website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de incesto » FUI MULHER DO MEU PAI POR ALGUNS ANOS…

FUI MULHER DO MEU PAI POR ALGUNS ANOS…

Publicado em janeiro 30, 2024 por FANTASMA

Zuleica, 35 anos, casada com um engenheiro sócio de uma construtora civil tenho uma vida bastante tranquila, e mesmo amando meu marido gosto de ser bem abusada na hora do sexo. Estranho é que quando namorávamos, ele deixava eu mamar no seu pau e chegou a meter na minha bunda algumas vezes, mas depois de casados ele passou a querer fazer sexo só do tipo papai-e-mamãe… Acabei arrumando um amante pra me saciar na cama.  Mas vou voltar uns 23 anos atrás quando já vivia somente com meu pai após a perda da minha mãe. Já tinha se passado mais de 2 anos, e o meu medo era saber que meu pai cedo ou tarde ia acabar se casando novamente. Ficava feliz quando ele chegava do serviço e a mulher que trabalha em casa ia embora… Adorava ficar abraçadinha com ele no sofá assistindo TV. Ele nunca trancava seu quarto, e me recriminava quando eu entrava sem bater… Principalmente o dia em que o peguei só de cueca deitado na cama lendo um livro.

– Pô Zuleica, e se eu tivesse pelado, hein?

– Ah pai… Não vejo problema nenhum!

– Não? Você está ficando é muito abusada e vou acabar tendo que te dar umas palmadas!

Adorei vendo-o colocar o livro de lado me chamando pra lhe dar um abraço. Sentei na beirada da cama jogando meu corpo sobre seu peito, com ele me envolvendo nos seus braços e me dando um beijo e uma palmadinha na bunda.

– Promete que vai bater na porta da próxima vez?

– Tá bom pai… Prometo sim!…

E cheguei a bater na porta algumas vezes, mas sem qualquer maldade as vezes entrava de supetão no seu quarto, até um dia que entrei de repente flagrando-o deitado totalmente pelado. Fiquei paralisada e ele rapidamente puxou o lençol se cobrindo.

 

– Desculpa, tá?

– Eu avisei né? Um dia isso ia acabar acontecendo!

Muito sem graça fui me aproximando.

– Só vim te dar boa noite!

Ele pediu pra chegar perto, e após abraços e beijos novamente deu um tapinha na minha bunda.

– Vai dormir, vai!

Fiquei em pé, e antes de sair notei que algo estava levantando um pouco o lençol… Rapidamente deduzi o que estava acontecendo. Semanas depois, ele estava tomando banho quando ouvi ele me chamando; me aproximei da porta do banheiro com ele apenas colocando o rosto pra fora me pedindo pra pegar sua toalha que estava pendurada na área. Voltei, e quando cheguei na porta ele simplesmente abriu me deixando vê-lo completamente nu e de pau duro.

– Obrigado filha!

– De nada!…

Fui percebendo que meu pai passou a gostar de que eu o visse pelado, e constantemente o via saindo do banheiro completamente nu indo pro seu quarto… Algumas vezes ele passava já de pau duro. Um dia quando ele passou pelo corredor depois do banho pelado, resolvi entrar em seguida no seu quarto vendo-o deitado sem nada sobre seu corpo. Quando ele me viu parada na porta, novamente puxou o lençol cobrindo sua nudez, deixando nitidamente aparecendo o volume sob o lençol.

– O que foi filha?

– Nada pai!…

– Vem cá, vem!…

Sentei na cama e ele me perguntou se gostaria de entrar embaixo do lençol. Rapidamente entrei com ele me puxando num abraço me fazendo colocar meu rosto sobre seu peito. Por baixo do lençol ele acariciava minhas costas puxando minha camiseta pra cima indo direto com a mão sobre minha pele.

– Não tá usando sutiã, filha?

Eu que tinha peitinhos pequenos parecendo duas maças e quando usava era só pra me sentir mais adulta.

– Gosto de dormir sem!…

– Ah é? E eu posso colocar a mão neles?

Foi nesse momento que tudo ia começar. Consenti ficando numa posição melhor pra ele alcançar meus peitinhos por baixo da camiseta. Quando senti ele apalpando e passando o dedo sobre o biquinho sensível.

– Ui pai!…

– O que foi?

