website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos verídicos » Terapia Sexual de Sucesso – III

Terapia Sexual de Sucesso – III

Publicado em novembro 22, 2022 por Ricardo Cruz

Olá, amigos!

É uma continuação de “Terapia Sexual de Sucesso – II” onde descrevo alguns encontros virtuais que participei, espero que a leitura seja agradável se apreciam contos pornô-eróticos.

 

Tudo começou com um simples convite de bate-papo pelo antigo chat da Google, o Hangouts, mas continuou durante um bom período.

Participantes: Ricardo e Luíza /Iolanda

Continuação…

 

19 de maio

L – Se tiver alguma transa ao vivo e em cores por aí, me conte.

R – Você abriu outra conversa por quê? Está achando que valho por dois? Ao vivo não dá para escrever, né? Ainda estou na pesquisa, acabei de chegar a Bahia e estou tentando achar uma baiana do seu perfil, você me impressionou muito. Quando penso em você fico com o cacete em riste. Bate aí uma sissirica ou trepe com o seu marido pensando em nós. Uma chupada no clitóris. Na hora do banho de hoje vamos repetir, você chupar meu pau, te encostar-se à parede e enfio meu pau lentamente e, então, vou socar até o ápice. Tomamos banho e vamos direto pra cama. Pedimos o serviço de quarto um vinho e uns sanduiches. Colocamos num canal pornô e repetimos as cenas do filme até aguentarmos. Dormimos abraçados.

L – Respondo-te mais tarde. Estou estudando. Como faço pra te manter oculto no meu notebook?

R – Por que você quer arquivar? Só terá mais trabalho para acessar, mas se quiser proceda assim, no Hangouts à direita do nome há 3 pontinhos na vertical. Clique nos pontinhos aparecerá Arquivar e Excluir. Clique em Arquivar. Quando você quiser ver a conversa, clique no triângulo à direita do seu nome (sempre no Hangouts) abrirá uma aba com diversas opções, clique em Hangouts Arquivados, aparecerão as conversas arquivadas.

L – Porque as vezes estou no siolanda e aparece você. Este e-mail é da Iolanda, mas sempre abro no meu notebook. Não sei se ela está lendo nossa conversa e para meu marido não ver. No momento meu marido está roncando ao meu lado. Como está o trabalho? Ficando muito cansado ou já arranjou uma pra ficar com você a semana inteira? É melhor que transa virtual, Não? Mande algum conto de romances e traição. Sou muito romântica e gosto também de uma boa trepada.

Não tinha pensado em ficar vendo pornô num quarto de hotel. Queria ir a um barzinho onde eu pudesse torturar você. com meus pés e mãos por debaixo da mesa. Você também me colocaria louca acariciando minha xoxota com as mãos. Eu estou sem calcinha você me alisa com as mãos e depois me fode com os dedos até eu quase gozar. Subimos pro quarto e já vamos nos beijando cheios de paixão. Vamos nos despindo rapidamente. Você me joga na cama e me faz gozar com sua língua experiente e quente. NÃO precisamos de filmes pornôs. transamos de várias posições quando você carinhosamente sussurra no meu ouvido palavras carinhosas, morde o lóbulo de minha orelha e devagarzinho vai enfiando seu pau no meu cuzinho. No início devagarzinho depois enfia tudo e vai dando estocadas cada vez mais fortes eu rebolo e peço pra não parar. Me fode seu puto me faz sentir esta pica todinha dentro de mim até ficarmos extasiados. Meu primeiro orgasmo com sexo anal. Tomamos banho e nos enroscamos nos braços um do outro e dormimos. Tenha um boa noite. Gostaria de sentir o seu caralho de verdade.

L – Vamos recomeçar?

Não deu. Estou estudando até agora. Eu rendo melhor à noite. Como foi seu dia? Já arranjou uma amante aí para passar a semana? Você não é um garanhão? E a obra como está indo? Por curiosidade como conseguiu meu e-mail para enviar contos eróticos? Você me conhece? Mora onde? Até amanhã. Abç. Hj entro em contato mais tarde

Estou viciada em você… Penso em você o dia inteiro. Você já leu O Pequeno Príncipe de A. Exupéry. Li várias vezes e faço questão de presentear adolescentes. Tem muito a nos ensinar. A frase mais famosa “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas” e a outra é do diálogo da raposa com o príncipe. “Quando nos encontramos de hora marcada 1 hora antes fico agitada preparando meu coração”. Você não respondeu às minhas perguntas. Como está passando o tempo após o trabalho? Qual o tipo de garota que está transando por aí? Como conseguiu continuar no hangouts? Levou seu notebook? Saudades.

Mande os contos. Estou aguardando.

R – Vamos às respostas: os trabalhos estão ocorrendo a contento, exceto pela “esperteza” dos baianos, serviço que é pra ser feito em um dia e meio está levando três dias, mas vamos continuar e um dia concluir a obra. O seu e-mail foi a Luíza “sua amiga” que informou. Não a conheço pessoalmente e atualmente resido na RMBH. Aliás, estou ficando muito confuso, estou sempre respondendo no “Siolanda6” para você, inclusive e-mails. A Iolanda não está te olhando diferente? A Iolanda não me manda hangouts e eu respondo sempre para você Luíza, mas se ela pensar que é com ela? Acho mais seguro você criar um login no Gmail, é muito fácil, se você não souber peça ao seu marido, dê uma desculpa qualquer, por exemplo, “acessar sites pornôs” ou “lojas de produtos eróticos”, seu endereço fica na base de dados deles e pode receber mensagens destes sites. Você disse que “Gostaria de sentir o seu caralho de verdade” entendi bem? Você está a fim do meu caralho ou só falou virtualmente, no entusiasmo? Estou trabalhando muito, mas à noite descanso com uma moreninha bem carinhosa e gostosa, até parece que ela não vê um pau há séculos. Dei uma sorte danada, o chefe dos peões tem um Notebook e o colocou à minha disposição quando ele não o estiver usando; assim que acabo de te enviar mensagens, deleto todos os rastros que podem ter ficado gravados. Corro um risco mínimo, mas por você vale a pena. Não me esqueço de nossas trepadas virtuais, principalmente você chupando meu pau com a sua bucetinha. Vou pesquisar uns contos para te mandar. Saudades. Beijos.

L – Muitos beijos. Saudades.

R – Ei, gata. Vai transar hoje?

L – Quando vai chegar de viagem? Volta esta semana ainda? Amanhã vou estar no curso o dia inteiro. Vou levar meu notebook. Meu horário de almoço é de 12 às 13h. Se lá tiver wireless e você estiver disponível poderemos conversar. Que tal nos comportarmos como namorados que ficaram uma semana sem se ver? Tem que ser coisas leves. Bjs

R – Voltarei no próximo sábado. Aguardarei seu contato no seu horário de almoço, vou pegar uma praia agora de manhã e pensar em você. Beijo carinhoso na xoxota. Curiosidade: você se depila 100%?

Pena que não pudemos conversar na hora do seu almoço. A chama que estava começando a se acender se apagou?

L – Por quê?

R – Você nem respondeu minhas perguntas.

L – Tive curso pela manhã. Almocei com minha família em restaurante. Depois fui pra outro curso na igreja, depois missa.

R – Pode escrever, quando for possível lhe respondo, conversa mais longa e com sexo virtual só a partir de sábado próximo; após seu maridão dormir, conversaremos o tempo que você quiser. Saudades. Beijos.

L – A que horas estará logado? Não estamos coincidindo os horários. Então até sábado. Bjs. A chama está virando um incêndio.

R – Pensei que a chama estivesse apagando porque nem sempre me responde, mas fico feliz que esteja virando um incêndio; maravilha, cuidado para não se queimar rsrsrsrsrs… Já havia lhe dito que estou usando o PC de um colega e quase sempre não está disponível. A partir de sábado teremos todo o tempo necessário. Qual seria o melhor horário pra você?

L – À tarde ou à noite.

R – Seu marido não estará em Casa? Vamos combinar para as 19:00 h? Qualquer imprevisto nos comunicamos. Beijos e uma lambidinha na xoxota depilada!

L – Ok. Ele tem um compromisso, vai ficar fora o dia todo. Fiquei um tanto assustada quando você disse que o meu e-mail foi passado por uma amiga. Quem seria esta amiga? por que repassou o e-mail. Depois você disse que mora na RMBH. Tenho colegas de serviço que moram também. Você realmente não me conhece? Sei que no virtual podemos mudar nome e perfil. Sábado conversaremos. Estou muito confusa. E insegura.

Quero te contar o sonho que tive hoje. Acordei me deliciando e muito excitada. Estávamos dormindo juntos e você me acordou com beijos pelo pescoço, mordiscou minha orelha e foi descendo me beijando os seios a barriga, seguiu me beijando e mordiscando até o meu púbis. Depois me deu um beijo de língua bem gostoso, aí acordei.

R – Não fique insegura, realmente ainda não a conheço. Conversaremos no sábado. Quanto ao sonho pena que não foi realidade; você aproveitou e transou com o maridão? Ou ele não está te correspondendo? Beijão minha putinha.

Seu sonho ficou no meu subconsciente e continuou hoje. Após o beijo gostoso, puxei o seu corpo junto ao meu, nossos corpos se encaixaram perfeitamente. Comecei a acariciá-la, peguei em sua nuca e fui descendo bem lentamente a mão, passei pelas costas até chegar na bunda. Apertei com força e continuamos o amasso. Eu já estava desejoso de comer sua bucetinha. Encaixamos nossos corpos, comecei a beijar sua nuca e a roçar meu pau duro em sua bundinha. Desci a cabeça até sua bunda e comecei a beijar e a morder. Comecei a lamber a bunda, a abri e caí de língua no cuzinho. Você deu um grito abafado, começou a morder os próprios dedos e a gemer de olhos fechados. Demorei-me ali no cuzinho, você rebolava e gemia bem baixinho. A virei de frente pra mim e dei mais um beijo gostoso na sua boca, cheguei bem perto do seu ouvido e sussurrei que era pra relaxar que eu ia fazer tudo com carinho. Fui até a sua buceta e comecei a chupar bem gostoso. Você gemia, continuei chupando e você já estava quase gozando. Então parei, pois queria que gozasse no meu pau. Meu pau tem uns 19cm, mas é bem grosso e você ficou olhando, como se estivesse hipnotizada. Em seguida aproximou a mão bem lentamente, como se tivesse medo de fazer movimentos bruscos. Finalmente tocou minha pica e ficou ensaiando uma punheta. Eu já estava tocando sua buceta e enquanto tocava meu pau eu fazia uma siririca na sua buceta. Estava muito gostoso, você pegava no meu pau com carinho, mas eu já estava a fim de meter e não ia fazer um papai-mamãe básico. Pedi pra ficar por baixo e te mandei sentar no meu pau de costas pra mim. Que posição fantástica!!!

Ao mesmo tempo em que o meu pau entrava e saía da sua buceta quentinha, eu brincava com o seu cuzinho. Você gemia gostoso e cavalgava no meu pau. Eu alternava entre brincar com o cu e arranhar suas costas e cada arranhão você gemia mais alto. Então pedi pra virar de frente pra mim. Você estava gozando, já não gemia mais, agora gritava e cavalgava com mais força e velocidade, estava em êxtase, até que gozou. Soltou um grito curto e agudo e foi ficando mole, foi se curvando e repousou a cabeça no meu peito e nosso suor se misturou. Meu pau ainda estava duro e eu podia sentir sua buceta apertá-lo. Pedi pra ficar de quatro e encostei meu pau na entrada da sua bucetinha e você foi recebendo meu pau com todo carinho, enfiei bem devagar pra deliciar aquela cena linda. Puxei-te pelos cabelos enquanto socava com força. Não demorei muito e gozei, gozei dentro, gozei gostoso, meu coração ficou disparado. O tesão foi diminuindo e meu pau amolecendo. Beijamo-nos longamente e deitados lado a lado dormimos pensando em como seria a próxima.

L – Que trepada fantástica! Acho que nunca tive uma assim. No momento não tenho como pensar nisso, não posso me entregar ao desejo. hj é dia de deixar queimar a comida. ficar pensando em você o tempo todo e esquecer da vida.

Estou com muitas saudades. Você volta hoje ou amanhã? Estou só. Meu marido viajou e ficarei sozinha até terça de manhã. Minha bocetinha está latejando muito. A propósito, ontem consegui não queimar o almoço. Mas não me esqueci do meu sonho e seu complemento. Estou louca para realizá-lo. desejo-te muito. Bjs

R – Conseguiu recuperar o hangouts? Estou em Salvador, mas com receio dessa greve maluca impedir meu retorno a MG, já estou cruzando os dedos. Voltarei amanhã. Hoje está tudo parado. Meu colega vai sair para ver se arruma alguma mulher e emprestou-me o PC, então, se você quiser poderemos conversar hoje, não precisaremos esperar amanhã. Aguardo sua resposta ansiosamente. Bjs muitos onde mais lhe agradar.

L – Ok. A que horas você estará disponível? Muitas saudades e imaginação a mil. Você não vai sair com seu colega para conseguir uma transa de verdade? Poderemos nos falar depois, quando você voltar. Bjs.

R – Agora estou disponível. E você?

L – Prontinha te esperando. Enquanto eu depilava, a cera quente me fazia imaginar que você estava brincando com meu clitóris e enfiando sua língua quente e gostosa.

R – Bela imagem e imaginação. Depilou 100%?

L – Claro é muito mais higiênico.

R – Imagine que estou te chupando o clitóris e enfiando a língua alternadamente.

L – Meu coração já está acelerando e estou ficando molhadinha.

R – Calma. Conte-me de suas transas enquanto estou viajando.

L – Como você sabe transo só com meu marido e virtualmente com você. Semana passada saímos com os amigos na sexta. Tomamos cerveja, (ah! tomei duas doses de pinga também) nem fui dirigindo pra poder beber à vontade. Ficar bem relaxada. Quando chegamos em casa ele já foi tirando a roupa e vi o volume da cueca. Comecei me trocar também. Ele me puxou e me deu um beijo e mordeu minha orelha e começou a falar no meu ouvido pra dar pra ele a bucetinha mais gostosa que ele acha.

R – Foi real? Ou você está criando

L – Real.

R – Não teve vontade de dar para outro cara?

L – Deitei e ele veio pra cima de mim. Começou a mamar nos meus seios. beijou minha barriga e foi descendo me dando um banho de língua.

R – Está ótimo. Continue…

L – Na hora eu tentava tirar você do meu pensamento. Tinha medo de trocar o nome. Comecei a masturbá-lo com a mão, mas estava difícil devido a posição. Então comecei a acarinhá-lo com os pés.

R – Oba! Você estava trepando então comigo? Continua…

L – Não eu tentava tirar você do meu pensamento e focava no meu marido, e pensava fica bem relaxada busque um orgasmo bem intenso…

R – Já está gozando?

L – Não. Masturbei meu marido, mas não o deixei gozar. Pedi a ele, enfia essa pica em mim me come com vontade, vai.

R – E aí? Enfiou fundo?

L – Tudo. Penetrava-me e tirava e neste vai-e-vem comecei a massagear o meu clitóris e acabamos gozando. Ele falou “ô bucetinha gostosa apertadinha e quentinha”. Ficamos deitados descansando um pouco. Ele se limpou vestiu o pijama virou de costas pra mim e foi dormir.

R – Te decepcionou, né? Você queria outra trepada?

L – É sempre assim. Queria trocar uns beijos, trocar umas carícias. Aí peguei meu computador e vi alguns pornôs

R – Que tipo de pornô você assistiu?

L – Pornô de transas, mas fiquei abismada com os tamanhos dos pênis e as várias posições e várias trepadas. Fiquei acesa de novo. Fui pra outro quarto e imaginei você comigo e o tanto que é carinhoso. Peguei meu brinquedinho predileto e falava “vem Ricardo me fode vai”. “Faça-me sentir uma mulher gostosa me dê vários orgasmos e muitos beijos de língua”. “Faz sua putinha gozar, vai’.

R – Conseguiu gozar? Será que sua bucetinha aguentaria um pau daqueles de filme pornô? O meu é moderado, 19 cm e 5 cm de diâmetro.

L – Claro que não. Sou bem apertadinha. Não sei o tamanho do meu marido, mas sempre fala que gostaria de ter um maior pra me dar mais prazer. E sim gozei intensamente.

O correio entregou meu outro brinquedinho. Podemos estreá-lo hoje. O que acha? É um vibrador.

R – Acho ótimo. Tomou seu uísque ou o aquecimento já está pronto?

L – Estou pronta, mas vou tomar um uísque. Assim posso imaginar que estamos juntos no bar falando coisas bem sacanas e trocando carinhos. Aguarde-me.

R – Tire sua calcinha, ou melhor, fique pelada (em Salvador agora está a 30 graus). Comece a alisar meu pau por cima da cueca…

L – Já estou peladinha. Estamos em um lugar público ou não

R – Não… Teria coragem de ficar pelada em público?

L – Desculpe. Vacilei como posso estar pelada em local público? Não estou ficando tão despudorada assim.

R – Está ficando pelo menos um pouco despudorada?

L – Você está me fazendo ficar assim. Gostaria tanto de ouvir sua voz!…

R – Imagine que estou sussurrando ao seu ouvido.

L – Eu queria ouvir de verdade. Mas façamos a imaginação voar. Oriente-me.

R – Quero te propor algo, você aceitaria?

L – Só posso responder depois da proposta. Você me ajudou muito quando eu estava muito ruim. Foi um verdadeiro terapeuta. Aliás, o meu chega de São Paulo na sexta. Tenho que marcar uma sessão urgente.

R – Não é nada grave. Hoje lhe proponho enviar, como diálogo, um encontro nosso que imaginei e escrevi enquanto esperava você chegar as 16:00 h. O que acha?

L – Topo.

R – Vamos lá. Eu escrevo e você comenta o que quiser.

“Após uma ida a uma danceteria e uns goles fomos pra casa. Na sala mesmo começamos a nos beijar. Você sempre pedia para que apagasse a luz, mas naquele dia fez questão que as luzes estivessem bem acesas, pois, não tínhamos nada a esconder e ninguém a nos observar. A ajudei abaixando o zíper do seu vestido e quando caiu, revelou uma linda e sensual combinação….”

L – Isto é verdade adoro vestidos e quando são um pouco transparentes uso mesmo uma combinação. Não sei se é sensual. Agora vou preocupar-me mais com meus lingeries. Já estou excitada e começo a te beijar. Coisa que quero de verdade.

R – “A conduzi carinhosamente para o sofá, deitando-me por cima e entre os beijos, fui terminando de lhe despir, abri as suas pernas e lambi a sua xoxota deixando-a cheia de tesão. Depois foi a vez de retribuir a chupada. Você ficou ajoelhada na minha frente, começou a me despir e colocou minha piroca na boca.”

L – Começo a lamber a ponta vou descendo chego ao saco dou umas mordidinhas e não resisto e enfio inteiro na boca. Ele é um pouco grande e chega quase a minha goela. chupo com vontade e com a mão vou tirando e voltando a boca como se estivesse entrando na minha buceta bem devagar.

R – “A coloquei deitada no sofá levantei as suas pernas e ajoelhado no chão, comecei a pincelar a piroca na sua xoxota e depois que ficou bem lambuzada, a penetrei. As suas unhas cravavam no tecido do sofá enquanto ia lhe introduzindo. Ainda faltavam uns quatro dedos de piroca para entrar tudo. Quando atingiu o fundo você urrava de prazer.”

L – Seria um prazer imenso. urrar com sua piroca dentro de mim.

R – “Em seguida iniciei o vai e vem e aqueles quatro dedos que faltavam para entrar, desapareceram para dentro da minha cachorrinha quando nossos corpos encostaram um no outro. Parecia que lhe faltava o ar enquanto comprimia o ventre, eu estava indo muito fundo, você virava a cabeça de um lado para o outro extasiada até anunciar que já estava gozando.”

L – Seria maravilhoso. Não me lembro de ter tido orgasmo só com penetração.

R – “A coloquei de quatro sobre o sofá. Comecei a lhe dar palmadas na bunda mandando que empurrasse o seu corpo contra o meu e exigindo que o agasalhasse por inteiro, senão a palmada seria mais forte. Você obedecia socando seu rabo contra a piroca e quando começou a retardar os movimentos nem as palmadas mais fortes na sua bunda a faziam remexer.”

L – Nunca ganhei palmadas na bunda. No momento estou imaginando ser invadida por seu caralho e tentando enfiar o meu brinquedo que parece bem grande pra mim. Dói muito.

R – “Lubrificou-se direitinho? Imagine que é meu pau, seu brinquedo vai entrar mais fácil, pois como disse tenho 5 cm de diâmetro. Aí segurei firme na sua cintura e rapidamente comecei a meter. Você urrava e mordia o encosto do sofá se contendo até não aguentar mais e anunciar pela segunda vez que iria gozar. Manteve-se de quatro depois do gozo,”

L – Estou bem lubrificada e passei lubrificante nele, mas é difícil entrar tudo. Estou tentando. Sei que você é muito carinhoso, vai devagar. Eu fico gemendo não sei se de dor ou prazer.

R – Abra bem as pernas que seu garanhão quer te arregaçar, sua buceta tá muito apertadinha minha égua. Subi no sofá, esfreguei a piroca na sua xoxota babada e pela terceira vez novamente anunciou que iria gozar. Em seguida segurei o pau e comecei a pressionar contra o seu cuzinho. Ameaçava enfiar e quando tirava podia ver aquele cuzinho rosado piscando querendo a piroca. Tornava a ameaçar a entrar e a cada vez que ameaçava, entrava mais um pouquinho, até que você não aguentou mais a provocação e empurrou o seu cuzinho de encontro à minha piroca fazendo com que a arrombasse de vez. Acelerei os movimentos e urrei.

L – Consegui enfiar tudo. Não consigo descrever o que sinto. Vem meu garanhão me fode.

R – Vai e vem começou… Minha putinha quer que te arregace? Tô metendo e beijando e arranhando suas costas. Enfiei o dedo no seu cuzinho. Goza cadela, goza vaca, goza mula, goza no pau do seu jumentinho…Goza…

L – Não consigo te falar o que estou sentindo acho que vou gozar no seu pau.

R – Goza, goza. Tô batendo com força meu saco na sua bunda. Você tá parecendo uma cadela no cio. Tô até com medo de ficarmos engatados após gozarmos. Tá chegando, vou encher sua buceta de porra….

L – Ai…estou gozando no seu caralho. Achei que jamais conseguiria um orgasmo por penetração. Obrigada. Cada vez me sinto mais dependente e isso é muito ruim. O orgasmo foi ótimo. obrigada

R – Finalizando a transa imaginada: “Me sentei no sofá e te puxei para meu colo. Sentou-se com o seu cuzinho e foi escorregando na piroca até ela sumir. A sua xoxota esguichava de prazer enquanto minha piroca golfava no seu cuzinho. Exaustos fomos pra cama e dormimos abraçados após um longo beijo. Essa não foi a nossa última transa.”

L – Acho que temos de parar com isso. Você me dá muito prazer. Hoje com a penetração tornou-se mais real. E eu quero mais. quero tentar outros orgasmos.

R – Como parar se você quer mais. quer tentar outros orgasmos?

L – Por isso mesmo. Fico imaginando como você é. Como é sua voz. Semana passada tudo que fiz de almoço deixei queimar. Meu pensamento era só em você… Como seria uma transa de verdade. Se nem essas virtuais consegui contar pro meu marido. Ainda bem que moramos bem distantes.

R – Pratique com o marido ou com alguém que esteja à mão, só não pode é renunciar ao prazer.

L – Responda se quiser. Você teria coragem de transar comigo de verdade?

R – Eu teria desde que não houvesse possibilidade de prejudicá-la.

L – Como me prejudicar? Meu marido está com tanto remorso por ter me traído que está louco e disse que teria o maior tesão em saber ou ver que estou tendo prazer com outro…

R – Ah! Bom. Já tirei esse receio do pensamento. Quando começo a trepar com uma mulher, apesar de ser liberal, quero exclusividade.

L – Mas eu continuaria transando com ele. As vezes passamos até 20 dias sem dar uma trepada ou troca de carinho.

R – Tem praticado com ele o nosso aprendizado?

L – Ele é mais papai e mamãe apesar de que tem uma chupada de xoxota e penetração com os dedos divina.

R – Ensine para ele. Se ele quiser saber como aprendeu, diga que foi pelos filmes; se ele não acreditar fale do nosso sexo virtual…

L – Eu já havia falado com ele sobre você ter me convidado para o hangouts. Na época te deletei. Fiquei com medo. Ele falou pra continuar com o contato porque você enviava uns contos bem legais. Por isso criei a Iolanda (sou a mesma pessoa Luíza e Iolanda). É porque quando tive que abrir meu e-mail perto de colegas fiquei com vergonha dos contos.

R – Então não problema nenhum em você falar com ele: “vamos trepar como trepo virtualmente com o Ricardo?” Pela resposta saberá se ele está querendo te agradar ou não.

I – Mas acontece que não falei que continuo conversando com você. Por isso te excluo de vez em quando pra ele não ver. Tenho uma proposta a fazer. Continuamos nossa transa virtual até terça. Depois te deleto. Na quarta-feira você me convida novamente pro bate-papo no hangouts. Aí falo com ele. Só conversa de amenidades e depois você sugere um sexo virtual. Você me conduz e eu não vou ficar muito empolgada nem muito safada. Aí podemos ir avançando no virtual e eu começo a praticar com ele. Apesar de ele ser muito devagar e só aguentar uma mesmo. Que você acha?

R – Vou ter de sair para jantar agora, podemos conversar mais tarde? Achei sua proposta razoável, mas quero pensar para ver se tem ponto falho, entrar no meio do casal pode ser muito perigoso, a gente não sabe as consequências. Preciso também acabar com a sua insegurança quanto a mim que você disse outro dia. A que horas voltamos a conversar?

I – Quando voltar me dê um toque. Provavelmente estarei disponível, visto que não tenho gasolina pra sair. Bjs

R – Ok. Bjs

 

Continua…

Se gostaram, comentem. Agradeço os comentários.

[email protected]

1108 views

Contos Eróticos relacionados

TEMA – FLAVIA FERNANDA – MINHA SECRETARIA – PARTE 1

TEMA – FLAVIA FERNANDA – MINHA SECRETARIA – PARTE 1 Personagens – F. F. – Secretaria – C. L. – Administrador – A. G. – Diretor/Sócio e P. M. – Assistente 1ª Parte – A...

LER CONTO

Dei o cuzinho no condomínio

Me chamo Lia e essa história toda vez que me lembro me animo toda... na época eu tinha 18 anos,  1,65 de altura, sou morena e tenho um corpão, estava passando um final de semana na casa da...

LER CONTO

Minha Primeira vez com a irmã do meu amigo

Eu nunca nem tinha lido contos eróticos, mas a minha noiva disse que lia muito quando era adolescente, e me disse que a minha história de primeira vez daria um ótimo conto, então vamos lá... ...

LER CONTO

No feriadão Fodi a Sobrinha Sem Dó

Família reunida, feriadão prolongado e muita bebida só pode dar merda.. Bem Vamos lá Como já relatei em outro conto aqui já dei uma escapada com a cunhada, como relatado em outro conto,...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 3 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2022 - Contos adultos