website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos de corno » TRAI MEU MARIDO COM O CAMINHONEIRO

TRAI MEU MARIDO COM O CAMINHONEIRO

Publicado em novembro 28, 2022 por Ademir

TRAI MEU MARIDO COM O CAMINHONEIRO

Telefone de madrugada é sinal de problemas, pois foi isso que aconteceu, acordei com o telefone tocando insistentemente por volta das 3 horas da manha , meu marido também acordou e eu atendi o telefone, era meu cunhado do interior informando que minha sogra, mãe do meu esposo, havia passado mal um começo de infarte e estava internada, minha sogra já está com mais de 70 anos e cheia de problemas de saúde, passei o telefone para meu marido que todo preocupado queria saber mais; Se entendeu com meu cunhado e desligando o telefone, pediu para acordar as crianças e trocá-las que iríamos viajar para Vera Cruz onde mora a mãe dele imediatamente, acordei as crianças que queriam saber o que tinha acontecido e as vesti, informando que a gente ia passear e enquanto meu marido arrumava uma mala com algumas roupas nossas, tomei um banho rápido e logo depois saímos pegando a estrada, moramos próximos a Castelo Branco e por volta das 5 horas da manha já estávamos rodando nela.

As crianças assim que entraram no carro, imediatamente se enroscaram nos travesseiros e mantas que eu havia trazido e dormiram; por volta das 8 horas, chegamos no final da castelo e entramos em uma estradinha de 2 mãos que não passava ninguém, era um marasmo só rodamos uns 50 k e passamos por somente 3 caminhões, de repente o nosso carro começou a falhar, meu marido todo preocupado parou e foi olhar o motor, depois de algum tempo retornou e novamente ligou o carro que pegou funcionou um pouco e começou a falhar, meu marido todo encabulado informou que a gente estava sem combustível, fiquei puta com ele que se desculpou dizendo que na pressa não havia percebido que o combustível estava tão baixo, o pior é que não tinha movimento naquela estrada e mesmo os caminhões que passaram não deram atenção aos sinais do meu marido; já eram quase 10 horas da manha, ai eu muito brava, sai do corro e disse a ele para entrar no carro que eu ia tentar parar alguém.

Eu pretendia usar meu charme de mulher bonita e gostosa, estava usando um vestido meio curto e decotado e modéstia a parte era uma mulher que chamava a atenção de homens e mulheres rsrsrs, nos meus 30 anos, mesmo com 2 gravidez, estava em ótima forma pois frequentava academia diariamente, corpo malhado, seios médios e bem durinhos pois meus filhos não mamaram em mim por falta de leite, coxas grossas, bunda perfeita cheia e arredondada do tipo que os homens gostam, cabelos pretos longos, ondulados, emoldurando um rosto fino e sem marcas, olhos negros e amendoados, boca carnuda e apetitosa, com certeza eu iria conseguir que alguém parasse para nos ajudar e não deu outra, o primeiro caminhão que passou, diminuiu e parando no acostamento deu ré se aproximando de nós, meu marido já corria ao encontro do caminhão e subindo na boleia, vi ele falando com o motorista na cabine e logo depois voltou até nosso carro e informou que o caminhoneiro iria me levar até o próximo posto que ficava a uns 10 k na frente.

Explicou que não poderia me deixar só com as crianças naquela estrada deserta, que seria muito perigoso então achou melhor que eu fosse até o posto com a carona e depois retornava com outra carona que no posto seria mais fácil de conseguir, concordei e fomos até o caminhão, meu marido abriu a porta do passageiro e me apresentou ao caminhoneiro, um homem enorme, meio gordo, barrigudo, peito muito peludo que saiam para fora da camiseta, barba por fazer, um grande bigode, vestido em uma camiseta e bermuda encardidas e surradas pelo uso, aparentava ter uns 40 anos, era extremamente feio e desagradável, a cabine cheirava a mijo e gordura de alimento, nossa que nojo, meu marido percebeu pela minha cara de asco mas disse baixinho no meu ouvido que não tinha outro jeito, o caminhoneiro chama-se Tenório e me olhava com cara de tarado me devorando com os olhos com um sorriso sacana nos lábios grossos, fiquei preocupada com aquilo e perguntei ao meu marido se ele não podia ir e eu ficava com as crianças mas seus argumentos do perigo de ficar só com as crianças naquela estrada deserta novamente me convenceram que aquela era a melhor solução.

Beijei meu marido rapidamente, me despedi e dizendo que logo voltaria com o combustível, subi no caminhão me sentando ao lado do horroroso motorista, o homem imediatamente pousou os olhos pelas minhas coxas que devido a saia meio curta subiu, me arrependi imediatamente por estar usando aquela roupa naquelas circunstâncias, repuxei o vestido para baixo e o motorista arrancou com o caminhão carregado de feijão conforme ele informou, andava devagar e eu estava com muita pressa para acudir minha família, começou a conversar comigo, eu não estava afim de conversa mas não podia ser mal educada com ele que estava nos prestando um grande favor e respondi as suas perguntas.

Queria saber sobre minha vida de casada, sobre meu marido e coisas assim eu disse a ele que era casada já a 8 anos, era muito feliz e amava meu marido, comentei sobre meus filhos e ele disse que também era casado e tinha 3 filhos, mas não via sua esposa já a 20 dias, riu e comentou que estava sem sexo por todo esse tempo, eu fiquei sem graça e concordei com ele que continuou a comentar a falta que a esposa fazia nos momentos de descanso nos postos durante as viagens, comentou que as vezes a esposa ia com ele em viagens mais curtas e ficavam alguns dias dormindo no caminhão, mostrou a cama fechada atrás de nos e disse que seus filhos foram todos gerados ali naquela cama, e ria descaradamente com a própria piada.

Eu estava meio apavorada e concordei com ele, me perguntou se eu já havia feito amor na boleia de um caminhão, eu respondi que não nunca, ele riu e comentou que pena, não sabe o que é bom, comentou sobre eu ser uma mulher muito bonita e que meu marido tinha muita sorte de ter uma mulher como eu, agradeci sem graça e muito assustada pois os comentários estavam ficando perigosos, de repente encostou o caminhão no acostamento e parou, perguntei porque paramos e ele disse que ia descansar um pouco e que logo reiniciaríamos a viagem, eu estava apavorada, ele se aproximou de mim e disse que eu era muito cheirosa, comentou sobre minha pele branquinha e meus lábios apetitosos, eu com um medo enorme pedi por favor para voltamos a viagem mas ele insistiu em continuar a me elogiar e se aproximou mais de mim; eu me espremi junto a porta tentando evitar o contato do homem mas ele se aproximou mais, eu sentia seu cheiro de suor, meu deus eu estava em perigo, começou a alisar meu braço que se arrepiou todo comentando , hummm que pele lisinha e macia você tem…

Eu toda encolhida pedi por favor vamos continuar a viagem meu marido e filhos necessitam de ajuda, ai ele disse que claro, mas já que estava me prestando um grande favor, queria algo em troca, eu toda assustada comentei que não tinha dinheiro comigo mas podia tirar no caixa eletrônico do posto ele riu e disse que não estava interessado em dinheiro e sim em meu corpo, eu tentei escapar abrindo a porta mas ele me impediu segurando a trava e começou a beijar meu ombro, eu lutava e o empurrava mas ele nem se mexia, senti sua boca asquerosa em meu pescoço e me arrepiei toda, sentia sua respiração forte e seus grunhidos de gostosa, mordendo e lambendo meu pescoço, implorei a ele para parar por favor, meu marido e meus filhos necessitam de ajuda por favor eu pedia, e ele ,claro vamos ajudá-los assim que eu comer essa buceta e esse cu deliciosos falou sem a menor cerimônia.

Eu me debatia tentando me soltar mas ele era muito forte e me imobilizou me segurando com umas das mãos e a outra enfiou entre minhas coxas sob o vestido invadindo minha intimidade, senti seus dedos pressionando minha buceta, apertava as pernas tentando evitar o seu contato com minha buceta eu estava apavorada, até aquele dia o único homem que havia me tocado daquela maneira era o meu marido, já tinha tido alguns devaneios sobre ficar com outros homens mas nunca tive coragem e nem sentia necessidade já que me satisfazia muito bem com meu marido que era um bom marido e amante, apesar de não faltar cantadas dos colegas do trabalho e mesmo na rua, não faltavam oportunidades, mas nunca me passou pela cabeça tornar aquilo realidade e ali estava eu a mercê de um homem rude e extremamente asqueroso me mordendo, babando em meu pescoço e pegando em meu corpo, apalpando minha buceta, mas apesar de estar apavorada, eu sentia que meu corpo estava gostando daquilo, meu deus eu não podia estar gostando.

O homem continuava a apertar minha buceta sob a calcinha me chamando de gostosa e putinha, eu mesmo apavorada estava me derretendo nos braços do macho, sentia minha buceta ficando melada de tesão, o macho percebeu e disse, esta gostando né putinha, tentou me beijar mas desviei a boca e ele continuou a lamber meu pescoço deliciosamente, eu estava toda arrepiada e naquele momento só queria aquela trepada, esqueci que meu pobre marido e meus 2 filhos estavam na estrada me esperando levar o combustível e me agarrei ao pescoço do macho que me bolinava me entregando com volúpia, o homem percebeu que eu não opunha mais resistência e estava me entregando, abriu o zíper do meu vestido, puxou as alças desnudando meus seios sem sutiã, e após contemplar minhas tetas durinhas com os bicos arrepiados de tesão, comentou, nossa que tetas lindas e deliciosas você tem e caiu de boca mamando hora um hora outro seio, meu tesão estava a mil e tive o primeiro orgasmo sentindo seus dedos acariciando meu grelo melado e mamando meus seios.

Após meu orgasmo, me mandou tirar a roupa e também fez o mesmo, seu pau muito duro saltou para fora da cueca enorme, nossa que pinto, bem maior do que meu marido, grande, grosso e com uma cabeça rombuda que mais parecia um cogumelo de tão grande, a barriga era enorme e seu corpo totalmente coberto de pelos, baixou a cama e nos deitamos, ele veio para cima de mim todo alvoroçado me mordendo e mamando as tetas desceu a boca até minha buceta sedenta e sugou meus sucos deliciosamente, eu sentia sua língua grossa entrar profundamente dentro da minha buceta, chupou forte e eu senti seu dedo todo melado dos meus sucos , acariciar o meu cuzinho e foi enfiando todo o dedo dentro e não demorou nada tive um novo orgasmo, mais intenso ainda que o primeiro, apertei sua cabeça entre minhas coxas e gozei gostoso, enquanto mordia seu dedo dentro do meu cu, foi um gozo tão intenso que quase desmaiei, ele tirou a boca da minha buceta e o dedo do meu cuzinho e trouxe o enorme falo até próximo do meu rosto, olhei para a enorme cabeça vermelha e toda melada, senti o cheiro de urina misturado com sêmen e sem nojo nenhum, passei a língua em toda a cabeça do seu pau, o macho gemia de prazer.

Eu não estava me reconhecendo, estava perdidamente entregue aquele momento, coloquei a cabeça do pinto extremamente duro dentro da minha boca gulosa e mamei como um bebe, o homem ficou louco olhando minha boca deformada pelo seu imenso cacete e me chamava de puta gostosa, mama, mama o pau do seu macho mama putinha, enfiava o cacete até minha garganta me fazendo engasgar e quase vomitar e não demorou nem 3 minutos senti seu gozo, nossa quanta porra saiu do seu pau, eu sentia o cacete se agitando no interior da minha boca despejando uma quantidade enorme de porra que engoli tudo sem deixar escapar nada, o macho esporrando em minha boca estava possesso gemendo de prazer intenso, fiquei ali mamando o seu cacete ate sair todo o esperma ai ele tirou a cacete da minha boca e deitou-se ao meu lado, ofegante, descansando da enorme gozada, logo em seguida veio para cima de mim e abrindo minhas coxas se aninhou entre elas com o enorme pinto bem duro ainda, me tocou, senti a cabeça quente e macia do cacete se esfregando na entrada da minha buceta, ele forçou um pouco e senti a cabeça parecendo um cogumelo, me penetrar, as paredes da minha buceta se moldaram imediatamente em torno da cabeça do seu pau, doeu muito e gemi de dor.

Ele parou um pouco , o tempo suficiente para eu me acostumar com a enorme cabeça e reiniciou a penetração, me abri o máximo possível para recebê-lo, sentia as paredes da minha pobre buceta se esticando mais e mais para agasalhar o enorme pinto, eu sofria com a penetração mas queria isso mesmo e me abri ainda mais para ele, entrou totalmente dentro de mim, senti sua barriga enorme pressionando meu estômago e seu enorme saco batendo em minha bunda, estava com todo o pinto atolado dentro de mim, eu estava com as pernas trançadas sobre seu corpo, ele me possuía como se eu fosse a última mulher, iniciou um vai e vem delicioso demais, comecei a ter orgasmos seguidos sentindo o cacete tocando meu útero, e de repente ele retesou-se todo, enterrando totalmente o cacete dentro de mim, gozou, senti as contrações fortes do seu cacete esporrando dentro do mais profundo da minha buceta, inundou meu útero de esperma, tive mais um orgasmo avassalador no gozo dele e desfaleci com o forte gozo, durou apenas alguns segundos o meu desmaio, quando voltei a mim ele estava descansando sobre meu corpo suado, nossa respiração estava descontrolada pelo gozo intenso, foi se acalmando e se retirou de dentro de mim.

Imediatamente senti sua porra abundante vazando da minha maltratada buceta, melando minhas coxas e bunda, nossa como tinha porra aquele homem, deitou-se ao meu lado descansando do embate, quando então me lembrei do que devíamos fazer, falei a ele que já tinha tido tudo o que queria se podíamos voltar a buscar a gasolina para meu marido, ele me beijou e disse calma, já vamos gostosa, antes deixa eu ver essa bunda maravilhosa que você tem, implorei a ele para não me penetrar por trás pois eu sentia muita dor com o meu marido que tinha o pau menor que o dele, com certeza não iria aguentar o seu pau bem maior.

Ele riu e disse que a penetração anal era questão de técnica, e ele era especialista nisso, eu iria sentir só uma pequena dor da penetração depois seria só prazer, forçou meu corpo para virar de lado para ele, eu ainda com muito medo me virei e senti seu pinto duro e melado se esfregando entre minhas nádegas, me encolhi toda de receio implorando a ele que não metesse ali mas ele disse que não iria perder a oportunidade de foder um cu lindo como o meu e me lubrificou com os dedos enfiando o esperma que escorria da minha buceta para dentro do meu cuzinho até deixar bem melado e escorregadio, encaixou a enorme cabeça na entrada e forçou pedindo para eu relaxar, eu toda temerosa estava com o cu travado de medo, sentia sua enorme barriga pressionando minhas costas e sua boca mordendo de leve meu pescoço, pedindo para eu abrir o cuzinho para ele entrar, abre putinha, abre o cu pra mim abre tesão, relaxa o cuzinho para mim entrar, sempre esfregando a cabeça na entrada.

Forçou mais e eu senti seu cacete escorregando para dentro do meu pobre cuzinho, a cabeça entrou eu gritei de dor e tentei escapar, ele me segurou fortemente pelas ancas e continuou a penetrar, estava me rasgando, nossa como doía, ainda bem que estava bem liso, demorou uma eternidade até ele colocar todo aquele cacete no meu cuzinho super dilatado para recebê-lo, senti seu saco batendo em minhas coxas, o monstros estava todo dentro da minha bunda, o macho gemia de puro prazer me chamando de gostosa, putinha, rebola essa bunda maravilhosa para mim rebola, eu estava me sentindo entupida pelo enorme nervo no mais profundo do meu corpo, eu nunca tinha conseguido aguentar o pinto do meu marido no cu que era bem menor e esse homem horroroso estava com o cacete enorme totalmente enterrado em meu cu, me apertava os seios e me beijava o pescoço dizendo que me queria só para ele rsrsrs.

Eu gemia de dor e prazer ao mesmo tempo, como ele havia gozado 2 vezes já, demorou bem uns 15 minutos fodendo meu cu, nossa ia me esfolar toda, colocou os dedos em minha buceta e começou a meter devagar, eu gemia a cada estocada profunda do seu pau que estava chegando quase no meu estômago rsrsr, senti um prazer mórbido pela degradação do momento, eu estava com um homem horroroso, gordo e barrigudo com o pinto enterrado em meu cu dedilhando minha buceta toda gozada, o suor escorrendo dos nossos corpos, era tão degradante e delicioso que tive mais um orgasmo e de repente ele gemeu mais alto e senti as contrações do seu pinto despejando um monte de esperma dentro do meu dilacerado cuzinho, o gozo dele se prolongou por longos 3 ou 4 minutos ai se aquietou ofegante pelos 3 gozos e seu pau foi amolecendo até escapar do meu cu, senti seu esperma escorrer aos montes de dentro de mim melando minhas nádegas e coxas.

Nossa… o homem era um exagero, como podia produzir tanto esperma assim, em um pouco mais de uma hora ele havia gozado 3 vezes dentro de mim uma quantidade absurda de porra e tinha me proporcionado nada menos que 6 orgasmos deliciosos; descansamos um pouco até que novamente me lembrei da minha missão e implorei a ele para irmos, ele satisfeito concordou e me deu um rolo de papel para me limpar, eu me sentia suja e louca por um banho, não poderia me aproximar do meu marido de jeito nenhum pois eu cheirava a suor e esperma do homem rsrsrs, ele me consolou dizendo que no posto onde íamos havia banheiros de aluguel onde eu poderia tomar banho, nos vestimos eu enchi a calcinha de papel higiênico para aparar o excesso de esperma dele que teimava em escorrer da minha buceta e cuzinho e seguimos viagem para o posto, compramos a gasolina e ele muito gentil se propôs a retornar comigo, eu aceitei pois não havia nenhum caminhão parado no posto no momento e la fomos nos de volta.

Eu sentia o cu e a buceta ardendo pela grossura do cacete do caminhoneiro e o esperma dele vazando aos montes, ainda bem que eu estava de vestido e podia disfarçar o volume de papel higiênico dentro da calcinha, chegamos no local onde estava meu marido e as crianças, ele estava possesso pela demora, ficou muito bravo mesmo, ai o caminhoneiro explicou que não havia ninguém vindo para cá e ele tinha de fazer o retorno uns 5 k a frente para retornar até nosso carro por isso a demora, meu marido nem desconfiou que sua recatada esposa estava com os buracos todos doloridos e encharcados de esperma do homem que falava com ele, senti uma ponta de remorso, meu marido não merecia isso mas por outro lado o cara nos ajudou e eu matei meu desejo de transar com outro homem que não fosse meu marido, foi meio que forçado, eu até poderia ter evitado mas deixei acontecer.

Ele ajudou meu marido a colocar a gasolina no carro, se despediu de todos e beijou meu rosto falando baixinho em meu ouvido, gostosa, você foi a melhor trepada da minha vida, gostaria de te ver outra vez, fato que descartei imediatamente, me olhou com um sorriso nos lábios e um olhar maroto e se foi; logo em seguida seguimos viagem e no posto enquanto meu marido dava lanche para as criança e abastecia o nosso carro, tomei um banho demorado no banheiro do posto, retirei todo o excesso de porra do caminhoneiro enfiando a ponta da mangueirinha na entrada da buceta e do cuzinho, fiz uma boa limpeza para me livrar de todo aquele esperma, logo depois me juntei a minha família, sentindo um pouco de dificuldade para sentar e até para andar pois minha buceta e cuzinho estavam extremamente doloridos ainda, nossa como sofri nas mãos daquele macho, mas gozei tanto como nunca tinha gozado em minha vida; não iria esquecer jamais aquela trepada tão casual e tão deliciosa……

Leia outros Contos eróticos de corno bem excitantes abaixo:

Eu meu primo e minha esposa

As experiencias de Felicia

15010 views

Contos Eróticos relacionados

Amigo levou a calcinha dela

Naquela noite estávamos eu minha esposa com um amigo que recentemente havíamos conhecido. Walter chegou de sua cidade e nos encontramos num bar para casais, pedimos algumas bebidas e ficamos nos...

LER CONTO

Namorada europeia

Bom, tudo começou quando uma russa se mudou pro meu  predio, ao lado do meu ap. Logo nas primeiras semanas ela deu em cima de mim, e claro cai matando. Comecamos a namorar, ela era bem tranquila,...

LER CONTO

Sendo enrabada enquanto o marido não chega

Marcia está casada há quase três anos. É advogada e trabalha numa grande banca de advocacia. A família dela, sem exceção é toda de juristas e servidores públicos. Teve uma educação...

LER CONTO

AMANDA VIAJA PARA CONHECER MACHOS E CORNO DEIXA.

Olá, meu povo. Meu nome é Amanda, sou casadinha com Leandro, maridinho super dedicado, corno e feliz. Como muitas amigas de nosso grupo de casadas do Brasil, foi ele quem pediu para ser corno. Como...

LER CONTO

2 - Comentário(s)

  • João e Lurdes 22/12/2022 15:37

    Quanto a nós que lemos este maravilhoso conto não foi traição mas sim uma maneira de pagar um favor sem ter como e foi um pagamento muito gostoso adoramos o conto

  • Sonia Gomes 28/11/2022 19:41

    Nossa, foi dos melhores contos interraciais que eu já li, queria estar no lugar daquela mulher! Agora que ela experimentou uma traição, e o corninho nem percebeu, com certeza que ela vai procurar outros negões pra dar!

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 2 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2023 - Contos adultos