website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos picantes » PERDENDO O CABAÇO DA BUCETA PARA O PORTEIRO

PERDENDO O CABAÇO DA BUCETA PARA O PORTEIRO

Publicado em dezembro 28, 2022 por Ademir

PERDENDO O CABAÇO DA BUCETA PARA O PORTEIRO                                                                      Olá!!,  voltei!!!, lembram de mim? Sou a Débora a garota negra bunduda que perdeu as preguinhas do cuzinho virgem para o vigia/porteiro, história que já contei aqui “PERDENDO AS PREGAS DO CUZINHO VIRGEM PARA O VIGIA” !!!! lembram, Então, depois de passar o maior medo, uma dor enorme para aguentar o pinto do macho no cuzinho e ao mesmo tempo sentir um prazer indescritível perdendo o cabaço do cuzinho para o porteiro do prédio próximo da minha casa, entrei numa situação muito complicada, uma vontade enorme de repetir aquela trepada dolorida mas deliciosa porém com medo de ele forçar a perda do meu cabaço na buceta conforme ele prometeu rsrsr, já fazia mais de 3 meses que tinha acontecido aquela trepada incrível, eu uma garota de 18 anos toda recatada, tímida e virgem em todos os buracos rsrsr que só permitia aos meninos da escola no máximo me beijar e amassar meus enormes seios porém não passava disso.

Eu sempre cortava quando tentavam algo mais, porém com aquele homem o porteiro do prédio era diferente, o cara não era bonito, era muito coroa pra mim podia ser meu pai aparentava ter mais de 40 anos mais do dobro da minha idade, uma barriguinha de chopps, não era musculoso nem nada porém não sei porque me despertava um tesão absurdamente grande, cada vez que eu me lembrava dele me pegando quase que a força, me penetrando de maneira rude e grosseira, sentia uma onda de calor e eu tinha de me masturbar, lembrando daquele cacete enorme entrando em meu cuzinho, sofri muito para agasalhar todo seu cacete, e ele nem se preocupou com o fato de eu ser virgem e nunca ter estado com um homem e sem dó ou piedade, enterrou todo o pinto grosso e muito duro em meu maltratado cuzinho só procurando o seu próprio prazer, eu acabei gozando diversas vezes mais pela tesão do momento, foi extremamente dolorido aguentar o seu pau todo dentro de mim, fiquei com o cuzinho super dolorido por mais de uma semana, mas me masturbava todos os dias pensando naquele pinto enorme metendo e gozando dentro de mim, me lembro que após escapar dele e do seu pinto enquanto ele atendia o interfone de algum morador.

Me limpei rapidamente com papel higiênico que encontrei sobre a mesa e percebi que além do seu esperma, havia filetes de sangue misturado a porra que escorria do meu cuzinho, então ele havia quebrado algumas preguinhas do meu cu com seu enorme cacete, agora após mais 3 meses, eu estava em fogo cheia de vontade de repetir aquela trepada violenta, apesar do medo de ele cumprir a promessa de quebrar o meu cabaço da buceta que eu preservava para meu futuro marido após o casamento rsrsr, estava nessa dúvida mas acabei vencendo o medo e em uma tarde quente resolvi passar em frente o prédio para ver se ele me abordava, depois do acontecido eu deixei de passar por ali e desviava o meu caminho para evitar o porteiro mas aquele dia eu estava sentindo um calor terrível em todo o corpo e a buceta quente e melada de tesão ficava se contraindo em espasmos que eu não conseguia controlar e os seios estavam doloridos com os bicos muito duros, tomei um banho refrescante para baixar o fogo rsrsr, passei um hidratante perfumado deixando todo meu corpo macio e perfumado, me vesti de maneira bem sensual, uma calcinha fio dental vermelha, uma saia curta deixando minhas coxas grossas de fora, e uma blusa tomara que caia sem sutiã, nossa eu estava parecendo uma putinha.

Avisei minha mãe que iria na casa de uma amiga e sai em direção ao prédio que ficava bem próximo da minha casa, apenas um quarteirão, já próximo do prédio vi que ele saiu da guarita pois já havia me visto, me aproximei temerosa com os olhos baixos e ele disse !!! oi delicia, quem é viva sempre aparece né, sumiu porque menina, eu gaguejei uma desculpa qualquer que ele não entendeu, eu estava toda tremula e assustada, ele segurou meu braço, e me puxou para dentro da guarita, dizendo entra aqui tesão, fechou a porta e imediatamente me agarrou procurando minha boca, senti sua língua exigente invadindo minha boca em um beijo longo e molhado, suas mãos me apalpando todo o corpo, tirou a língua da minha boca e começou a morder meu pescoço, nossa eu estava tremula e com a buceta e o cuzinho piscando, porem o ruído do interfone interrompeu nosso gostoso enlevo, ele atendeu a moradora e voltou a me beijar, se esfregando em mim, porém novamente o interfone tocou e ele atendeu, em seguida outro e assim meu tesão foi passando graças a deus e eu abri a porta para escapar dali, ele me segurou antes de eu sair e disse que queria me comer na minha cama, eu disse ser impossível pois morava com minha mãe, ele interrompeu perguntando se ela nunca saia de casa ai me lembrei que ela ia viajar na próxima semana para casa da irmã minha tia que morava no interior e só retornaria 2 dias depois, comentei com ele que iria ver se era possível e avisava ele, continuou a apertar meu braço e disse !!!, olha vou ficar esperando ouviu, se não me avisar vou até sua casa, eu sei onde você mora, escapei da sua mão e afogueada corri para casa, lá chegando ofegante, me tranquei no meu quarto muito assustada ainda e pensando se aquilo daria certo.

Me masturbei pensando nele e no que iria fazer se realmente viesse até minha casa, será que eu seria capaz daquilo, se eu topasse deixar ele vir para minha casa, provavelmente iria perder o cabaço da buceta que tanto eu preservava, ele era um homem forte e rude e se eu deixasse ele entrar em minha casa, não teria como evitar que ele fizesse comigo o que quisesse; Passei a semana toda pensando naquilo, estava em duvida ia adiante com aquilo ou não, queria muito aquilo mas ao mesmo tempo tinha um medo enorme pois tinha muito medo de não conseguir preservar o cabaço da buceta foi assim a semana toda um sofrimento só, até que chegou o dia da minha mãe viajar, eu estava agitada e muito ansiosa ainda na duvida, até que minha, mãe saiu para a rodoviária não sem antes me passar um monte de conselhos e cuidados rsrsr, ela nem imaginava que eu estava prestes a trazer um homem para dormir comigo ali em nossa casa, logo após a saída da minha mãe, ainda em duvida e muito temerosa, criei coragem e desci até o prédio ele me viu e saiu da guarita, perguntou… e então, como ficou?

Eu cheia de medo e com os olhos baixos de vergonha, informei ao porteiro que estaria só em casa e que ele podia ir lá porém só após a meia noite para evitar que os vizinhos vissem ele entrando em minha casa, ele ficou todo afoito e contente e confirmou que estaria lá, passei um papel com o endereço e rapidamente fugi para casa com o coração aos saltos quase saindo pela boca, nossa aquilo era o máximo de atrevimento da minha parte, convidar um homem para vir na minha casa a meia noite com minha mãe viajando, meu deus, provavelmente o homem iria passar a noite em minha cama e eu não iria conseguir impedi-lo de tirar meu cabaço da bucetinha, nossa eu deveria estar maluca, passei o restante do dia na maior ansiedade, estava com um medo enorme porem ao mesmo tempo, uma vontade imensa que chegasse logo a meia noite, estava tão ansiosa que passei mal, meu deus, o que iria acontecer, me preparei para a noite, novamente um banho especial, creme perfumado em todo o corpo, um conjunto de calcinha e baby dool curto branco, a calcinha mal cobria minha buceta de tão pequena e entrava entre as nádegas me deixando ainda mais cheia de tesão, coloquei um roupão por cima e esperei ansiosa a chegada dele, estava quase desistindo, ainda dava tempo, era só não deixar ele entrar em casa mas o tesão falou mais alto e exatamente a meia noite ouvi batidas na porta.

Abri uma fresta e reconheci ele, olhei em volta e não vi nenhum vizinho e deixei ele entrar, imediatamente me agarrou e me beijou profundamente me tirando o fôlego, eu toda tremula em seus braços me esfregava nele, ele apalpando meu corpo com volúpia, disse;; vamos para o seu quarto putinha tesuda, quero meter em você na sua cama, vou ti foder até não ter mais porra no meu saco, nossa aquele palavreado chulo e grosseiro só aumentava o meu tesão, a buceta esta pingando de tão molhada, conduzi ele para meu quarto e retirei o roupão, estava deliciosa com aquele baby dool curto e a calcinha branca, ele sequer olhou para minha lingerie que escolhi com tanto cuidado para agradá-lo, me mandou ficar nua enquanto se despia rapidamente, seu cacete enorme já estava bem duro apontando para o teto, o tamanho era assustador, nossa eu não havia visto direito o seu pau na guarita escura quando me comeu a bunda, agora com a luz do meu quarto foi que vi o tamanho do cacete que tinha agasalhado no cuzinho a 3 meses atrás, não foi pra menos que doeu tanto, era descomunal.

Acabei de me despir e ele me empurrou para a cama, deitou-se sobre meu corpo com um sorriso cafajeste procurando minha boca, senti sua língua exigente explorando minha boca, ai desceu para meus seios e mamou e mordeu até me fazer gemer de dor e prazer, senti sua mão entrar entre minha coxas e seu dedo atrevido fazendo carinho na minha buceta, tive meu primeiro orgasmo dos muito que teria naquela noite, ele tirou a boca das minhas tetas doloridas e se ajeitou sobre meu corpo colocando o cacete todo melado quente e duro entre meus seios, me mandou segurar os seios e começou a se masturbar ali gemendo de prazer, tirou o pau dos meus seios e esfregando a cabeça nos meus lábios me mandou chupar, eu nunca tinha feito aquilo e não sabia o que fazer mas o instinto sempre ajuda, abri a boca sentindo ele metendo até minha garganta, gemia como fera ferida, eu mamava a cabeça do seu cacete com prazer e de repente estremeceu, gemeu e senti seu orgasmo farto espirrando em minha boca, nossa, quase me afoguei, me engasguei e engoli rápido, que delicia sentir as contrações do pinto em minha boca despejando um monte de esperma.

Ele me mandou engolir todo seu leite que sorvi gostosamente não perdendo nem uma gota, nossa eu estava parecendo uma putinha rampeira, o macho sobre mim, tirou o cacete da minha boca e voltou a morder os bicos dos meus peitos, foi descendo e pela primeira vez senti a língua de um homem na minha buceta, deus, aquilo era demais, depois de algumas lambidas, gozei novamente, ele continuou a sugar minha buceta enquanto enterrava o dedo indicador no meu cuzinho que piscava loucamente, novo orgasmo delicioso, ele tirou a boca da minha buceta e veio para cima de mim, enfiou a língua em minha boca e eu senti o meu sabor na sua boca aumentado ainda mais meu prazer, senti a cabeça do seu cacete muito duro todo melado se encaixar entre os grandes lábios da minha buceta, ainda tentei escapar pedindo a ele para não meter ali pois eu era virgem,por favor, pedi, pode comer meu cu mas a buceta não, ele sorriu e disse, seu cabaço vai ser meu sua negra putinha, vou possuir você totalmente tesão e forçou a penetração.

Eu apreensiva com as coxas abertas senti a cabeça rombuda do seu pinto entrar na minha bucetinha virgem e levar o cabaço, nossa a dor foi intensa, gemi de dor e tentei escapar dele, que me segurou fortemente e continuou a penetrar o enorme cacete na minha dolorida buceta, nossa levou uma eternidade para colocar todo o cacete dentro de mim, eu sofria em baixo do seu corpo e ele gemia de puro prazer sabendo que estava fodendo uma buceta virgem, nossa como doía, mas entrou tudo, senti seu saco batendo em meu cuzinho, ele estava todo dentro de mim, a dor intensa foi passando e eu comecei a ondular o corpo no ritmo das suas investidas, nossa ele metia forte me levando ao céu e inferno ao mesmo tempo, comecei a ter pequenos orgasmos seguidos, nossa era demais, eu sofria mas gozava como nunca mais iria gozar, o homem sobre mim mordia meu pescoço desvairado enquanto metia forte, de repente se retesou todo o corpo, me penetrou profundamente e gozou, no mais profundo de mim, um gozo intenso e delicioso, eu gozei no seu gozo, tremula de prazer, nossa que delicia, ele arfava sobre mim todo suado, era delicioso demais.

