website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de fetiche » No serviço – Parte 2

No serviço – Parte 2

Publicado em maio 1, 2022 por J. R. King

Esta semana que passou foi plena.. Entre chefe.. Fernando.. Marido..

Realmente nem sei por onde começar.. Ou até sei

Começar por terça feira com o meu chefe, na repartição.

Cheguei ao trabalho um pouco mais cedo do que o do costume, tendo levado vestido uma blusa um pouco larga que em certas posições me fazia realçar os bicos das minhas tetas.. Não levei soutien.. Saias destravadas por cima do joelho, que sentada permitiam uma boa visão das minhas coxas.. meias pretas e sapatos de cunha..

Sabia que ele também costumava chegar mais cedo …

Já tinha pensado na estratégia que iria adoptar com ele..

Esposa arrependida.. Mas que tinha gostado.. Meio tímida meio oferecida… Querendo devolver o dinheiro…

Quando cheguei já ele lá estava e assim que me viu chamou-me ao gabinete sorrindo.. Sorri docemente.. Que sim.. Que ia já.. Só tempo de tirar o casaco e largar a mala.. E sem ele dar por isso ajeitar a blusa fazendo com que os meus bicos rijos e espetados se fizessem notar..

 

Fui devagar, queimando tempo, porque queria que os outros colegas começassem a chegar.. Só para lhe dar uma pequena amostra do que ele iria ter..

Quando entrei no gabinete dele, aproximou-se, segurando minha mão puxando-me contra ele, tendo eu resistido um pouco dizendo que tínhamos de falar sobre o que tinha acontecido, mas acabando por me encostar a ele de modo a ele sentir, contra o seu peito as minhas tetas.. Que sim.. Que também queria falar comigo.. Que tinha pensado todo o fim de semana em mim.. Se eu tinha pensado nele..Se tinha gostado do que se tinha passado..

Claro que tinha – foi a minha doce resposta – aninhando-me mais encostando a minha cara contra o peito dele, mas que não podíamos continuar..

Sentia já seu pau a ficar rijo contra minha barriga – ele é bem mais alto que eu uns vinte centímetros, barrigudo… Para o gordo.. Eu debaixo dele vou ser esmagada… Adoro ser esmagada.. – e sua mão apalpando meu rabo, subindo minha saia.. Tentei afastar-me um pouco, mas ele segurou-me com força, puxando-me mais contra ele, procurando minha boca com seus lábios grossos.. Deixei-o beijar-me sentindo a sua língua percorrendo meus lábios.. Penetrando minha boca que instintivamente se abriu..

Sentia sua mão acariciando minhas tetas por cima da blusa .. Apertando meus bicos, agora rijos como diamantes.. Minha buceta na estava ensopada.. Minhas coxas se abriam lentamente, como se tivessem vontade própria..

Não podia ser.. Não queria perder o controle.. E era um risco muito grande..

Com um movimento brusco consegui soltar-me fugindo… Pedindo desculpa e que depois do serviço falávamos.. E com um sorriso meigo sai do gabinete a tempo pois já estavam a começar o pessoal…

Dirigi-me a casa de banho onde fui limpar a buceta que já estava a molhar-me as cuecas, e como ia passar o resto do dia na repartição não queria cheirar muito a buceta mal lavada… Estive quase para me tocar…

Passei o resto da manhã a fugir dele.. À hora de almoço convidei uma colega minha (por acaso uma delicia de menina) para vir almoçar comigo, para ter uma desculpa para não ir almoçar com ele..

À tarde a mesma coisa… Evitá-lo o mais possível.. Fazendo-o sofrer.. Mas eu sempre com a minha ratinha babando.. Querendo o final do dia.. Querendo aquele pau pequeno e meio mole dentro de mim..

Finalmente sete da tarde.. Todo mundo foi embora..

Antes que ele me chamasse fui ter com ele ao gabinete, bati à porta e, com um sorriso tímido, perguntei se podia entrar..

Claro que sim, que podia.. Que tinha estado o dia todo à minha espera.. Levantando_se vindo ter comigo à porta..

Eu agradeci.. Entrei e não deixando que me agarrá-se passei por ele dirigindo-me para a secretária, ficando de costas.

Enquanto se aproximava de mim, abri a mala tirando dela o envelope com o dinheiro que me tinha dado, dizendo que não era uma puta para ele me pagar, que o que tinha feito era porque simpatizava com ele.. Que era casada… Que era uma loucura..

Ao chegar ao pé de mim pôs me a mão no ombro, dizendo que não.. Que não me considerava uma puta.. Que estava apaixonado por mim.. Enquanto a mão ia descendo para o meu rabo.

Suspirei baixinho, dizendo para parar mas sem me mover… Sempre de costas para ele..

Respondeu que não conseguia parar.. Que era mais forte que ele.. E de repente encostou-se todo a mim, agarrando-me as tetas com as duas mãos, beijando meu pescoço…

Confesso que me surpreendeu.. Sentia o pau no meu cu..

Não conseguia reagir..

Deixei-me ficar quieta, espetando mais o cu contra o pau dele enquanto ele me subia a blusa acabando por ma tirar ficando com as tetas à disposição dele…

Já não queria saber de nada.. Minha buceta latejava de desejo.. Gemia baixinho.. As tetas ocupavam as mãos dele..

Virei um pouco a cara correspondendo ao beijo que ele me queria dar.. Um longo linguado, enquanto uma mão percorria minha barriga nua.. Se insinuava por entre minha saia tentando encontrar o caminho para a minha buceta sedenta dele.. Facilitei o caminho abrindo um pouco as pernas, dizendo para parar..

Senti uns movimentos nas minhas costas e depois ele a segurar minha mão dirigindo-a para o pau dele.. Tinha tirado as calças e as cuecas..

Comecei a esfregar o pau dele lentamente.. Massajando as bolas enormes e suculentas.. Acariciando a cabeça..

Enquanto isso ele atingiu minha buceta e afastando minhas cuequinhas, começou a acariciar meu grelo entesado.. Penetrando-a com os dedos.. Comecei a suspirar baixinho, apoiando-me na secretária espetando o cu contra o pau dele, sentindo-o duro por cima da minha saia, coisa que não durou muito porque, com rapidez ele começou a descer-me a saia e as cuequinhas… Acabei por ficar toda nua, apenas com as meias pretas e os sapatos, apoiada na secretária, pernas abertas, com o meu cu e buceta toda molhada, expostos aos desejos dele..

Comigo nesta posição, ele pôs-se de joelhos e abrindo-me, com as duas mãos o meu rabo começou a lamber-me o olho do cu.. buceta .. Grelo… Penetrava-me..

Já desvairada de tesão eu rebolava-me contra a cara dele.. Sempre que ele penetrava minha buceta eu ainda me encostava mais.. Pressionando..mais fundo..

Tinha perdido o control da situação.. Estava quase a vir-me.. Numa ultima tentativa desesperada de o manter comecei a debater-me, pedindo para ele parar.. Ergui-me da secretária afastando o meu cu da boca dele, tentando recuperar o papel de esposa fiel.. Claro que ele ignorou o meu pedido e para surpresa e deleite meu, ergue-se e chamando-me de puta e que agora tinha de ir até ao fim, segurou-me pelo pescoço, obrigou-me a ficar outra vez apoiada na secretária.. Choraminguei baixinho.. Implorando.. Morta de tesão, claro, mas ele não ligou e segurando no pau, enterrou-o todo, de uma só vez na minha buceta inchada de desejo… Não resisti.. Assim que o senti todo dentro de mim, com um grito longo e meio abafado rebolei meu cu procurando ainda mais pelo pau dele acabando por me vir, enquanto ele com movimentos rápidos e cada vez mais fortes, batia a pélvis contra as minhas nádegas, que segurava firmemente com as duas mãos, podendo ouvir-se ao longe o barulho que fazíamos, perguntando-me repetidamente se eu estava a gostar.. Ai.. Sim.. Sim.. Dizia eu baixinho a cada estocada.. E de facto estava a delirar.. Apesar de não ser muito grande o pau dele o que é certo é que estava quase a vir-me outra vez…

A situação de quase violação.. A minha posição em cima da secretária.. O estar toda nua na repartição.. Ele a foder-me..

Não estava a aguentar.. ergui-me um pouco deixando as minhas tetas soltas que balançavam a cada estocada.. Acho que ele compreendeu o que eu queria, e, começando com uma mão a apalpar-me as tetas torcendo com toda a força os meus bicos fazendo-me soltar um grito de uma dor deliciosa, comecei a acompanhar os movimentos dele… Mais rápido e mais rápido… Mmmmm… Siiiiim.. Senti o jorro dele.. Golfadas quentes e abundantes.. Deliciosas.. que acompanhavam as minhas..

Ficou caído por cima de mim arfando, esmagando-me .. Eu de olhos fechados e a buceta com pequenas contrações de prazer saciado, sentia a esporra que escorria pelas coxas sujando as meias..

Após uns minutos em que ficámos a descansar ergeu-se.. Senti o pau a sair de dentro de mim.. Ajudou-me a levantar e puxando-me para ele, que ainda tinha as calças e cuecas baixadas sobre os sapatos, encostou o peito dele às minhas tetas procurando minha boca.. Mais um longo linguado enquanto ele brincava com os bicos das minhas tetas e com minha buceta e grelo..Estava outra vez a ficar excitada.. Mas não lhe queria dar tudo numa só vez..

E voltando um bocadinho ao meu papel, afastei-me e procurando as minhas cuequinhas, vesti-me sem olhar para ele a modos de envergonhada..

Ele também se tinha composto.. Afinal só tinha baixado as calças, tendo-me fodido de camisa e gravata… Kkk

Veio ter comigo.. Parecia embaraçado.. Pediu desculpa por me ter chamado puta e por me ter forçado.. Que eu o tirava do sério.. Se eu tinha gostado

Sorri para ele..Que sim, claro que tinha gostado, como bem tinha notado… Que se alguém era culpado era eu.. Que era casada e que não devia ter permitido nada, mas que ele mexia comigo.. Que foi uma loucura.. Que não voltaria a acontecer

Despedi-me com um beijo rápido mas quando ia a sair ele chamou-me dizendo que eu me tinha esquecido do envelope com o dinheiro..

Disse-lhe que não queria o dinheiro.. Que não era uma puta.. Ao que ele respondeu que não era nada disso que pensava de mim.. Que mo tinha dado sem segundas intenções e que sabia que eu estava a necessitar.. Que mo pagava quando pudesse.

Fingindo estar contrariada com a situação aceitei, prometendo-lhe que o pagaria, agradecendo-lhe com um longo beijo de despedida.

Leia outros Contos de fetiche bem excitantes abaixo:

A Princesa do Sexo Oral

Loirinha mimada e o negrão tarado da construção -Parte 2

3391 views

Contos Eróticos relacionados

Um desejo nunca realizado

Boa tarde gente! Meu primeiro conto rs aqui nao tem sigilo ate porque qualquer pessoa tem seusbdesejos nao é msm? Este conto e fato real sobre mim, e na esperança de que quem sabe alguma mulher nao...

LER CONTO

Madame X

O estrupo é algo abominável, um crime hediondo vil covarde, pois sempre o algoz está em vantagem sobre sua  vitima,  tendo completo domínio sobre ela, mas o que é mais nocivo são as sequelas...

LER CONTO

Filhinha De Papai

Filhinha De Papai

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Mamãe Chupando A Cabecinha

Mamãe Chupando A Cabecinha

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Empregada Peituda Na Siririca

Empregada Peituda Na Siririca

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Come uma gordinha que conhece no Bar

Fala galerinha! bl? Vamos para mais um Conto Adulto. Era uma noite de sábado e eu fui tomar uma cerveja em um barzinho perto de casa. Entre uma cerveja e outra avistei uma gordinha gostosa pra...

LER CONTO

Fui puta de uma vizinha

Fui puta de uma vizinha Eu morava em um condomínio em que morava com minha mãe, eu me chamo ketlyn tinha 16 anos, com cabelos curto castanhos, pernas finas com uma bunda que agradava os garotos,...

LER CONTO

Submissas saindo de um poço sem fundo

Oi me chamo Márcia, continuando o relatado de minhas aventuras sexuais Adormecemos somente acordando com Raquel me chamando umas 11:00h. Assim que levantei para atender Raquel vi um recado de...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 5 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos