Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos picantes » Acordei com o cuzinho sendo estourado

Acordei com o cuzinho sendo estourado

Publicado em julho 18, 2021 por Anita

Depois de 2 anos namorando. Começaram as brigas. Discussões infundadas, um gritando com o outro. Coisa de louco. Ainda assim nunca deixávamos de resolver tudo na cama. A raiva servia de combustível. O que deixava o sexo bem melhor.

Porém naquela noite, por algum motivo que agora não me lembro qual, não transamos. Emburrada e com a buceta se revirando de tesão virei de lado e adormeci. Aquele homem era insaciável, uma coisa que me incomodava as vezes. Olha! Não estou reclamando era muito bom, só que muitas vezes transavamos tanto que minha buceta ficava assada, inchada, com o clitóris pulsando e o vão da bunda queimando de tanto bater as bolas dele nela.

Continua depois da publicidade

No meio da noite, acordei com um barulho. Mas não me mexi, não me movi, só parei e escutei para ver de onde vinha. Escutei um gemido baixinho e pelo barulho meu namorado se masturbava bem ali do meu lado. Minha buceta umedeceu na hora. Comecei sentir meu coração pulsar na buceta. Mas eu não me mexi. Continuei ali parada.

Me virei discretamente como quem se move ainda em sono profundo e permaneci de virada de bruços. Como parte da punição dormi sem calcinha aquele dia, só com um shortinho branco de cetim. Com um vão do olho aberto eu vi ele segurando o celular e na tela uma loira bem peituda gemia a cada enfiada de um pau grande e grosso no cu dela, ele se masturbava como um louco. Eu me acendi por inteiro. Meu corpo esquentou, meu clitóris começou a latejar. De repente ele colocou o celular do lado encostado no criado mudo que era colado ao lado da cama. De uma forma que ele pudesse continuar vendo a loira sendo estourada pelo cu. Com uma mão ele ainda se masturbava e a outra passava levemente na minha bunda. A cada gemido da loira era o meu cu que piscava. A passada de mão já não era mais uma passada de mão. Ele começou a puxar o shortinho de cetim para o lado, e começou a passar a mão no meu cuzinho.

Foi ai que ele começou a diminuir o ritmo na masturbação, dava para perceber que quando ele sentia que iria gozar parava. Sempre que ele parava ele enfiava o dedo no meu cuzinho. Que naquela altura do campeonato com certeza devia estar piscando. O cara colocou a loira de quatro e montou nela como um cavalo e começou a meter com brutalidade. Ela se retorcia a cada estocada. E o dedo do meu namorado afundava mais um pouco no meu buraquinho. De repente só escutei o gemido da loira. Ele parou de tocar uma. Começou a tirar meu shortinho. Como eu não sou boba nem nada. Dei uma levantadinha para ajudar, mas continuei fingindo que estava dormindo. Ele pegou o lubrificante que ficava na gaveta do criado mudo. Lambuzou bem o meu cuzinho e em seguida o próprio pau. Várias coisas começaram a passar na minha cabeça. O tesão me fazia tremer um pouco. Talvez ele pensasse que fosse por causa do frio.

Continua depois da publicidade

Se ajeitou em cima de mim e enfiou a cabeça do pau no meu cu. Senti meu cu sedento sugar a cabeça. Novamente se ajeitou. E enfiou o restante. Foi nessa hora que eu explodi. Senti uma dor imensa, como se eu estivesse sendo rasgada por aquele pau de 21 cm grande e grosso. O pau dele pulsava de tesão e a cada latejada ele me rasgava mais. Eu já não fingia mais. Comecei a me masturbar enquanto ele comia meu cu com gosto, com desejo, me punindo pela briga, me punindo por deixa-lo sem transar. Pela forma que ele me comia eu sentia sua raiva sendo descontada ali, mas eu não me importava. Só sentia tesão. Bem safada comecei a falar que estava doendo, o que não deixava de ser verdade, só que era uma dor suportável.

Entretanto eu comecei a gemer e dizer que ele estava me rasgando, que era pra tirar. Mentira. Eu queria que ele se sentisse no controle. Ele puxou o meu cabelo com uma mão, inclinando a minha cabeça pra trás com o movimento. Com a outra mão ele tapou minha boca. E disse “Quietinha! Só mais um pouquinho e vou te encher com meu leitinho.” Continuou metendo, cada vezes mais forte. Comecei a tremer e a sentir meu orgasmo vindo. Eu estava entregue, meu cu já estava aberto engolindo aquele pau todinho. Quando ele sentiu o meu orgasmo chegando aumentou a intensidade, começou a estocar cada vez mais forte, como eu já não aguentava mais gozei. Gozei bem gostoso com aquele pau enfiado no meu cu. Em seguida senti seu pau latejar e o jato de leite transbordar dentro de mim. Finalmente ele tirou o pau. Ainda duro e latejando. Me virou de frente e começou a me beijar. Um beijo desesperado, sedento. Pegou um dos dedos e enfiou na minha buceta molhada. Meu mel se misturava com o gozo que tinha escorrido do cu.

Começou a me masturbar. Enfiava o dedo em mim de um jeito tão bom que comecei me retorcer. Que tesão. Porra! Caralho! Que tesão! Falei pra ele bem baixinho “ Eu quero pau, quero mamar no meu pau.” Ele me virou de um jeito que conseguisse continuar me masturbando e colocar o pau na minha boca. Comecei a mamar naquele pau delicioso, pulsando por mim, continuei chupando e masturbando ele tb. Tirei ele da boca, passei a língua em volta da glande, passei a língua naquele pau todinho como se eu estivesse chupando um picolé, chupei mais forte. Enquanto eu chupava ia dando umas viradas na cabeça o que fazia um movimento de vai e volta dentro da minha boca, quando percebi que ele ia gozar tirei da boca e esfreguei aquele pau, meu pau na minha cara todinha, esfregando bem gostoso. Eu já estava prestes a gozar. Meu Deus! Como ele consegue fazer isso só com o dedo pensei. Agora era o meu momento, ia fazer ele jorrar até a última gotinha da sua porra na minha boca.

Comecei a engolir o pau dele inteiro, aumentei o movimento da chupada, engolindo, masturbando, chupando. Senti aquele leite grosso enchendo minha garganta. Um leite quentinho. Como uma boa safada engoli tudinho. Ele tirou o dedo da minha boceta e colocou a língua. Começou a me comer com a língua. Chupava o meu clitóris. Fiquei louca. Meu corpo começou a esquentar cada vez mais. Puxei o cabelo dele forçando a língua dele mais fundo. Comecei a rebolar e o tesão me invadir enquanto o meu macho me dava a chupada mais gostada de todas. Puxei mais a cabeça dele. E explodi. Gozei na boca dele. Ele tirou a cara toda babada da minha boceta, deu um sorriso malicioso. E finalizou com um pedido de desculpas. Foi o pedido de desculpas mais gostoso que eu poderia receber. Deitei de lado e ele se encaixou atrás de mim e apagamos.

8604 views

Contos relacionados

A ex do sobrinho

Bom nessa história irei me chamar A., tenho 34 anos e essa história foi muito louca que até hoje não sai da minha mente. Meu sobrinho tinha uma namorada mais nova que ele, que por sinal que...

LER CONTO

Uma Viagem Inesquecível – Parte 2

Uma Viagem inesquecível - Parte 2   Essa história continua depois de voltarmos da viagem a Ubatuba; eu, Linda e Marcos. Chegamos todos em casa num clima de que nada tivesse acontecido, a...

LER CONTO

O Melhor Verão da Minha Vida

O Melhor Verão da Minha Vida Essa história já completa 25 anos de idade, mas eu nunca esquecerei nenhum detalhe do que foi o melhor verão da minha vida. O ano era 1996, eu e meus amigos, Jorge,...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 4 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2021 - Contos adultos