website page counter
Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos adultos » Contos porno » A inesquecível minha tia

A inesquecível minha tia

Publicado em fevereiro 25, 2024 por Francisco Carlos de Sousa

A inesquecível minha tia

por: Jr. DaKenga

Há anos atrás vivi o momento mais inesquecível de minha vida. Eu ia ficar 20 dias de férias em Santos, na casa de minha tia.

Minha tia é a Letícia, irmã de minha mãe, ela é dentista em Santos, tem 35 anos, ela tem 1,75, uma loira muito bonita e um corpo de academia.

Cheguei bem cedinho em Santos, descansei um pouco, na hora do almoço minha tia fez uma macarronada com um frango assado de padaria, estava uma delícia.

Depois do almoço ela me levou para passear no shopping, que era muito grande, muitas lojas bonitas.Cheguei cansado no apartamento, assisti um pouco de televisão e logo fui dormir. Minha tia disse que logo cedo nós iríamos para a praia. Lá do meu quarto percebi a voz de um homem conversando com minha tia e mesmo assim acabei dormindo.

Logo cedo acordamos para ir à praia. Estava no maior entusiasmo. Logo bateram na porta do apartamento e minha tia foi abri-la e logo já ganhou um beijo dele. Minha tia me disse que era o Fábio, e que era seu namorado e que trabalhava no consultório como dentista, como ela.

Fábio estava de short e minha tia com um vestido longo, quase transparente.  Quando chegamos na praia já tinha um monte de gente. Achamos um lugar para ficar, perto de uma barraca, e foi aí que presenciei a maior maravilha do mundo, quando minha tia tirou o seu vestido e a vi com um fio dental entrando em sua bundinha, na frente outro pedacinho de pano que praticamente só escondia o racha da coisa dela, e a parte de cima só uma tirinha que cobria os biquinhos dos seus peitos. Meu Deus, que mulher gostosa, que mulher maravilhosa. Nunca tinha visto uma mulher daquele jeito. Eu ficava mais dentro do mar para não passar vergonha com o pau duro.

 

Por volta das 16 horas voltamos para casa, o namorado da tia nos deixou em casa e ia voltar lá pelas 20 horas, onde quando chegou trouxe uma pizza e aí jantamos. Assisti um pouco de filme e fui para meu quarto, enquanto que minha tia e Fábio ficaram ali no sofá. Passado um bom tempo comecei a perceber ruídos na parede, como se alguma coisa estivesse batendo nela, pois o meu quarto era de parede com o de minha tia. Pé por pé cheguei na porta do quarto dela e aproveitei para olhar pelo buraco da fechadura e o que vi me deixou com o pinto duro na hora. Estavam os dois peladinhos nos maiores dos amassos, beijos, era mão ali, era mão naquilo. Pela primeira vez vi uma mulher peladinha na realidade e não através de revistas. Minha tia era realmente gostosa.

E comecei a ouvir as conversas: querida dá uma chupada caprichada no meu pinto. Vou chupar mas se você gozar na minha boca, vai ter que chupar minha bucetinha até eu gozar. Eu vi minha tia pegando o pinto dele e chupava a cabeça e depois colocava tudo na boca, com as mãos batia um pouco de punheta e chupava novamente até que Fábio gozou e ela engoliu tudo, não desperdiçou nada. Depois ele a beijou, chupou os peitinhos dela, pegou as pernas dela e abriu um pouco e enfiou a língua na bucetinha dela e depois caiu firme chupando-a todinha e deu para perceber depois de uns 15 minutos que ela também gozou.

E eu não estava aguentando mais, tirei o pinto para fora do calção e comecei a bater uma punheta e logo gozei na outra mão para não sujar o chão, e fui correndo para o banheiro lavar as mãos e voltei rapidamente para o buraco da fechadura.

Quando olhei novamente minha tia estava por cima dele cavalgando com toda vontade e dava para ver o pau de Fábio entrando e saindo daquela bucetinha lisinha. Logo saíram daquela posição e ela ficou de quatro na cama, Fábio deu uma pincelada na bucetinha dela e guardou tudo de uma só vez, ficaram ali no vai e vem por um bom tempo e minha tia gozou gostoso. Tirou o pau daquela bucetinha maravilhosa de minha tia, levantou e foi pegar um frasco com um líquido, voltou para a cama e disse: agora vou comer esse cuzinho, vi ele passar aquele líquido no cuzinho dela e depois passou no pinto dele, colocou na entradinha e enfiou um pouco, tirou e enfiou outra vez, depois guardou tudo e minha tia reclamou: vai devagar filho da puta, quer me rasgar toda, quer me machucar.

Não aguentei ver tudo aquilo e já corri para o banheiro e bati outra punheta, gozei gostoso pensando no corpo pelado de minha tia, e fui para o meu quarto.

Pouco depois comecei a ouvir a água do chuveiro caindo e imaginei que estavam tomando banho.

No outro dia acordei cedo e fui para a televisão, de repente minha tia sai do quarto com uma pequeníssima camisolinha transparente, de calcinha e sem sutiã e eu olhei de boca aberta e ela simplesmente disse: não fique assustado sobrinho, você não está vendo nada mais, nada menos do que já tinha visto na praia. Não sabia onde enfiava a cara de vergonha.

O dia foi normal, fomos para o shopping novamente e depois para a prais, e na praia ficava cobiçando aquela bundinha maravilhosa de minha tia.

Voltamos para o apartamento, tomamos banho e minha tia novamente com aquela camisolinha transparente, agora mais longa, de cor preta, transparente, só que agora de sutiã, pegou o celular e pediu dois lanches e um refrigerante para nós. As vezes, ali no sofá, ela ficava de lado com aquela bundinha a mostra e precisei pegar o travesseiro do sofá e colocar no colo para disfarçar o meu pinto duro.

Já não estava aguentando mais, o tesão era demais, acabei indo para o banheiro bater uma punheta, parece que demorei um pouco mais, pois minha tia foi bater na porta perguntando o que estava acontecendo e quando ela bateu na porta acho que não havia trancado direito e ela se abriu, pronto, minha tia me pegou com o pinto na mão batendo uma punheta, travei, não sabia o que fazer, se pudesse sairia correndo e ia parar na minha casa, mas acabei guardando o pinto dentro do calção.

Minha tia para me deixar mais envergonhado, começou a dar risada e ainda perguntou o que está acontecendo meu sobrinho caipira, sobrinho do sítio, fala para sua tia, conversa com sua tia. Eu gaguejando disse a ela, eu nunca vi uma mulher quase pelada, não aguento ver você com aquele fio dental enfiado, não aguento ver a tia andando desse jeito pela casa como agora, até hoje nunca peguei uma menina.

Calma meu sobrinho, vamos conversar, mas antes olhando para baixo perguntou, que tamanho de pinto é esse, deve ter puxado para seu avô, pois a vovó sempre dizia que seu avô era um jumento e ela sofria muito na mão dele na cama.

Vamos lá para o quaro, quero conversar com você. Chegando lá ela de cara disse, vai acontecer agora uma coisa que sua mãe, que é minha irmã, não poderá saber nunca, de jeito nenhum, senão haverá briga em família, você jura que nada falará, e eu disse, pode acreditar tia, nunca vou contar para ninguém.

No quarto ela fez eu ficar em pé, veio e tirou minha camiseta, meu calção e a cueca e já pulou para fora o meu pinto duríssimo. Ela também tirou toda sua roupa, mandou-me passar minhas mãos em sua bucetinha, pegar em seus peitinhos, alisar sua bundinha. Mandou eu ir lá no banheiro e lavar o pinto, e quando voltei pediu para deitar na cama, ela veio, pegou meu pinto e começou a chupar, senti até os cabelinhos do meu rabo arrepiar, era gostoso demais, ela colocava tudo na boca, chupou-o da cabeça até o saco, eu chegava a gemer de tanto tesão.

Depois ela deitou de costas na cama e disse, agora tudo que eu pedir você faz com jeito e carinho. Beija meu pescoço, sussurra e diz que eu sou gostosa e passe a língua em minhas orelhas. E eu fiz. Depois pediu para chupar seus peitinhos com suavidade. E eu fiz. Pediu para passar a língua nos biquinhos de seus peitos. E eu fiz. Mandou eu alisar com carinho suas coxas. E eu fiz. O pinto duro que já estava até doendo. Depois mandou eu passar meus dedos na boca e molhar com saliva e depois passar o dedo na abertura de sua bucetinha e enfiar o dedo devagarinho e eu fiz, parece que estava toda melecada. Vem cá meu sobrinho, chegou a hora de você sentir o gosto de uma bucetinha e me ensinou como chupar e deixar uma mulher louca de tesão. E eu fiz, caprichei o máximo possível por um bom tempo e senti que ela gozou. Mandou eu ficar de joelhos na cama, com os dedos abriu sua bucetinha e mostrou um negócio de quase um centímetro e disse, isso aqui é o meu grelinho, o lugar mais sensível da mulher, molhei o dedo e fiquei passando nele, depois mandou dar umas chupada suave nele, e eu fiz.

Depois mandou em subir em cima dela, ela abriu as pernas, pegou meu pinto, nossa sobrinho como ele é grande, como consegue ficar tão duro assim, e com ele nas mãos esfregou para cima e para baixo em sua bucetinha por um tempo e percebi que ela apontou para um buraquinho e ir enfiando devagar, fui enviando, fui enfiando e acabou entrando tudo e comecei o entra e sai, não demorou muito ela começou a gemer muito e pediu para ir mais rápido e gozou gemendo, mas pediu para continuar metendo e aí não aguentei, gozei como um louco e que gozada mais gostosa, melhor do que batendo punheta.

Descansamos um pouco e depois ficou de quatro e pediu para eu meter nela daquele jeito. E assim o fiz. Essa metida demorou mais porque já tinha gozado meia hora antes. Eu enfiava, bombava e tinha vez que ela forçava a bunda para o pinto entrar mais. Gozamos mais uma vez. Ali conversando disse a ela que queria comer seu cuzinho e ela disse, aí não tem jeito, você tem um pinto muito grande, vai ficar todo aberto e meu namorado amanhã vai perceber que outro homem comeu meu cuzinho. Mas insisti, deixa tia, deixa tia, eu só coloco a cabecinha e brinco um pouco, para mim já está bom. Ela disse, vamos tentar um pouco, forcei , forcei, forcei e a cabeça entrou e parei, ela gemeu, percebi que ela empurrava a bunda para trás para entrar mais um pouquinho, mas desistiu, disse que estava doendo muito.

Acabamos ali dormindo pelados. De madrugada já estava eu de pinto duro novamente, ela de costas para mim, comecei a alisar sua bundinha, os peitos e encostei meu pinto na bunda dela e senti que ela abriu as pernas um pouco, pegou meu pinto e colocou na entrada de sua bucetinha e atolei tudo, dez minutos depois eu e ela gozamos outra vez.

Antes de acabar minhas férias fizemos mais, pelo menos umas 5 vezes, as vezes até durante o dia, no sofá, no banheiro e na cama. No dia que tinha que ir embora, ela chegou em mim e disse, você aprendeu tudo certinho e quando arranjar uma namorada faça tudo com ela o que aprendeu comigo, ela não vai te largar nunca, isso é, se ela aguentar esse pinto de jumento.

Essa foi as férias mais maravilhosa de minha vida. Um jovem de 18 anos, morador de um sítio perto de cidadezinha pequena, onde o namoro era apenas dar uns amassos na namorada e nada mais e só esperar para transar quando casar.

Leia outros Contos porno bem excitantes abaixo:

COMI MINHA EMPREGADA HILDA

O primeiro boquete de Tucci

41611 views

Contos Eróticos relacionados

Conhecendo putinha pelo Orkut

Olá, esse será meu primeiro conto que irei escrever. No tempo do orkut, enquanto navegava pelos grupos, encontrei uma menina que achei muito bonita. Ela não usava o nome dela, e sim um "nome de...

LER CONTO

O aproveitador de mocinha indefesa

Morava havia pouco tempo no condomínio da Avenida Principal. Tinha apenas uma amiga no bairro, a Lara. Nós duas cursávamos o segundo ano de formação de professores. Já no primeiro período de...

LER CONTO

Pegando Vizinha Rabuda

Pegando Vizinha Rabuda

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Será Que Entra Papai?

Será Que Entra Papai?

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Será Que Entra Papai?

Será Que Entra Papai?

LER CONTO
  • Enviado por: Admin
  • ADS

Casei com meu amante e meu marido de testemunha

Me chamo Irina, vinte e quatro anos, casada há quatro, tenho 1,65 alt. Peso 60k, meu corpo é bem feito tenho cintura fina, seios médios para grande e minhas nádegas são um pouco avantajadas. ...

LER CONTO

Seccrettus: Amanda Prazer em Conhecer!

Hoje remexendo em uma caixa de coisas guardadas, eu voltei ao passado, encontrei algumas coisas que me fizeram relembar muitas coisas. Ja fazia um tempo. que eu precisava fazer uma organização, mas...

LER CONTO

Cuzinho apertadinho

Saciando-nos Todos os dias eu ficava imaginando como seria minha cunhada de quatro Se tratava de uma jovem de pele branca,cabelos pretos encaracolados "casada" com meu cunhado . Estatura...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 4 = ?
ContosAdultos.Club - O seu site de Contos Eróticos
Se você gosta de ler contos eróticos ou contos adultos é o site perfeito para você. Aqui você vai ler contos sexuais reais, e o melhor de tudo é que o site é atualizado diariamente.
© 2024 - Contos adultos