– Nada, tô gostando!…

Foi quando ele tirou o lençol de sobre nossos corpos, e se posicionando do meu lado fazendo seu pau duro encostar na minha perna.

– Deixa eu ver como eles são?

Deixei, e ele acabou puxando e tirando minha camiseta. Ele olhando pros meus peitinhos foi reclinando até encostar a boca e começar a chupar os biquinhos alternadamente. Ele parou.

– Tá gostando?

– Muito!…

– Deixa o papai tirar seu short?

Sentia meu coração batendo forte, e em menos de um minuto estava peladinha com ele abrindo minhas pernas pra ficar olhando minha periquita. Primeiro ele levou a mão passando os dedos me fazendo ficar toda arrepiada, pra em seguida voltar a reclinar beijar e começar a passar a língua na minha rachadinha.

– Ui! Ui! Uuuuiiiiii!!!!!…

Em poucos minutos fui sentindo algo tão gostoso dentro do meu corpo que parecia que algo ia explodir… Sem saber estava tendo o meu primeiro orgasmo. Depois me fez ficar abraçada com ele de frente, fazendo seu pinto duro no meio das minhas pernas ficar roçando minha bucetinha que estava toda molhadinha. Ficou fazendo vai-e-vem usando sua mão na minha bunda pra me puxar. De repente ele parou e ficando ajoelhado entre minhas pernas começou a gozar muito sobre mim lambuzando meus peitinhos e barriga. Me pegou no colo me levando até o banheiro onde ele mesmo me deu um banho, me enxugando e voltando comigo pra sua cama me dizendo que ninguém poderia ficar sabendo o que tínhamos feito. Ficamos deitados (pelados) por vários minutos, até eu ter coragem pra levar a mão no seu pinto e começar a fazer carinho. Não demorou pra ele começar a crescer na minha mão, e com ele bastante duro continuei fazendo movimentos… Sem saber estava punhetando meu pai. Ele segurando meu rosto e me dando um beijinho na boca.

– Dá um beijinho nele, dá!

– No seu pinto?

– É filha!…

Como já tinha ouvido falar sobre mulher fazer sexo oral no homem, acho que por instinto dei alguns beijinhos, passei a língua na ponta como se fosse sorvete e muito sem jeito chupei a piroca do meu pai, que uivava de prazer até começar a soltar seu gozo segurando minha cabeça me obrigando a engolir até a última gota. Meia hora depois ele novamente foi com a cara no meio das minhas pernas pra novamente chupar minha xoxota e ficar cutucando a ponta da língua bem na portinha.

– Uii! Uuuuiii! Chupa pai! Chuuupa!…

Além de chupar ele esfregava o dedo entre os lábios vaginais que logo eu estava também uivando de prazer, sentindo o que seria o meu segundo orgasmo. No dia seguinte ele chegou em casa, e ali mesmo no sofá foi tirando minhas roupas, e após ele também ficar pelado começou me beijando na boca, chupando meus peitinhos e esfregando seu dedo na minha xoxota. Quando segurei seu pinto, ele parou e me olhando.

– Papai vai enfiar ele na sua bundinha, tá?

Sabendo exatamente o que ele estava dizendo, mas sem noção de como seria, concordei e ele me mandou ficar de quatro sobre o sofá. Vi quando ele pegou uma bisnaga e ficou passando algo sobre seu pau, e de outra bisnaga tirou um pouco do conteúdo e foi passando em torno do meu cuzinho e até um pouco pela borda introduzindo a pontinha do dedo. Comecei a sentir um calor intenso no meu cuzinho, e quando ele colocou seu pinto e começou a empurrar senti entrando mais sem nenhuma dor. Ele ficou igual um cachorro em cima da cachorra fazendo movimentos de vai-e-vem.

– Ooooohhhhh filha, que cuzinho gostoso!!!…

Mas mesmo com meu cuzinho anestesiado, sentia nitidamente seu pinto fazendo movimentos dentro da minha bunda.

– Vou gozar filha… Oooohhhh! Oooohhhhh!!!!!…

Ele ficou parado com tudo enfiado e despejando todo seu gozo dentro de mim. Na segunda vez que ele foi comer minha bundinha comigo de quatro sobre sua cama, primeiro ficou esfregando seu pinto na minha bucetinha por vários minutos antes de enfiar no meu rabo. Por algum tempo, só ficávamos chupando um ao outro e ele socando no meu cuzinho e me enchendo de porra… As vezes eu chegava a ter orgasmos com ele metendo na minha bunda. Mas notava que ele ao ficar esfregando na minha bucetinha chegava a cutucar na portinha, mas acabava desistindo de enfiar seu pau em mim. Passei a desejar me entregar completamente pro meu pai, mas ele se negava tirar minha virgindade. Um dia, já entrei no quarto dele peladinha, ele deitado só de cueca, dei-lhe vários beijos antes de eu mesma puxar sua cueca fazendo seu pau duro ficar reto apontando pra cima. Ficando em pé com ele entre minhas pernas, virada de frente pra ele fui me abaixando até encostar minha bucetinha na ponta do seu pau… Comecei a esfregar e dar socadinhas com ela fazendo seu pau resvalar entre os lábios vaginais.

– Cuidado filha, não faça isso!…

– Mas eu quero pai, eu quero ser sua mulher!

Soltei meu corpo com mais vontade que senti seu pau quase entrando.

– Enfia pai, enfia ele em mim!…

Ele me jogou deitada na cama, abriu minhas pernas e veio com seu pau na direção da minha bucetinha. Encostou e começou a forçar até que senti minha bucetinha ardendo.

– Aaaaiiii! Aaaaiiii!…

Ele reclinou o corpo, e beijando minha boca deu uma socada mais forte fazendo seu pau entrar todo. A dor e a ardência foi dando lugar a um prazer tão grande que abracei seu corpo com minhas pernas.

– Aaaahhh! Aaaahhh! Mete pai, meeete! Oooooh queeeee delíiiiiiicia!…

Ele socou por alguns minutos me dando um prazer que eu jamais poderia imaginar… Acabei gozando pela primeira vez com a piroca do meu pai toda enfiada na minha buceta, pra logo em seguida ele tirar e soltar todo seu gozo sobre minha barriga. Passei a trepar constantemente com meu pai, que usando camisinha me fodia sem medo… Mas muitas vezes, tirava da minha buceta, tirava a camisinha e terminava gozando dentro da minha bunda. Fui crescendo e de tanto sair com minhas amizades do colégio acabei arrumando namoradinhos… Mas era em casa que eu uivava de prazer sendo fodida pelo meu pai. Fui me casar aos 25 anos, quando meu pai também arrumou outra mulher  pra viver com ele. Morando longe do meu pai e sentindo falta de fazer sexo sem limite, acabei tendo a necessidade de arrumar um amante.

Leia outros Contos de incesto bem excitantes abaixo:

Pra não perder o marido deixo ele fuder minha filha

No calor e na carência

69459 views

Contos Eróticos relacionados

Irmã caçula safada

Minha irmã caçula desde novinha gostosa e safada, sempre gostou de sacanagem. Bem, vou contar quando comecei a fuder minha irmã caçula deixando ela viciada em dar o cuzinho. Na época...

LER CONTO

No calor e na carência

Ola me chamo Raquel. Já faziam alguns meses que havíamos perdido nossa avó, querida. Após o falecimento da vovó, minha mãe ficou mais freqüente em ajudar meu avô, na casa de cima,...

LER CONTO

A Mais Putinha Da Família

A Mais Putinha Da Família

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Comendo Cuzinho Caipira

Comendo Cuzinho Caipira

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Comendo Cuzinho Caipira

Comendo Cuzinho Caipira

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

CAPÍTULO 8 – APROVEITEI O FIM DO RELACIONAMENTO DA KAROL

Os meses se passaram e já estávamos em abril.... Continuei minha La Vida Loka com a Kiany (sempre que era possível, rolava algo... Desde uma bela chupada, até transar rápidas, mas que não...

LER CONTO

MINHA FILHA HELENA…

Vou usar o nome de Fernando neste conto. Aposentado, 67 anos, separado a 3 anos, com minha EX vivendo com outro homem e morando em outro Estado. Um filho casado morando nos Estados Unidos e uma filha...

LER CONTO

COMO CONVENCI O VOVÔ A ME DAR UM CELULAR NOVO

CONVENCENDO O VOVÔ A ME DAR UM CELULAR NOVO Olá, sou a Carolina, ou Carol para os íntimos, sempre fui uma garota safadinha, perdi minha virgindade recentemente com um dos meus primos do...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • Enilda 03/03/2024 22:01

    Qual seu insta @?

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 5 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos