website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos de corno » Primeira vez com outro

Primeira vez com outro

Publicado em fevereiro 13, 2022 por Mister
0
(0)

Eu tenho desejos de ver minha mulher com outro desde sempre pelo que posso lembrar. Estou no terceiro casamento e aconteceu o mesmo com todas. Para a minha primeira esposa eu nunca tive coragem de revelar mas todas as minhas masturbações ou até mesmo sexo eram imaginando ela com outro.

Com a segunda esposa eu dei dicas de que tinha essa vontade e ela correspondeu na hora dizendo que também tinha a mesma fantasia, mas ela não era nem um pouco discreta e eu fiquei com medo de ter minha reputação manchada. Eu também me masturbava imaginando ela com outro e as vezes ela até pedia por isso mas o meu medo acabou me freando.

Só fui ter coragem para realizar de verdade com a minha terceira esposa. Ela era do tipo recatada, totalmente comportada tanto nas atitudes quanto nas roupas que usava. Até mesmo na cama ela não tinha muita experiência e eu que fui tranquilizando ela para que ela se soltasse mais na cama e deixasse as suas fantasias virem.

Conforme ela ia se soltando na cama eu também sentia mais liberdade para revelar as minhas e, após eu comprar um vibrador, comecei a fantasiar que era outro pau. Ela achava muito estranho e eu percebia que ela ficava desconfortável mas se estava excitada ela entrava na fantasia. As vezes eu a torturava e deixava ela morrendo de tesão só para que ela chegasse no ponto de ela mesma pedir o vibrador. Nessa hora eu tinha que me segurar para não gozar pois eu ficava com um tesão absurdo.

Depois de meses nessas brincadeiras eu comecei a sugerir que a gente fizesse de verdade. Ela tinha muito receio disso mas na hora do sexo aceitava. Quando estava quase gozando ela pedia por outro, dizia que ia dar bem gostoso pra ele, imaginava o vibrador sendo seu pau. Mas assim que gozava ela desconversava e não queria mais falar no assunto. Eu comecei a insistir com mais força quando não estávamos transando e um dia, após muita insistência, ela disse que faria só se fosse com algum desconhecido de outra cidade, que a gente nunca mais fosse ver. Nesse ponto eu comecei a arquitetar um plano para que isso acontecesse.

Ainda levaram alguns meses até que o fim do ano chegasse. Durante esse tempo, fiquei conhecendo caras pela internet em sites de swing e ménage. Ela sabia das conversas e lia algumas mas dificilmente participava. Porém, ela também não estava reclamando por eu estar fazendo isso, o que mostrava que ela estava mais aberta agora. Algumas vezes eu tentei fantasiar na hora do sexo sobre os caras com quem eu conversava mas novamente, a não ser que ela estivesse muito excitada ela não queria falar sobre eles.

Próximo do fim do ano nos programamos para uma viagem nas férias. Conseguimos alinhar uma semana de nossas férias para coincidirem e escolhemos uma pousada para passar essa semana. É um lugar bem conceituado e diversas pessoas vão para lá nas férias. O lugar possui piscina, churrasqueiras, passeios, cachoeiras e diversas atrações que levam um grande público pra lá.

Coincidentemente (ou nem tanto) eu fiz uma cirurgia nos testículos nessa época e eu teria que ficar um período sem sexo. Seria um desperdício estar em um lugar como aqueles e não poder transar mas ao mesmo tempo eu via isso como uma possibilidade de minha esposa ficar mais excitada e algo real acontecer lá. Nos primeiros dias nada anormal aconteceu, mas com todas aquelas pessoas diferentes lá e o nosso tesão aumentando, eu comecei a estimular ela cada vez mais. A noite, antes de dormirmos, ela sempre tomava o seu banho e vinha deitar apenas de sutiã e calcinha. Isso por si só já era uma tortura para mim que não podia sequer gozar. Ela é morena, pequena, magrinha e com um corpo bem branquinho e a lingerie valoriza muito o corpo de menininha dela. Ficava ainda mais difícil quando eu começava a beijar e acariciar ela perguntando sobre os caras que ela tinha visto lá. No começo ela resistia e tentava desconversar mas quando a buceta dela ficava molhada ela acabava se entregando. No fim, ela gozava forte imaginando algum deles e eu ia dormir de pau duro sem gozar.

 

Em uma dessas noites no meio da semana eu disse que no outro dia eu iria ficar no quarto por algumas horas enquanto ela ficasse na piscina e que eu queria que ela falasse o número do telefone dela para algum cara que ela tivesse achado interessante. É claro que eu me assegurei de fazer isso antes de ela gozar, então ela topou na hora. Depois de gozar, porém, ela tremia como vara verde e começou a imaginar um monte de motivos para não fazer isso. Eu tranquilizei ela e disse que estaria ali, observando tudo da janela. Não era tão próximo, mas eu conseguia ver o movimento lá embaixo. Para a minha surpresa ela realmente foi para a piscina sozinha e de biquíni no outro dia. Ela deitou em uma cadeira e ficou tomando sol por algum tempo. Ela realmente estava deliciosa com aquele biquíni e seus óculos escuros, fingindo estar tomando banho de sol sem nenhuma outra intenção. Diversos caras passavam ao lado dela e alguns olhavam, mas sem nenhuma interação. Eu notei um deles olhando bastante para ela de longe mas ela não olhava para ele. Após algum tempo ele saiu de lá. Quando ela voltou eu disse que ela tinha que ser mais evidente, que tinha que mostrar para eles que estava interessada. Ela disse que não tinha coragem para fazer isso e eu insisti que tem sim. Dei inclusive dicas para ela de como ela faria aquilo.

A noite, de propósito, eu não a deixei gozar. Eu provoquei  bastante como sempre e a bucetinha dela ficou encharcada mas antes que ela gozasse eu parei. Ela empurrava ela contra a minha mão e implorava pra que eu a fizesse gozar mas eu disse que agora ela sabia como eu estava me sentindo todos os dias e que estar excitada ia dar mais coragem a ela para provocar os caras no outro dia. E realmente esse plano funcionou. No outro dia pela manhã ela foi outra vez com um biquíni bastante provocativo para a piscina. Dessa vez ela estava sendo mais ousada e deitou com a barriga para baixo, deixando sua bunda deliciosa com o biquíni enfiado ao sol. Isso foi o suficiente para acumular alguns homens próximos a ela. Alguns apenas passavam e outros sentaram próximos sem tirar o olho dela.

O meu coração quase parou quando eu vi um deles se aproximando dela e puxando papo. Eu não podia ouvir nada do que eles falavam mas eu percebei que ele olhava bastante para a bunda dela. Após algum tempo eu o vi tirar o celular do bolso da bermuda e mexer nele por um tempo. Em seguida ele guardou no bolso e saiu dali. Eu sorri feliz vendo que finalmente estava acontecendo e, para a minha surpresa, logo outros também se aproximaram. Ao fim daquela manhã eu vi três caras diferentes pegarem o número dela, o que era ótimo pois aquele era a nossa penúltima noite ali.

Durante a tarde andamos juntos e os caras que pegaram o número dela nos viram que éramos marido e mulher. Ela disse que falou para todos eles que era casada mas que não tinha problema em conversar com outras pessoas. Um deles parece ter ficado intimidado pois nunca mandou mensagem para ela. Os outros dois naquela tarde mesmo mandaram mensagem. Ela não respondeu na hora, mas quando estávamos no quarto a noite ela respondeu. Só de ver ela fazendo aquilo eu estava com meu pau duro como uma pedra. Eu fiquei muito empolgado e a incentivei a chamar algum deles para o nosso quarto aquela noite. Ela também estava excitada mas estava muito nervosa e disse que só ia bater papo e nada demais. Eu comecei a ficar irritado com aquilo pois o motivo de fazermos aquilo era finalizar com algo real mesmo e não ficar apenas nas conversas.

Quase discutimos aquela noite, mas no fim ela prometeu que no próximo dia faríamos alguma coisa então, já que seria a nossa última noite lá. Eu tentei me acalmar e concordei mas para deixar ainda com mais vontade, não deixei ela gozar de novo naquela noite. Dormimos abraçados com meu pau duro como sempre.

No próximo dia ela não foi para a piscina pois já estava em contato com os dois caras. O dia todo pareceu se arrastar para mim e eu não via a hora de a noite chegar. Quando chegou, porém, ela começou a se arrepender. Enquanto ela estava tomando banho eu fui até o banheiro e vendo as marquinhas que ela tinha adquirido fiquei ainda mais empolgado. Ela estava uma delícia. Eu perguntei qual dos machos ela ia chamar e ela disse que não sabia. Eu perguntei se ela queria os dois e ela disse que achava que não queria nenhum. Eu comecei a ficar irritado com aquilo e disse que nós tínhamos combinado para aquela noite pois era a nossa última. Ela disse que achava muito arriscado e nem conhecia nenhum deles, além de citar diversos motivos sobre os quais já tínhamos discutido.

Em resumo, tivemos uma discussão e eu voltei para o quarto puto da vida. Fiquei assistindo televisão e ela saiu do banho enrolada em uma toalha. Não trocamos mais nenhuma palavra. Ela tirou a toalha e colocou um conjunto vermelho de lingerie. O fio entrava entre as nádegas dela e exibia a marquinha do biquíni, deixando-a ainda mais gostosa mas eu tentava não olhar. Mantive os olhos fixos na TV e ela deitou ao meu lado sem falar nada. Ficamos em silêncio por muito tempo até que eu resolvi dormir. Virei de lado na cama de costas para ela. Ela continuou em silêncio com a TV ligada por alguns minutos mas depois eu a ouvi desliga-la. Estava cedo ainda e obviamente nenhum de nós estava com sono, apesar de já estar escuro no quarto.

Eu fiquei olhando para o guarda-roupas que havia na minha frente e na penumbra do quarto eu podia apenas ver que o espelho da porta dele refletia a parte de baixo da cama. Minha esposa ficou sem falar nada por um tempo, até que me abraçou e disse: “amor..”

Eu apenas respondi na hora: “Estou com sono. Vou dormir.”

Ela não falou mais nada e manteve o braço em cima de mim por alguns minutos, depois tirou e voltou a ficar em silêncio no lado dela. Eu estava muito frustrado porque todo o meu planejamento até aquele ponto tinha dado certo mas agora não ia dar mais porque ela tinha dado para trás.

Fui tentando me acalmar e aos poucos fui aceitando mais que não adiantava força-la. Eu percebi que o quarto se iluminou um pouco e em seguida ouvi os sons do jogo que ela joga no celular. Eu queria fazer alguma coisa também para me distrair mas me mantive apenas ali, de costas para ela e em silêncio. Eu sei que ficar sem gozar me deixa muito ranzinza também mas eu esperava que pelo menos ao ver ela transando com outro isso iria melhorar.

Os sons do jogo dela continuaram por um tempo até que mudaram para os sons de outro jogo. As vezes os sons paravam e eu sabia que ela estava em seu Instagram. Continuamos assim por algum tempo até que o sono finalmente começou a me pegar. Os olhos começaram a arder e a ausência de som do celular dela contribuíam para o sono vir. Ficamos no total silêncio por um longo tempo apenas com a fraca luz do celular dela iluminando o quarto. Em certo momento eu já começava a enxergar algumas imagens sonhadoras em minha mente. Eu a via na piscina com sua bunda virada para cima e em seguida ela já estava no chuveiro outra vez. Logo eu a via andando dentro de nosso quarto apenas com sua lingerie vermelha.

Em seguida eu acordava e não sabia se as imagens tinham sido reais ou eu estava sonhando, mas ao ver o espelho do guarda-roupas e perceber a luz do celular dela eu lembrava onde estava. Eu percebi que ela estava digitando e logo imaginei que ela estivesse contando para alguma amiga sobre a nossa briga, como ela sempre fazia. Mas, após algum tempo eu percebi que ela levantou devagar. Eu me mantive imóvel mas prestei atenção no que ela estava fazendo. A luz do celular dela já tinha apagado e no escuro eu percebi que ela deu a volta na cama vindo até o meu lado. Eu mantive os olhos semiabertos  mas no escuro ela não conseguiria distinguir se eu a estava vendo ou não.

Ela veio até o guarda-roupas ao meu lado e abriu as portas. Mesmo na penumbra eu conseguia ver a bunda deliciosa dela na minha frente com sua calcinha minúscula entre as nádegas. Eu a vi puxar um edredom grosso de lá de dentro e estranhei essa atitude porque não estava frio daquela forma. Ela o levou até os pés da cama e jogou no chão. Em seguida ela voltou e pegou um lençol. Em seguida ela estendeu os dois no chão, aos pés da cama. Eu imaginei que ela estivesse tão irritada comigo que não quisesse nem dormir na mesma cama, mas para o meu espanto, depois disso ela deitou na cama outra vez.

Eu vi a luz do celular iluminar o quarto mais uma vez e fiquei olhando pelo espelho do guarda-roupas o edredom estendido no chão com o lençol sobre ele. Eu a percebia digitando no celular mas em seguida a luz sumiu outra vez. Ela ficou ali, imóvel no escuro outra vez enquanto eu fazia o mesmo, de costas para ela e fingindo já estar dormindo. Foram alguns longos minutos até que eu ouvi duas batidas bem fracas na porta do quarto. Senti meu coração pulsar na garganta quando percebi que ela levantou lentamente da cama.

Continuei na mesma posição com o coração a mil e pelo espelho eu vi o vulto dela caminhando até a porta e a abrindo. Ao abrir a porta um pouco mais de luz entrou no quarto e eu fechei os olhos. Ouvi os dois cochichando algumas coisas mas não consegui entender nada do que disseram. Assim que ele entrou e a porta foi fechada eu abri os olhos de novo. Eu via os dois vultos se mexendo e não podia ver com perfeição mas mesmo assim, vi que ele estava na frente dela e a beijava. Ele era bem mais alto que ela e ela ficava na ponta dos pés. Ele a abraçava e suas duas mãos estavam em sua bunda.

O meu pau já endurecia dentro da cueca e meu corpo todo tremia com o nervosismo. Eu não sabia o que fazer, então continuei na mesma posição, apenas fingindo que estava dormindo. Mas nenhum dos dois parecia prestar atenção em mim. Eu vi o cara levantar os braços para cima e minha esposa tirou sua camisa. Eu não conseguia ver seu rosto no escuro e o próprio rosto de minha esposa estava o tempo todo colado ao dele enquanto o beijava, então minha curiosidade estava a mil.

Logo, eu a vi ajoelhar e abrir a calça dele, que caiu até os pés. Eu não conseguia ver seu pau no escuro mas eu sabia perfeitamente o que estava acontecendo pois eu via a cabeça de minha esposa indo e vindo contra o pau dele. Ele segurava a cabeça dela com as duas mãos mas nenhum deles soltava um gemido. Eles estavam tentando ser silenciosos.

Eu sentia o meu pau doendo de tão duro agora e fiquei com medo até que isso pudesse prejudicar a minha cirurgia, mas eu não conseguia controlar o tesão. O cara parecia não conseguir mais segurar o tesão e logo a levou para a cama improvisada que ela fez no chão.

Eu vi minha esposa puxando sua calcinha até os tornozelos e em seguida tira-la completamente para logo em seguida entrar embaixo do lençol com ele. Eu fiquei um pouco frustrado pois eu queria ver os dois. Mas também não precisava de muita criatividade para saber o que estava acontecendo pois eu o vi sumir completamente embaixo do lençol e descer até entre as pernas dela. O lençol tapava até a altura dos seios dela e percebi que ela nem tinha tirado o sutiã. O lençol estava erguido com o volume do corpo dele entre as pernas dela. Eu não conseguia ver bem as expressões dela na penumbra mas eu percebi alguns gemidos abafados dela algumas vezes. Em determinado momento eu até a vi colocar uma mão contra a própria boca. Eu não sabia se ela estava querendo esconder aquilo de mim ou de alguma outra pessoa no quarto ao lado que pudesse ouvir. De qualquer forma, ver os dois tentando fazer silêncio dava ainda mais tesão em mim. Ele a chupava com vontade e as vezes eu ouvia os barulhos das chupadas mesmo abafados pelo lençol.

Quando ela não aguentou mais, puxou ele para cima. Eu vi aquele volume no lençol ir subindo até que ele apareceu novamente lá em cima sobre ela. O corpo dele ficou totalmente sobre o dela e logo eles estavam se beijando outra vez. Eu via o corpo dele se movendo lentamente em círculos sobre ela enquanto eles se beijavam. O meu próprio pau parecia que ia explodir e eu sentia ele dando pequenas pulsadas como se quisesse gozar. Isso ficou ainda mais forte quando eu vi o cara levar a mão para baixo e posicionar seu pau contra a buceta de minha esposa. Os dois ficaram imóveis por uns segundos e então eu o vi empurrar seu corpo contra o dela. Quando ele deitou totalmente sobre ela, eu ouvi um gemido abafado dela, que ela não conseguiu segurar. Eu sabia naquele momento que o pau dele estava todo dentro dela pois ela sempre diz para mim que a melhor parte é a primeira entrada.

Em pouco tempo eu comecei a ver ele ir e vir devagar em cima dela. Eu podia perceber pelo lençol que as pernas dela estavam bem abertas e ele entre elas. O lençol subia e descia na região onde a bunda dele estava. No começo eles estavam realmente muito silenciosos mas conforme o tesão foi aumentando, ele foi se movendo mais rápido e nenhum deles mais conseguia disfarçar tão bem. Os gemidinhos abafados dela eram os mais comuns mas as vezes eu ouvia até um ou outro dele. Eu percebi que ele falava algumas coisas baixinho no ouvido dela e ela respondia cochichando mas eu não conseguia ouvir o que era. Mas sei que isto estava deixando os dois com mais vontade pois cada vez mais eu ouvia os gemidos segurados deles e percebi que eles se beijavam com mais intensidade também.

O meu pau estava babando sem parar e logo eu senti a minha cueca toda melada na minha frente. Eu também estava com dor no corpo por ficar tanto tempo na mesma posição, mas eu não queria mudar para não perder o show. Tentei me esticar lentamente para aliviar a dor no corpo, mas a cama estalou nesse momento. Vi os dois pararem totalmente e eu também parei. Ficamos os três imóveis e eu via ele parado entre as pernas de minha mulher com seu pau dentro dela. Alguns segundos depois eu finalmente consegui distinguir uma palavra que ela disse pra ele, que foi: “Continue…”

Logo eu vi o lençol subindo e descendo de novo quando ele começou a meter nela outra vez. Decidi aguentar todo o desconforto e não me mexer mais dali para frente para não perder o show. Mas com o tesão que os dois estavam eu não ia precisar ficar assim por tanto tempo mais. Eu via o lençol subindo e descendo rápido com ele enfiando cada vez com mais força nela. Os gemidos dela estavam cada vez mais difíceis de serem contidos e a cada um o meu corpo tremia de tesão também. Conhecendo a minha esposa como eu conheço, eu sabia que naquele ponto ela estava cravando as unhas nas costas e bunda dele, o que deixa claro o tesão dela. Ele, percebendo isso, enfiava mais forte também.

E depois de dois dias sem gozar e com todas aquelas provocações, a bucetinha dela estava desesperada por um orgasmo. O fato de ser um pau diferente estava ajudando pra que esse orgasmo viesse com força total. E logo eu percebi que era isso que estava acontecendo. Eu vi o lençol todo tremendo pois o corpo dela treme inteiro quando ela goza. Ela é incapaz de conter essas tremidas ou os gemidos nesse ponto, mas ela fez o melhor que pôde. Na penumbra eu vi que ela segurou a boca com a mão mas mesmo assim os gemidos escapavam pelo nariz dela enquanto o lençol chacoalhando mostrava o corpo dela tremendo.

O macho talvez não estivesse esperando isso, então ele apenas deixou seu pau dentro dela parado enquanto ela gozava. Pelas tremidas dos pés dela eu tinha noção da intensidade do orgasmo, além de os gemidos pelo nariz também estarem sendo bem intensos.

Eu não sei ao certo se o macho estava a deixando gozar ou tentando segurar seu próprio orgasmo. Mas como eu sabia, naquele momento a xoxota dela estava contraindo e soltando enquanto ela gozava e pela intensidade, isso deveria estar acontecendo muito forte lá embaixo. Acho que nesse momento ele também não aguentou mais e liberou. Ele nem mesmo se moveu, apenas manteve seu pau todo dentro dela mas eu ouvi um urro abafado dele contra o travesseiro. Nesse mesmo momento eu ouvi um gemido bem mais alto dela pelo nariz.

Os dois estavam tentando ao máximo não fazer nenhum barulho mas nesse ponto não tinha como segurar. Eu ouvi diversos urros do macho contra o travesseiro mostrando a intensidade do orgasmo dele. A minha esposa gemia junto e nesse ponto tinha se entregado totalmente. Ela tirou a mão da boca e eu a ouvia ofegante e as vezes até gemendo pela boca. As vezes ao mesmo momento em que o macho urrava no travesseiro ela gemia meio alto pela boca, mostrando que ela estava sentindo ele gozar.

Por fim, ele parou de urrar mas continuou sobre ela com a cara no travesseiro. O pau dele estava inteiro dentro dela e ela apenas respirava forte enquanto alisava as costas dele com as mãos. Eles ficaram assim por um tempo até que ele tirou o rosto do travesseiro. Ficaram então se beijando por alguns momentos com o pau dele ainda dentro dela. Em seguida ele levantou totalmente. Eles ainda não falavam uma palavra e eu o vi procurando suas roupas no escuro. Mesmo na penumbra eu podia ver o pau dele semiduro balançando entre suas coxas enquanto ele caminhava. Minha esposa parecia ter ficado exausta e continuava deitada com suas pernas meio abertas e as mãos sobre a barriga.

Assim que ele terminou de se vestir ela levantou e o levou até a porta. Ele ainda deu mais um beijo nela antes de sair. Ela fechou a porta com cuidado, ainda controlando o barulho. Eu permaneci na mesma posição ainda fingindo estar dormindo e não ter percebido nada. Minha esposa caminhou lentamente pelo quarto e foi até o banheiro. Ela entrou e fechou a porta. Nesse momento aproveitei para mudar de posição. Senti uma pontada no corpo pelos músculos terem ficado tanto tempo na mesma posição. Meu pau ainda estava duro como pedra dentro de minha cueca, que estava agora toda molhada na frente.

Minha esposa ficou no silêncio do banheiro por alguns minutos enquanto eu imaginava o que ela estaria fazendo. Em seguida ouvi o chuveiro sendo ligado. Ela tomou um banho rápido e depois voltou ao quarto. Eu estava agora de barriga para cima mas ainda mantinha os olhos meio fechados fingindo estar dormindo. Ela olhou um pouco para mim mas depois voltou a atenção para o chão. Percebi que ela estava procurando a calcinha. Segurei o riso por ver que minha esposa não sabia onde tinha deixado a calcinha após dar para outro homem. Por fim ela a achou e colocou de novo. em seguida dobrou o edredom e o lençol e colocou de volta no guarda-roupa.

Então ela deitou lentamente na cama ao meu lado também. Dessa vez ela que virou de costas para mim. No escuro eu ainda via o fio dela desaparecendo entre as nádegas. E eu sabia que logo abaixo estava sua bucetinha que agora estava totalmente saciada. Eu estava excitado como o inferno, mas estava feliz. Não tinha sido exatamente como eu queria mas tinha acontecido. Mesmo assim, não falamos nada um com o outro sobre aquilo. No outro dia, ao acordar, pedimos desculpas um para o outro e eu disse a ela que não ia a forçar a fazer nada e que ia deixar ela decidir quando estaria pronta para dar para outro. Ela não comentou nada sobre o acontecido e me agradeceu.

O que você achou deste conto?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Leia outros Contos eróticos de corno bem excitantes abaixo:

Eu e minha mulher demos para um tenente

Iniciando a vida de corno - Adoramos!

24733 views

Contos Eróticos relacionados

PROTEGENDO A CUNHADINHA

Já se passaram uns 5 anos que os fatos aqui narrados aconteceram. Os nomes serão fictícios. Vou dizer que meu nome é Jair; 45 anos na época e sem filhos, sou empresário na área de alimentação...

LER CONTO

CORNO SATISFEITO, ESPOSA FELIZ

  CORNO SATISFEITO, ESPOSA FELIZ Eu sempre tive vontade de ver minha mulher na cama com outro homem ver ela nuazinha gemendo de prazer com um homem estranho em cima e dentro dela metendo...

LER CONTO

Arrombando a sobrinha virgem

Arrombando a sobrinha virgem

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Incentivando o Filho Nerd

Incentivando o Filho Nerd

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Flagrou vovó e neto transando

Flagrou vovó e neto transando

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Esposa traiu com um personal

Ola a todos, este conto é verídico meu nome fictício Pedro e da minha esposa Ana, eu tenho 27 anos e minha esposa 25 anos, somos adeptos a rotina de treino na academia, tenho 1,80 de altura porte...

LER CONTO

traí meu marido com o auditor

Traí meu marido com auditor Tenho 38 anos e trabalho em uma empresa pública no setor administrativo, tenho algumas responsabilidades sérias e na empresa é grande o número de funcionários do...

LER CONTO

Amo meu marido e meus machos I

O belo luar do Caribe iluminava o jardim-varanda de nossa suíte onde eu e Tony estávamos sentados, e abraçada por ele. Conversávamos banalidades, mas Tony ainda estava cabreiro com o que aconteceu...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 3 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos