Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos de corno » O funcionário amante, levando a patroa para a farra

O funcionário amante, levando a patroa para a farra

Publicado em janeiro 11, 2021 por Carlos

Olá, Me chamo Carlos tenho 30 anos 1,81 e 85KG corpo definido pois malho, e minha esposa Shika tem 27 anos 1,67 e 59kg uma bunda bem durinha por conta da academia e peitos naturais de tamanho médio.

Vocês podem acompanhar nossos contos anteriores para acompanhar nossa vida na África do Sul.

Continua depois da publicidade

Com a loja já aberta a 3 meses o jovem negro já era o amante oficial da Shika, de duas a três vezes por semana ela chegava mais tarde e eu já sabia que estava fodendo com o rapaz, sempre que ela chegava toda arrombada ela me contava como foi e as vezes tirava algumas fotos ou gravava, após isso tomávamos um banho junto e tínhamos uma transa deliciosa.

Nossa vida sexual estava excelente, pois eu adorava saber que ela sempre tinha um pau grande fodendo ela e ela sempre fogosa estava plenamente satisfeita e ainda me dava um prazer imenso.

Depois de uns 3 meses já com a loja aberta Shika me falou que o funcionário perguntou se ela já tinha ficado com mais de um Negão, ela então respondeu que sim e ele ficou quieto e não comentou mais nada. Ela então me confessou que ficou com uma pulga atrás da orelha e muito excitada com a pergunta, porque já imaginara o que se passava na cabeça dele.

Continua depois da publicidade

Certo dia ela chegou e me disse que ele a chamou para visitar uma vila que ele conhecia que ficava a uns 30 km dali disse que haveria uma festa folclórica lá e que ela iria gostar muito de uma surpresa que ele preparou. Ela com um pouco de receio veio perguntar, pois fugia do que costumávamos fazer onde eu sempre estava presente. Então pedi a ela que descobrisse a localização exata que eu iria lá mas em um carro separado e ficaria observando de longe, pois o rapaz sabia que ela era casada mas ainda não havia me conhecido pessoalmente.

Pois bem ela então aceitou e combinaram de ir no dia da festa que era um sábado.

Ela então foi com uma saia colorida com fendas nas laterais mostrando suas belas pernas e um top mostrando até a altura do seu umbigo.

Então para não dar na pinta por conta do carro peguei um taxi e fui até o local onde aconteceria a festa.

Ela se dirigiu até a loja, naquele dia estava fechada mais combino com o rapaz de se encontrarem lá, chegando lá ele estava com um amigo em uma camionete velha cabine simples vermelha, ele então fala a ela para deixar seu carro lá pois o acesso era por estrada de chão que seria melhor ir com o deles. Ela então deixa lá e embarca com eles.

No caminho ela me conta que o amigo dela não tirava os olhos de sua perna e toda vez que ia passar a marcha dava um jeito de esfregar a mão em sua  perna, ela já imaginando o que queriam se fazia de desentendida e dava cada vez mais corda. No caminho ela me conta que algumas vezes eles falavam em dialeto local e quando perguntava ao funcionário ele dizia que seu amigo a achou linda. Ele então pergunta o que ela achou dele, ela sorriu e disse o que ele estava esperando dela. Então ele falou que seu amigo gostou dela e que queria ter o mesmo prazer que ele já usufruía mas depois da festa, ela apenas deu uma risada e passou a mão sobre a perna do amigo dele como um sinal verde para o que viria depois. A partir dai a inibição deles acabou ela me contou que nesse momento o amigo do funcionário passava a mão em suas perna até próximo de sua bucetinha até que chegaram no local.

Depois de uns 30 minutos que eu já estava lá de longe pude a localizar, ela já estava bebendo algo e reparei que eles três estavam indo em direção a algumas pessoas que pareciam ser conhecidos deles. Além deles havia lá mas duas negras belíssimas dois rapazes brancos que pareciam turistas e tinha mais dois negros acompanhando eles.

Conforme a festa passa e começam a bebedeira fiquei mais próximo deles e vi que logo a Shika já estava de conversa mole com os homens ali. Me aproximo mais e vejo que tem um senhor olhando pra eles também, então pergunto o que ele observa. Ele me diz então que aquelas meninas são garotas de programa e os homens brancos estão com elas, me disse também que os outros dois rapazes também são garotos de programa e que provavelmente estariam de olho na branquinha que estava lá no caso a Shika e que provavelmente iriam fazer uma festinha com ela naquele dia.

Saio dali e vou pegar mais uma bebida, Shika me avista e nesse momento da um largo sorriso e se solta no meio dos rapazes, imagino que se sentindo mais segura. Então vai entardecendo e nesse momento já noto que todos estão bem soltos ali e que a Shika já estava dando mole e dançando com todos aqueles homens, logo em seguida os rapazes brancos saem com as duas mulatas e fica apenas a Shika com os 4 negros ali, reparo que eles começam a dançar mais sensualmente e a todo momento estava apertando sua bundinha e dando um cheiro no seu pescoço. Então o funcionário chega no ouvido dela e diz algo, ela ri olha com cara de safada para todos os 4 ali acena com a cabeça e começam a sair dali, sigo eles de longe para ver onde estão indo, ela sempre da uma olhadinha para ver se estou próximo, quando chega perto de algumas barracas em um lugar um pouco mais sossegado reparo que nessas barracas tem outros casais e que estão transando. Então um dos negros pega ela e da um beijo ali no caminho ela se derrete enquanto outro da um beijo em sua nuca, um deles então a pega no colo e a joga em seus ombros dando risada, enquanto o outro levanta a sua saia e olha a sua bucetinha espremida em sua calcinha e provavelmente toda molhada e da um beijo ali mesmo enquanto ainda passavam alguns casais mas apenas dão uma olhada rápida e seguem para suas barracas pois ali era um lugar onde acontecia a putaria, então seguem carregando ela e vão para dentro de uma das barracas, eu então sem ter como me aproximar pela frente procuro um local discreto de longe para observar a hora que eles sairiam daquela barraca, a partir daqui vou relatar o que ela me contou.

Entrando no quarto com ela sobre os ombros todos os 4 dando risadas e falando alto, lá dentro ela ainda sobre os ombros deles começa a receber tapas em sua bunda branquinha, enquanto sente um deles afastando sua calcinha e lambendo sua bucetinha, ela então começa a gemer baixinho enquanto começa a passar suas unhas na costa daquele que a segurava, eles falavam alto e riam, em seu dialeto como dizendo hoje vamos aproveitar essa putinha, então o rapaz a tira de seu ombro e começa a beijar ela completamente já entregue aquela situação como a putinha que é, logo sente um deles abaixando sua saia e sua calcinha enquanto o outro negro a beija ferozmente como se fosse devorar ela, então ele começa a tirar sua blusa e seu sutiã, então ela se ve ali completamente nua com 4 negros em sua volta, como um ato natural para ela já se ajoelha e começa a passar a mão em suas rola ainda por cima da roupa, ela já conhecia o muito bem os pau do funcionário e adorava ele, quando então ela tira os outros 3 e são igualmente grandes, como com quem já esperava por isso ela da um sorriso olha de baixo para cima para eles, ali então entregando a sua experiência em lidar com membros daquele tamanho e começa a fazer um maravilhoso boquete a todos eles, como os olhos abertos e olhando para eles enquanto engole suas rolas, o funcionário olha surpreso aquela cena e então entende o quão putinha e experiente sua patroa é naquela situação, se antes ele imaginava que ela era apenas uma mulher infiel que tivera experimentado um negão e que ele a fez gostar daquilo, agora ele tivera a certeza que ela é uma putinha de negão e que ele não foi aquele que fez ela ficar viciada em uma rola negra.

Ela então continua a chupar todos eles os quais já estavam com seus paus duríssimos, então ela se levanta e os chamam em direção a uma cama que tinha lá, então ela agora com atitude de um dona ordenava a todos que obedeciam, agora agindo como uma patroa mas não de sua loja mas sim de seus machos, empurra um deles sobre a cama passa suas pernas sobre ele e posiciona seu pau na entrada de sua buceta, ela começa ali então a sentar lentamente naquele pau o que não seria o maior mas de acordo com ela o mais grosso e que mais ela sentiu abrir sua buceta naquela noite. Ela então aos poucos vai penetrando toda aquela tora em sua bucetinha que ia se alargando a cada instante com suas mãos sobre o peito dele enquanto os outros 3 olhavam como aquela mulher dominante ia se entregando aquele pau, logo ela engoliu toda aquela rola e gemia alto agora não com aquele ar dominante, mas sim como uma putinha totalmente entregue aquela rola negra que a preenchia totalmente, então os outros 3 começam a oferecer seus paus para ela chupar e começam a dar tapas em sua bunda branquinha que já estava ficando toda vermelha, ela então começa a rebolar naquele pau tirando urros de prazer daquele negão que está ali, enquanto começa a engolir aquelas toras novamente e tem seus seios chupados, fica ali em volta daqueles 4 machos, quando então o negão o qual ela está sentado talvez para não gozar tão rápido pois ela estava dando um trato nela a puxa pela cintura fazendo com que ela pare com o movimento fazendo com que ela se abaixe até ele e comece a beijar enquanto está com seu pau agora com movimento lentos, seu cuzinho então está totalmente exposto ali, o funcionário como já conhecia sabia que ela adorava dar aquele cuzinho prontamente foi por trás dela e começou a passar a língua sobre ele, ela então percebe e solta um gemido abafado enquanto está beijando aquele negão que já a arrombava, ele percebendo a prende pela cintura para que fique naquela posição o mais arrebitada possível, então o funcionário começa a pincelar seu pau na entrada de seu cuzinho, ela tenta lutar um pouco  mas percebe que é inevitável e que logo estaria em uma dupla penetração então logo relaxa seu cuzinho, o funcionário percebe que ela já está entregue e começa a pressionar seu pau que logo começa a entrar a cabeça e empurra o restante de uma vez, ela então geme alto de dor e prazer e todos riem e comemoram como se fosse um gol, então começa ali uma dupla penetração duas toras entrando e saindo de seu cuzinho e buceta ela não mais gritava mas apenas ria e gemia de prazer demonstrando o quanto estava adorando aquilo e ali estava ela com duas rolas preenchidas e revezando com sua boa os outros dois paus, então ali começaram todos a revezar em seu cuzinho e depois em sua bucetinha por uns 15 a 20 minutos, ela então sai daquela posição com as pernas tremulas dando risada enquanto os machos olham para ela e já conversam normalmente falando o quanto ela estava dando prazer a eles e ela sorridente agradecendo e rindo com eles, a colocam de lado na cama e ali de pé cada um se posiciona um em seu cuzinho e outro em sua bucetinha, fodendo forte ela ali enquanto ela gemia de prazer e eles urravam enquanto a dominava com suas rolas, ali ficaram por mais um tempo enquanto revezam entre sua buceta e seu cuzinho, ali não deram seus paus para ela chupar pois queriam ouvir seu belo gemido enquanto tinha sempre dois paus a penetrando.  Quando terminaram naquela posição ela se levantou e fizeram então sentar em no colo de um deles, seu pau entrando em seu cuzinho, enquanto ela se deitava em sua barriga erguendo suas pernas e deixando sua bucetinha totalmente exposta para que receber outra rola, naquele momento foder só com a bucetinha ou com o cuzinho não era mais uma opção, dupla penetração era lei.

Então estavam ali fodendo ela forte enquanto dessa vez ela também chupava os outros dois, naquele êxtase ela sentia cada vez mais prazer parecendo uma cadela no cio, pedindo mais e mais, que queria ser arrombada, seu funcionário olhava e via o quão putinha era sua patroa e o quanto ela adorava ser submissa naquela situação, então ele que tinha seu pau chupado sai dali, e vai em direção a sua bucetinha e cuzinho que já era arrombados por duas rola, ali então ele pede aos dois que parem mas não tirem suas rolas de dentro dela, ela exclama o porque pararam até que sente um segundo pau encostando em sua buceta, então o funcionário começa a empurrar sua rola dividindo aquela buceta com seu amigo que ali já estava, ela então geme alto de puro prazer e grita “me arromba” ele então força e empurra com tudo, ela grita e berra de prazer pedindo que fodam, então ali estava ela com três rolas fazendo movimento nela uma em seu cuzinho e duas em sua buceta, totalmente arrombada, submissa e entregue, como se fosse feita para aquilo e que seu único objetivo fosse servir de um objeto de prazer para aquelas rolas negras, ficaram ali então fodendo ela enquanto o quarto negro ficava abafando seus gemidos com seu pau em sua boca, depois de uns 5 minutos saem daquela posição, cansados, suados e olham ali o estrago que fizeram em sua bucetinha e seu cuzinho, ela neste momento já havia gozado várias vezes e eles em ponto de bala, então ela se vira tremula de 4 enquanto um a um começam a montar nela e foder seu cuzinho até que começam a gozar um a um dentro de seu cuzinho, como se fosse feito para ser um deposito de porra, após o ultimo gozar ele a seguram e abrem seu cuzinho vendo o estrago que fizeram e o quanto de porra havia dentro dela, ela cai de lado então se levanta devagar e quando de pé está começa toda aquela porra que está dentro dela escorrer de seu cu para suas pernas e ela sem força se quer em suas pregas para segura ela lá dentro, vai ao banheiro e joga uma ducha para se limpar, sai de lá nua, satisfeita e arrombada por aqueles homens, eles ainda sem roupas olham aquela mulher e admiram e logo depois se divertem com a situação e trocam algumas palavras, vão em direção a ela e um por um ainda da um beijo demorado nela enquanto bulinam suas partes, ela totalmente entregue aqueles negões retribui a eles, então ali todos se vestem e começam a sair da barraca, eu ali fora ainda após mais de uma hora aguardando vejo ela saindo abraçada com seus machos e com um sorriso de satisfação, logo os dois negros que haviam encontrado na festa saem e vão por outro caminho, enquanto ela sai desfilando com o funcionário e seu amigo, como se mostrasse a quem olhasse o que acabaram de fazer, ela com um sorriso de satisfação. Vão em direção a camionete velha para ir embora, eu ali entendo que está tudo sobre controle e pego um taxi para ir embora esperando chegar em casa e encontra ela para me contasse como foi a noite e quem sabe ainda foder ela apesar de toda arrombadinha. Porém por minha surpresa chego ela ainda não está, demorou 1 hora ainda para chegar. Quando ela chega me conta o que houve no caminho.

Eles estavam voltando na camionete, enquanto conversam o funcionário o que ela diria para o seu marido, ela então responde que eu sabia de tudo e que estava na festa observando o que fariam com ela e que ficou em um banco escondido esperando do lado de fora da barraca. Eles então surpresos com a confissão não sabem o que dizer mas tinham a certeza que ela era uma putinha de negros e que seu marido corninho adorava saber que ela fodia com os negros que lhe davam prazer. Ela então contou a eles que toda aquela foda iria me contar detalhadamente, ela então notou que eles ficaram empolgados com aquilo, logo percebeu que um deles estava de pau duro novamente, então ali entre eles mesmo cansada tirou o pau para fora e começou a chupar, quem estava dirigindo logo encontrou um lugar escondido para estacionar e tirou seu pau para ser agraciado por aquela boca, saíram então do carro e logo tiraram sua calcinha, com o vestido mesmo um deles logo a pegou no colo e penetrou de pé em sua buceta que apesar de dolorida estava molhadinha e sem mais demora o outro chegou por trás dela ergue o vestido e penetrou seu cuzinho ela com a boca livre gemia alto ali naquela estrada isolada, logo foram pra tras da camionete abaixaram a tampa e ela ali ficou abaixada e de costas para eles enquanto fodiam sua bucetinha e revessavam com seu cuzinho, até que depois de uns 20 minutos ali gozaram novamente dessa vez a pedido dela dentro de sua bucetinha pois queria sentir o leite quente dentro dela, sem o receio de engravidar pois ela faz uso de métodos anticoncepcionais. Após eles gozarem ela se levanta tentando ao máximo segurar aquela porra dentro dela, apesar de arrombada segurava para chegar em casa e me mostrar o que os machos fizeram com ela, então eles seguem novamente seu caminho, ela com a porra em sua buceta e aos poucos escapando pra suas pernas, ela chega na loja pega o carro e vem para casa, chegou e me mostrou o que fizeram com ela, fomos ao banho e limpou toda aquela porra, ainda trepamos mas sinceramente meu pau ficava até frouxo dentro daquela bucetinha que chegara a experimentar duas rolas gigantes ao mesmo tempo.

2592 views

Contos relacionados

Traí meu gatinho, chupei meu professor e ganhei nota 10

No colégio onde estudei, as aulas de Educação Física eram às terças e quintas, e cada trimestre tinha uma modalidade diferente: basquete no primeiro, seguido por handebol, vôlei e futsal. Já...

LER CONTO

Para a alegria do corninho

Passava pouco mais das 18h quando a mensagem do marido chegou ao meu WhatsApp: "Opa. Você está disponível hoje?". Já comecei a ficar excitado e, mais que depressa, respondi: "Sim, claro". "Então...

LER CONTO

FODI COM 3 E FUI PARA CASA COM ESPERMA NA BUCETA E CU, DEPOIS DO TRABALHO

Bom dia a todos. Nesse dia cheguei do trabalho em casa, com a bunda e a buceta cheia de esperma, com calcinha cheia, para mostrar ao corno manso. Espero que gostem dessas fotos e filmes. Mas vamos aos...

LER CONTO

Aventuras hotwife. Primeira gangbang e engravidei do meu segundo filho!

Ola meus amores!! Sou a Cyntya 48anos, plus size. 88kg. Hj vou contar como foi minha primeira gangbang no meu aniversario de casamento!! Meu marido e eu entramos no mundo da luxuria e do prazer sem...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 4 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2021 - Contos adultos