Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de fetiche » O início de uma putinha

O início de uma putinha

Publicado em maio 10, 2020 por lucima f. silva

Meu nome é Lu e este conto faz parte de um livro que escrevi,e narro como eu me iniciei desde novinha na safadagem.Eu até hoje carrego comigo esta tara de andar a cavalo nua em pelo,não sei explicar,no local onde eu nasci, havia muitos cavalos.Um cavalo me excita tanto, que chego a pensar que em outra vida fui uma égua.Teve uma transa diferente que tive muito tempo atrás,que me deixou fora de mim.Adorava cachorros e acabei punhetando um no mato sem que ninguém visse.Era o rex,um cachorro que era da minha tia,na casa dela havia três primas e dois primos,eu dormia junto da minha prima Irani,e algumas vezes eu sentia que ela procurava sempre se encostar em mim mais tempo que o normal,e as vezes quando trocava de roupa,ela ficava me olhando mais tempo com aqueles belos olhos azuis.Eu devo admitir que sentia algo também,um leve comichão na minha precoce bocetinha. Ela procurava sempre me tocar,gostava de pentear meus cabelos,na época eu tinha um cabelão que parecia de uma índia,na verdade eu era muito parecida com uma.Quando não havia ninguém em casa ela me chamava para tomarmos banho juntas.Nessa hora eu embora um pouco assustada,eu adorava,ela me ensaboava e ficava mais tempo esfregando no meio das minhas pernas.Eu ia sentindo um formigamento que ia crescendo até que eu não resistia e prendia sua mão no meio das minhas pernas,sentido uma quentura gostosa.Eu notava que ela estava com sua outra mão entre as pernas dela,e via como ela tremia e gemia como se tivesse levando um choque,ela era bem safadinha. Saímos do banho como se nada tivesse acontecido,mas durante a noite ficávamos nos esfregando em silêncio,para que as outras duas não acordassem.Era difícil segurar para não gemer alto.Ela ia passeando com suas mãos em meus seios,que ainda eram pequenos,eu sentia um gostoso arrepio,ela muito safada ia descendo sua mão até chegar na minha xoxotinha, aí eu não conseguia aguentar mais.Abria minhas pernas e deixava ela enfiar seu dedinho e passear pelo meu grelinho,que na época eu nem sabia direito o que era isso.Tudo estava acontecendo naturalmente,estávamos descobrindo nossa sensualidade precocemente.Acada dia nós ficávamos mais ousadas,mas com um pouco de medo.Meus tios eram bem severos,e se descobrissem,seria um caos.Mas até aí,ainda não havíamos nos chupado,até que um dia estava arrumando o quarto dos meninos,vi embaixo do colchão de um deles,uma revista mostrando várias mulheres se beijando,fazendo a posição de 69.Aquilo me deixou com minha xoxotinha piscando,toda meladinha.Mostrei para Irani,que ficou com seu rosto vermelho e vi que ela levou sua mão por dentro do seu short,mordendo seus lábios e fechando seus olhos.Guardei a revista no mesmo lugar,e combinamos de tentar depois fazer igual ao que tínhamos visto.Num domingo que não havia ninguém em casa,fomos tentar colocar em prática o que tínhamos visto na revista.Tomamos um gostoso banho,uma esfregando a outra,fomos nos aproximando,olhando nos olhos uma da outra,e demos um selinho rápido.Mas o melhor foi quando fomos para o quarto,fomos nos beijando,começando pelo rosto,pescoço,ela foi me beijando os seios que imediatamente ficaram durinhos,me deixando louca de tesão.Ela foi deslisando até chegar na minha xoxotinha que estava a mil por hora,quando passou sua língua lá foi como se eu tivesse tomado uma descarga elétrica,minha pernas bambearam e me entreguei toda.

Ssssshhhhhh….aaaaaiiiiii…deeeeeelííí…..ciiiiaaaaa…..aaaaahhhhhhh….uuuuuhhhhhhhhh….

Continua depois da publicidade

Chuuuuuupaaaaaaa…..goooossssstooooosoooooo…..aaaaaahhhhhh…..

Ela ainda não sabia chupar direito,me torturava de tesão,e resolvi tomar as rédeas da situação.A coloquei deitada na cama,e fui chupando seus seios,que confesso ser uma das coisas mais lindas que havia visto.Ela era uma moreninha muito linda,seus olhos azuis,seu corpinho,mas o que mais me chamou a atenção foi seu enorme grelo.Eu já tinha visto ele várias vezes quando tomávamos banho,ou quando ela trocava de roupa,aliás,eu só conseguia tomara banho quente, quando a gente ia juntas,caso contrário,era frio mesmo.Mas agra ali vendo aquilo,eu tive coragem de perguntar o que era aquilo.Ela de sacanagem me dizia que aquilo ali era para me comer,eu na minha inocência,ficava encucada.Mas pensando bem,eu me lembrava que às vezes que estavámos dormindo,eu de bruços,sentia ela por cima de mim esfregando na minha bunda,quando acordava sentia como seu ma coisa durinha estivesse cutucando minha bundinha,eu achava que era um dedinho,mas na verdade era seu grelinho.Mas voltando a chupação,eu ia descendo até chegar naquela xoxotinha dela linda e ficava ali olhando e admirando aquele enorme grelo que me deixava intrigada.Passei minha linguinha nele e dei um beijinho,sentindo ele se mexer,parecia um pintinho de uma criança.Fui chupando agora com mais coragem,vendo ela ir nas nuvens de tesão e delirava…

Vaaaaiiiii….Luuuuuu….chuuupaaa….meuuuuu…pintiiiinhooooo….fazzzz…eleeee…fiiicaaarrrr…beeeeeem….duriiinhoooooo…shhhhhhh….voooou…enfiaaaarrrr….emmmm…vooooceeeee……

Continua depois da publicidade

Sssssiiiiimmmmmm….eeeenfiiiiiaaaa…..tuuuuudiiiiinhooooooo…..

Depois quando ele estava bem durinho,ela me virava de bunda para cima e ia se esfregando em mim como se estivesse metendo na minha bundinha,eu com minha mão esfregava minha xoxotinha tocando uma gostosa siririca,esfregava minha bundinha contra Irani,fazendo que ela gozasse,deixando meu reguinho todo melado,fazendo que ela gemesse muito alto.

Aaaaahhhhh…deeliiiiiciiiiaaa…..uuuuhhhhhhhh……..

Tudo estava bem até que a irmã mais nova dela chegasse,nos flagrando em plena sacanagem.Não havia nada a dizer,Sandra não havia saído com seus pais,como pensávamos,ela estava na casa de um vizinho.Nós não sabíamos,mas ela era bem curiosa,estava já algum tempo nos observando e com uma mão tocando uma siririca.Ela estava com seu rostinho bem vermelho,afogueado,com sua mão tocando sua bocetinha e dava gemidos que chamou nossa atenção,ela gozara pela primeira vez.Estava um pouco sem graça,então a pegamos e a colocamos na cama,tiramos sua roupa,e fomos beijando ela todinha,até chegar naquela bocetinha que gordinha e estava inchadinha,tinha alguns pelinhos ralinhos,e aí eu tive uma surpresa…Sandra era greludinha como sua irmã Irani,me deu um enorme tesão,caí de boca naquele grelinho durinho,como se estivesse chupando um pirulito.Ela gemia e tremia dizendo estar gostando muito,que estava sentindo uma sensação que nunca tinha sentido,que estava toda mole.Irani beijava os seios de Sandra,arrancando gemidos dela,fizemos que ela tivesse um estremecimento e um gozo que a fez desfalecer um pouco.Assim que ela recobrou os sentidos,ela fez com que eu e Irani,nos deitássemos na cama,e usando suas mãos foi tocando uma siririca em nós duas,fazendo que tivéssemos um gozo delicioso,nos fazendo estremecer e chegar a molhar o lençol com o caldinho das nossas xoxotas.A partir daí,Sandra passou a fazer parte das nossas transas.Até com o rex,nosso cachorro,um dia fomos passear no mato no alto de um morro onde havia uma pedreira.Levamos o rex e fizemos que ele trepasse com nós três,primeiro eu deitei no tapete que levamos,pedi que Irani e Sandra colocassem o rex na posição,em cima de mim,el muito safado foi cutucando até achar minha xoxotinha, senti uma dorzinha,e quando vi, senti que estava dentro de mim,procurei não deixar aquela bolota entrar,fiquei com medo de ficar engatada como uma cadela,ou rasgar minha xoxotinha. Senti seu cacete inchar dentro de mim e suas esguichadas lá dentro,senti suas patas me apertando,era como se ele quisesse enfiar a sua bolota enorme dentro de mim,gozei gostoso,foi um gozo diferente,mas foi delicioso,meu cabacinho agora tinha ido para o espaço.Irani queria sentir também aquela sensação,principalmente quando viu minha expressão de de prazer,sua xoxotinha deveria estar pegando fogo.Eu me levantei com minha xoxotinha toda cheia,pingando leite,escorrendo perna abaixo,junto com um pouquinho de sangue.Sandra e eu colocamos Irani de quatro,fizemos que o cachorro subisse em cima dela,ele foi bombando até acertar a xoxota dela que estava toda meladinha.Ela deu um grito,sentindo que já era seu cabacinho,a pica do rex foi entrando,eu e Sandra olhamos uma para a cara da outra e de sacanagem,deixamos que ele fosse enfiando tudo,até aquela bolota enorme,que a princípio,não era tão grande,mas depois que entrou,aumentou seu tamanho.Ela gemia de dor,mas seu tesão era bem maior,ela deu uma gemida forte e um tremor sacudiu seu corpo,fazendo que gozasse gostosamente,sentindo o cão apertar ela e encher sua xoxota com seu leite quentinho.Demorou um pouco para  sair de dentro dela,aquela bolota enorme,mas quando saiu,sua xoxota estava em brasa, saía muita porra e um pouco de sangue.Ela disse que estava ardendo um pouco,mas que fora muito bom.Assim que o rex desengatou dela eu fui olhar sua xoxotinha que agora tinha virado um xoxotão,estava um pouco inchada e vermelha,devido a um pouco de sangue que escorria.Ela ficou deitada de bruços ainda um pouco ofegante,daí a pouco o rex voltou subindo em cima dela começando a bombar e acertando o cuzinho dela que tentou tirar fora,mas ele era forte,e conseguiu seu intento.Eu coloquei minha mão no meio das pernas dela,e vi que ele acertara seu cuzinho, estava entrando mesmo.Como ela estava começando a gostar,já não mais queria que ele saísse dali,queria que aquela pica toda entrasse no cuzinho dela,pediu que Sandra abrisse sua bunda mais para poder sentir mais fundo.Empurrava sua bunda de encontro ao cachorro desejando que até a bolota entrasse toda no seu cuzinho,gozou gemendo muito,seu cuzinho piscando e sua xoxotinha também;

Aaaaahhhhhhh….meeeteeeee…..me….coooomeeeeee….ssssshhhhhhh….queeeerooooo….tuuuuudiiiinhooooo….

O rex segurou ela com força, conseguindo enfiar aquela bolota no cuzinho guloso dela,gozando lá no fundo da xoxota dela,depois de um tempo,a bolota saiu deixando seu cuzinho aberto,parecendo mais um túnel,seus olhos até saíram lágrimas,seu cuzinho agora era um cuzão,todo aberto,escorrendo a porra do rex.Várias outras vezes,quando dava uma oportunidade,saíamos com o rex,e no meio do mato,virávamos suas cadelinhas,Irani já estava viciada,só faltava latir.E o rex,estava agora muito safado,sem vergonha,bastava a gente sair que queria acompanhar….LU/[email protected]

5022 views

Contos relacionados

Meu colega de trabalho

Qual o nome dele? Juvenal Sabe aquelas coisas q acontece por acaso, foi exatamente assim Era meu primeiro dia no trabalho novo, quando vi de repente um homem maravilhoso, moreno, Alto, sem camisa e...

LER CONTO

A segunda vez com nosso amigo em comum

Ola hoje quem vai contar nosso fetiche sou eu  a esposa, somos um casal eu 33 anos ele 39 anos, somos casados a 10 anos e somos um casal bem tranquilo e bem resolvido no q queremos, depois que meu...

LER CONTO

CHOCOLATES DENTRO DO CU DE SELMA

Enfiar chocolates no ânus de Selma, para comer depois, é algo delicioso. Acreditem. Aqui quem fala é Daniel, conhecido como o amigo mais louco por bundas do grupo de Selma e suas amigas. Assumo que...

LER CONTO

Silvia e a vingança do judeu

Enviado por: Helga Shagger Eu e meu marido somos alemães. Traí meu marido pela primeira vez quando tinha 21 anos e somente depois de dois anos de casada. Voltemos à época da 2a, Guerra Mundial....

LER CONTO

JANAÍNA SAFADINHA!

Me chamo Janaina, tenho 22 anos, não tem um corpo que para muitos chamaria a atenção, eu sou magrinha, seios com piercing e bumbum pequenos mas quem ja provou gostou. Vou contar o que aconteceu...

LER CONTO

Comendo minha mulher na praia movimentada

Saudações pessoal, meu nome é Antônio, tenho 40 anos e hoje vou relatar como foi o dia em que eu terminei comendo minha mulher na praia movimentada com várias pessoas observando. Antes de...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 1 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2020 - Contos adultos