website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos verídicos » Viagem dos prazeres parte 4, Shika em um Gangbang, Êxtase total!

Viagem dos prazeres parte 4, Shika em um Gangbang, Êxtase total!

Publicado em novembro 28, 2020 por Carlos

Viagem dos prazeres parte 4, Shika em um Gangbang, Êxtase total!

Olá, Me chamo Carlos tenho 30 anos 1,81 e 85 KG corpo definido pois malho, e minha esposa Shika tem 27 anos 1,67 e 59kg uma bunda bem durinha por conta da academia e peitos naturais de tamanho médio.

Passado a noite de total êxtase que havíamos tido com a mulata seguimos para o ultimo dia do feriadão pois o quarto dia seria um dia de retorno a Joanesburgo.

Acordamos 11:00 dormimos muito tarde noite passada, Shika então colocou um short ainda mais curto que no dia anterior mostrando praticamente metade de sua bundinha estava novamente com uma blusinha que marcava seu corpo mostrando que estava sem sutiã mas dessa vez com um leve decote ainda, não tomamos café mas sim um lanche na hora do almoço nesse tempo conversamos com nosso amigo do Bugue e combinamos de encontrar ele as 13:30 para conhecer as dunas as 12:30 estamos saindo do hotel e encontramos o Garçom que conhecemos no primeiro dia ele estava com um amigo e quando nos viu ficou até sem folego ao ver a Shika tão provocante daquele jeito, o mesmo disse que estava de folga e que estava ali para nos convidar para ir em uma praia mais deserta, quando vi com o amigo dele logo pensei que queriam uma sacanagem das grandes com minha esposinha, então dissemos a ele que já tínhamos combinado de ir a outro lugar, quando menos espero vejo que Shika os convida para ir conosco naquele momento já entendi suas roupas e que ela estava afim de uma despedida em grande estilo, ela me olhou e eu logo confirmei o convite, o garçom olhou para seu amigo como quem já sabia que vinha muita sacanagem, seu amigo sem muito acreditar topou também. Então seguimos, dentro do carro a conversa já ficou quente, o Garçom logo de cara disse que havia contado sobre como foi a nossa primeira noite ali, seu amigo até ficou meio sem jeito mas como a Shika naquele dia não estava de brincadeira logo disse “Que sacana vocês, um negro gostoso assim não pode foder uma branquinha casada que logo já sai espalhando, agora vou ter que dar para seu amigo também, olhou para o amigo do garçom e disse vê se não espalha como seu amigo se não vou ter que sair dando pra todo mundo ai minha bucetinha não aguenta” aquilo foi um estopim sem precedentes, demos muitas risadas e logo ali a sacanagem começou com conversa, eles dizendo que iriam foder ela bem gostoso e ela dizendo que queria os dois ao mesmo tempo e solta “meu maridinho aqui quer ver vocês dois ao mesmo tempo dentro de mim” chego até perder atenção no transito nessa hora. Ia ser um dia mágico eu já estava de pau duro só de ouvir aquela conversa.

Parei em um posto para abastecer Shika desceu e foi buscar algumas bebidas, andando com aquela bunda e rebolando praticamente toda exposta seus seios marcados e decotados sem sutiã. O garçom e seu amigo estava em êxtase com aquela conversa e enquanto abasteço me dizem “cara com todo respeito sua mulher é uma delicia e que vadia que ela é” eu dou risada e respondo “ela é bem vadia mesmo, vocês vão se divertir com ela, aproveitem que não é sempre que encontra uma putinha dessa”.

Shika então retorna da conveniência e é nítido como todos olham pra ela quando ela anda, imaginando o quando ela deve ser vadia e quando chega ao carro esses mesmo olhares tiveram essa confirmação que pra minha surpresa ela disse que gostaria de ir no banco de trás com os rapazes, um deles desceu para que ela pudesse ficar no meio deles e ao ela entrar ainda fez questão de pegar em sua bundinha e auxiliar ela entrar, ali quem estava em volta e viu aquela cena sabia da putaria que estava por vim.

Do posto até nosso ponto de encontro seriam por volta de 20 minutos, mal saímos no posto já vejo a sacanagem começar no banco de trás, ela com suas pernas abertas e alisando a perna dos rapazes, ela logo diz “então vocês dois querem me foder gostoso hoje vou adorar, mas acho que além de você vai ter mais um negão gostoso me querendo será que vocês 3 vão dar conta do meu fogo” eles ficam loucos com aquilo e rapidamente respondem “nossa você é bem vadia mesmo vai dar conta de três negões não vejo a hora de chegarmos e começar a foder bem gostoso com você” ali então todos dão risada e eu com o pau latejando imaginando como minha esposinha era vadia e o quanto ela iria me fazer corno aquele dia. No caminho até o pronto de encontro muita sacanagem ia rolando, ela pegando no pau dos garotos e beijando eles, enquanto eles pegavam em seus peitos, beijavam seu pescoço, eu mal conseguia dirigir o trajeto que duraria 20 minutos gastei meia hora, quando estávamos chegando ela já estava com suas pernas e peitos todos marcados e vermelhos, não foderam ela no carro, mas dedaram muito sua bucetinha e sua blusinha estava toda húmida já de saliva de tanto que mamaram nos seus peitos, chegando lá pra nossa surpresa o negão do Bugue estava lá com mais dois amigos, os mesmos que haviam cumprimentado ele no dia anterior quando viram nós entrando em seu chalé, assim que descemos do carro a Shika do banco de trás com aqueles dois negros logo perceberam que ali já estava rolando uma putaria e logo soltaram “Nossa então acho que fiz certo em chamar meus amigos, bem que percebi que sua esposinha vadia não se contenta só com uma rola” Shika sem cerimonia foi e cumprimentou todos ali e cada um que ela passava fazia questão de dar uma volta e mostrar o quanto estava putinha, e eles já a vontade ali mesmo em publico já passavam a mão em sua bunda e por cima do seus peitos, os poucos que passavam em volta e olhavam era nítido que percebiam que uma putaria das boas iria acontecer ali. E a Shika cada vez mais fazia questão de mostrar que iria de fato fazer uma bela suruba com aqueles 5 negões pois em momento algum ela relutou nem quando encontramos o garçom com seu amigo no hotel e os convidou e nem quando chegamos ao ponto de encontro e o negão do bugue estava com mais dois amigos, ela estava totalmente entregue ao tesão que queria mostrar isso que daria prazer as esses 5 machos naquele dia.

Deixamos o carro ali então e seguimos e 2 bugues chegamos em uma lanchonete a ultima antes das dunas lá abastemos nossas caixas com bebidas e a Shika foi até o banheiro se trocar, saindo de lá apenas com um biquíni minúsculo ainda mais que no dia anterior mal cobria sua bucetinha e a parte de traz sumia na sua bunda como se ali não houvesse nada, ela novamente faz questão de dar um volta e se mostrar a todos ali que ficam boquiabertos com tamanha beleza e ousadia, daquele ponto não poderia mais seguir de carro apenas nos bugues, fui estacionar o carro e quando voltei estava la ela envolta dos 5 negões que ali estavam e ele sempre tirando uma casquinha daquela delicia e ela novamente não se importando com quem estava em volta e sempre deixando claro que naquele dia ela treparia com todos os 5. Saimos dali então ela foi em um bugue com 3 negoes obviamente e eu com outros dois em outro bugue. O caminho era muito belo e ela na parte de trás a todo momento ficava de pé com os cabelos aos ventos e apoiada na barra que lá tinha e o negão que estava atrás com ela sempre “solicito” a segurava por sua bunda sem nenhum pudor. Chegamos a uma praia muito bela, e ali ficamos por umas duas horas, curtindo, dançando e a Shika sempre não se importando o que as pessoas em volta achariam dela, como uma puta que queria mesmo aparecer, a todo momento sempre havia 2 ou 3 negões em volta dela ou tirando uma casquinha, ou se esfregando nela ou a carregando no colo, por volta das 16:30 decidimos retornar pois o tesão onde estamos era tão escancarado e já tínhamos chamado tanta a atenção que ou eles acabariam fodendo ela em publico por não se controlarem mais ou teríamos problemas sérios pois a putaria já estava muito escancarada, apesar de não ter muita gente ali por ser difícil o acesso já estava fugindo do controle, então ali seguimos de volta mas dessa vez fui em um bugue com a Shika e nosso primeiro amigo do Bugue e os outros foram em quatro no outro bugue, ela foi na parte da frente dessa vez e eu na de tras, por ser mais alto atrás logo via que em meio as dunas ela já não se controlava e já estava com o pau de nosso amigo de fora e batendo uma punheta pra ele, mesmo ali com vento e areia se sentia o tesão que ela exalava que hoje ela iria se acabar em volta daqueles 5 negões independente onde fosse ou o que iriam pensar. Chegando na lanchonete para pegar o carro, assim que o bugue parou ela sem pensar caiu de boca chupando a rola de nosso amigo, ele apesar do tesão que estava sentindo se controlou e disse a ela para seguirmos para seu chalé pois ali poderia aparecer alguém a qualquer momento e teríamos problemas.

Ela parou então logo eu peguei o carro ela nem colocou sua bermuda ou blusa, entrou simplesmente da forma mais safada que poderia no banco de tras junto com o garçom amigo nosso e seu amigo, os outros 3 rapazes seguiram de bugue na nossa frente, dali foram uns 15 minutos até seu chalé, e foram 15 minutos onde ela chupou os dois amigos no banco de trás, em dado momento ante de chegar ela já não contendo o fogo em sua buceta, passou suas pernas por cima de nosso amigo garçom ele pois ali tinha mais espaço, puxou sua calcinha minúscula de lado e de uma vez única estocou aqueles 24 cm de pica dentro de sua buceta gemendo como uma louca, o outro rapaz como quem não acredita na cena vai a loucura e fica mais próximos dele ali através do retrovisor pude ver que ele tinha um pau igualmente descomunal, e ali mesmo ele começa a dedilhar com dois dedos o cuzinho da Shika, a putaria já estava rolando dentro do carro mesmo, quando estamos virando a esquina do chalé com relutância ela sai de cima de nosso amigo, eles tentam se recompor mais sem muita eficácia, estaciono o carro em frente enquanto os bugues já estão na calçada, observei que havia algumas pessoa passando e outras prestando atenção no movimento pois já sabiam o que tinha acontecido no dia anterior, os rapazes então vieram em direção ao carro, então desce nosso amigo garçom e logo depois ela ajeitando seu biquíni na parte da frente e de trás logo eles perceberam e já soltaram um comentário “A festa já começou sem nós, vamos dar um trato nessa vadia casada hoje.” Logo o primeiro amigo do Bugue olha pra mim e diz “Hoje vamos fazer a festa com sua mulher seu corninho, já comi muita vadia branca que os cornos trazem mas de longe a sua é a mais vadia.”

Então ali mesmo ele a pega e joga em seus ombros destacando sua bunda pra cima e a exibindo como um troféu posso até ouvir comentários de vizinhos enquanto eles a levam pra dentro do chalé “olha lá vão acabar com a vadia branca” outros “olha lá a putinha de ontem voltou esta querendo mais do negão” e outro respondendo “do negão não, dos negões aquela ali não se contenta só com um” e quando eu vou entrando ouço um grito do outro lado da rua “vai lá corno sua mulherzinha vai ser arrombada por esses negões ela quer mesmo é homem de verdade” eu até sem palavras entro sabendo que aquilo era verdade.

Quando chego no chalé eles já estão no quarto, chegando lá ela já esta completamente nua com seu biquíni rasgado e sequer levou sua bolsa com sua roupa de tanto tesão que estava.

Estava ela na cama de quatro chupando um dos amigo do bugue com o garçom chupando sua buceta enquanto ela chupava e gemia ao mesmo tempo, quando observo todos em volta vejo que todos ali tinha paus muito grandes, acho que o menor devia ter uns 20 centímetros, se mais demora me sento em uma cadeira e começo a apreciar aquela completa orgia com minha esposinha, aquele era o ápice da viagem, todo aquele dia desde o levantar levaram aquele momento onde a Shika estava entregue de corpo e alma aquela putaria e que aquilo seria um divisor de aguas em nosso relacionamento, pois sabia que a partir daquele dia, aquela viagem ela não mais seria somente minha e sim de todos os negros que ela desejasse pois está claro no decorrer do dia que ela não se importaria de ser considerada uma putinha de negão e para mim tinha uma decisão acabar com aquele relacionamento ou aceitar ser um corno e saber que tenho em casa uma putinha incontrolável e ninfomaníaca por rolas pretas.

Voltando ao sexo quis curtir cada segundo para entender meus sentimentos e desejos, então nosso amigo garçom para de chupar sua bucetinha e ali com seu pau começa a foder ela, que solta um gemido descomunal onde imagino que até os vizinhos ouviram, só que agora ela não tinha mais dor era só prazer, estava em um estado de êxtase que a cada bombada parecia que estava gozando, começaram ali então todos a experimentar sua bucetinha durante uma meia hora ela ficou envolta enquanto chupava um outro a penetrava e iam revezando e ela em transe como se já tivesse tido vários orgasmos, após isso nosso amigo do Bugue se deita e pede a ela para ir por cima, ela então simplesmente vai e senta com o seu cuzinho primeiro como quem quer já sentir uma pau nele e deixando claro que a partir daquele momento todos podem, então ele começa a foder aquele cuzinho e a puxa com força até ele para lhe dar um beijo, ele a abraça forte e seu pau escapa de seu cuzinho deixando ele totalmente exposto e o quanto já havia sido arrombado, todos que ali estavam vendo aquele cuzinho livre começaram a se posicionar e revezar um de cada vez arrombando ele cada vez mais, enquanto nosso amigo com ela abraçada beija ela loucamente, que em uma mistura de beijo e gemido está nas alturas, depois de uns 20 minutos naquela situação todos ofegantes e extremamente suados, ela tremula se recompõe e coloca a tora de nosso amigo do bugue em sua buceta ali mesmo e começa a rebolar enquanto outro se apresenta para ser chupado, ela então em um ato de benevolência empina sua bunda enquanto esta com aquela rola atolada entrando e saindo de sua buceta, deixa seu cuzinho exposto e por um instante deixa de chupar uma rola para fazer um pedido que logo foi atendido “alguém poderia preencher meu cuzinho ele está carente e arrombadinho precisa de alguém para preencher” logo começam uma dupla penetração frenética e que cena meus amigos, ela em volta de 5 machos sendo penetrada por dois enquanto chupa outro e os outros dois são punhetados e começam a pedir a vez para participar daquela penetração, logo todos começam a revezar, quando então depois de uma meia hora todos já estavam suados e ofegantes, puderam aproveitar aquela situação, eles tiram então seu pau dela e ali posso ver o rombo que fizeram em sua bucetinha e seu cuzinho, estava completamente laceados, mas esta mulher e estes homens ainda tinha energia para continuar aquela orgia, ela se levanta um pouco tremula e em um dos rapazes senta com seu cuzinho de costas para ele deixando sua buceta novamente exposta, após 5 minutos um deles diz “porque não dois paus em sua bucetinha, eu sei que você quer ser mais arrombada ainda sua vadia” na mesma hora ela tira o pau que estava em seu cuzinho e coloca em sua buceta, olha para a cara de quem sugeriu e diz “vem me arromba, me fode” ele então se apresenta e começa e então acontece dois paus naquela bucetinha, ela geme como nunca antes havia feito, ele começam um vai e vem , a sincronia das rolas vão aumentando e ela logo começa a anunciar um gozo forte e alto, e eles sem para continuam cada vez mais rápido arrombando ela, quando os paus escapam ela chega a perde as forças sobre suas pernas e começa a gozar mais uma vez em completo estado de êxtase se tremendo enquanto nosso amigo que está por baixo a segura após quase 2 minutos de puro prazer absoluto ela começa a recuperar suas força, ali então olho o rombo que estava sua buceta o quanto estava laceada e arrombada, olho pra cima ela me olhando com a voz tremula diz “olha amorzinho, olha como eles me arrombaram, foram duas rolas na sua bucetinha, agora vai ter que ficar com ela sabendo que já foi toda arrombadinha assim” após isso nosso amigo novamente coloca seu pau em seu cu e ela ali logo começa a subir e descer naquele pau, e logo exclama “se na bucetinha cabe 2 porque não em meu cuzinho” aquilo foi uma senha pois eles se empurravam para saber quem seria o segundo pau naquele cu, quando um se apresenta lubrifica mais ainda aquele cu que já estava completamente preenchido, começa a forçar a entrada e quando sua cabeça finalmente rompe a resistência e seu pau finalmente divide seu cuzinho com outra rola ela solta um grito alto “puta que paria, me cuzinho rasgou todinho, vocês vão me deixar toda arrombada” ali ele para e olha até com zelo para ela, mas logo percebe que foi apenas uma explosão momentânea pois ela começa a se acostumar e eles começam o vai e vem naquele cuzinho e sue urro de dor logo se transforma e gemidos de prazer cada vez mais alto e novamente quando as rolas escapam dela, ela se estremece todinha e começa novamente a gozar e dessa vez ela cai para o lado na cama e entra em um transe de uns 2 minutos e nós ficamos ali admirando aquela mulher entrando em seu êxtase máximo, ela desfalece por alguns instantes e acorda novamente, como que no automático fica de joelho sobre a cama e começa novamente a chupar todos ali que devido ao tempo estavam com os paus não tão duros, logo todos estão duros com pedra e ela sem dizer uma palavra apenas empurra um na cama e começa a cavalgar novamente e olhando para trás com cara de coitadinha implorando para outro a pegar por trás e assim começa novamente uma dupla penetração, parecia que ela não tinha mais limites já estava gemendo novamente como uma égua no cio quando ela tira um pau da boca e pede um terceiro dentro dela, ficamos atônitos mas logo ela é atendido um dos rapazes chega por trás dela e coloca um segundo pau em sua buceta isso mesmo agora ela estava com 3 rolas duas em sua buceta  e uma em seu cuzinho e novamente que cena meus amigos, ela estava gemendo com tanta naturalidade como se estivesse levando somente uma rola, ali percebi o quanto vadia e arrombada minha esposinha estava e o quanto ela foi feita para foder daquela forma e que não adiantaria tentar mudar e ali tomei minha decisão de aceitar ela dessa forma e que seria seu eterno corninho e ela minha eterna putinha de negão, já estávamos ali a mais de 2 horas e os homens já não estavam se aguentando, ela então sai daquela posição e fica de quatro totalmente exposta e ali vejo o quanto seu cuzinho e sua bucetinha estão arrombados, ela então pede a eles que um por fodam ela e gozem nela como um batismo que naquele dia era seria o deposito de espermas deles, disse para não se preocuparem que não iria engravidar. Então ali um por um começou a foder sua bucetinha e gozar dentro dela e a cada gozada ela agradecia com um gemido de paixão, quando todos terminam ela olha para mim e diz sua vez, goza dentro de mim, me mostra que me ame e veja o quanto arrombadinha e vadia eu sou, eu com minha decisão tomada começo a foder naquele poço de porra dentro dela e logo jorro minha porra ali também se misturando aquela orgia que acabara de acontecer ali. Ela cai sobre a cama totalmente entregue ao sexo que ali teve, se levanta lentamente quase sem forças e da um beijo em cada um de nós, toda aquela porra escorrendo de sua buceta para suas pernas, já é por volta das 21:00 ela então me chama para ir embora não quis ir se lavar pois estava entregue aquela orgia, ela procura seu micro biquíni e percebe que o mesmo está rasgado, não se importa e começa a ir nua para a porta. Quase sem forço pede para alguém a levar até o carro, saio na frente e vejo que não tem ninguém na rua então nosso amigo a joga no ombro novamente  a leva até nosso carro, ela em seus ombros com sua bucetinha e cuzinho totalmente expostos ao ar livre, por obra do destino aparentemente não havia ninguém ali no momento para ver, quando chega ao carro escuto burburinhos ela então já de pé se despede de nosso amigo com um beijo, entra no banco de trás nua e totalmente entregue fecha a porta e diz que vai se deitar ali, nossos amigos que vieram de carona dizem que arrumam outra forma de irem. Dou a volta e entro no carro e vejo duas pessoas do outro lado da rua apenas olhando e não dizendo nada, saio e então vamos embora, vou devagar para ela descansar, após 20 minutos ela acorda, procura seu short e sua blusa, que ficam grudados em seu corpo devido a tanta porra e suar que nela tinha, pede para eu parar e vem até a porta da frente para se sentar ao meu lado, me olha com uma cara de satisfação e alegria, porém cansada e diz “Amor isso foi incrível, eu sempre vou respeitar sua decisão, se não quiser fazer mais esse tipo de coisa vou aceitar, mas adoraria que você continuasse permitindo.” Eu apenas olhei e disse “Eu te amo, sempre vou querer realizar seus desejos e te ver satisfeita com agora” ela então sorriu e apenas mordiscou seus lábios.

Chegando ao hotel descendo do carro ela esta ali em plena recepção, com aquele micro short grudado em seu corpo,  seios quase a mostra de tanto que a blusa estava melecada, cheia de marcas vermelhas pelo corpo, sem perder seu rebolado caminhando como uma perfeita putinha, pego a chave de nosso quarto e seguimos até o elevador, o cheiro de sexo exalado pelo seu corpo era notado, entramos no elevador e um homem nos acompanha, até nosso andar ele olha para ela de cima embaixo e estava ali evidenciado como foi nossa noite, ao descer em nosso andar o homem que ali estava olha fixo para sua bundinha, Shika então olha por cima dos ombros e apenas o encara e da uma mordida em seu lábio e assim entramos em nosso quarto enquanto aquele home continua o caminho com a certeza que entre nós aconteceu muita putaria naquela noite.

Chegando em nosso quarto Shika nem se da o trabalho de tomar um banho ou se quer pensa em uma refeição, ela simplesmente tira aquela roupa toda grudada e com cheiro forte de porra, se joga na cama e apaga, antes de me deitar posso notar ainda em sua bucetinha totalmente arrombada alguma quantidade de porra ainda escorrendo.

No outro dia acordamos por volta das 08:00 e tomamos um belo banho, quando fomos nos arrumar pedi para ela ficar de quatro pois queria ver o estrago no outro dia, então ali vi seu cuzinho e sua bucetinha limpinhos e arrombadinhos, dou um beijo ela arrepia e sorri. Nos arrumamos então para partir eu com uma roupa casual, e ela com um vestido curto branco com as pernas amostra porém dessa vez ainda escondendo sua bundinha. Tomamos um café, acertamos a conta e então seguimos viagem e nos despedíamos daquele final de semana maravilhoso que acabamos de ter.

Este é o fim dessa história onde nos descobrimos ainda mais.

21106 views

Contos relacionados

MARY – UMA LINDA ESPOSA – 14º CAPÍTULO

- - - 14º CAPÍTULO. - - - - . . . – TEMA – MARY – UMA LINDA ESPOSA. - - - Personagens – Luiza ( Sobrinha) – Antonio Carlos (Tio) e Camila (Tia) Neste Capítulo. - - A Integração das...

LER CONTO

Lucia e o Jardineiro – Continuação

Oi Amores, Estou de volta para te contar sobre minha vida de Cdzinha e dar continuidade ao meu relato “E Como Tudo Começou”. Quero ainda declarar, que o que  conto aqui não é ficção, e...

LER CONTO

Comendo a colega de trabalho durante o almoço

Olá amigos, como estão? Sou o Kiza, tenho 27 anos e aprontei com uma colega de trabalho essa semana. Ela é uma morena bunduda, de 1,56, cabelo cacheado bem enroladinho e com uma boca...

LER CONTO

Fudi a novinha Virgen filha da empregada

Essa é fresquinha especialmente pra vocês.... Ontem pela manhã fui na farmacia comprar umas coisas pra levar pra minha mãe que mora do outro lado da cidade. Assim que cheguei jà notei a...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 5 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2022 - Contos adultos