Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos eróticos picantes » Comi a namorada safada do meu amigo

Comi a namorada safada do meu amigo

Publicado em abril 27, 2020 por Bruno Rodrigues

Olá, me chamo Victor, tenho 30 anos e essa história aconteceu a um tempo. Gabi era deliciosa. A verdade é que eu sempre quis foder aquela vagabunda. Eu ficava com a pica dura só de pensar eu mamando naqueles peitos durinhos. Era um tesão por aquela mulher de pele clara, 1,65 mais ou menos, cabelos ruivos longos bumbum redondinho… Era inexplicável, simplesmente. Ela não reparava, mas eu a observava. Eu salivava com o seu cheiro, aquele perfume de mulher gostosa que te induz a pensar em sexo, parece que ela fazia de propósito. Volta e meia me pegava no banheiro batendo uma pra ela. Pelo menos lá eu podia fantasiar ela em todas as posições que eu quisesse (risos). Sim, eu queria muito fodê-la. fotos, vídeos, eu guardava o que podia. Era estranho, eu nunca havia tido uma atração tão grande por uma garota antes, mas a excitação falava mais alto. Ela era meio safada, as vezes deixava escapar alguns segredos da relação dela com o namorado, me deixando ainda mais instigado. Mas eu tinha que me controlar, afinal ela era namorada de um dos meus melhores amigos.
tocávamos no mesmo conjunto musical. Certa vez durante a criação de uma das músicas que preparávamos, ela disse que não estava conseguindo acompanhar o restante da banda, pois não havia tido tempo de trabalhar na sua parte durante a semana, devido a correria do trabalho. Ela sugeriu então que eu fosse com o seu namorado na casa dela, para ajudá-la com a sua parte. combinamos então que iríamos na terça às 7 da noite pois assim ficaria melhor para todos.
Dado o dia, as 18:20 mais ou menos, eu estava assistindo a TV quando o telefone tocou. Era ela:
– Ei você vai vir aqui? Já estou em casa…
– Sim, eu vou, estou só esperando o João passar aqui, daqui a pouco estamos aí.
Então ela suspirou e falou calmamente:
– Ele disse que não vai dar pra vir, ele teve uns contratempos lá no trampo dele, falou pra gente ver o que faz aqui…
– Ah, beleza então, já estou saindo, daqui a pouco estou aí.
pus então uma roupa bacana, um perfume, como de costume, entrei no carro e fui até a casa dela. Toquei o interfone, logo ela abriu o portão e veio me atender. Estava com um shortinho jeans bem curto, o cabelo preso como um coque e uma blusa branca, que possibilitava ver com certa facilidade o formato dos seus seios. “Caralho, você tá uma delícia!!” Pensava eu. simplesmente não conseguia tirar os olhos dela.
– Entra, já deixei tudo pronto, só estava esperando você.
– Opa, vamos lá! – disse eu sorrindo.
Entramos, sentamos no sofá da sala e então começamos a falar da música em questão. ela então pegou a tablatura e se sentou colada em mim com as pernas cruzadas. Enquanto ela falava, sobre as suas questões, eu sentia minha temperatura corporal aumentando, o coração acelerando… Me senti como da primeira vez que eu transei (risos) talvez isso fosse um sinal. Senti que a medida que o tempo passava se tornava mais difícil eu me controlar. O meu pau a essa hora, nem preciso dizer, estava quase rasgando a bermuda, com uma força descomunal. exatamente essas palavras emaranhadas na minha cabeça, me fizeram parar nos lábios rosados dela. E ela percebeu.
– Ei você tá bem? ficou aéreo de uma hora pra outra.
– Eu? Nada, tô tranquilo! – respondi com um sorriso sem graça.
Enquanto eu tentava me justificar ela começou a sorrir e olhou para baixo. Não tinha mais como eu esconder o meu tesão naquele momento. Eu fui descoberto. (risos)
– Caralho você tá de pau duro!
O coração disparou… Eu queria ter visto a minha cara aquele momento (risos)
– Porra Gabi, desculpa, mas é que…
– mas é o que? – ela respondeu ainda rindo.
– Você é uma delícia, e eu não sou de ferro. Poxa sei que você é namorada do meu amigo, mas eu tenho um tesão fodido em você…
– Eu não acredito! – disse rindo e olhando pra mim.
Ela olhou para o lado, enquanto esfregava levemente os lábios. Pensou em algo por alguns segundos, depois colocou a tablatura em cima da mesinha de centro e então voltou novamente o olhar pra mim. Juro, a cara de safada que ela fez quase me fez gozar. Eu fiquei parado, apenas olhando pra ela. É incrível, eu fico excitado toda vez que lembro dessa parte (risos). Ela colocou a mão no meu pau que nessa hora já estava duro como uma pedra e começou a massageá-lo, lentamente. Nos momentos seguintes lembro de cada palavra:
– Quer saber? Tô precisando dar uma relaxada… E estamos só nós dois aqui então…
Começamos a nos beijar como dois tarados. Eu não acreditava no que estava acontecendo, mas nem queria pensar naquele momento. Ela beijava absurdamente com uma malícia que me inebriava. Comecei então a escorregar as mãos pelos seus ombros, descendo para os seus seios durinhos e os apertando levemente. enquanto eu me deixava levar pelos seu beijo surreal eu massageava o biquinho dos seus seios, lentamente, a deixando arrepiada. Ela então pegou no meu pau e apertou com força, e me chamou pro seu quarto. Como as janelas estavam fechadas, não havia com o que se preocupar se alguém estava vendo algo (risos). Ela foi tirando a sua blusa, depois o shorts, mostrando a calcinha atolada naquele rabo gostoso. Nessa hora não resisti e a agarrei por trás pela cintura, beijando o seu pescoço. Apertei forte e segurei o rabo dela encostado na minha pica para que ela sentisse pulsar de tesão.
– Quer meter na minha buceta quer? Mete gostoso vai…
juro, nunca tinha sentido tanto tesão na minha vida. Não conseguia pensar em mais nada. Ela então arrebitou aquela bundinha maravilhosa e me abaixei e comecei a chupar a sua buceta e o cuzinho, vendo ela se arrepiar e se contorcer, na ponta dos pés. Depois de alguns minutos assim eu botei a minha pica naquela buceta molhadinha, metendo bem devagar. enquanto beijava o seu pescoço e segurava os seus seios dava pra sentir as suas contrações musculares, beliscando e puxando o meu pau pra dentro. Ela gemia que nem uma puta no cio me pedindo pra fodê-la gostoso. ficamos por uns dez minutos assim até que entramos no seu quarto, ela já foi logo abaixando e ficando de quatro, com as mãos apoiadas sobre a cama. comecei a meter novamente na buceta dela dessa vez com toda a minha vontade. Ela então começou a gemer mais alto, pedindo pra eu não parar…
– Não para, não para, eu vou gozar!!!
Continuei metendo com toda a minha força até que ela gozou, caindo sobre a cama, respirando profundamente e rindo pra mim. meu coração estava disparado, e eu não conseguia pensar em mais nada a não ser atolar todo o meu cacete na buceta daquela putinha. Ela então pegou no meu cacete que estava latejando e então o abocanhou, com uma maestria de atriz pornô (risos). colocava e tirava da boca, dando umas mordicadas enquanto olhava pra mim. Lembro que logo depois ela se deitou na cama e abriu as pernas e eu não perdi tempo, já fui pra cima dela e plantei toda a minha rola naquela buceta. Cara, é indescritível a sensação do quão gostoso ela sabia foder. ela me prendia no meio das suas pernas sincronizando os nossos movimentos, enquanto eu me lambuzava nos seios dela. Meu tesão aumentando até quando eu não aguentei mais…
– Eu vou gozar, eu vou gozar!
– goza gostoso vai… goza na minha buceta safado…
Comecei a meter mais devagar pra aproveitar os últimos momentos, até que não aguentei, abracei ela com força e soltei um jato enorme de porra dentro dela. Ela ficou surpresa com aquela gozada gigante (risos)
logo depois, ficamos deitados por mais uns minutos, conversando, até que resolvi ir para casa. Mas claro já tinha esquematizado com ela outro momento, para repetirmos a dose. Vesti minhas roupas e ela me levou até a porta e ali nos despedimos. na hora que eu ia saindo ela se aproximou de mim e disse:
– Não conta pra ninguém hein?
Em seguida me deu mais um beijo, apertou o meu pau e entrou para dentro. fui pra casa então. Sem dúvida, essa foi uma das melhores fodas que eu já tive na minha vida.

15070 views

Contos relacionados

Conto porno com vizinha novinha

Enviado por: Brenno de Porto Alegre Tudo que escrevo é real. Geralmente ficamos desconfiados que os textos aqui são invenções. O meu é verdadeiro. Vamos lá! Moro ao lado de uma família...

LER CONTO

Meus pais viajaram e meu vizinho me fodeu

Acordei pela manhã e havia visto ninguém em casa. Meus pais saíram para o interior e me deixaram sozinha. Meu corpo estava tão quente que era impossível não querer o tocar. Me olho no espelho,...

LER CONTO

A afilhada gostosa da minha esposa

Meu nome é Fernando. Tenho 35 anos, sou moreno, tenho 1,75m e corpo atlético. Sou casado há dois anos com a Leandra, uma morena linda, de 37 anos e corpo bastante sensual. Antes de conhecê-la já...

LER CONTO

Uma viagem inesquecível

Essa história começa numa reunião de amigos que sempre se encontravam num determinado dia da semana. Geralmente eram casais, mas nesse dia também tinha uns amigos descompromissados. Era uma...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • Samuja 26/09/2020 21:55

    Legal e bem detalhado do jeito que eu gosto, que tenha mais e mais desse tipo.

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 4 = ?

Se você gosta de ler contos eróticos o contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.

© 2020 - Contos adultos