Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos verídicos » Viagem dos prazeres Parte 2, o negão comeu só o cuzinho

Viagem dos prazeres Parte 2, o negão comeu só o cuzinho

Publicado em novembro 24, 2020 por Carlos

Viagem dos prazeres parte 2, o negão comeu só o cuzinho!

Olá, Me chamo Carlos tenho 30 anos 1,81 e 85 KG corpo definido pois malho, e minha esposa Shika tem 27 anos 1,67 e 59kg uma bunda bem durinha por conta da academia e peitos naturais de tamanho médio.

Continua depois da publicidade

Após a noite de êxtase que tivemos na noite anterior em que vocês podem acompanhar no conto anterior.

Acordamos por volta das 10:00 com uma leve ressaca mas nada que um dipirona não resolvesse. Shika me deu um beijo de bom dia e foi até o banheiro, logo me levantei e fui junto onde tomamos um banho delicioso e conversando sobre a noite anterior e de como foi excitante. Ali mesmo Shika me fez um boquete gostoso e assim começamos mais um belo dia.

Fomos tomar um café no hotel e ali decidimos que iriamos conhecer uma parte da cidade e depois iriamos a uma bela praia muito recomendada. Até então tudo correndo normalmente no hotel subimos de volta e fomos nos arrumar para sair.

Continua depois da publicidade

Coloquei uma bermuda leve, com uma camiseta regata e um chinelo bem despojado, a Shika por sua vez colocou uma bermuda jeans bem curtinha daquela que aparece bastante a poupa da bunda, uma blusinha sem decote e que marca o corpo também estava sem sutiã o que dava para perceber pela blusa.

Ao passar pela recepção do hotel passamos pelo garçom nosso “amigo” vamos dizer assim, nos cumprimentou formalmente e disse que se precisar de algum trabalho especifico podemos contar com ele novamente, demos risada e seguimos nosso caminho.

Seguimos o concelho da recepção do hotel e fomos a uma praia ontem tinha dunas próximas e que poderia se fazer passeios de bugue, lugar deslumbrante. Ficamos em um barzinho por um tempo onde pedimos uma porção de frutos do mar. Shika toda vez que levantava chamava a atenção de olhares dos homens ali em volta para si, devido a sua roupa extremamente sexy e chamativa. Por  volta das 14:00 decidimos dar um mergulho na praia, no restaurante havia uma área com alguns “boxes” para se trocar, guarda volumes para colocar nossos pertences e uma ducha para se usar ao voltar do mar.

Me troquei e estava guardando minhas roupas, nisso chegou um homem negro por volta de 1,80 próximo da minha altura, nos cumprimentamos e ele logo entrou em um dos boxes, pergunto a Shika como está e ela responde que ainda não estava pronta, resolvi ir ao bar para pegar algumas bebidas para levarmos, estava quase terminando uma cerveja e notei que a Shika ainda não havia vindo.

Fui ver se ela iria demorar, chegando nos boxes vejo ela conversando com aquele negro e passando a mão em seu peito, ela estava com um fio dental minúsculo, a parte da frente mal cobria sua bucetinha e a parte de cima mostrava claramente como os bicos dos seus seios estavam duros quase uma excitação. Eles ainda não haviam me notado quando ele pediu para ela dar uma volta para ver como ficava naquele fio dental, ela então deu uma volta quando vi aquela bunda maravilhosa com o fio dental socado, ela parou de costas pra ele e perguntou o que achava, vi que ele ficou maravilhado pegou em sua bunda e elogiou disse que era deliciosa, pude ver ele abrindo levemente as abas de sua bunda provavelmente viu aquele cuzinho delicioso ela deu um sorriso muito safado e perguntou se ele gostou do que viu, pude ouvir ele respondendo que além de ver gostaria muito de experimentar, trocaram sorriso ali, quando excitado percebi que havia chegando mais gente, então entrei no local fazendo barulho como se não tivesse visto nada, eles tomaram um susto e se afastaram um pouco, logo ela viu que era eu e relaxou novamente, ela me apresentou a ele como marido ele meio sem jeito me cumprimentou, logo ela me diz que estava mostrando o biquíni e pedindo a opinião para saber se eu iria gostar, então para deixar ele mais sem jeito perguntei o que ele achou ele engoliu meio seco e disse que ficou muito bom, pedi a ela que desse mais uma volta para eu olhar e pedi que ele avaliasse de novo ela toda safada deu uma volta e abaixou como se fosse pegar algo neste instante pudemos ver aquele cuzinho vermelhinho sendo pressionado pelo fio dental, voltando e usando a desculpa que pensou ter visto uma moeda.

Então começa a chegar mais pessoas ali, mais que rápidos guardamos as coisas dela no guarda volume e saímos daquele local, Shika saiu na frente e nós atrás ela de sacanagem passa a mão naquela bunda e desatola o fio dental de seu cuzinho que estava atolado desde a hora que o negão estava abrindo as abas de sua bunda, imagino eu que se não chega ninguém ele iria comer aquele cuzinho ali mesmo. Peguei nossas cervejas e eu e Shika fomos para a praia, já separados do negão, no caminho ela pergunta se eu havia visto algo, eu confirmo e digo que fiz barulho de proposito por conta das pessoas que estava vindo. Ela então me disse que notou meu pau duro quando cheguei lá e que estava doidinha para ter sido enrabada por aquele negão ali.

Após isso curtimos o sol, demos alguns mergulhos e tomamos alguns drinks, passado algum tempo percebemos alguém surfando próximo e quando sai da agua vemos que era o negão que encontramos nos boxes. Convidamos a se sentar conosco, já tínhamos segundas intenções ali. Falei então que iria buscar mais algumas cervejas, Shika então me pergunta se eu podia passar um óleo de bronzeamento nela antes de ir, olhei para nosso amigo e perguntei se ele não faria esse favor, ele olhou meio sem jeito e ela com um sorriso safado disse, “Pode passar ele não liga e eu vou adorar”, ele então sorriu e pediu a loção.

Fui lentamente ao bar para que ele pudesse se deliciar com aquele corpo, a praia não estava muito cheia, mas de longe observando notei que algumas pessoas notaram alguma sacanagem ali mas ninguém se aproximava, voltando de longe posso notar ele com uma mão em sua costa esfregando e com a outra disfarçadamente por debaixo de seu fio dental e enfiando um de seus dedos no cuzinho dela, mais perto consigo ver ela mordendo seus lábios e começo escutar pequenos gemidos, conforme chego ele começa tirar rapidamente seu dedo de seu cuzinho, então eu digo que poderia continuar a passar o bronzeador que parecia que ela estava adorando, ele então com mais confiança volta e agora coloca dois dedos em seu cuzinho ela solta um gemido mais alto e peço para ela ter calma que havia mais pessoas na praia.

Ele então para e vai dar um mergulho, ela olha pra mim e diz que estava quase gozando, que depois que sai ele logo já havia passado o dedo por cima de sua bucetinha com o biquíni, como ela não demonstrou desaprovação nenhuma ele subiu e por debaixo de seu fio dental deslizou o dedo em seu cuzinho e sussurrou para ela que aquela hora iria experimentar um pouco dele, ela então confidenciou que o deixou bem a vontade e disse que queria experimentar mais que o dedo dele. Logo ele voltou e eu disse que iria pegar mais cervejas, nesse momento ele me interrompe e pergunta se não queríamos o acompanhar até um chalé onde ele morava. Prontamente concordamos fomos na frente pegar nossas coisas, ele estava em um daqueles bugues e então perguntamos ele nos disse que era guia e adoraria nos levar para conhecer algumas dunas e praias desertas, mas por conta do horário não era possível ir mais isso já eram por volta das 16:30 e nos convidou para vir no outro dia que nos levaria. Então quando íamos entrar no carro a Shika me pergunta se não podia ir no bugue com ele e eu os seguia de carro, com receio e excitação aceitei, ela tirou o short curtíssimo que estava e foi só de fio dental, na hora fiquei de pau duro pois ela queria se exibir não só para aquele negão mas para todos que vissem que aquele negão iria pegar ela de jeito. Fomos então e era notável que o negão estava com a mão na perna dela e ela a todo momento estava passando a mão no pau dele, ela se levantou umas 4 vezes no bugue segurando nas barras superiores e ele sempre “solicito” a segurava e apoiava pegando em sua bunda e abrindo ela como se quisesse exibir aquele cuzinho que haveria de experimentar. Chegamos então ao chalé havia mais alguns chalés semelhantes e outras casas de alvenaria, do outro lado da ruas passou dois rapazes e cumprimentaram ele devia ser amigos mas logo seguiram caminho, ela veio em direção ao carro e pegou sua bolsa onde estava seu short mas não o colocou, pegou em minha mão e fomos então convidados a entrar e seguimos até o chalé, notei algumas pessoas que passavam e olhavam meio que sabendo o haveria de acontecer ali, Shika notando isso rebolava e abaixou novamente com sua bunda para rua para se exibir com a desculpa de que pensou ter visto outra moeda.

Dentro do chalé ele logo foi pegar algumas cervejas, quando retornou o clima de sexo já era imenso, a ponto de ele nos oferecer a cerveja e a Shika responder que o que ela queria mamar era outra coisa. Ele logo entendeu a pegou no colo e jogou em seus ombros levando ao quarto, eu neste momento já estava extremamente excitado puxei uma cadeira e comecei a apreciar as cenas maravilhosas que minha esposinha putinha de negão iria apresentar. Ele a joga na cama e ela dando risada e com o dedo nos lábios pergunta se ele quer mesmo experimentar seu cuzinho na maior cara de pau. Ele então tira seu pra para fora e como de praxe é enorme, não como o do garçom do hotel mas devia ter pelo menos seu 20 cm e era bem grosso. Shika então sem cerimonia cai de boca naquela rola e chupa de forma insana aquele negão mal podia acreditar no que estava acontecendo com ele, depois de uns 5 minutos esse negão anuncia que já iria gozar, tenta tirar seu pau mas ela não deixa e chupa com mais vontade, ele então não se aguenta e enche sua boquinha de porra, chega a escorrer pelos cantos de boca, se nota que o pau dele deu uma amolecida e ela tirar olhando para ele com sua boquinha quase limpa passando os dedos no canto de sua boca e dizendo “olha só bebi tudinho” ele fica louco com aquilo, então com uma voz doce com um ar de safadeza como ninfetinha ela diz “e então você vai aguentar comer meu cuzinho como prometeu” ela se vira de bruços ele sem nem esperar tira o fio dental dela abre suas pernas e as abas de sua bunda e começa a lamber aquele cuzinho freneticamente, ela então começa a gemer loucamente e falava “isso lambe meu cuzinho lambe, ele é apertadinho mas você vai arrombar ele todinho né” o negão então a coloca de quatro ela se apoia em alguns travesseiros ele da uma ultima chupada naquele cuzinho posiciona seu pau na entrada, da uma cuspida e começa a empurrar lentamente, da um certo trabalho e ela gemendo de dor em um primeiro momento até que entra a cabeça dele ela então da um grito alto como uma vadia, ele fica alguns segundos ali e começa empurrar tudo e a cada Cm que entrava ela gemia mais e mais os vizinhos deviam escutar de tão alto que era, até que chega o final, ele fica ali parado um pouco, ela então começa a se acostumar e da para ver seu cuzinho apertando o pau daquele negão, eu extasiado com a cena de uma tora daquele dentro do cuzinho da minha esposa arrombando ela todinha, ela então já gemendo baixinho olha pra mim e diz “olha amor, o negão arrombou todo meu cuzinho, agora vou ter que dar bem gostosinho pra ele pra agradecer” ele então começa a bombar lentamente e aqueles gritos de dor se tornam urros de prazer, ela está totalmente fora de si e cada vez mais alto e alto pede pra ele meter com mais força ficam nisso durante um bom tempo, eu louco de tesão já estou com o pau pra fora vendo aquele negão comendo aquele cuzinho da minha esposa e indo ao delírio, ele então sai abre o cuzinho dela e me mostra o rombo que havia feito, com um pouco de sangue de suas pregas todas estouradas e com uma respiração ofegante de prazer, Shika então empurra aquele negro na cama e senta naquela tora novamente, ela senta até restar somente as bolas daquele negão pra fora me olha e me diz “Viu amor que delicia, ele arrombou todo meu cuzinho, sentei agora e o pau dele até sumiu olha só como sua esposinha é vagabunda” naquela hora mesmo eu gozo e meu pau se quer abaixa de tanto tesão que estou, ela então começa a subir e descer naquela vara como uma cadela no cio, gemia e gemia, aquele negão delirava com aquela piranha e davas vários tapas em sua bunda deixando a toda vermelha, ela se abaixa para beijar ele enquanto aquela vara ia entrando e saindo de dentro de seu cuzinho, até que ela para e geme alto anunciando um gozo era possível ver o quanto seu cuzinho se contraia envolta daquele pau, ela cai então de lado com um sorriso no rosto impagável, o negão com seu pau ainda duro a empurra de ladinho, pega em seu pescoço vira sua cabeça e a beija enfiando seu pau naquele já esfola cuzinho, ela com um gemido em um misto de dor e prazer, posso ouvir aquele barulho maravilhoso de suas pernas e bolar batendo em sua bunda como se fossem aplausos, a fode ainda com mais força e prazer, seu ritmo aumenta freneticamente até que ele a aperta com força e goza dentro de seu cuzinho gemendo como um cavalo, fica alguns instantes gozando e percebo seu pau latejar ali dentro, ele então tira seu pau lentamente de dentro dela e sua porra começa escorrer de seu cuzinho sobre suas nadegas, ela então fica de bruços e começa levantar lentamente de quatro mostrando pra mim aquele cuzinho todo arrombado, abro sua bunda e vejo o rombo que seu cu todo vermelho estava e a porra escorrendo dele e passando por cima de sua buceta que não sofreu aquele dia e escorrendo em suas pernas. Ela então se levanta com um olhar safado e um sorriso sacana, o negão vai ao banheiro rápido e retorna ao carro, ela lhe da um beijo ainda nua e agradece na maior cara de pau por ele ter arrombado o cuzinho dela, que era um desejo realizado ter um pau daquele calibre dentro dela, então quando imagino que ela vai se limpar com a porra ainda escorrendo, ela pega seu fio dental e coloca, sua bermuda que havia trazido continua em sua bolsa, ela então me chama para ir embora e daquela forma mesmo vai saindo da casa, rebolando com aquela porra escorrendo do seu cuzinho que mesmo a uma distancia era possível ver, sua bunda toda vermelha de tapas, seu cabelo bagunçado, marcas de pegada de mãos por todo o seu corpo, sorrindo como uma piranha que acaba de satisfazer um macho, saiu e foi assim até chegar ao carro, como se queria se mostrar para quem passasse na rua ou vizinhos para que não houvesse duvidas do que houve naquele chalé, queria se exibir mostrando ser uma perfeita putinha chegando ao carro ela me beija e fala em meu ouvido agradecendo por eu a ter deixado ser a puta de um negão e por ter deixado ele comer o cuzinho de sua linda esposinha, havia 5 ou 6 pessoas presenciando aquela cena, ela então sem pudor algum na calçada tira de sua bolsa seu micro short abaixa lentamente com sua bunda virada para rua como quem mostrando que acabou de receber uma tora no seu cuzinho e o coloca bem lentamente e rebolando, entra no carro manda um beijo para aquele negão quem vem se aproximando e me diz “vamos amorzinho estou com meu cuzinho todo dolorido depois de sentar na pica desse negão, pega o telefone dele para repetirmos a dose” fiquei perplexo e excitado com tamanha ousadia.

Troquei números de telefone com o negão e fui embora, no caminho para o hotel ela ainda me pergunta se amanha iriamos passar de bugue e eu respondo se ela queria passear de bugue ou na vara do negão de novo ela deu risada e disse os dois. Chegamos no hotel por volta das 18:30 aquela porra estava em marcada em seu short na área do cuzinho, ela põe um sobre tudo e subimos ao nosso quarto para descansar.

Mais de noite saímos para uma balada, mas desta vez quem aproveitou fui eu.

11155 views

Contos relacionados

CAPÍTULO 1 – A INICIAÇÃO

Essa história se passou a alguns anos atrás, quando comecei a ter desejos sexuais por minhas primas... A primeira delas foi a Kiany, com quem mais tive intimidade e momentos Kiany era (e é...

LER CONTO

Primeira brincadeira na webcam

Minha descoberta por webcam surgiu quando tinha 16 anos. Sempre conversava com uma amiga moreninha pelo MSN da cidade vizinha e achava ela uma gatinha. Bundinha grande, lábios grossos e peitos...

LER CONTO

Seduzi meu primo e trepei muio!

Meu conto é um pouco longo, mais é verdadeiro viu pessoal! Inclusive a foto é da minha buceta! Meu nome é Elizangela! Tenho 30 anos, sou casada, loira, cabelos altura dos ombros, seios médios,...

LER CONTO

Pamela Volta na Casa do Cumpadre

Se você já leu no conto anterior, "A PRIMEIRA GANGBANG DE MINHA ESPOSA", minha esposa soube aproveitar minha ausência. kkkkk. Ola, meu nome fictício, lógico, é Douglas e ela, Pamela. Somos...

LER CONTO

4 - Comentário(s)

  • Carlos 07/01/2021 18:36

    Estamos na África ainda, viajamos de férias no final de ano agora. Mas já retornamos vou postar mais contos deliciosos para vocês.

  • Mariane Ribeiro Da Silva 16/12/2020 07:27

    Oi alguém chama no whats

  • João 15/12/2020 23:37

    Adoro fuder uma mulher que gosta de negao.e seu marido segurar na minha pica pra encaixar na bucetinha molhadinha dela.

  • Rogério sp 27/11/2020 18:47

    Eu adoro fuder uma mulher casada na frente do seu marido corninho manso olhando. Me chama no WhatsApp

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 4 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2021 - Contos adultos