website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de incesto » Realizei um sonho, mas pesou a consciência.

Realizei um sonho, mas pesou a consciência.

Publicado em janeiro 1, 2023 por Guilherme

Fala galera, beleza?
Vou escrever uma lembrança aqui, mais como terapia, por ter me dado maior peso na consciência.

Passei uns dias lendo histórias parecidas pra tentar entender se eu estava tão errado e acho que é “normal”. Bem, aos fatos.
Sou casado a 12 anos e minha esposa filhos e eu moramos em uma grande casa, dividida com mais 2 irmãs dela, pai e 1 sobrinha em um perfeito convívio. Em resumo, vou citar só os protagonistas dessa história pra não ficar muito cansativo.

A sobrinha, Michele, moreninha perfeita! 17 aninhos, com todos os atributos de mulherão, gostosa demais!!! Brinco entre os mais fechados que é minha Monalisa. Obra de arte só pra olhar, nem chegar perto.
Convivo com essa menina desde os seus 5 anos e vi o desenvolvimento dela de perto e sempre admirei a beleza dela. Corpo, rosto, muito jeitosinha. Perfeita de verdade!

Sempre tive um receio ferrado de transparecer minha admiração por ela, mesmo que sem nenhuma intenção. Achava que a interpretação poderia ser negativa. Olhava disfarçado, as vezes saia de perto quando ela ia pra piscina com o rabão coberto por um micro biquini… Evitava pro diabo não atentar. Mas a punheta escondido era certa!

Às vezes até acho que ela me provoca, com roupas curtas, decotão, shortinho soltinho e pequeno. Minha esposa e cunhadas (1 sendo a mãe dela) vira e mexe chamam atenção dela, por causa das roupas. Eu finjo que ne vejo. Disfarço sempre, mas sempre admiro, de rabo de olho, escondidinho… Ela já me flagrou olhando pra ela algumas vezes. Por isso acho que ela faz de propósito, mas acabo deixando quieto, achando que é coisa da minha cabeça.

O fato aconteceu 1 semana antes do Natal. Na correria de resolver tudo, comprar um montão de coisas de ceia, presentes e tudo mais, minha esposa e suas irmãs quase todo dia iam ao mercado ou comércio e não raro demoravam pra voltar. Normalmente minha esposa levava nossa filha mais nova, ficando só eu e meu filho. Eu trabalho em regime home office e meu filho nunca gostou dessas idas à mercado, lojas… Enfim. Às vezes Michele ficava também, alegando cansaço. Em uma dessas vezes, estavam ela e meu filho na piscina e eu no escritório ainda trabalhando. As mulheres da casa e meu sogro saíram um pouco depois do almoço. Já imaginei que iriam voltar já a noite. Estava um calor absurdo, desci pra molhar as pernas na piscina, sei lá, dar um refresco. Meu filho estava na sala jogando vídeo game. Na beira da piscina estava minha sobrinha, deitada de bruços, com aquele monumento de bunda pra cima. Caralho, me perdi! Perdi o senso totalmente. Ia me aproximava por trás dela, tendo a visão entre as pernas dela, com aquele cu e aquela bucetinha deliciosa cobertos por um micro biquininho. Pau duro quase instantâneo! E eu com um short folgado, tipo de futebol e sem camisa. Formou um volume considerado, porque sou abençoado por Deus no quesito pau. Sempre muito elogiado e várias vezes tive cuzinhos negados por medo de eu rasgar com meu pau. Beleza… Fui chegue perto e sentei na beira da piscina, próximo a ela, estrategicamente atrás, pra continuar com aquela visão do paraíso!

Quando ela me viu, virou de barriga pra cima e começamos a conversar, me deixando com uma certa impressão de uma certa maldade por parte dela, mas eu achando que poderia ser coisa da minha cabeça tarada.

– Nem você resistiu esse calor, né?

– Tá foda! Muito quente, perco o raciocínio.

– Normal… Fácil perder o juízo com esse calor também, rsrsrs.

– Eu forço pra não perder o juízo, mas me distraio mais fácil. Tenho que ter forças pra manter a sanidade. Posso acabar fazendo merda.

– Ah, relaxa. Às vezes é até bom fazer uma merda.

Ela falou isso abrindo as pernas, deixando a buceta mais exposta, de fato só com o micro biquini tapando. Impossível não dar uma encarada quase babando! Fiquei de boca aberta com aquela delícia toda a 1 metro de distância.

Segundos depois me bateu sanidade, virei a cara e me joguei na piscina pra esfriar a cabeça. Saí com o short colado por estar molhado, deixando um imenso volume aparente do meu pau duraço! Olhei pra ela que disfarçadamente olhava pro volume do meu short e virava a cara. Entrei de novo pra terminar o trabalho. Quando terminei, por volta das 17h, recebi uma mensagem da minha esposa, pedindo pra eu preparar a churrasqueira, que elas iriam trazer algumas carnes pra um churrasco no lugar do jantar. Pedi pra Michele me ajudar varrendo a área, enquanto eu tirava as sujeiras de dentro da churrasqueira. De vez em quando nos esbarrávamos quando eu ia virar o lixo na lixeira no canto e ela varrendo no meio. Numa dessas esbarradas, encaixou perfeitamente meu pau na bunda dela. Tive a impressão que ela deu uma empinada. Demorei um pouquinho pra processar a informação até desencostar meu dela. Olhei pra cara dela, que tinha uma expressão séria, levemente com tesão. Mais uma vez pensei ser impressão ou delírio da minha cabeça. Passei de novo e confirmei que ela empinou dessa vez. Propositalmente demorei mais ainda pra descolar, deixando ela sentir bastante meu pau, que já estava estalando de novo. Na terceira esbarrada, coloquei a mão na cintura dela. Ela, por reflexo, jogou a cabeça pra trás, encostando no meu peito, empinando mais ainda a bunda. Dei um beijinho no pescoço dela, deixando ela arrepiada e falei no ouvido dela:

– Faz isso não que eu perco a linha.

– É? Eu já perdi a muito tempo.

Aí eu a virei e colei minha boca na dela. Um beijo delicioso, apaixonado. Uma boca de mel, maravilhosa!!! Delírio máximo estar com minha Monalisa nas mãos. Delirei deslisando minhas mãos no corpo dela. Pescoço, costas até chegar a bunda. Meus amigos… PUTA QUE PARIU!!!!
Que bunda gostosa! Que pele, que consistência! Indescritível! Viagem total!!!!!! Foi a hora do foda-se qualquer pudor. Esqueci quem eu era e quem ela era. Só tesão ali. Uma mulher deliciosa nas minhas mãos. O beijo ficou mais intenso e muito mais gostoso, entregues completamente um ao outro. Apertava a bunda dela, ela rebolando de leve, esfregando a buceta no meu pau. Deslizei minha mão devagar pra frente, chegando na bucetinha. Passei carinhosamente por cima do biquini, fazendo ela tremer de leve, ainda me beijando. Passei meu dedo médio bem devagar dentro do biquini chegando enfim ao delírio da buceta mais gostosa que eu já encostei. Melada, quentinha, lisinha… Enfiava o dedo com todo carinho, esfregava o clitóris, querendo que fosse tudo o mais perfeito possível pra agradar aquela Deusa. Ela com a boca colada na minha, abria pra um gemido silencioso, beijava com mais intensidade, abria a boca de novo… Falou entre os beijos:

– Como eu queria isso!

– Eu também. Só faltava coragem de te encostar sem que você tivesse medo de mim e sem ninguém saber.

– Te desejo a muito tempo. Estava doida pra sentir você colado em mim.

Peguei sua mão e coloquei no meu pau. Ela apertava, esfregava a mão, ainda por cima do short. O clima só esquentando, levantei ela pela bunda e coloque sentada na pia da churrasqueira. Tirei a canga dela, beijava e lambia o pescoço e o colo enquanto desamarrava a parte de cima do biquini dela. Ela terminou de tirar, expondo aquela obra de arte de peitos. Que coisa mais linda! Nem deu pra pensar. Lambi, chupei, mordi, passa a língua com o maior carinho e gosto do mundo nos biquinhos. Levei a mão em sua buceta de novo, pingando, fervendo! Também sem conseguir pensar muito, tirei a parte de baixo do biquini, enfim tendo encontro a buceta mais linda, gostosa e desejada por mim! Cai de boca carinhosamente, querendo ser o melhor da vida daquela perfeição de mulher.

Beijava, lambia, enfiava minha língua, brincava com a língua no clitóris e não demorou nada, ela gozou em espasmos fortes! Gemendo baixinho, delirando com o orgasmo.

– Gostoso! Caralho, que delícia! Você é muito melhor do que eu achava que fosse…

Subi beijando o corpo dela até chegar a sua boca de novo, em mais um beijo cada vez mais apaixonado, já com meu pau pra fora do short. Beijava e pincelava a buceta dela com o pau e ela rebolando, sentindo meu pau na entradinha da buceta, jogando o quadril pra frente, pra fazer meu pau entrar. Fui enfiando devagar. Cara, não tem como externar a sensação de sentir meu pau entrando naquela buceta. Simplesmente a melhor!

Em menos de 10 minutos, naquele amor gostoso (amor mesmo, sem demagogia. Era só pra dar prazer nessa primeira vez), ela teve outro forte espasmo se tremendo inteira, gozando de novo, me levando ao delírio e me fazendo gozar dentro dela.

Ainda continuamos colados, meu pau dentro dela, nos beijando apaixonadamente.

Saí de dentro dela, fazendo um carinho em seu rosto. Ela me olhando nos olhos com um brilho a mais, feições felizes, satisfeitas. Mais linda ainda! Levantou da pia, fez um carinho no meu rosto um beijinho no lábio e entrou. Continuei a limpar tudo, leve e extremamente feliz com a realização.

O problema é quando o sangue esfria e vem todo o peso na consciência. Já me remete todo o tempo em que vi aquela menina crescer, respeito pela mãe dela, minha esposa e toda a família. Ne deixei levar pelo desejo. Amei tudo que aconteceu, mas ainda me aperta essa consciência. Fiquei bastante tenso com isso.

Todos chegaram, fizemos nosso churrasco e vida seguiu como se nada tivesse acontecido. Michele voltou de banho tomado, numa roupinha casual, leve soltinha… Normalmente deliciosa, com um brilho a mais. Ninguém percebeu nada e ela também agiu normal. Tudo igual, com a única exceção Michele, que passou a me tratar mais carinhosa, sempre com todo cuidado pra ninguém perceber nada.

Veja outros contos de Contos de incesto e bem gostosos logo abaixo:

Casos de Família 01 - O Contrato (O sonho de uma vida).

Tia, meu único amor

40425 views

Contos Eróticos relacionados

Na casa do sitio com minha prima casada

Meu nome é valmir, tenho 40 anos sou alto , corpo atletico, e me considero monito! Eu enho uma prima que se chama Márcia. Ela é casada, loira, baixinha, seios grandes, bunda bem redondinha,...

LER CONTO

Transando com a prima da minha esposa – Parte 4

Enviado por: Fábio Como já relatei em 03 contos anteriores mantenho um relacionamente extra conjugal com a esposa do primo da minha mulher. Daiane é uma moreninha linda de rosto, seios pequenos,...

LER CONTO

SEGREDO DE FAMILIA

Meu nome importa? Se isto importa, chamo-me João Caio. Quando eu era criança, era uma criança como qualquer outra. Nasci em 1989 em Curitiba e eu tive uma sorte danada de crescer em uma época onde...

LER CONTO

CAPÍTULO 6 – UM FINAL DE ANO DOS SONHOS… CONHECENDO O LADO SAFADO DA PRIMINHA DANI

Ah o final de ano... Minha época preferida, pois é quando tenho todas as comidas que mais amo juntas!!!! Bom no final do ano de 2011, fomos comemorar (como já era de costume) essa data na casa...

LER CONTO

4 - Comentário(s)

  • TAIS DE ALMEIDA GONTIJO 26/01/2023 02:09

    Serviços de interiores

  • Augusto Storck 18/01/2023 14:21

    delícia de conto! tenho um tesão em uma ..................... só que tenho medo.

  • Spaik 05/01/2023 13:43

    Nossa que conto exitante. Tenho uma sobrinha que me dar mole. Sempre que nos encontramos nas festinhas da família, ela faz de tudo para pegar no meu pau. Hoje ela é casada. Não tive coragem... Já homenageia algumas vezes...

  • Guto 02/01/2023 21:35

    delícia de conto! tenho um tesao em uma sobrinha só que tenho medo.

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 2 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2023 - Contos adultos