Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos porno » Seccrettus: Amanda Prazer em Conhecer!

Seccrettus: Amanda Prazer em Conhecer!

Publicado em janeiro 22, 2020 por Miguel Assuncao

Hoje remexendo em uma caixa de coisas guardadas, eu voltei ao passado, encontrei algumas coisas que me fizeram relembar muitas coisas. Ja fazia um tempo. que eu precisava fazer uma organização, mas nem imaginei que seria tão prazeroso e também traria tantas memórias ruins.
Pra contar essa história, eu preciso me apresentar primeiro; meu nome é Miguel, trabalho na área de informática. Minha loja oferece serviços de todos os tipos para computadores, desde uma simples formatação, à montagem. criação de site, execução e criação de protocolos de seguranças para empresas. A minha pequena empresas de tecnologia se expande cada vez mais. Eu sou um homem com seus 30 e poucos anos, bem vividos. Tenho 1,78 de altura. peso 79 kg. tenho olhos cor castanhos amendoados. Não bebo e não fumo, mais gosto de foder. apesar não faço muito isso. Tento ser sempre otimista, tento manter a calma para todas as situações, e deve ser por isso que estou com Amanda até hoje! Mesmo com tantas traições.
Falando dela. deixa eu apresentar ela também; Amanda, eu não consigo descrever, se ela é loira. morena ou ruiva. Ela muda muito de visual e o mais incrível de tudo, é que ela está sempre linda. Ficou linda até mesmo quando resolveu pintar o cabelo de azul. O quê eu posso dizer dela, e que Amanda tem uma pele branca, uma tatuagem de flor no tornozelo esquerdo. Subindo pelas pernas dela, temos duas coxas não muito grossas, e não muito finas, no tamanho exato, que a deixa ainda mais gostosa. A barriga e durinha, a bunda um tamanho padrão para o corpo e os seios, médios. gostosas e macios, tudo isso enfiado em um corpo com seus um metro e setenta de altura. Ela é uma mulher linda, tem olhos pretos e um sorriso encantador. E somando a isso tudo. uma buceta linda e lisinha. que eu amo de paixão. Essa é minha Amanda.
No ano de 2001, eu tinha 18 anos e após ter trabalhado com minha família meio período desde os 12 anos, nas feiras da cidadezinha onde eu morava. Eu já havia sido dispensado pelo exército, terminado o ensino médio. eu aproveitei e fiz um curso de informática. Aprendi alguma coisa sobre computadores e nessa época eu me interessei e resolvi que informática seria o que eu queria para minha vida. Resolvi investir na área, mas na minha cidade não havia onde eu aprender mais sobre o assunto. Eu resolvi mudar para a cidade vizinha, conversei com os meus pais e mudei para uma cidade maior próxima a nossa. Nessa nova cidade eu poderia fazer alguns cursos e aprender mais, assim aprender mais e melhorar e os meus conhecimentos na área. A minha cidade vizinha não ficava muito longe da cidade para onde eu me mudei, e eu não iria ficar sem ver minha família. Meu pai me ajudou muito, me aconselhou muito, e com o dinheiro que eu havia juntado durante o tempo de trabalhei na feira. comprei uma casinha. Assim, eu tinha onde dormir e tomar banho, sem necessidade de ter que pagar aluguel.
Eu não queria, não iria e não podia depender do meu pai. então procurei e conseguiu emprego de frentista em um posto de combustível. Trabalhava na parte. Eu trabalhava das 14 às 22 horas. estudava de manhã no Senac fazendo um curso técnico. No emprego, comecei a reparar em uma loirinha que passava pelo posto todos os dias, eu sempre via ela falando ou cumprimentando um ou outro frentista, descobrir com o passar dos dias, quê o nome dela era Amanda. Também soube que a maioria das pessoas já tinha ficado com ela, Inclusive a Marta uma garota lésbica que trabalha com a gente, me falaram que ela era muito sem vergonha
Em um sábado que eu estava de folga, resolvi sair com os caras do posto, a gente foi a um bar que tinha um show ao vivo. Lá eu vi Amanda, apontei ela para o Sergio. o meu amigo que ela estava no barzinho e também pedi que ele me apresentasse ela, já que os dois sempre conversavam seria bem mais fácil. Ele se colocou pronto, e foi lá falar com ela. Senti vontade de ir ao banheiro, quando eu voltei do vi o Sérgio e Amanda dando uma amaço em um canto do bar. Fiquei chateado e aguardando até que ele voltou, me disse que ela não teve interesse, e acabou beijando ele. Não queria brigas e nem conhecia ela para ir tão longe, resolvi deixar para lá. No outro domingo, quanto eu estava chegando no posto. Amanda estava lá conversando com Sérgio, eu estacionei minha moto, eu percebi que ela ficou me olhando. Uns dois dias depois, eu estava no posto e Amanda passou perto de mim e disse;
__ Oi moço sério.
Confesso que não esperava e até meio que me assustei, mas eu respondi.
__ Oi moça feliz. Tudo bem com você?
Amanda abaixou a cabeça, deu um sorriso muito gostoso de ouvir.
__ Melhor agora, você é novo aqui não é?
__ Mais ou menos, já tem uns 4 meses que eu estou trabalhando.
__ Que bom, tomara que fique muito tempo… Muito prazer meu nome e Amanda.
__ O prazer com certeza e todo meu. Me chamo Miguel.
__ Miguel…
Amanda sorriu e foi embora, eu fiquei ali olhando aquela linda garota saindo e indo, e antes de virar na esquina ela olhou para trás e deu tchau. Os dias passaram e eu e Amanda começamos a conversar com mais frequência. Daquele dia a três semana, iria ter um encontro de carros antigos. Amanda veio saber se eu iria. E com tanta insistência dela. resolvi ir e ela disse que iria comigo. Fiquei super feliz de poder ir e leva-lá.
__ Que bom que você vai, é muito longe pra ir andando, aí você me leva né? E você pode me dar uma carona.
Empolgado como eu estava é doido para sair com ela, eu disse que sim. No domingo, combinei de pegar ela por volta de uma da tarde, troquei de trabalho com outro um rapaz. Quando chegamos no evento, logo na entrada, vi um cara passar a mão em Amanda. Antes que ela falasse alguma coisa. eu já dei a bronca com ele.
__ Qual é maluco, tá doido? Passando a mão na menina assim.
__ Peguei sim. Peguei na bunda. dela. e pego na sua também.
__ Como é que é aí camarada?
__ Eu falei. que peguei na bunda dela e pego na sua também.
Eu não aguentei o desaforo! Depois que ele falou isso, eu dei logo um soco na cara dele, que pegou em cheiro e ele caiu.
__ Você tá achando que é quem seu merda? Ninguém vai desrespeitar ela na minha frente! Levanta para…
Não consegui terminar a frase, senti um chute nas pernas e caí, vi que levei uma rasteira, tentei levantar e cai de novo. Quando caí, comecei a sentir chutes e socos, apenas protegi a cabeça como não que consegui me levantar para me defender. E não demorou muito, eu não vi mais nada. desmaiei! Quando eu acordei, estava no pronto-socorro. Não foi muito sério. apenas escoriações. mas tive que ficar em observação. No outro dia fui motivo de piada no posto, o motivo foi por causa da loucura que eu fiz em defender a Amanda.
Já no fim da tarde ela apareceu e veio falar comigo.
__ Oi você esta bem?
__ Tô sim. Só o corpo doendo, mas faz parte. To tomando remédio e logo melhora. Eu estava era preocupado com você!.
__ Eu to bem! Tô muito agradecida, nunca ninguém me defendeu daquele jeito.
__ Mas eu não defendi. Eu tomei foi uma pisa.
Ela deu aquele sorriso lindo.
__ O quê vale é a intenção, e é muito bom a sensação de alguém se preocupar com a gente. E a melhor parte é que os caras foram detidos. Eles não eram daqui.
__ Eu fiquei sabendo disso aí, também ouvi dizer que eles aprenderam a não ir pra outra cidade brigar. Ao menos eles não voltam aqui. E quanto a preocupar eu me preocupo sim. E tô sempre aqui, sempre que precisar.
Chegou um cliente e pediu para não lavar o carro dele, Amanda sorriu e foi embora. Em um outro dia ela voltou e me pediu ajuda.
__ Eu terminei com um cara que eu tava ficando, e preciso ir buscar alguns objetos que ficaram na casa dele. Você vai comigo?
__ Vou sim, deixa só eu terminar o trabalho.
__ Tá bom, eu volto mais tarde!
À noite por volta de umas 9:30 da noite Amanda apareceu, eu disse para ela esperar até eu sair. Eu batia o cartão as 10 horas, peguei minha moto e seguimos até a casa do cara. Era um magrelo com cara de bandido, nós o encontramos no portão, ele estava de bermuda tactel. camiseta larga e boné virado para trás.Tinha tatuagem nos braços. Amanda desceu da moto e me disse:
__ Só vou juntar as minhas coisas lá e já volto. Me espera aqui por favor.
Ela entrou com Marcos e eu fiquei aguardando na moto, passou quinze, vinte, trinta minutos e nada de Amanda aparecer. Resolvi ir ver o que estava acontecendo, fui entrado. Depois de tantos anos. minhas habilidades ninjas de espionagem me ajudaram. O portão destrancado já me rendeu um ponto, a porta aberta mais outro ponto e assim foi fácil entrar. Coloquei a cabeça pra dentro da casa e espiei, tentei ouvir e ver se tinha alguém conversando, nada eu consegui ver. Passo a passo fui entrando, percebi que a luz do quarto estava acesa, pé por pé eu cheguei na porta que estava aberta. Lá dentro eu vi uma cena que me lembro até hoje. Marcão sem camisa com bermuda no joelho. Amanda estava com a cara na cama os pés no chão e a bunda levantada para cima. a calça jeans que ela antes usava, estava jogada em um canto do quarto. Marcão em um vai e vem metendo na buceta dela falava;
__ Você vai terminar comigo, mas eu vou te foder sempre que eu quiser. Você é minha puta!
Marcão deu um tapa na bunda dela que estalou forte.
__ Aí desgraçado. Eu não sei onde eu tava com a cabeça, quando eu deixei você me comer.
__ É porquê eu mando em você!
Ele empurrou ela na cama sentou e falou
__ Agora senta na rola do seu macho.
Amanda cuspiu na mão, passou na rola dele encaixou a rola na buceta de novo, apoiou as mãos nos joelhos dele e sentou. Cavalgou, rebolou e mexeu, ele gemia muito. Eu tirei meu pau para fora, comecei a bater uma punheta olhando os dois. Amanda começou a dizer que iria gozar. Marcão já estava gozando e depois de gozar, ele empurrou ela de lado.
__ Presentinho pra você, hoje vai embora com a buceta cheia de porra. Agora pode ir embora.
__ Que isso, eu nem gozei ainda.
__ E nem vai. Puta a gente come e manda embora. Junta suas coisas e some.
Eu também não tinha gozado, mas tinha que sair dali e voltar para moto. Não demorou muito Amanda apareceu, ela estava com os olhos vermelhos. Marcão saiu atrás dela e disse:
__ Quando quiser, te chamo.
Amanda subiu na moto e apoiou a caixa que trazia com as coisas dela na perna. Saímos dali e seguimos para a casa dela. No caminho ouvi ela chorando.
__ Aquele cara é um tremendo de um babaca.
__ Eu sei disso, mas eu gosto dele.
__ E ele nunca vai te dar valor.
Chegamos na casa dela, Amanda desceu, me entregou o capacete disse;
__ Obrigada por tudo. __ virou as costas e foi pra dentro.
Eu fui para casa, naquela noite ainda bati duas punhetas antes de dormir pensando quanto Amanda era gostosa. No outro dia fui para o curso e depois para o trabalho. Já era tardinha, e como sempre, Amanda apareceu e naquele dia estava acompanhado de duas mulheres. Uma senhora mais velha de uns 38 ou 39 anos, era loira mas muito bonita, coxas grossas, seios grandes e um corpo lindo. Usava um óculos aro de tartaruga, que a deixava mais fascinante ainda. Também estava uma garota mais nova, ela tinha pele branca como Amanda, cabelos pretos longos e era magra. Seios pequenos e coxas finas. mas ela tão linda quanto Amanda!
__ Oi tudo bem? Deixa eu te apresentar, essa é minha tia Olivia e essa é minha irmã Bianca. __ disse olhando pra mim. __ E esse é o Miguel.
__ Ah, Esse é o famoso Miguel? Muito prazer. __ disse a tia de Amanda.
__ O prazer e meu, mas famoso eu não sei não.
__ É sim! A Amanda fala muito de você __falou Bianca.
Olhei pra Amanda e disse;
__ Quer dizer, que você tava falando de mim?
__ Não tô não… Quer dizer é… Falei só um pouquinho…Mas não falei nada de mal.
__ Porquê você tá vermelha? __ Bianca perguntou.
Eu e a tia de Amanda rimos e nisso chegou um cliente.
__ Prazer em conhecê-las, se vocês me derem licença eu tenho que voltar ao trabalho.
Sai dali, e quanto estava atendendo um cliente, vi as três indo embora e Amanda ficar virando e olhando para trás. Eu estava super feliz. Os colegas do posto vieram me dizer que ela nunca tinha apresentado ninguém do posto ou ninguém dos amigos, para família dela. Todo mundo conhecia a Amanda mas nunca a família dela.
Eu fiquei empolgado, apenas uma olhada na câmera, me fez lembrar do passado, agora era conectar a câmera ao computador, deixar ela carregar a bateria e depois descobrir quais eram os segredos que ela guardava, e que há muito tempo. eu tinha esquecido

Conheça meu Facebook:
www.facebook.com/seccretus.contos.7
As historias de Amanda você encontra no endereço abaixo:
www.amazon.com.br/dp/B083V2G6FN

1310 views

Contos relacionados

Traindo no intercâmbio – Parte 1

Enviado por: Letícia RJ Oi, me chamo Letícia, moro no Rio, tenho 22 anos, sou magrinha, com a bunda redondinha, baixinha, morena, seios pequenos e cabelos cacheados. Como já contei em meu...

LER CONTO

Comi minha esposa ao lado da Sogra

Sou divorciado há dois anos, tenho 35 anos, vou contar mais uma história que aconteceu comigo quando eu fui trabalhar no Rio Grande do Norte. Na época eu ainda era casado, minha ex mulher morena...

LER CONTO

Putinha desde novinha com orgulho

Oi gente, meu nome é Isabela, tenho 28 anos, moro no Rio de Janeiro e hoje vou contar para vocês como eu sou putinha desde novinha . Tudo começou quando eu tinha apenas 18 anos, certo dia só...

LER CONTO

Encontro casualmente gostoso

Depois de um longo tempo de namoro estava louca por experiências novas. Desde sempre meu fetiche era ficar com pessoas desconhecidas, o sexo casual me excitava. Nunca tive esse romantismo de sexo...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 2 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2020 - Contos adultos