquanto sentava, também se tocava, aumento ainda mais o seu prazer. Em seguida, Thiago lhe pegou pelo braço e lhe jogou na cama.

– Fica de quatro, safada. – Ordenava ele. Amanda, fez exatamente o que seu jovem amante lhe pediu.

Thiago continuava a meter, segurando a cintura de Amanda. Amanda gritava de tesão, pedia para Thiago ir mais forte. Ele lhe dava tapas em sua bunda, que logo ficara toda vermelha por sua pele sensível. Amanda continuava a se masturbar, e logo gozou, molhando seu próprio lençól. Thiago não demorou tanto. Quando sentiu que não iria conseguir segurar mais, tirou o seu oau de dentro de Amanda pegou ela e colocou o seu rosto bem perto do seu pênis, e se masturbou até expelir o seu esperma todo no rosto de Amanda. Ele a sujou toda, com seu gozo espesso e quente, mas ela tratou de se limpar bem, lambendo tudo.

Aquela foi mais uma das tantas vezes em que os dois se amaram intensamente. Essa paixão proibida e louca durou cerca de 8 meses. Até que Amanda recebeu uma oportunidade de emprego de volta para São Paulo. Amanda e Thiago se encontraram novamente outras vezes, em outras oportunidades, como reuniões em família, mas bunca mais reacenderam o tesão entre os dois. Cada um seguiu a sua vida, mas Thiago nunca irá se esquecer de Amanda, e Amanda nunca se esquecerá de Thiago.

17637 views

Contos relacionados

Eu minha esposa e uma travesti

Enviado por: JR Ola pessoal meu nome é junior .. Minha esposa vou chama aqui de G , bem eu e a G somos casados a 4 anos mas ja tamos juntos a 7 ... E confesso que eu tive um tesão enorme por...

LER CONTO

Como eu perdi a virgindade com uma trans

Eu tive vontade de escrever essa história pois considero o jeito de como eu perdi a minha virgindade bastante exótico, e nunca li nenhum conto em que tenha algum caso parecido com o meu (se alguém...

LER CONTO

Encontrando minha prima trans pela primeira vez

Era verão de 2006. Estávamos viajando para São Paulo, para a casa dos meus tios. Nós não os víamos há mais de 5 anos, desde que eles se mudaram para lá. Porém, essa viagem era mais...

LER CONTO

Meu melhor amigo travesti (parte 3/final)

Como falei nas partes anteriores essa história se passou em janeiro de 2019 e no desenrolar da história o, até então, Eduardo conseguiu um estagio em Campinas, para começar em fevereiro de 2019...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • samuel 14/11/2021 23:19

    gostei! um conto que a gente tem vontade de que acontecesse conosco.

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 5 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2022 - Contos adultos