Ficamos abraçados por um longo 5 minutos, ai ele saiu de cima e de dentro de mim se deitando do meu lado, senti o esperma escorrendo da minha buceta aos borbotões, nossa como tinha porra esse homem, descansei um pouco ai levantei e fui ao banheiro, ao me limpar, verifiquei que junto com seu esperma, saia sangue do meu pobre cabaço, tomei um banho rápido pra me livrar do esperma e do suor, e voltei para a cama, assim que me deitei ele veio para cima de mim procurando minha boca, me deixei beijar, ai ele perguntou se estava tudo bem, se desculpou por ter tirado meu cabaço, disse que não aguentou estar com a minha deliciosa buceta a disposição, disse que estava tudo bem, ele veio para cima de mim cheio de tesão com o pinto bem duro ainda e disse quero mais putinha gostosa, vou meter nesse cu maravilhoso e depois de novo nesse buceta deliciosa, eu estava entregue aquele homem, não conseguia entender porque ele me despertava tanta tesão e me entreguei de novo, ele mamou meus seios elogiando a firmeza das minhas tetas e me mandou ficar de bruços, eu me virei apreensiva pois fazia mais de 3 meses que ele havia tirado o cabaço do meu cu e deveria esta como novo agora rsrsrs, ele não se cansava de elogiar minha bunda, apalpando dando tapas e mordendo minhas nádegas, como era delicioso aquilo.

Abriu minhas nádegas e senti sua língua atrevida lamber meu cuzinho que piscava loucamente, ele riu nossa como pisca gostoso seu cu menina, e enterrou a língua no meu cuzinho, nossa quase gozei na língua dele, ele enterrou a línguas profundamente em meu cu me levando as alturas, tirou a língua e enfiou os dedos para lubrificar, eu aproveitei e peguei um tubo de KY que eu havia comprado naquele dia e escondido da minha mãe na gaveta do criado mudo, entreguei a ele o tubo, ele sorriu e disse ai menina preparada heim!!!!!, tem o seu próprio lubrificante rsrsrs, besuntou com bastante creme o interior do meu cu e em torno lambuzando toda minha bunda, passou creme no enorme cacete e se ajeitou sobre meu corpo, senti a cabeça do seu pinto se encaixando na entradinha do meu cu e me beijando a nuca dizia…. Abre o cuzinho pra mim gata, relaxa esse buraquinho delicioso para mim entrar e forçava a penetração, senti a cabeça do seu pau escorregar para dentro de mim e gemi alto devido a dor, seu pau era muito grosso, ele continuava a me beijar a nuca e dizia: calma preta deliciosa, abre o cu pra mim abre, já entrou a cabeça, o restante entra mais fácil e continuou a escorregar para dentro da minha bunda, nossa como doía, tentei escapar mas ele me segurou fortemente e continuou a enfiar, até que senti seu saco bater em minha buceta.

O enorme nervo duro estava todo dentro da minha bunda, ele gemia de puro prazer e dizia, nossa que cu divino, profundo, quente e apertado, vou encher esse cu de porra putinha gostosa, eu gemia de dor começando a me acostumar com seu volume dentro de mim, dei uma reboladinha para acomodar ele melhor dentro e me senti mais confortável, na verdade eu estava começando a sentir prazer, pedi a ele para meter devagar, ai ele começou um vai e vem lento, nossa eu ia ao inferno quando ele enterrava tudo e ao céu quando tirava, era delicioso demais, nesse vai e vem tive um orgasmo delicioso e de repente ele se enterrou totalmente em minha bunda e gozou no mais profundo do meu cuzinho, eu sentia as contrações do seu pau despejando um monte de esperma dentro de mim e gozei novamente no seu gozo, ele se aquietou descansando sobre meu corpo e o pinto foi amolecendo até escapar da minha bunda, ele deitou-se ao meu lado e dormiu imediatamente, eu me levantei e fui ao banheiro sentindo seu esperma escorrendo pelas minhas coxas, no banheiro verifiquei que ele havia tirado sangue do meu cabaço da buceta e novamente do cu, tomei um banho quente revigorante fazendo força para me livrar do esperma acumulado em meu cu e buceta e enquanto me enxugava, me perguntei como pude fazer aquilo, até a 3 meses atrás eu era totalmente virgem e agora estava ali toda deflorada mas não me arrependi, eu havia perdido a conta das x que gozei e ele havia gozado 3 vezes dentro de mim.

Voltei ao quarto e fiquei olhando aquele homem ressonando em um sono profundo, nossa como podia aquele macho me despertar tanta tesão, não era bonito, era velho para mim mais de 40 anos, meio gordinho e com a barriga saliente, nada de músculos porém seu cacete era delicioso demais sempre duro e seu gozo era farto e quente, delicia demais, me deitei ao seu lado sentindo ele me abraçar, me aconcheguei a ele e dormimos assim de conchinha rsrsrsr, de manha preparei um café substancial para ele pois havia se desgastado muito durante toda a madrugada metendo e gozando em mim, acordou todo feliz com o café, assim que terminou me arrastou para a cama novamente, tirou minha calcinha, chupou minha buceta me fazendo ter outros orgasmos, e novamente me penetrou, meteu como se fosse meu dono, me fez gozar de novo, ai saiu de dentro de mim, levantou-se e enquanto se vestia, me informou que era casado tinha 2 filhos e que amava a esposa, eu disse a ele que estava tudo bem, esclareci que não queria nada com ele, só sexo mesmo, disse a ele que quando quisesse eu estaria a sua disposição, ele achou ótimo a situação e prometeu que iria me procurar novamente, agradeci pelo prazer que me proporcionou e um ultimo beijo, foi-se, eu agora era uma mulher completa rsrsr, tivemos outras seções de sexo e só não engravidei do cara devido estar tomando anticoncepcional desde antes da primeira gozada na minha buceta, depois de algum tempo ele desapareceu e eu segui minha vida, me casei aos 26 anos com um homem maravilhoso, tenho uma filhinha e sou uma mulher muito feliz.

Leia outros Contos eróticos picantes bem excitantes abaixo:

Cunhada com problemas para ligar o chuveiro

MINHA SOBRINHA – MINHA ‘PUTINHA’ – MINHA SECRETÁRIA MINHA AMANTE - 1ª PARTE

13746 views

Contos Eróticos relacionados

Comendo minha amiguinha na casa de praia

Tenho uma casa de praia da família e sempre passo as férias por lá, desde criança. Muito tempo atrás, conheci Sabrina, uma loirinha magrinha, com cabelo liso e comprido, muito faladeira e um ano...

LER CONTO

Comi a namorada safada do meu amigo

Olá, me chamo Victor, tenho 30 anos e essa história aconteceu a um tempo. Gabi era deliciosa. A verdade é que eu sempre quis foder aquela vagabunda. Eu ficava com a pica dura só de pensar eu...

LER CONTO

MEU GENRO GOSTOSO E TESUDO

- . . . - MEU GENRO GOSTOSO E TESUDO - - - - . . . - Sou mãe de duas lindas meninas, tenho 45 anos e atualmente solteira. Minha filha mais velha, foi morar com seu namorado, por problemas de...

LER CONTO

Uma deliciosa carona

- - - Uma deliciosa carona - - - - - - Introdução e Personagens - - Junior é o meu nome – Tenho 26 anos – Altura – 1.89 centímetros. – Cabelos e olhos castanhos. Aproximadamente 100...

LER CONTO

2 - Comentário(s)

  • negro amigo 31/12/2022 03:09

    que delícia de conto!

  • Monica Lima 28/12/2022 21:26

    Top, parabéns.

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 4 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2023 - Contos adultos