website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de incesto » FLAGREI MEU PAI PELADÃO

FLAGREI MEU PAI PELADÃO

Publicado em março 17, 2023 por ANGELICA

Depois que meu pai se aposentou das suas atividades como jogador de futebol profissional, passou a trabalhar e administrar com meu avô paterno sua fábrica de sapatos. Meu pai proprietário de um sítio com campo Society, piscina e sauna, de vez em quando chamava os funcionários para jogarem futebol no sítio com direito a churrasco. Nesses dias, minha mãe não gostava de ir o que deixava meu pai um pouco aborrecido. Já eu gostava de acompanhar meu pai por causa da piscina que eu adorava. Estava com algumas esposas e filhos de funcionários na piscina, quando terminando o futebol todos vieram pro churrasco. Um pouco cansada, deitei-me na rede da varanda e acabei dormindo. Acordei percebendo que todos já tinham ido embora, com o Sr. Geraldo e esposa que eram os caseiros do sítio limpando a área onde foi o churrasco. Perguntei onde estava meu pai e o sr. Geraldo me falou que tinha visto ele lá no campo recolhendo as redes. Fui até o campo e não vendo meu pai, fui até o vestiário masculino e ouvindo som de água caindo de algum chuveiro, não pensei duas vezes e entrei. Não imaginava que meu pai poderia estar tomando banho pelado, que me vendo parada olhando pra ele cobriu seu pinto com as mãos, que mesmo vendo muito rapidamente e ele estar mole parecia ser bem grande.

– Que isso Vanda; você sabe que não pode entrar no vestiário masculino.

– Eu sei pai, mas como todos já tinham ido embora achei que não ia ter problema.

– Sai que você não pode ficar ai me olhando.

– Só porque você está pelado?

– Claro né sua desmiolada… Não esqueça que sou seu pai.

– Qual o problema pai? Ninguém precisa ficar sabendo que te vi pelado.

– Tem certeza disso filha?…

 

– Claro!…

Quando vi meu pai tirando as mãos, notei que seu pinto tinha crescido num tamanho absurdo e ficado grosso. Se bem que eu conhecia só o pintinho do meu namorado, que apesar dos meus 16 anos a gente já andava fazendo rala-e-rola. Meu pai continuou tomando normalmente seu banho comigo ali vendo-o de pau duro. Só sai quando vi que ele tinha terminado e estava se enxugando; pois tive receio do sr. Geraldo aparecer de repente. Na volta pra casa, dentro do carro ele voltou a falar sobre eu não comentar nada sobre o que eu tinha visto no vestiário. Só sorri pra ele dizendo que ele não precisava ficar preocupado comigo. Não mais aconteceu de anormal entre eu e meu pai durante os 3 meses seguintes, mesmo tendo ido pro sítio com ele para churrasco com seus amigos por 2 vezes. Vieram as férias, e minha mãe foi junto com meu irmão para os Estados Unidos, onde ele iria fazer intercâmbio de Inglês, ficando na casa de nossos tios que moravam no Canadá por 4 meses. Meu namorado indo viajar com seus pais, acabei ficando sozinha com meu pai que me chamou para irmos ao sítio em um feriado prolongado, pois ele tinha que pagar o Sr. Geraldo e sua esposa que pediram folga naqueles dias pra visitarem uma filha… Levamos comida congelada, bebidas e frutas para os 4 dias. No 1 dia correu tudo tranquilamente, com meu pai aparando o gramado do campo com um cortador elétrico, enquanto eu ficava sozinha na piscina… A noite fomos dar um passeio na cidade. No segundo dia, meu pai ligou a sauna e foi terminar de cortar a grama, e terminando passou por mim ao lado da piscina dizendo que ia ficar um pouco na sauna. Nunca gostei de sauna, mas naquele dia, depois de meia hora resolvi entrar na sauna pra perguntar pro meu pai o que eu podia tirar do frízer para o nosso almoço. Já de cara, assim que entrei peguei meu pai peladão debaixo da ducha se banhando. Ele me vendo não se abalou.

– O que foi filha?…

Perguntei e ele me falou quais congelados eu deveria tirar, me convidando pra entrar com ele na sauna que não ia demorar pra irmos preparar nosso almoço. Eu ainda de biquini, entrei e ele sentando no degrau de madeira com seu pinto já bastante grande, bateu na sua perna (coxa):

– Quer sentar um pouco aqui?…

Estranhei o convite, mas logo aceitei e sentei sobre sua perna tendo seu pintão encostando na minha perna… Eu olhando pro seu pinto que passava dos 20 cm enquanto do meu namoradinho devia medir 10 e era bem fininho.

– Nossa pai; o seu é grandão!…

– Não é não filha… É normal!…

Sem pensar duas vezes, botei a mão naquela coisa dura e dei uma balançada:

– Noooosssa! Tá bem duuuuuuro!….

– Por que você não fica peladinha também?…

– Euuuuu? De jeito nenhum… Tenho vergonha!…

– Só o peitinho pra fora, então!…

Ele mesmo fez subir a parte de cima do biquini, deixando meus peitinhos livres. Fiquei um pouco constrangida sorrindo meio sem graça. Ele botando a mão e brincando com o biquinho durinho do meu peito fazendo meu coração acelerar.

– Que isso pai?…

– Não está gostando não?…

– Tô né!… Kkkkkkkkkk!…

Voltei a colocar a mão no seu pinto e ele reclinou pra chupar meus dois peitinhos alternadamente. Eu que as vezes tocava punheta pro meu namorado, comecei a movimentar minha mão no seu pinto e a gemer.

– Huuuummmm! Huuuummmmm! Que gooooossstoso pai!…

Logo senti sua mão no meio das minhas pernas, chegando a calcinha pro lado e passando a ponta do dedo na minha bucetinha.

– Paaaiiiiiiii?????…

Ele continuou chupando meus peitinhos, e eu punhetando seu pau fui sentindo ele ir enfiando seu dedo lentamente pra dentro da minha xoxota…. Lógico que eu sabia que ele ia descobrir que eu já não era mais virgem.

– Vai pai! Vaaaaiiiii! Enfia o dedo, enfia!!!!!…

Ele passou a socar seu dedo cada vez mais rápido:

– AAaaaaaaah! Aaaaaahhhh! Vai! Vaiiiii! Tôôôô quaaaase!!!!!…

Ele notando que estava tendo um orgasmo, acabou gozando também lambuzando minha coxa. Me levou até a ducha, terminou de tirar meu biquini e limpou todo meu corpo passando a mão. Sem fazermos nenhum comentário, nos vestimos e fomos pra dentro de casa onde fui tomar um banho mais caprichado e ele foi preparar nosso almoço (2 horas da tarde). Passando das 3 horas da tarde, fui tirar o cochilo e acordei com meu pai sentado na beira da cama me perguntando se eu queria ir novamente até a cidade. Olhei pela janela percebendo que começava a escurecer.

– Hoje não pai… Prefiro ficar aqui mesmo!…

Ele só de bermuda, e eu de camiseta (sem sutiã) e short largo, começou a passar a mão na minha coxa. Eu vendo o volume crescendo na sua bermuda, ele percebendo meu olhar.

– Quer ver ele de novo, quer?…

Balancei a cabeça afirmativamente e fui vendo ele abrindo a bermuda e arriando-a até tirá-la por completo, ficando sentado na cama completamente pelado. Novamente levei a mão e comecei a fazer carinho, enquanto ele foi puxando meu short e em seguida a calcinha, me deixando pelada da cintura pra baixo. Ele abrindo minhas pernas e olhando pra minha xoxota.

– Que perereca linda filha!…

Me assustei quando ele foi descendo o rosto e começou a dar beijinhos na minha xana e a passar a língua bem no meio da minha racha. Eu chupava o pintinho do meu namorado, mas ele nunca chupou minha xana, e sentindo a língua do meu pai fui me debatendo na cama como uma louca e apertando a cabeça do meu pai com minhas pernas.

– Hhhhhhhhaaaaa! Hhhhhhaaaaaa! Nãooooo paaaara! Nãoooooo paaaaaraaaaa!!!!!….

Tive um violento orgasmo, e depois olhando para cara dele toda lambuzada com meu líquido vaginal.

– Caramba pai… Isso foi gostoso demais!!!!…

Ele colocando o dedo dentro da minha bucetinha.

– Quer deixar o papai colocar o dele dentro de você?…

– Mas será que cabe, pai?…

– Como você já não é mais virgem, vai caber sim!…

Me fez ficar de quatro na beirada da cama bom minha bunda virada pro lado de fora, e ele em pé fez carinho na minha bundinha pra em seguida chegar com seu pinto até minha toda lambuzada xoxotinha, encostar e começar a empurrar pra dentro. Senti a grossura e fiquei toda arrepiada com ele me penetrando lentamente.

– Ooooooh filha! Ooooohhhhhh! Que deliiiiiiicia!!!!!…

E eu também gemendo e rebolando pra facilitar a penetração. Depois de tudo dentro ele começou a fazer um gostoso vai-e-vem que rapidamente tive o meu segundo orgasmo antes dele tirar e gozar sobre minhas costas. Fomos juntos tomar um banho rápido e irmos pelados pra sala, onde ele sentou sobre a toalha com seu pinto todo mole, e eu me sentei do seu lado recostando meu corpo no seu peito. Ele voltou a acariciar meus peitinhos e não demorou muito pra ver seu pinto se mexendo e querendo ficar novamente aprumado. Olhei pro rosto dele.

– Nossa pai; de novo?…

É que meu namorado só conseguia ficar com ele duro uma só vez antes de gozar. Ele segurando meu rosto e me dando um leve beijinho na boca.

– Você quer que ele fique duro de novo, quer?

Eu com a mão no seu pinto tocando uma leve punheta.

– Eu quero sim!…

Sem um pingo de constrangimento e segurando seu pinto meio duro e meio mole, fui descendo o rosto e logo comecei a lamber a cabeça. Ele segurando firme minha cabeça.

– Você sabe chupar, sabe?…

Coloquei o que coube dentro da boca e chupando fui sentindo seu pau ir ficando cada vez mais duro.

– Vai filha, vaaaaiiiii! Chuuuupa! Chuuuupa!!!!…

Já com ele bem duro, parei e olhando e sorrindo pra ele.

– Quer enfiar ele de novo em mim, quer?…

– Sua safadinha do papai… Lógico que eu quero.

Fiquei de quatro sobre o sofá, mas ele antes de me fuder novamente beijou minhas nádegas e passou levemente a ponta da língua bem sobre meu cuzinho.

– Da próxima vez vai ser na bundinha, tá bom?…

Novamente comparei o pintinho do meu namorado na minha bunda, com aquele pauzão que começava e entrar na minha bucetinha.

– Tá bom paizinho!….

Ele enfiou tudo e meteu com mais força do que a primeira vez, fazendo meu corpo ficar se sacudindo todo sobre o sofá.

– Tô goooozannnnnndo pai!…. Não para! Nãããoooooo paaaaara!!!…

Ele tirou seu pau da minha bucetinha, sentei no sofá sobre uma toalha e ele foi gozando tudo sobre meus peitinhos. Depois me deu um beijo na boca mais demorado antes de irmos junto nos levar novamente. No dia seguinte, antes de irmos pra piscina, meu pai me fudeu ali mesmo na cozinha debruçada sobre a mesa. Fomos pra piscina, almoçamos mais cedo pra irmos até a cidade. Voltamos quando começava a escurecer, e já de pijama fui até a sala e eu mesma beijei meu pai na boca. Rapidamente ele começou a tirar meu pijama me deixando só de calcinha. Chupou meus peitinhos antes de ficar completamente pelado e comigo sentada começou a passar seu pinto na minha boca.

– Chupa filha, dá uma chupadinha, dá!…

Estava mamando o que conseguia colocar na boca, quando ele me fez parar.

– Deixa hoje na bundinha, deixa?…

Sem ele me pedir, eu mesma tirei minha calcinha e fui me posicionando de quatro sobre o sofá. Ele colocou a boca sobre meu cuzinho e salivou bastante antes de molhar a ponta do seu pinto também com sua saliva. Quando sentei a ponta entrando no meu cuzinho, soltei um gritinho.

– Aaaaiiii! Aaaaaiiii! Devagar paizinho; devagar!!!!

Parecia que estava sendo rasgada ao meio, mas logo senti seus pentelhos encostando na minha bunda e seu saco batendo na minha xoxota… Ele tinha enfiado até o talo. Gostava de dar a bundinha pro meu namorado, mas sentir a piroca do meu pai dentro da minha bunda fui simplesmente sensacional que assim que senti ele gozando dentro de mim, também gozei sem nem menos encostar na minha xoxota. Depois que voltamos pra casa, meu pai me usou quase todos os dias até a volta da minha mãe. Já estou com meus 19 anos, namoro normalmente e continuo deitando com meu pai sempre que a gente tem possibilidade… principalmente no sítio que minha mãe continua não gostando de ir.

Leia outros Contos de incesto bem excitantes abaixo:

Vítimas do Desejo

De Noite meu Primo se Aproveitou de mim Parte 2

75526 views

Contos Eróticos relacionados

Eu, meu marido e meu enteado

Sempre tive vontade de compartilhar minhas experiências e também de encontrar pessoas que pudessem ou se sentissem a vontade de fazer o mesmo, contar seus mais picantes segredos, para saber se...

LER CONTO

MEU TIO TARADO

MEU TIO TARADO Olá sou a Mayara e moramos só eu e meu pai pois minha mãe morreu quando eu era pequena, e fui criada pelo meu pai que além de carinhoso é muito cuidadoso comigo, moramos em...

LER CONTO

Conto incesto com minha cunhada tarada

Enviado por: Moreninho Olá hoje vou contar-lhes um caso verídico que ainda esta acontecendo por isso dependendo dos desenrolar do que for acontecer voltarei pra contar mais algo... Enfim, o...

LER CONTO

Nora virando os olhinhos no orgasmo

Nora virando os olhinhos no orgasmo

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Devorando a buceta da maezona

Devorando a buceta da maezona

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Mãezona Peituda Fazendo Espanhola

Mãezona Peituda Fazendo Espanhola

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Transei com meu pai em troca de um celular novo Real

Transei com meu padrasto em troca de um IPHONE de Natal História Real Oiê gente me chamo Ágatha tenho 18 anos o que irei contar aqui realmente aconteceu ... Como já contei em uma história...

LER CONTO

Madame Sthephiane

Madame Stephanie uma francesa radicada a anos no Brasil, era sem dúvida alguma a maior cafetina daquela época. Vangloriava-se de nunca decepcionar seus clientes , pois com seu poder de...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • ciganoitaliano 26/03/2023 13:02

    Queria fazer como seu pai faz. Adorei

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 1 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos