website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos de incesto » Eu, meu marido e meu enteado

Eu, meu marido e meu enteado

Publicado em maio 23, 2023 por Aniz Lima

Sempre tive vontade de compartilhar minhas experiências e também de encontrar pessoas que pudessem ou se sentissem a vontade de fazer o mesmo, contar seus mais picantes segredos, para saber se realmente seria possível tais experiências acontecerem com outras pessoas também. Chamo-me ficticiamente de Fernanda tenho 45 anos, e há cinco anos algo aconteceu em minha vida que me fez mudar completamente a maneira como enxergo as coisas, na época meu enteado tinha vinte anos e sempre que podia vinha passar as férias conosco no interior de São Paulo, era um jovem muito tímido, não tinha muitos amigos e muito menos namorava, tínhamos até uma boa relação, apesar da pouca idade demonstrava certa maturidade, ele entendia que se sua mãe seguiu em outro relacionamento, seu pai também poderia seguir, ele soube perfeitamente separar as coisas.

Meu marido na época estava muito preocupado com essa timidez dele, até comentei que era bobagem, boa parte dos jovens sempre passam por isso, mas na verdade o que realmente incomodava meu marido era o fato do seu filho ainda ser virgem, e até sugeriu pagar uma garota de programa para o rapaz, foi aí que perguntei a ele em um tom mais sério se achava isso certo, um homem casado procurando garota de programa por aí, na mesma hora ele mudou de assunto (risos). Quando ele completou 23 anos meu marido não enxergando outra saída começou a insinuar que seu filho estava me olhando diferente, eu achei um absurdo o que ele estava falando, só que acabou colocando uma pulguinha atrás da minha orelha, será? (risos), continuou dizendo que eu era uma morena gostosa, tinha um bumbum grande que chamava a atenção e outras coisas mais que na época dele com certeza o deixava excitado, nem preciso dizer onde essa conversa terminou (risos).

Confesso que realmente aquela conversa havia mexido comigo, eu precisava conferir se realmente aquilo que ele havia falado estava de fato acontecendo, e no decorrer da semana eu realmente pude constatar que meu marido tinha razão, eu percebi que em algumas oportunidades seus olhares mesmo que disfarçadamente me seguiam pela casa, e confesso que no fundo acabei gostando de saber que chamava sua atenção, e nesse gostar eu comecei a provoca-lo usando roupas mais justas e às vezes até mais curtas, e mesmo parecendo uma situação meio que proibida eu curtia aquela situação que para mim já havia se tornado excitante demais para ser ignorada, eu precisava confirmar para meu marido que realmente seu filho estava me deixando incomodada, só que era o tipo do incomodo que mexia comigo e quando isso acontece a minha natureza submissa fala mais alto que a razão, e quando falei isso para ele eu pude ver em seus olhos toda a satisfação que eu havia lhe proporcionado fazendo com que ele se transformasse e me levasse para o quarto para mais uma noite daquelas onde ele acabou me comendo enquanto me falava ao pé do ouvido o desejo de me ver com outro homem na cama, nessa hora meu corpo tremeu em um orgasmo com ele dentro de mim, eu o abracei com força selando assim um acordo que mudaria nossas vidas para sempre, pude sentir em seu gozo o tamanho do tesão que eu havia lhe proporcionado.

Dali em diante eu comecei a me aproximar mais do filho dele que aqui vou chama-lo de Rodrigo, da mesma maneira que meu nome também não é Fernanda, mas prefiro que seja assim para não correr riscos de ter nossas vidas expostas, passei a me vestir de forma mais provocativa mesmo com a presença do meu marido, a intenção era fazer com que o Rodrigo se sentisse mais a vontade e não tivesse receio de ser repreendido pelo pai, no inicio ele se mostrou meio que intimidado pela presença do pai, por outro lado quando estávamos sozinhos ele se mostrava mais a vontade, e foi em uma dessas ocasiões que comecei a tentar derrubar algumas barreiras, dizendo que ele não precisava se sentir intimidado comigo, pois era normal um homem se sentir atraído por uma mulher, mesmo que essa mulher fosse sua madrasta, nesse dia eu estava com uma bermuda suplex cinza e sem calcinha fazendo com que a bermuda entrasse na bunda conforme eu caminhava pela casa, sem sutiã e uma camiseta bem folgada que deixava um dos ombros a mostra de modo que ele não conseguia disfarçar seus olhares.

Eu estava encostada na pia fazendo um café enquanto ele estava a mesa, estava tão focada em provocar que nem percebi meu marido chegando na cozinha, ele se aproxima e me da uma palmada na bunda me dando um baita susto, eu realmente não estava esperando, mas me deixou toda arrepiada, caímos na gargalhada com o susto que eu havia tomado, até mesmo o Rodrigo acabou rindo da situação, meu marido saiu dizendo que iria até a capital e só voltaria no final do dia, me deu um beijo apalpando minha bunda e foi embora, naquele momento um silêncio tomou conta do ambiente, eu não conseguia nem olhar para trás mesmo sabendo que ele me comia com os olhos o que me deixava mais excitada ainda, a ardência deixada pela palmada me subia um calor pelo corpo, ele continuava ali em silêncio até que comentei sobre o tapa, seu pai deve ter me deixado vermelha pois estava ardendo um pouco, rimos mais uma vez até que tomei coragem e perguntei se ele não queria ver se estava muito vermelho, sem que ele tivesse tempo para responder peguei em sua mão e o levei para sala, chegando lá me deitei no sofá com o bumbum para cima e pedi para ele dar uma olhada.

Tive que insistir um pouco até que ele tomou coragem se ajoelhou e começou a puxar minha bermuda com uma certa dificuldade por estar muito apertada, foi quando eu o ajudei e baixei a bermuda liberando minha bunda bem na cara dele, ele ficou olhando meio que com receio de tocar, olhei para ele com um sorriso bem safado e perguntei se ele gostava, ele confirmou dizendo que realmente estava vermelho, falei que podia tocar se quisesse e que o pai dele havia deixado com a condição de ser o nosso segredo, peguei sua mão e coloquei sobre minha bunda, sua mão estava quente e gostosa, começou a alisar e apertar com as duas mãos descendo pelas pernas, meu coração esta acelerado e mesmo sabendo que meu marido havia me liberado para seu filho eu fiquei meio ansiosa e com medo dele chegar naquele momento, o calor provocado pela adrenalina foi fazendo com que meu corpo relaxasse todo, fazendo com que eu pedisse para ele me libertar de vez daquela bermuda, e foi justamente o que ele fez ao mesmo tempo em que alisava minhas pernas deliciosamente com aquelas mãos quentes, quando olho para porta seu pai nos observava fazendo sinal de silêncio, era a primeira vez que meu marido me via sendo tocada por outro homem, ele sorria enquanto seu filho beijava minha bunda, até que seu pai se aproximou e se sentou ao meu lado, eu não entendia nada pois seu filho nem sequer se assustou com sua presença.

Foi ai que em meu ouvido ele confessou que já vinha combinando com o Rodrigo, ele então abriu o zíper da calça e me ofereceu seu pau para eu chupar, tirou minha camisa me deixando completamente nua no meio da sala a mercê de dois homens, o Rodrigo já avançava sua mão por entre minhas pernas me causando uma certa aflição, por um momento a razão falou mais alto, levantei peguei minhas roupas e fui para o quarto tentar entender aquilo tudo, até um dia desses ele era um rapaz tímido e do nada se mostra um cara deliciosamente atrevido a tal ponto de dividir a mulher do seu pai, foi então que meu marido chegou e confessou que na verdade era ele e o filho que haviam combinado todo aquele jogo de sedução e que eu tinha que aceitar, meu marido conhecia perfeitamente sua mulher, ele sabia que a submissão era meu ponto fraco e faria de tudo para tirar proveito dessa fraqueza minha, nem que para isso tivesse que me dividir com seu filho, foi então que ele pegou as roupas que eu segurava e jogou em um canto dizendo que meu corpo a partir daquele momento era deles, ao ouvir isso o tesão me invade o corpo de forma que me vi na obrigação de agradar o meu homem, ou melhor, aos meus homens, trocamos um longo beijo enquanto ele segurava minhas mãos se colocando sobre meus peitos de modo que eu não conseguia enxergar minhas pernas, até sentir que o Rodrigo subia na cama abrindo minhas pernas fazendo com que minha respiração acelerasse mais ainda.

Sentir aquelas mãos quentes acariciando minhas pernas me abrindo sem o menor pudor, aproximando seu rosto da minha buceta me deixando cada vez mais louca ao perceber a respiração sua respiração próxima da minha buceta, eu totalmente entregue senti meu corpo todo estremecer quando sua língua percorreu a fenda depilada da minha buceta me tirando um ohhhhhhh enlouquecedor(risos), eu mexia o quadril enquanto ele chupava minha buceta, seu pai grudado em meus seios me deixando cada vez mais sensível, fechei meu olhos e deixei rolar me entregando por completo, por um estante eu imaginei as pessoas passando pela rua sem imaginar  o que estava acontecendo dentro daquela casa toda fechada, era muito tesão, cheguei ao orgasmo gemendo e trancando o Rodrigo entre minhas pernas, ele estava de pau duro e louco para me comer, meu marido sentou e se encostou na cabeceira da cama me puxando para chupar seu pau, caí de boca sem a menor cerimônia, fiquei de quatro oferecendo minha buceta para meu enteado que não demorou muito em me invadir por trás e desferindo uma sonora palmada me tirando outro gemido que dessa vez foi abafado pelo pau do meu marido, pela primeira vez eu sentia aquela maravilhosa sensação que só via naqueles filmes pornôs que tanto consumíamos, é indescritível e viciante fazer sexo oral e ser penetrada ao mesmo tempo, me fazendo uma verdadeira putinha submissa nas mãos deles, ele socava bem devagar enquanto apertava minha bunda contra o seu corpo.

 

Foi quando ele parou no intuito de segurar o gozo sem sucesso, pude sentir seu pau mais duro e começando a pulsar dentro de mim, olhei para meu marido com um sorriso bem safado e mordendo os lábios falei que ele estava gozando em mim, ele segurava minha bunda enquanto seu corpo a cada espasmo indicava que ele estava se apoderando da minha buceta, seu pau deslizava dentro de mim denunciando que estava sem camisinha, sei que fui até irresponsável em nem me atentar a esse detalhe, mas tudo aconteceu de uma maneira meio que estabanada com muito tesão envolvido onde o único objetivo era sentir prazer, e como eu não posso engravidar acabei nem ligando muito em sentir sua porra escorrendo pelas pernas, continuei chupando meu marido até que ele gozou em meu rosto, me senti realizada naquela cama junto deles e assim brincamos pelo resto do dia até adormecermos exaustos, acordei já era noite, meu marido dormia enquanto o Rodrigo punhetava olhando para mim, montei nele para cavalga-lo enquanto sugava meus peitos, nessa esfregação toda gozei mais uma vez abafando meus gemidos afim de não acordar o pai dele, sai de cima e abocanhei seu pau até que sua porra começou a jorrar por entre meus dedos, durante uma semana eu fui devorada por eles em cada canto daquela casa, até que terminando as férias ele voltou para casa da mãe com a promessa de que voltaria assim que possível, é um segredo que guardamos até hoje e com certeza jamais abriremos para outras pessoas, hoje ele tem 25 anos e vivemos os três juntos em outro estado afim de esconder essa relação meio que proibida mas muito gostosa.

Leia outros Contos de incesto bem excitantes abaixo:

Flagrei minha melhor amiga transando com meu pai História Real

O dia que comi a buceta da minha tia é a engravidei

33520 views

Contos Eróticos relacionados

Sodomização incestuosa de Hilde – II

Estava eu no churrasco em uma mansão de um luxuoso condomínio. Havia no máximo umas vinte pessoas. Exceto eu, Duda e mais três gurias, o resto era de gente perto ou acima dos quarenta. Uma...

LER CONTO

Safadinha do Papai

Me chamo Carlos e tenho uma filha chamada Carol, sexta feira passai na escola dela pra fazer uma surpresa. - oi filha. + oiiiiii pai, que saudade. Carol estava quase a um mês sem me ver,...

LER CONTO

Mamusca, A Sogra Pervertida

Mamusca, A Sogra Pervertida

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Boquete Selvagem

Boquete Selvagem

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Sexo Selvagem Na Fazenda

Sexo Selvagem Na Fazenda

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

SOU A OUTRA DO MEU PAI…

Sempre fui muito grudada ao meu pai, e adorava quando ele tinha folga no seu trabalho e nas suas longas viagens para passear comigo, me levando ao shopping ou até na praça pra tomarmos sorvete e...

LER CONTO

DANDO PRO MEU PAI POR DINHEIRO

Morávamos em um condomínio residencial, com várias casas de classe média alta, com portaria de entrada e com todas as ruas monitoradas por câmaras. Minha mãe Debora, uma mulher dessas que os...

LER CONTO

Carnaval com prima gostosa Carmélia na minha casa

Ela se chama Carmélia, tinha na época 26 anos e tem cerca de 1,75 de altura e um corpo começando a ser esculpido por Deus, uma cintura fininha, uma bunda abundante, redonda e durinha, coxas...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • João e Lurdes 24/05/2023 15:00

    Belo conto pena eu não ter tido uma madrasta assim pois teria amado muito

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 5 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos