website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de putaria » EU LAURA ( 08 ) fatos reais nomes trocados

EU LAURA ( 08 ) fatos reais nomes trocados

Publicado em fevereiro 28, 2024 por Laura

….. segue do ( o7 ) ………….

Sergio continuou aprontando comigo, confesso que eu estava gostando, era bom, mas o Sergio caiu na besteira de de envolver com drogas, entrou em uma “rua” sem volta. Gastava todo o dinheiro que tinha com as drogas, uma turma de drogados, mal educados, abusados, desrespeitosos.

Sergio por diversas vezes insistiu para ir com ele naquele sítio que onde se encontravam finais de semana para festinhas, eu não tinha a menor ideia do que rolava lá, claro que tinha minhas desconfianças, pelo atual comportamento do Sergio. Então eu estava com o Sergio na área de alimentação do shopping quando chegou um cara, com cara de bandido. ” Sergio vc tem que ir lá amanhã, sem falta o Roberto quer falar com vc, ahh.. leva tua namorada, entendeu ?”, virou as costas e sumiu.

Sergio então, passou a insistir pra ir com ele lá, eu me negando, então ele confessou que precisava falar com o Roberto, por que ele precisava acertar a conta e não tinha dinheiro, precisava combinar com o Roberto uma maneira de como pagar. Sergio estava com medo, sabia da violência que eles aplicavam pra cobrar contas. ” Se vc for junto, eles ao menos vão me respeitar mais, vamos lá, vai comigo, por favor” , Sergio implorando.

Chegamos no sítio, que era bem retirado do centro da cidade, coisa de umas 3 horas da tarde. Quando desci do carro, já deu pra notar que era barra pesada, um dos marginais veio a nosso encontro, ” o Roberto, esta ocupado agora, mas senta aí e espera, ele quer falar com vc, a sós “, virou as costas e saiu, vi perfeitamente que ele estava armado na cintura, tinha algo lá.

Eram quase 5 horas da tarde, esse mesmo cara, veio e disse pro Sergio, entrar e subir lá para cima, e disse que eu era para ficar ali sentada, esperar. Muito baixo nível, tinha meninas, mais novas, nos cantos com os caras, se amassando, se pegando, um dos caras de pinto de fora e a menina masturbando. Muita sacanagem mesmo.

Uns 30 minutos depois o Sergio voltou, “querida vem comigo, vamos subir, o Roberto quer conhecer vc”. Fomos escada acima, no fundo de um corredor, um quarto sala, onde estava o tal do chefão o Roberto, quase dois metros de altura, forte, barbudo, musculoso, bem aquele estilo de chefão mesmo. Veio até mim, ” vc é linda, uma gatinha, gostei de vc, o Sergio me disse que vc é muito boa no que faz, (risos), é verdade isso ? ” Não respondi nada estava começando a ficar com medo. ” Sergio , agora pode sair, vai pra baixo e espera lá, vou acertar a tua conta com tua namoradinha “, gelei, olhei para o Sergio que baixou a cabeça e saiu acompanhado pelo capanga do Roberto, devia ser um guarda costa dele por estar armado.

Roberto veio direto em mim, me puxou pelo braça, “vc é linda, linda mesmo “, já me apalpando, me abraçou, apertou minhas nádegas, e começou a tirar minha camiseta, eu não usava nada por baixo, meus seios ficaram amostra, em seguida e rápido tirou a rouba ficou só de sunga, puxou minha mão e fez eu pagar o pinto dele, enquanto isso, puxava pra baixo minha calça legging, comecei a tremer internamente, minhas síndrome estava dando sinais, foi quando descontrolada apertei o pauzão dele, forte, ele reclamou mas gostou, eu não sabia o que fazer, sabia onde estava o que poderia acontecer, ele havia dito que tinha que pagar  a conta do Sergio, Roberto me empurrou levando pro sofá, tirou a sunga aquela coisa dele saltou, as dedos dele já procurando minha bucetinha e entrando, então minha tremedeira veio de vez, não consegui mais controlar, comecei ficar tonta, ele fez eu me ajoelhar no sofá, fiquei de costas pra ele, dedos outra vez na minha bucetinha, “molhadinha e apertadinha né putinha” falou e senti ele encostando o pau na minha bucetinha e empurrou, me contrai , mas foi entrando, devagar e sempre, senti sendo alargada, entrou com tudo , puxou e voltou a enterrar, nessa volta senti meu primeiro gozo, era assim que acontecia, eu não conseguia segurar, ele puxava e empurrava, devagar demorado, aquele pau enorme, parou, com tudo dentro e notei que pegava alguma coisa da mesa ao lado, senti que puxava o pau, que saiu. Imediatamente senti uma coisa gelada ser passada no meu cuzinho, e um dedo empurrou pra dentro, era gel, eu sabia que era, mais um pouco, por fora e então dois dedos, forçaram e entraram, empurrando a gel.

 

Senti ele encostando a cabeça do pau no meu cuzinho e forçar, outra vez, forçou, passou mais gel e voltou a empurrar, foi dai então que meu cuzinho começou a ceder, a cabeçona entrando, senti dor, reclamei, ele parou, ficou imóvel, a cabeça já dentro do meu cuzinho, dor, dor, ele imóvel, mas foi só eu parar de reclamar senti que empurrava, eu sentia dentro me alargando, sem eu espera, comecei a ter contrações, ele sentiu, “faz,faz,faz mais” falou, mas eu não tinha o controle, contraia mesmo, ” vou gozar no teu cuzinho,” senti a dor aumentando e sabia que ia gozar mesmo, enterrou tudo e gozou, dando um empurrãozinho curtos e gozando. Logo senti que a dor e a dilatação diminuía. Ele puxou devagar pra fora, escorreu perna e no sofá, gozo dele e fezes minha. Me deixou meio que deitada no sofá, e entro num pequeno banheiro que tinha alí. Saiu, “agora vai ali, e se limpa, se arruma, depois pode descer, mas fiquei apaixonado pelo teu cuzinho, sempre vou querer ele ” (risos).

Quando entrei no banheiro, tive realmente que me lavar, esta bem suja, eu estava ainda bem tonta, meio fora do ar, aquela sensação de não ter o controle da situação permanecia. No banho, um chuveiro meio improvisado, com a mão me lavando, deu pra notar o quanto ele tinha me alargado, meu cuzinho estava dolorido. Minutos depois saí, ele nem estava mais na sala, desci a escada, ví que ele estava lá fora conversando com o Sergio, fui direto para o nosso carro. Depois de um tempinho e Sergio veio, entrou, não falou nada, ligou o carro e saímos, no caminho, ” ele te machucou, me conta? “, não respondi, “ele me falou que vc gostou é verdade, ele comeu tua bunda né?”, não respondi. Depois única coisa que falei, me deixa em casa, agora.

E não falamos mais nada, me deixou em casa, outra vez fui pro banheiro, me examinar, estava preocupada com a ardência que sentia no meu cuzinho, mas aparentemente só estava alargado, eu sabia que ia fechar………

Foi assim que paguei com meu corpo, a dívida de drogas do Sergio. Nem 30 dias depois , terminei o namoro, acabou !!

……. segue no capítulo  (09 )…….., Novos rumos…

Leia outros Contos de putaria bem excitantes abaixo:

ADORAVA UM HOMEM IDOSO...

Lê e Amélie, duas sapatas que não negam rola

26106 views

Contos Eróticos relacionados

Velho negro catador de latinhas me comeu dentro de minha casa

Minha mãe faz parte de uma ONG dessas para amenizar os sofrimentos dessas pessoas em situações de ruas , ela juntamente com uma equipe arrecada alimentos, roupas, agasalhos,etc e distribui para...

LER CONTO

Fui encoxada debaixo de chuvas até gozar gostoso.

Verão eu de férias resolvi dar um passeio pela cidade , coloquei um óculos de sol, um chinelo rasteirinha , um shortinho muito curto mostrando o bundão , uma blusinha mostrando a barriguinha e...

LER CONTO

Ninfomaníaca com 18 anos Real

Ninfomaníaca com 18 anos e meu primeiro gangbang Real Olá me chamo ano tenho 18 anos sou branca me acho bem atraente, magra, seios médios Eu sempre fui ninfomaníaca, adoro sexo, adoro sexo...

LER CONTO

Cavalgando Na Chibata Do Filhão

Cavalgando Na Chibata Do Filhão

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Nora virando os olhinhos no orgasmo

Nora virando os olhinhos no orgasmo

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Arrombando A Sobrinha Virgem

Arrombando A Sobrinha Virgem

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Entrelaçados – Parte 2, Vanessa e Aline

Naquele final de semana haveria um churrasco de confraternização com todo o pessoal do escritório e para alugaram uma chácara no interior de SP com espaço suficiente para pernoite de todos tanto...

LER CONTO

Questão de Oportunidade – Parte 05

Era uma noite fria de inverno onde não havia luar e o céu estava tão escuro e pesado que ameaçava despencar sobre a cabeça de quem ousasse vagar a esmo pelas ruas quase desertas de uma cidade...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 3 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos