Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de fetiche » Será que minha esposinha é uma puta? Parte 2

Será que minha esposinha é uma puta? Parte 2

Publicado em agosto 7, 2020 por pepinodomar

No meu último conto (será que minha esposinha é uma puta) eu contei como fiquei desconfiado que a minha mulher, que sempre achei ser uma santa, pode ser na verdade uma vadia fogosa, louca por uma putaria forte. Desde aquele dia fiquei reparando nas atitudes dela para ver se era só impressão minha ou se ela é realmente uma puta. Uma das primeiras coisas que eu notei foi que, sempre que ela vai para algum lugar que sabe que vai encontrar vários homens, ela “por coincidência” está sempre com uma calça de ginástica enfiada no rabo, e como ela é muito gostosa, com uma bunda de deixar todo mundo de queixo caído, dá para imaginar como fica com esse tipo de roupa. Finge que não tá percebendo nada mas no fundo gosta de ver todo mundo babando pelo rabão dela, deve ficar só imaginando todos aqueles homens tocando punheta gostosa para ela depois, só sonhando com aquela raba arrebitada e malhada dela. Comecei a reparar que, sem dúvidas, está cada vez mais exibida.

Desde aquela vez do meu último conto (será que minha esposinha é uma puta), em que ela vestida igual uma puta (não percam a foto no conto anterior para ver como não é brincadeira o tanto que ela é gostosa) começou a falar sobre dar para vários paus ao mesmo tempo, eu comecei a fazer brincadeiras durante as nossas transas só para ver até onde ela ia. Só testando ela sem ela perceber. Um dia falei: “você falou de dar para mais de um mas não aguenta nem meu pau, imagina dois três, duvido que aguentasse”. E ela: “Ah é. Será que não aguento? Você acha que não? Olha lá hein. Assim vou ter que dar para mais de um só para te mostrar.” Que vadia! Tava cada vez mais saidinha. Fingi que não tinha ouvido nada e desconversei. Outro dia, comecei de novo o assunto: “Será mesmo que você aguentaria mais de um. Para aguentar tem que aguentar vara nesse seu cuzinho apertadinho. Deixa eu comer esse seu cuzinho para ver vai”. E a safada fala  “só assim não tem graça. Se quiser testar se eu aguento mesmo tem que ser para valer, dois três paus de uma vez só.” Nessa hora eu não aguentei, baixei a guarda e comecei a estimular a puta dentro dela. “Ah é sua puta! Tá querendo vara forte? Você é uma vadia mesmo!”. Ela já foi soltanto um “aham. Um pau só é pouco para mim” e eu já fui sentindo a bucetinha dela se encharcar. Quanto mais merda eu fui falando no ouvido dela e dizendo “será que eu casei com uma putinha, é” ela foi concordando e ficando cada vez mais ensopada, muito mais que o normal dela. Logo ela gozou gostoso, gemendo alto, tive que abafar os gritos da vadia para não acordar nossas filhas que estavam dormindo, parecia uma louca. Dava p ver que estava fora de si.

Continua depois da publicidade

Os papos continuaram e eu sempre querendo comer o cuzinho dela, me aproveitando da história de testar ela para ver se aguenta para me aproveitar e arrombar aquele cú apertado. Sempre tive uma pira enorme em comer o rabinho dela mas ela sempre negou. Como sempre achei que ela era uma santinha e por isso não dava o cú, não insistia tanto, mas ultimamente eu tava em cima agora que estava desconfiado que de santa talvez ela não tenha é nada. Um dia, insistindo na história do tem que aguentar no cuzinho se quer dar para dois, três ela voltou a falar que eu só ia foder o rabinho dela no dia em que eu deixasse ela se deliciar com pelo menos mais um pau. De novo fui falando que não e ela foi ficando cada vez mais ousada: “melhor que um desses paus seja ou seu. Daqui a pouco você vai é ficar de fora!”. Eu sei que na hora devia é mandar ela p puta que pariu, onde já se viu falar isso, mas confesso que na hora só ia dando corda para a vadia e percebendo que só assim para aquela petequinha dela ficar lavada de tanto tesão. As coisas estavam fugindo do controle.

Um dia tive uma idéia para resolver a situação. Lembrei que ela tinha um pênis de borracha guardado numa caixa. Eu já tinha visto e quando perguntei ela me disse que tinha ganhado de umas amigas num amigo secreto de brincadeira mas que nunca tinha usado. Achei mesmo que não porque as amigas realmente avacalharam. Era uma jeba de uns 25 cm, mais grossa que um desodorante. Um pau desses não cabe numa bucetinha igual a dela. Ela é toda meiguinha, pequeninha. Era o que eu precisava p meu plano. Nessa noite decidi estimular ela a tomar um vinhozinho, uns drinks e deixei ela bem alegrinha. No quarto, comecei a puxar a putaria forte que vínhamos falando há um bom tempo e já fui notando a bucetinha dela se encharcar. Quando voltei a pressionar para comer o cuzinho ela caiu na isca e mandou o de sempre: “Já falei que o cuzinho só quando eu ganhar mais de uma vara ao mesmo tempo”. Nessa hora levantei, ela ficou só me olhando, abri a gaveta e tirei o pênis de borracha falando “então vamos. Já que você quer mais de um, hoje você vai ter. Hoje não tem desculpa. Seus 2 paus estão aqui. Se não aguenta, pelo menos o cuzinho para mim vai ter que sair. Não tem p onde correr”. A idéia era ela desistir do plano na hora que olhasse aquele pau de borracha enorme e decidisse começar o “treinamento” dando o cuzinho de uma vez para mim, para ir pegando o jeito. Mas adivinha só? Acho que todos já sabem a resposta. Só eu que ainda não estava querendo acreditar. Não é que a vadia fala “ ah é. Agora tá ficando melhor. Agora to começando a gostar da brincadeira”. Eu fiquei meio sem palavras. Será que ela tava falando sério? Será que ela realmente tava pensando em encarar aquela vara? Falei “ah é? Quer dizer que você acha que aguenta esse aqui é?”. Ela falou sem pensar 2 vezes: “ você acha que não? Vem pôr ele então nessa bucetinha para ver se a sua putinha não aguenta”. Fiquei meio em choque. Não tava esperando por isso. Eu tava quase paralisado mas meio que no modo automático fui em frente. Queria ver mesmo até onde ela iria. Dei uma mamada naquela buceta dela para dar uma ajuda mas a verdade é que nem precisava, acho que nunca tinha visto ela escorrendo do jeito que já estava, parece que o corpo dela já estava se preparando. Quando comecei a colocar aquele pau de borracha enorme, fui começando bem devagar pq imaginei que aquilo iria machucar muito ela, mas de repente a buceta dela engoliu ele com uma facilidade que nem acreditei. Olhei para cara dela achando que estaria quase chorando de dor e quando olho ela tá em com uma cara de puta safada olhando para mim e falando “ai que delícia. Era isso que você queria? Ver se a sua putinha aguenta é?”. Eu tava tão chocado que comecei a falar “nem cara de dor a vadia fez”. Socava ele inteiro até no fundo e ela gostando cada vez mais. Eu achava que não entraria nem a metade, porque a buceta dela é bem curta (como falei, ela é pequenininha). Mas nada, ela engolia aquela vara igual uma vagabunda. Não dava nem para acreditar. Nessa hora me levantei, fiquei em pé e dei meu pau para ela chupar. Ela se sentou na cama, sem tirar o pau de borracha de dentro e começou a mamar e se lambuzar inteira na minha pica enquanto montava no outro. Dava p ver que estava em transe, mamava com gosto e simplesmente quicava fundo nos 25 cm de borracha. Eu quase explodindo de tesão comecei a falar “é isso que você queria é? Duas varas ao mesmo tempo?” e ela só concordava e chupava como uma louca, sabe, daquelas que você percebe que é com gosto, para valer. Falei então “agora é hora de dar o cuzinho para mim. Quer 2 varas, tem que conseguir dar o cú primeiro”. Na hora ela concordou, tirou meu pau da boca, começou a punhetear ele e a falar “vai comer meu cú hoje, vai? Vai foder meu cuzinho apertadinho, é?”. Ela mesmo abriu a gaveta da cabeceira e tirou um KY dali (não é que a vadia tava pronta e planejando dar esse rabicó?). Lambuzou meu pau, passou um pouco no rabinho dela e deitou de ladinho pedindo “vem então. Vem comer seu cuzinho apertadinho”. Deitei e reparei que ela ainda não tinha tirado a vara de borracha da buceta. Lembrei ela para tirar para conseguir pôr no cuzinho dela mas ela falou que não, que ela queria as 2 ao mesmo tempo. Caramba! Nem eu estava acreditando no poder dela. Parecia uma puta escolada já! Fui colocando devagarzinho só a cabecinha e agora sim ela começou a urrar de dor, respirar rápido e pedir para eu ir devagar. Fui colocando cada vez mais da minha vara e ela volta e meia pedia para parar e esperar. Dava para ver que finalmente a vadia estava se apertando para dar conta de tudo aquilo. A cada penetrada mais fundo ela urrava de dor e se contraia inteira. Só depois de uns bons minutos que ela começou a aguentar as estocadas mesmo para valer. Dava p ver que aquele cuzinho era apertadinho mesmo (acho que era virgem mesmo). Fui metendo cada vez mais rápido até que a vadia não aguentou com aqueles 2 paus preenchendo os dois buracos dela ao mesmo tempo e gozou aos gritos. Aproveitei e gozei gostoso também. Foi uma delícia! Incrível mesmo. O único problema é que estou cada vez mais preocupado com o quão biscate minha mulherzinha pode ser. Chega até a assustar. Em poucos meses ela passou de uma santinha p uma mulher fogosa e gulosa que é agora! Cada vez fico mais assustado mas ao mesmo tempo curtindo esse fogo todo dela e aproveitando! Apesar de todos o papos já falei que ela é só a minha vadia. Só minha. Mas a verdade é que a pergunta continua: Será que a minha esposinha é uma puta?

7499 views

Contos relacionados

Meu colega de trabalho

Qual o nome dele? Juvenal Sabe aquelas coisas q acontece por acaso, foi exatamente assim Era meu primeiro dia no trabalho novo, quando vi de repente um homem maravilhoso, moreno, Alto, sem camisa e...

LER CONTO

Nossa amiga russinha,uma safadinha

Olá meus queridos leitores,este é o oitavo conto do meu livro(contos de lu),este conto aconteceu quando meu marido William trabalhava num bar a noite,e muitas vezes eu ia até lá e retornava junto...

LER CONTO

Engravidei de meu sogro I

Enviado por: Helga Shagger Meu marido Hanz não tolerou a indiscrição de meu amante Ezequiel. Ele foi reclamar seu direito a criança de quem eu daria luz dentro de sete meses. Zeke era nosso...

LER CONTO

O Estagiario submisso

Olà,eu sou Rodrigo e vou relatar outra de minhas loucuras sexuais.... Era uma segunda feira e eu estava com muito tzão(era um daqueles dias que punheta nenhuma resolve) cheguei no trabalho e geral...

LER CONTO

SANDWICH DE BUNDA. SALSICHAS DENTRO DO CU DE SELMA.

Aqui é novamente o amigo Daniel, o cara mais louco por bundas de mulheres gostosas. Vocês já tiveram a sorte de comer um sanduíche com sabor de dentro do ânus de uma gostosa? Se nunca fizeram,...

LER CONTO

O MASCATE

Esta história é atemporal e, portanto, me permite navegar entre períodos e eras, proporcionando a oportunidade de contá-la do modo mais agradável e sensual possível. Brenno, o mascate,...

LER CONTO

2 - Comentário(s)

  • Cintya 04/09/2020 11:08

    Oii!! Claro que ela é putinha! Todas nós somos, umas mais outras menos. Só q em algumas faltam a coragem de se revelar. Tem q deixar ela livre pra fazer o q quizer. Meu marido hj é corno manso e adora. Nao conseguimos viver sem. Ele ama o fato de outros se satisfazerem em mim e eu voltar para ele sempre. É aquela sensaçao de dominante, embora quem domine seja eu pois fico com quem quero e nao peço permissao.

  • Sapao 11/08/2020 19:21

    Delícia de conto. Delícia de rabo. Isso ae eh uma safada daquelas de sair p ir na venda de tarde e voltar gozada

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 1 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2020 - Contos adultos