website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos de corno » Se meu marido soubesse

Se meu marido soubesse

Publicado em outubro 29, 2023 por Ibida

Meu nome é Maísa Ibida, e devo dizer que no início, eu estava confusa, sempre fui uma esposa considerada de respeito. Entretanto, meu estereotipo de asiática moldada com cintura de ampulheta culminando numa bela bunda e pernas torneadas, era comum homens me rotularem de gostosa vagabunda.

Mas eu não era assim. Bem, pelo menos, isso era verdade. Então acho que não posso mais me referir a mim mesma como não sendo uma esposa sacana. Então vamos ao que interessa?

Meu marido é empresário e seu trabalho envolve muitas viagens. Nós nos mudamos para Brasília e fazer amigos aqui é difícil. A única exceção é Kalep conhecido de meu marido, Kalep é um Chef de uma cadeia de grandes hotéis. Todavia, até algumas semanas atrás nós nunca conversamos, exceto em saudação.

Na noite que tudo ocorreu, eu estava carregando algumas compras que fiz e um mercado local quando Kalep passou e gentilmente me ajudou a levar em meu apartamento. Querendo agradecer-lhe sugerir uma bebida.

– Uma boa coca cola cairia bem – respondeu Kalep.

Uma vez que partes das compras estavam guardadas. Kalep contou que tinha acabado de sair do trabalho e levado para casa algum ensopado, ele perguntou se eu gostaria de compartilhar com ele. Kalep parecia ser um cara legal, então concordei. Kalep voltou carregando uma panela de metal e uma garrafa de vinho.

– Eu preciso aquecê-lo. Posso usar sua cozinha? – Disse Kalep rindo para mim.

– Certo. Vou terminar de descarregar essas compras enquanto você faz em avise quando estiver pronto.

 

Eu podia sentir o cheiro do ensopado enquanto trabalhava. Eu não tinha comido desde o café da manhã. Depois de um tempo Kalep enfiou a cabeça para fora da cozinha e avisou que o ensopado estava pronto.

Enquanto comíamos e bebíamos, parecia que eu conhecia Kalep há anos. Quando comecei a me sentir como se tivesse bebido demais. De repente, me senti quente. Eu estava vagamente ciente de que alguma forma eu tinha removido o prendedor de cabelo e os deixados solto na altura dos ombros para baixo.

Lembro-me da sensação de esfregar minhas coxas, percebendo que minha calcinha umedeceu. Murmurei alguma coisa, fiquei de pé e cheguei ao sofá, onde me sentei, imaginando o que estava acontecendo. Eu tive que lutar contra o desejo de me coçar minha buceta. Por que eu estava tão excitada? E porquê as paredes pareciam se locomover juntos com os objetos?

Eu não sei quanto tempo fiquei sentada assim, então quando olhei para frente e Kalep estava nu com sua enorme ereção apontada para minha boca. Fique paralisada vendo o imenso pau duro como pedra a centímetros do rosto. Eu estava completamente sem resistência quando o pau foi colocado em minha boca. Eu não apenas chupei como fiz sucções voluntariosas na cabeça do pênis como se fosse um canudo.

Então minutos depois, ou horas não sei dizer, fui agraciada com jatos salgados de espermas. Minha boca ficou cheia. Filetes de espermas vazaram para meu queixo quando o pau foi retirado da boca. Eu sorrir quando Kalep batia seu pau em meus lábios. Mas invés de recusar o ato contínuo. Eu beijei seu pau.

De repente meu cérebro pareceu me pregar “peças” A sala pareceu girar quando Kalep pegou meus braços e, meu vestido, calcinha e sutiã foram retirados. Minha mente estava embaralhada, então não fiz nada para impedi-lo.

–Maisinha, sua bucetinha raspada é linda.

Essa afirmação fez eu corar e me sentir muito sexy.

Kalep deitou no sofá e fez com que eu fosse sentando em cima de seu membro endurecido. Eu deveria ter tentando resistir. Isso não aconteceu. Em poucos minutos, eu cavalgava alucinadamente como uma amazona indo pra batalha.

Do canto dos meus olhos, observei minha aliança de casamento brilhando sob a lâmpada do abajur. Mas isso não significava nada para mim no momento. Tudo o que importava era foder minha buceta.

Eu tinha ouvido falar sobre orgasmos múltiplos, mas achava que eles eram um mito. Mas não são. Eles aparecem fortes, seguido por micros explosões orgásmicos. Havia a sensações de desmaiou a cada gozada.

Eu queria que Kalep me continuasse fodendo, mas eu não conseguia articular frases, então meus gemidos bastavam para incentivá-lo. Eu sabia que Kalep também havia gozado, porque eu senti espermas molhando minhas virilhas.

Então Kalep levantou e envolveu seus dedos no meu cabelo e direcionou levemente minha boca em direção ao membro meio flácido. Eu segurei sua cintura, puxando-o mais fundo e mamei o pau com fluidos de espermas, e assim como dito no início, eu estava confusa, eu não tinha uma bússola moral, mas não posso mais me indica como não sendo uma esposa infiel, pois Kalep soltou as mãos dos meus cabelos e mamei por vontade própria.

De repente tudo se apagou. Em algum momento durante a noite eu estava de bruços em minha cama, Kalep estava deitado em cima de mim, lubrificando meu ânus com sua língua. Houve dores agudas quando a cabeça de seu pênis penetrou. Lembro vagamente de ter dito algo, não, no cuzinho não, Kalep, por favor, não no meu cuzinho.

Mas quando a dor passou eu ajudei empurrando meus quadris, fazendo o pênis penetrar nas profundezas de minha bunda. Lembro que Kalep socou devagar no início e depois forte. Sei que conseguir pôr as mãos para trás e abrir minhas nádegas.

Lembro nitidamente de pedir pra ele vim em casa arrombar meu cuzinho sempre que meu o corno de marido não estiver. Eu não lembro quantas vezes ele gozou dentro do meu cu. Mas lembro que fui arrombada gostosamente quase a noite toda.

Acordei no sofá, o sol brilhando nos meus olhos. Forçando-me a levantar, tropecei no banheiro. Durante a curta viagem, percebi que minha vagina e ânus estavam doloridos. Olhei-me no espelho, eu parecia como uma prostituta barata de esquina que passou a noite fodendo sem tomar um banho.

Eu estremeci quando observei o material duro no meu rosto e nos meus cabelos. Minhas coxas estavam cobertas com isso também. Enquanto tomava banho, passei a noite anterior em minha mente.

Kalep me deu alguma coisa para eu ficar excitada. Isso foi certo. Ele provavelmente colocou no ensopado. Ele também tinha comido um pouco, e isso estava claro. Nenhum homem poderia ter feito sexo animalesco por tanto tempo sem algum tipo de estimulante artificial. Eu sabia que não podia provar nada e pior, Kalep havia levado a panela.

A coisa toda realmente me irritou. Além disso, me senti extremamente culpada por trair meu marido. Mesmo que não fosse minha culpa, pelo menos não no início. Eu não podia contar ao meu marido Brad sobre isso. Se meu marido soubesse, ele confrontaria Kalep e aos olhos da “multidão” eu acabaria de parecer culpada. Eu teria que compensar Brad de alguma forma.

Para piorar as coisas, Brad ligou e disse que precisava ficar mais uns dias fora. Mas, isso me deu mais tempo para refletir sobre o que eu fiz.

Deitei no banho quente e especulei sobre o que Kalep havia colocado no ensopado, imaginando se isso me prejudicaria. Provavelmente não, ou ele não teria ingerido também. Mas, fosse o que fosse certamente funcionou. Ele me usou como sua prostituta. Inconscientemente lambi meus lábios enquanto eu fingia tomar o pênis dentro da minha boca novamente.

Nenhum dano causaria um pouco de fantasia. Passei uns dez minutos me tocando, eu gritei quando cheguei ofegante ao espasmo de gozos. Enfim, fora dias e noites de masturbações até meu marido finalmente chegar a casa. Eu já tinha determinado a fazer um anal que ele sempre quis, mas que ele penetrasse sem dó nem piedade.

Eu queria serrar meus dentes e esperneia de dores. Assim eu pagaria minha traição. Enfim, eu queria compensar Brad. Pois como eu disse, eu me sentia culpada por deixar que outro homem fodesse minha boca, buceta e arrombasse as delineadas pregas de meu cuzinho.

Mas Brad dormiu quase tão logo terminou o jantar. Nas duas semanas seguintes, fizemos sexo oral e vaginal e anal exatamente três vezes. Mas, não da forma que eu tinha planejado, houve muitos beijos e delicadezas da parte dele.

E se meu marido soubesse que outro homem comeu o cu da mulher dele. Juro que tentei vídeos onde a esposa era fodida, mas nem isso foi capaz de Brad se animar. No final de semana, Brad viajou a negócios novamente e fui deixada para ficar sete dias sozinha no apartamento.

No decorrer de manhãs, quando saí do condomínio, encontrei Kalep. Foi a primeira vez que o vi desde que ele se deliciou em meu corpo. Ele parecia envergonhado enquanto sorria e dizia:

– Oi. Brad está de volta?

Estranhamente, eu não estava zangado com Kalep.

– Ele viajou novamente algumas noites atrás e vai ficar fora por uma semana – disse eu tentando parecer totalmente desinteressada em Kalep.

Ficamos em silêncio por um momento, sem saber o que dizer. Então cocei a buceta e olhei para Kalep:

– Tem mais ensopado? Se têm leva lá em casa?

Kalep levou o ensopado. Eu passei a noite mamando o pau dele, amo isso. Claro que eu não estava drogada, ofereci os seios para serem mamados, dei a buceta na cama da empregada, mas o cuzinho foi sentada numa cadeira em frente a televisão. Depois desse dia passei a fazer planos de encontros com Kalep. Sei que sou uma sacana traidora, mas eu tentei alertar Brad que eu precisava de rola. O que sinto por Kalep não é amor. Então a culpa é do Brad que volta de viagem e não faz coisas sacanas comigo.

Tive que parar de tomar anticoncepcional para ter filho com Brad. Aliás, Brad parou com as viagens, Então agora na hora do banho levo o celular e converso com Kalep enquanto toco uma siririca. Brad às vezes bate na porta e quer sexo. Ele diz que essa é a melhor hora, pois faço sexo gostoso. Ah, se meu marido soubesse… do porque ele me encontra excitada.

Kalep saiu do Estado. Tudo bem, amo Brad, no entanto, sinto falta de uns tapinhas no rosto e engatinhar nua pela casa e receber uma dedada na bunda e ser gentilmente obrigada a mamar uma suculenta rola.

Leia outros Contos eróticos de corno bem excitantes abaixo:

MEU MARIDO PEDIU PARA SER CORNO. E AGORA?

CORNO FILMA SILVIA, COM ALINE E NOVO AMIGO NA CAMA

63644 views

Contos Eróticos relacionados

Sou a funcionária preferida do meu sogro Real

Sou a funcionária preferida do meu sogro História Real Olá me chamo laura tenho 18 anos, sou branca, olhos claros 1.54 de altura, seios médios, bumbum redondo , me acho bonita cabelo castanho...

LER CONTO

Uma transa fantástica com minha esposa – O amigo apareceu

Como não era surpresa, lá estava o meu amigo. Ele me cumprimentou e falou que já estava indo embora, pois achou que não tinha ninguém em casa. Então, sem nenhum acanhamento fui falando para ele...

LER CONTO

Será Que Entra Papai?

Será Que Entra Papai?

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Trisal, Pai, Mãe e Filha

Trisal, Pai, Mãe e Filha

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Violada No Busão Lotado

Violada No Busão Lotado

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Minha vizinha me escolheu 2

  Continuando a noite o corninho sorriu com ar de satisfação, então coloquei minha puta de quatro olhando pra ele ( que bunda maravilhosa) enfiei a língua no cuzinho que fez ela gemer...

LER CONTO

GOSTEI DE VER – verídico/nomes fictícios

Durante meu namoro com Jussara , no sofá na casa dela, ela comentou que uma amiga, havia convencido o namorado de assistir ela com um amigo. Que a amiga, confessou que nunca havia gozado tanto,...

LER CONTO

Trai meu namorado com seu amigo noivo um dia antes dele casar Real

Trai meu namorado com o seu amigo noivo antes do casamento História Real Olá gente me chamo Jéssica tenho 19 anos , sempre gostei de ler muito sobre sexo, sobre dominação , até que gostei...

LER CONTO

4 - Comentário(s)

  • Jean lima 30/11/2023 01:10

    Show de bola, quero também.

  • Incubus Macetador 22/11/2023 05:34

    vc é uma pessoa horrivel, é serio que vc meteu essa: "Sei que sou uma sacana traidora, mas eu tentei alertar Brad que eu precisava de rola. O que sinto por Kalep não é amor. Então a culpa é do Brad que volta de viagem e não faz coisas sacanas comigo." vc é uma vagabunda imprestavel de merda, vc é sustentada pelo seu marido que pelo relato trabalha e muito, o que justifica ele nem sempre ter disposição pra trepar loucamente, vc pelo visto é somente mais uma entre a grande maioria massivamente esmagadora de mulheres que é mimada e nunca trabalhou na vida então não sabe o que é voltar cansado depois de um longo dia de trabalho e vc trai ele e não da valor a tudo que ele faz por vc? eu espero e torço de coração que nas proximas viajem ele te traia com varias sua vagabunda imunda de merda.

  • Corno manso 18/11/2023 01:06

    Eu ba verdade, só sei das traições de minha esposa, depois que ela me conta. Essa semana, ela me contou que a oito anos atrás. Me corneou com um cara que eu jamais imaginei que ela faria sexo. Foi em um momento que ficamos separados por trabalho. E enquanto ela estava no litoral, por três meses antes de eu ir ao encontro dela. Ela ne traiu. Quando ela me contou.imagi na a. O pai endureceu e o corno ficou manso.

  • Corno manso 11/11/2023 16:19

    Adoro as traições de minha esposa. Amei cada vez que ela meteu com outros homens.

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 1 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos